Quanto vale o show? Algumas considerações sobre a cobrança de cachês por parte dos artistas cristãos

Atualizaçao em 24.1

Na terça-feira circulou na net uma lista com supostos cachês cobrados por artistas cristãos. Reproduzi a mesma neste espaço a fim de abordar essa questão delicada e que sempre suscita reações explosivas. Não ratifiquei os números e usei a tal lista apenas como ponto de partida para algumas considerações.

Fui informado nesta madrugada que o blog que a publicou excluiu o post, então não há sentido em mantê-la aqui. Todos os apontamentos de amigos e leitores foram publicados e continua neste espaço a discussão que propus originalmente.

__________

Certamente os números mencionados na lista serão questionados por muita gente pq a cobrança de cachê envolve vários fatores e os valores costumam variar bastante.

  • qdo o cantor leva a banda o cachê é maior do que se cantar c/ playback; os supostos R$ 250 mil do DT devem incluir orquestra completa :-P
  • no caso de shows bancados por prefeituras e/ou políticos, os valores costumam ser bem + altos
  • apresentações em cultos costumam sair + em conta se for apenas 4 ou 5 músicas
  • esses valores variam conforme a exposição, músicas + tocadas em rádio etc. compare a tabela acima com os valores citados neste post de outubro de 2011
  • desnecessário dizer que alguns artistas cobram + qdo quem contrata exige a emissão de nota fiscal
  • provavelmente todos os nomes citados já cantaram de graça (ou com cachê bem reduzido) em inúmeros lugares e circunstâncias

feitas as ressalvas, alguns comentários ligeiros:

  • ñ existe 1 valor “justo” p/ fixar o cachê. quem determina isso é o público e, por extensão, quem vai contratar os caras
  • tampouco o critério “trajetória artística” é considerado nessa equação mercadológica. se assim fosse, o Vitorino Silva receberia o mesmo valor que o Stevie Wonder
  • lamento lembrar que bom gosto musical e cachês na maioria das vezes ñ andam juntos. basta lembrar uma das listas + recentes de cachês de artistas e bandas nacionais
  • recomendável aos irmãos zelosos economizarem em adjetivos como “vendidos”, “mundanos” e “aproveitadores”; por outro lado, seria legal os cabras saírem do armário e se assumirem como artistas e profissionais. dizer que vai “ministrar” em feira agropecuária só alimenta o véu de hipocrisia que reina em torno desse assunto
  • como acontece em outras áreas do segmento cristão, ainda há muito amadorismo e picaretagem. servir a Deus c/ excelência tb implica em tratar com dignidade e respeito gente que recebeu talento artístico (ou ñ)
  • sempre lembrado nessas situações, o “de graça recebestes…”  é despropositado em qq sentido. basta lembrar que até décadas atrás  muitos pastores eram tratados como cidadãos de classe inferior,   mantidos quase reféns da opinião do rebanho e, dependendo o sistema administrativo da comunidade, seu salário era objeto de comentários de todo rebanho. 

sejam os artistas cristãos os próximos a receber o tratamento e o reconhecimento adequados, fruto da maturidade de 1 povo que ñ tem sido destruído por falta de conhecimento. 

ps 1: em relação aos “bodes” que existem em todos os setores, ñ fomos constituídos juízes e alguém + gabaritado há de lhes dar a devida paga. se os universalistas estiverem equivocados, por toda a eternidade.

ps 2: como sempre, usem a área de comentários p/ eventuais correções.

Leia Mais

Padre Fábio de Mello grava música de Ludmila Ferber em novo CD

Bruno Astuto, no site da Época

Padre Fábio de Mello está de CD novo. ‘Estou aqui’, nome de uma canção de Roberto e Erasmo Carlos gravada por ele no álbum, dá título ao seu 16º trabalho como cantor. São 13 músicas, todas de cunho religioso.  Bem diferente do seu trabalho anterior, no qual interpretou clássicos ‘profanos’ da música brasileira, como ‘Lamento sertanejo’ (Gilberto Gil e Dominguinhos) e ‘A vida do viajante’ (Luiz Gonzaga).

