Marcha para Jesus reúne ao menos 250 mil

marchaparajesusdiv01

Publicado no Estadão

Vestindo camisetas personalizadas da seleção brasileira, pelo menos 250 mil pessoas estiveram presentes ontem na 22.ª edição da Marcha para Jesus, em São Paulo. O número, informado às 15h30, foi dado pela Polícia Militar, mas os organizadores do evento falaram em “milhões de participantes” no site oficial. O uniforme com as inscrições do evento trouxe o número 33 nas costas, que representa a idade da morte de Cristo. O tema de 2014 foi “Conquistando Para Cristo”.

Organizada e presidida pelo apóstolo Estevam Hernandes, da Igreja Renascer, a marcha reuniu igrejas cristãs de várias denominações. Ela percorreu quatro quilômetros pela Avenida Tiradentes, da Praça da Luz, no centro, até a Praça Heróis da Força Expedicionária Brasileira, na zona norte. No percurso, oito carros de som variaram pregações, escola de samba, grupos de rap e cantores gospel.

O evento ainda contou com bandas evangélicas como Eyshila, Renascer Praise e a cantora Ana Paula Valadão, organizadas em um palco na praça Campo de Bagatelle, na zona norte. A marcha teve início às 10h. Em alguns pontos, foram vistas faixas de cunho político, de defensores da ditadura militar a jovens pedindo mais ética na política. “Ela (a marcha) representa nosso desejo de expressar essa fé e declarar a bênção do Senhor sobre nosso país!”, afirma Hernandes.

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) organizou uma operação especial para o evento em 47 pontos do percurso, mas houve congestionamento nas zonas norte e oeste da cidade.

A fonoaudióloga Priscila Agostinho, de 29 anos, participou da Marcha pela 15.ª vez. Desde os 14 anos ela vem ao evento. Trouxe o namorado Júlio César Alves pela segunda vez na caminhada. “Eu era católico e ela me trouxe pela segunda vez. Me senti muito bem”, disse Alves. “Você é abençoado, é um dia que tira para Jesus”, disse Priscila. Segundo o casal, este ano a edição foi especial por ser época da Copa. “A alegria e a animação são maiores”, contou Priscila, que saiu cedo de Piracicaba (no interior de São Paulo) com o namorado para prestigiar a Marcha.

O produtor gráfico Marcelo Caetano, de 38 anos, está presente na marcha há 11 anos. Ontem, ele levou os filhos Juan, de 10, e Lorena, de 2. “Está sendo ótimo. Aqui não tem confusão. Está sendo uma bênção”, disse.

Insistência. Pela terceiro ano seguido, o manobrista Daniel Francisco da Silva perdeu o evento por causa do trabalho. Aos sábados, a churrascaria em que trabalha costuma estar lotada. Desta vez, ao menos, ele esteve próximo e pode sentir a “vibração” do movimento: a empresa fica na Avenida Olavo Fontoura, primeira via de saída do palco em que as bandas se apresentaram. Era até possível ouvir as músicas. “Gosto da marcha porque todos estão unidos em um só pensamento. São pessoas de denominações diferentes, mas todos demonstram uma forma de expressar amor a deus”, argumenta. Nas edições de 2013 e 2012, Silva trabalhou como garçom. Ele é evangélico desde os 11, por influência do pai. “Meu pai parou de beber e sair muito graças a igreja e eu segui o caminho dele”, explica. Souza diz que não é frequentador assíduo de festas e, nos dias de folga, costuma ir ao shopping com a mulher e à igreja. Para 2015, uma promessa: “vou fazer de tudo para estar lá”.

Bebidas. Diferentemente de outras festas de rua, não há uma cerveja sequer na Marcha.  Quem busca bebida encontra sucos industrializados e refrigerantes. O vendedor Alex Cairos, 34, explica: “está escrito na Bíblia que você pode beber, mas não se embriagar. Ou seja, nada de álcool.  Um vinho, no máximo,  que é o sangue de Cristo”. Alex era católico e se converteu há dois anos, depois de um período em que considerou estar sem propósito na vida. “O queco mundo me oferecia era apenas momentâneo”, relata. Segundo Cairos, depois de entrar para a denominação “Sara nossa Terra”, de uma igreja evangélica da Saúde,  zona sul, sua vida mudou. “Consegui casamento, carro próprio e deixei a casa da minha sogra. Hoje moro em casa alugada e logo compro a minha”, contou. Os 70 reais obtidos por Cairo com a venda dos sucos serão revertidos, segundo ele, para um projeto social de sua comunidade, o Parceiro de Deus, que trabalha com alcoolatras e dependente s químicos.

