Veja fotos do fenômeno da ‘Superlua’ pelo Brasil e pelo mundo

Publicado no G1

'Superlua' na Tower Brigde, em Londres (foto: Paul Hackett/ Reuters)
‘Superlua’ na Tower Brigde, em Londres (foto: Paul Hackett/ Reuters)
 Lua clicada em Uberlândia (MG) por leitora do G1 (foto: Maria Luiza Ribeiro Pereira Araujo)
Lua clicada em Uberlândia (MG) por leitora do G1 (foto: Maria Luiza Ribeiro Pereira Araujo)
 'Superlua' atrás da catedral de Mdina, em Malta, neste domingo (10) (foto: Darrin Zammit Lupi/ Reuters)
‘Superlua’ atrás da catedral de Mdina, em Malta, neste domingo (10) (foto: Darrin Zammit Lupi/ Reuters)
 'Superlua' é vista na Catedral de Santo Isaac, em St. Petersburg, na Rússia (foto: Alexander Demianchuk/ Reuters)
‘Superlua’ é vista na Catedral de Santo Isaac, em St. Petersburg, na Rússia (foto: Alexander Demianchuk/ Reuters)
 'Superlua' clicada por leitor em Resende (RJ) (foto: Eduardo Tavares da Costa)

‘Superlua’ clicada por leitor em Resende (RJ) (foto: Eduardo Tavares da Costa)

Leia Mais

Londres é sondada como “plano B” para a Olimpíada do Rio, diz jornal

O esgrimista Andrea Baldini, da Itália, comemora medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012 (Foto: Chris McGrath/Getty Images)
O esgrimista Andrea Baldini, da Itália, comemora medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012 (Foto: Chris McGrath/Getty Images)

Segundo imprensa britânica, COI perguntou secretamente às autoridades de Londres se a cidade poderia substituir o Rio em 2016. Oficialmente, o comitê nega

Publicado na Época

Os atrasos nas obras para a Olimpíada do Rio, em 2016, fez com que o Comitê Olímpico Internacional (COI) sondasse autoridades de Londres para saber se a capital britânica teria condições de sediar o evento no lugar do Rio. A informação é do jornal britânico Evening Standard. Segundo o jornal, membros do COI tiveram uma conversa informal sobre a possibilidade de Londres se tornar um “plano B” da Olimpíada de 2016.

O Comitê Olímpico critica fortemente os preparativos dos Jogos Olímpicos no Brasil. No final de abril, o vice-presidente da entidade disse que a preparação para Rio-2016 é “a pior de todas”. Uma comparação com jogos recentes mostra o quanto o Rio está atrasado. Faltando dois anos para os Jogos, Londres estava com 60% das obras prontas, Atenas estava 40%. Já o Rio, neste momento, fez apenas 10% dos preparativos.

Apesar das conversas informais, a fonte do Evening Standard diz que a possibilidade do COI trocar o Rio por Londres é pequena. Deixar uma cidade-sede de fora por conta nos atrasos em obras seria inédito, mas já aconteceu de Londres substituir uma cidade durante os Jogos Olímpicos. A Olimpíada de 1908 foi transferida da Itália para a Inglaterra por conta da erupção do Monte Vesúvio.

Oficialmente, o Comitê Olímpico Internacional negou que haja qualquer conversa sobre tirar a Olimpíada do Rio ou em um plano B para 2016. “Essa notícia é totalmente sem fundamento. Não há um pingo de verdade”, disse a entidade.

Leia Mais

Londres ganha exposição de ‘artista invisível’

140414095649_liu-bolin-4

Publicado na BBC

Aclamado internacionalmente, o artista chinês Li Bolin acaba de ganhar a primeira exposição individual em Londres, no Reino Unido. Com a ajuda de assistentes, ele se camufla em meio às paisagens que deseja retratar, desde prateleiras de supermercado a estantes de biblioteca.

O objetivo do artista é fazer uma crítica social, levando o espectador a questionar a noção da superficialidade. A mostra, que inclui obras ainda não expostas ao público, é realizada na Scream Gallery.