“Naquele trabalho, cantei músicas que fizeram parte da minha formação musical. Neste, canto canções que estão ligadas à minha conversão”, diz o padre. Com produção de Guto Graça Mello, Padre Fábio diz que este é seu melhor trabalho. “O Guto reconheceu que eu já tinha uma identidade musical e por isso não quis me modificar. Mas me deu importantes direções”, diz o padre.

O novo trabalho traz uma ousadia: uma canção composta pela pastora evangélica Ludmila Ferber chamada ‘Nunca pare de lutar’. “Posso desagradar tantos aos católicos, quanto aos evangélicos”, diz o religioso. “Incomoda-me o fato de algumas pessoas se sentirem melhores que as outras por conta de sua fé. Acredito em uma religião que aproxime e não que separe as pessoas”, completa. Fábio diz que Ludmila é sua amiga.

Além da obra musical e missionária, Fábio, de 41 anos, também ficou com fama de galã por causa dos cabelos sempre bem arrumados, roupas alinhadas e corpo em forma. “Aprendi, ainda pequeno, com a minha mãe, a ter cuidados comigo”. Por conta de sua vocação, ele diz que evita algumas situações. “Sou um padre. Não posso aparecer de camisetinha por aí. Depois que fiquei famoso, parei de ir à praia”.

Em 2010, ambos cantaram juntos essa música breguíssima no Domingão do Faustão.
x

Leia Mais

Damares: ‘Deus tocou o coração da Globo’

A cantora Damares saudou o público antes dos shows com o gesto do coração

Marco Aurélio Canônico, na Folha de S.Paulo

“Este é um evento histórico”, dizia o animador de palco, tentando inspirar o pequeno público que aguardava o início do festival Promessas, no sábado passado. “Você vai poder dizer que esteve no primeiro evento evangélico que a Globo organizou!”

No palco como na plateia, a visão de que se tratava de um “evento histórico” estava disseminada entre os fiéis -boa parte vinda de municípios da Baixada Fluminense e de subúrbios distantes do Aterro do Flamengo (onde o festival aconteceu).

O baixo quórum não preocupava: todos apostavam na capacidade da emissora líder de disseminar “a palavra de Deus” para uma audiência abrangente.

“É a concretização de um clamor de muitos anos. Vai marcar a história”, disse a pastora e cantora Ludmila Ferber. “É maravilhoso que a Globo tenha abraçado a causa e entendido quão poderosa é a mensagem de Deus.”

Fé à parte, o aspecto comercial da empreitada -para a qual a Globo montou uma grande estrutura de divulgação e de transmissão (14 câmeras de alta definição, gruas, helicóptero)- não escapou aos religiosos.

“A Globo era a única emissora que não abria para os evangélicos. Notou que estava ficando para trás”, disse Erisvaldo Oliveira, 26, fiel da primeira Igreja Batista da Ponte Preta, de Magé (RJ).

“Ela sabe que vai passar a ter muito mais audiência.”

A disputa pelos telespectadores (e pelos ouvintes, já que parte dos artistas tem discos lançados pela Som Livre, gravadora ligada à Globo) era, no entanto, relativizada pelos participantes.

“Eu sei que, a princípio, todo mundo pensa em grana, em ‘business’. É claro que isso existe, nós somos de carne e osso, mas acima disso tudo está o propósito de Deus para esta nação”, disse o cantor Fernandinho, um dos mais aguardados do festival.

Os evangélicos também celebravam o evento como um ponto de inflexão no tratamento dispensado a eles pela emissora carioca.

“A Bíblia diz que todo joelho se dobrará e toda língua confessará que Deus é o Senhor”, afirmou a enfermeira Janaína Silva, 28, citando um trecho da Carta aos Romanos.