140414095643_liu-bolin-1 140414095647_liu-bolin-3 140414095700_liu-bolin-9 140414095654_liu-bolin-6 140414095656_liu-bolin-7 140414095658_liu-bolin-8 140414095702_liu-bolin-10

 

 

 

 

 

 

Leia Mais

Pepsi assusta pedestres com imagens realistas no ponto de ônibus

Publicado por Adnews

Se a Pepsi já tem enorme penetração e uma marca forte em vários lugares do mundo, a sua extensão de linha Pepsi Max, refrigerante com baixo teor calórico, começa a se consolidar com campanhas criativas e com alto poder de viralização. Depois da pegadinha realizada em parceria com o tetracampeão da Nascar, Jeff Gordon, com um vendedor de carros, agora foi a vez de uma ação interessante de mídia out of home utilizando a tecnologia num ponto de ônibus. O conceito também é parecido com uma espécie de pegadinha.

A campanha “Unbelievable” (inacreditável, tradução livre) foi realizada em Londres, na Inglaterra e mostrou aos passageiros locais imagens realmente inacreditáveis, com a ajuda de uma tela digital espelhada, no ponto de ônibus, como se fosse uma placa sem o anúncio publicitário. De hora em hora, a tela exibia imagens assustadoras e com um efeito muito real, com direito a itens como meteoros, naves espaciais e tigres se aproximando dos pedestres, algo muito parecido com uma campanha da LG no Chile, que colocou uma televisão de 4K de 84 polegadas no lugar da janela (relembre aqui).

Uma câmera escondida instalada no local possibilitou o registro de todos os momentos. O resultado da campanha foi um filme com mais de um minuto e meio, que mostra a reação de cada uma das pessoas que aguardavam a chegada do transporte. Com menos de um dia no ar, o vídeo já tem quase 100 mil pageviews.

A campanha promove a Pepsi sem açúcar e diz que seu sabor é inacreditável, assim como os acontecimentos na ação. A criação é da AMV BBDO de Londres.

pepsi1pepsi2pepsi3pepsi4

Leia Mais

Gordura saturada não é a vilã para o coração, diz estudo

As gorduras saturadas da manteiga, do queijo e da carne vermelha não são tão prejudiciais para o coração como se pensava, segundo um estudo

size_590_carne

Publicado na Exame

Londres – As gorduras saturadas da manteiga, do queijo e da carne vermelha não são tão prejudiciais para o coração como se pensava até agora, de acordo com um estudo publicado nesta quarta-feira na revista médica “British Medical Journal”.

A pesquisa foi coordenada por Aseem Malhotra, um dos cardiologistas mais prestigiados do Reino Unido e especialista do hospital universitário de Croydon, em Londres.

Em seu artigo, Malhotra afirma que o consumo de produtos com pouca gordura “paradoxalmente” aumentou o risco de ter doenças cardiovasculares.

Segundo o especialista, as pessoas consomem todo tipo de produtos desnatados pensando que são melhores para a saúde e que ajudarão a perder peso, mas que, na realidade, muitos deles contêm grandes quantidades de açúcares acrescentados.

A explicação é que a indústria alimentícia substitui as gorduras eliminadas nos alimentos por açúcares e adoçantes, já que a comida livre de gordura não é tão saborosa, acrescentou Malhotra.

No entanto, acrescenta o especialista, é necessário diferenciar as chamadas “gorduras trans” (encontradas em fast food, produtos de confeitaria e margarina), que são prejudiciais, e as gorduras do leite, do queijo e da carne, que não são ruins para a saúde.

O especialista criticou a “obsessão” médica com os níveis de colesterol, que levou milhões de pessoas a tomarem muitos remédios com estatinas para reduzir a quantidade de gorduras prejudiciais no sangue.

Para isso, o cardiologista recomenda que as pessoas com risco de sofrer doenças cardiovasculares façam uma dieta mediterrânea rica em peixes oleosos, azeite de oliva, verduras e frutos secos.

“É hora de romper o mito do papel das gorduras saturadas nas doenças do coração” que esteve presente na indicação dietética e nas recomendações nutricionais durante quase quatro décadas, afirmou Malhotra.

A teoria foi respaldada por outros especialistas como David Haslam, Chefe do Fórum Nacional sobre a Obesidade, que afirmou que a evidência científica está demonstrando atualmente que os carboidratos refinados e o açúcar são na realidade os culpados pelo aumento da gordura no sangue.

Timothy Noakes, professor de ciências do esporte e da atividade física na Universidade da Cidade do Cabo, acrescentou que “o pior erro médico de nossa época foi considerar a alta concentração de colesterol no sangue como a causa exclusiva da doença cardíaca coronária”.

dica da Rina Noronha

Leia Mais