“A Globo fez isso agora porque Deus tocou o coração deles. Era o momento certo, Deus não chega atrasado”, disse a cantora Damares.

foto: G1

Leia Mais

Dízimo: ‘Megashow’ gospel da Globo atrai só 10% do público esperado

Ao artistas do Festival Promessas, da Globo

Publicado originalmente no F5

A expectativa era que o festival ‘Promessas’ atrairia cerca de 200 mil pessoas ontem no aterro do Flamengo. Tratava-se do primeiro festival de música gospel da história da emissora, que armou uma megaprodução para gravá-lo, uma vez que vai reexibi-lo no próximo sábado à tarde. A emissora atraiu 10% do público previsto, no entanto.

Além da chuva e do tempo feio, a Globo pode ter superestimado o potencial dos artistas gospel de sua gravadora, a Som Livre.

Sem nomes tradicionais como Aline Barros, Soraya Moraes e outras estrelas do gospel que não têm contrato com a Som Livre, além de nenhuma atração internacional, o festival acabou reunindo no máximo 20 mil pessoas durante as sete horas em que durou.

O grupo mais esperado era o Diante do Trono, cuja vocalista, Ana Paula Valadão, foi atacada por Edir Macedo em programa da IurdTV, e chamada de ‘endemoniada’. Macedo detesta o estilo, embora mantenha uma gravadora dedicada exclusivamente a ele, a Line Records.

Com o fiasco de ontem, pode ser que Globo não se arrisque a dar mais espaço ao gospel em sua programação.

foto: Raphael Dias/TV Globo

dica do Conrado Costa

outros eventos evangélicos no Aterro do Flamengo nos últimos anos:

Igreja Mundial (20/4/11):  50 mil pessoas (esperavam reunir 2 milhões)

Igreja Universal (21/4/10): 1 milhão de pessoas (1,5 milhão segundo a igreja)

com a presença do Papa Bento 16, em 2013 vai rolar lá o principal encontro da  Jornada Mundial da Juventude.

ps: a área de comentários vale uma espiada.

Leia Mais

Festival Promessas: o que rolou

Diante do Trono é um dos principais grupos do gospel nacional

Após um festival de muxoxos de evangélicos denunciando os interesses comerciais da TV Globo, finalmente chegou a gravação do primeiro grande evento gospel promovido pela Vênus Platinada. O dia começou com a expectativa de público de 200 mil pessoas e somente o dízimo compareceu. Chuva ou boicote?

O G1 cobriu o Festival Promessas ao vivo. O primeiro post entrou às 10h54 e o último 21h41. Selecionei alguns deles. Aqui vc confere a galeria com 90 fotos e aqui os vídeos e a íntegra da cobertura.

  • Um grupo de Jacarepaguá já está no Aterro do Flamengo para garantir um bom lugar no show. A dona de casa Eliane Pontes, de 43 anos veio com amigos e os dois filhos, Artur e Viviane. “Este evento significa a benção [sic] de Deus em nossas vidas. E a liberdade e a presenca do Senhor entre o povo carioca”, disse.
  • Durante a passagem de som do Pregador Luo, o público se reuniu em um grande círculo, dando as mãos.
  • O cantor Regis Danese desceu do palco antes de sua passagem de som e cantou junto ao coral que fica no meio do público nos shows de Diante do trono. O coral é formado por vozes de diversas igrejas.
  • Nos intervalos entre os shows dos artistas escalados para o festival deste sábado, haverá pregações de pastores.
  • A dona de casa Ivanilza Maria de Santana, de 41 anos, veio sozinha do Méier porque o marido não é evangélico. “As músicas não são só pra quem é evangélico. Todos podem vir, Deus é um só. Mesmo sozinha, vou ficar até o final”, disse.
  • O apresentador Serginho Groisman se prepara para fazer um discurso de abertura. É a primeira vez que ele apresenta um festival gospel.
  • Eyshla contou da vez em que estava cantando, há alguns anos, e uma menininha de oito anos a puxou pela perna e pediu para cantar junto. A menina é hoje a cantora Bruna Karla, que neste momento divide o palco com Eyshila e canta seu sucesso  “Sou humano”.
  • “Tira o pé do chão, igreja!”, pede Eyshila, antes de cantar “Diante de ti”.
  • “A emoção é muito forte de estar aqui,além de uma grande oportunidade também. Nós somos um carro abre-alas para todos que estão nos assistindo, não podemos vacilar mesmo. Nosso louvor vai ficar para a eternidade e será sempre uma arma contra a guerra”, declarou Eyshila.
  • “A vitória é não só do povo, mas também de Deus. Um momento lindo que está se materializando para todos nós. Essa parceria entre a mídia e o povo de Deus é um abraço mundial. Fico orgulhosa de ser cidadã e principalmente deste evento acontecer na minha cidade maravilhosa”, declarou Ludmila Ferber.
  • “Eu aceitei participar na hora. Pra mim é uma honra. Esse evento vai ficar marcado para todos. Eu era pequenininha e via todos cantando, e hoje estou no palco com eles. A música gospel é uma música de qualidade. Todos estão sendo ungidos pelo Senhor hoje”, disse Bruna Karla, que cantou com Eyshila.
  • “O nome do festival veio a calhar. Porque é realmente a promessa de Deus se cumprindo e se concretizando. Fico muito honrada de participar desse projeto histórico”, diz Damares.
  • Regis Danese encerra seu show dizendo que seu novo álbum conquistou disco de ouro em 5 dias.
  • Pastor Josué Valandro usa um iPad para pregar entre os shows de Regis Danese e Fernandinho.
  • “Parece que estamos vivendo um sonho. Porque não é uma conquista só para a minha carreira. Tenho certeza de que os nove artistas que vão se apresentar têm a mesma sensação. É uma conquista da igreja evangélica do Brasil”, declarou Ana Paula Valadão.
  • O próximo show e de Fernanda Brum. “É uma honra para nós podermos ser vistos de uma maneira melhor agora, sem perseguição, sem nenhum tipo de piada. É um alívio”, disse ela nos bastidores.
  • “Só tenho a louvar e a agradecer a Deus por tudo. Muitas bênçãos e muitos milagres aconteceram aqui hoje. Esse evento é muito importante e veio para somar”, declarou Regis Danese.
  • “Sinto-me superprivilegiado por ter sido chamado para um evento de tanta importância. Sei que esta porta permanecerá aberta e sei que Deus vai fazer com que minha canção chegue aonde eu não posso ir”, disse Fernandinho depois de seu show.
  • Sacer faz o público dançar indo para a direita, esquerda, para frente e para trás, obedecendo à letra de “Toda sorte de bênçãos”.
  • “Ver a imprensa gospel e a imprensa secular reunidas para cobrir um evento evangélico é legal pra caramba. Que bom que foi na minha época”, disse Davi Sacer.
  • A última estimativa de público da Polícia Militar para o Festival Promessas é de 20 mil pessoas.
  • Ana Paula Valadão, que também é pastora, faz seu sermão em pequenos trechos no meio das músicas. Canta boa parte do tempo com os olhos fechados.
  • Durante “Água purificadora”, Ana Paula Valadão faz um novo e inflamado sermão, depois de pedir que o público troque abraços entre si.
  • “Está declarada a invasão da vida”, grita Ana Paula.
  • “Com nossos olhos em Cristo, unidos iremos cantar”, diz a letra de “Alto preço”, canção escolhida para os artistas interpretarem junto no encerramento do festival. Em seguida, puxam com o público um coro de “Jesus”.

Público durante o show de Fernanda Brum

 

Leia Mais