Leia Mais

Marcha para Jesus leva 500 mil pessoas ao Centro do Rio de Janeiro

A Marcha para Jesus reuniu 500 mil pessoas, no Centro (foto: Extra / Fábio Guimarães)
A Marcha para Jesus reuniu 500 mil pessoas, no Centro (foto: Extra / Fábio Guimarães)

Priscila Belmonte, no Extra

Pela primeira vez na Marcha para Jesus, que reuniu cerca de 500 mil pessoas no Centro do Rio, a médica Jacqueline Fonseca, de 30 anos, não se conteve de tanta felicidade ao participar do evento religioso. Acompanhada por parentes, ela contou que só agora teve a chance de ir, porque trabalhava nos fins de semana.

– Desta vez, eu não podia faltar. Essa festa é maravilhosa. É a chance que nós, evangélicos, temos de mostrar que somos felizes, mesmo sem beber e fumar, como qualquer outra pessoa.

A estimativa de público, o mesmo do ano passado, é da Polícia Militar. A marcha começou às 15h e teve o apoio de oito carros de som, que seguiram da Avenida Passos até a Cinelândia, animando os fiéis, com o tema “Eu sou de Jesus, eu sou campeão”.

Num palco montado na Cinelândia, cantores de música gospel se revezavam. Andre Valadão e Bruna Karla foram alguns dos artistas mais ovacionados pela plateia, que contava com gente de todas as idades. Animada e com as letras na ponta da língua, a multidão, composta por frequentadores e pastores de diversas igrejas evangélicas de diferentes regiões do Estado do Rio de Janeiro, estava vestida com as cores verde e amarela por causa da Copa do Mundo.

Protesto contra investimentos na Copa

Um pequeno grupo de fiéis aproveitou a oportunidade para criticar a realização da Copa do Mundo no Brasil. Com cartazes nas mãos, eles mostravam seu descontentamento. O publicitário Nilton Nalin, de 53 anos, que frequenta a Igreja Pentecostal Mundial do Reino de Deus, era um deles.

– O governo deveria priorizar saúde e educação, em vez de fazer tanto estardalhaço por causa de um evento esportivo. Não sou contra a realização do Mundial, só acho que essa não deve ser a maior preocupação do governo num momento como esse – disse.

Leia Mais

Após a Marcha para Jesus, Curitiba terá a Marcha para Goku

(foto: Reprodução)
(foto: Reprodução)

Organizadores do evento pretendem fazer “vaquinha” para construir uma estátua para o herói

Publicado no Bem Paraná

Os curitibanos bem humorados (sim, eles existem!) estão organizando para o dia 1º de junho (domingo) uma marcha que irá animar os nostálgicos e fãs de animes: a Marcha para Goku. O evento, criado quatro dias atrás, já conta com 5,8 mil convidados, sendo que 1,1 mil usuários do Facebook confirmaram participação.

Na descrição do evento, lê-se: “Depois da Marcha para Jesus chegou a vez da Marcha para o Goku!Vamos todos marchar para o nosso salvador Goku! Cantando hinos como: ‘Shalá head Shalá’, ‘Posso pressentir o perigo e o caos!’ e entre outros!Tentaremos fazer um super Genki Dama para enviar forças ao nosso guerreiro! E será a maior Genki Dama que Curitiba já viu.Seja Sayajin ou não, participe desse evento histórico no mundo!

Os organizadores do evento, inclusive, iniciaram uma campanha no Twitter para tentar trazer para a Capital paranaense , o dublador que emprestou a voz para o Goku no Brasil. Outra ideia é fazer uma “vaquinha” on-line para que seja construída uma estátua de Goku, que seria colocada na Praça do Japão. A ideia ainda é embrionária, mas um artista plástico já está fazendo um orçamento.

A marcha está marcada par acontecer às 14h na Boca Maldita. Depois, os participantes irão seguir para a praça do Japão, onde será feita uma grande “Genki Dama” por um mundo cada vez melhor.

Quem é Goku?

O que? Você não sabe? Tudo bem, eu te conto a história do nosso salvador.

Goku é o personagem principal da histórica franquia Dragon Ball, criada por Akira Toriyama. Por conta do sucesso do mangá e, principalmente, do desenho sobre a série, Goku é considerado o maior personagem de anime e mangá de todos os tempos.

Membro de uma raça de extraterrestres conhecida como Sayajins, Goku é enviado à Terra para destruir as formas de vida locais e preparar o planeta para ser vendido no mercado intergaláctico. Contudo, Goku esquece sua missão e acaba se tornando um verdadeiro herói, salvando a Terra dos mais diversos tipos de vilões em inúmeras ocasiões.

Confira a página do evento no Facebook clicando AQUI

Leia Mais

Governador do Acre diz que oração feita por apóstola fez com que as águas do Rio Madeira baixassem

cidade-destaqueMarcos Vinicius, no ac24horas

O governador Sebastião Viana se emocionou no Palco onde aconteceria o show principal da banda Som e Louvor na noite deste sábado (10), pós a Marcha para Jesus, ato evangélico onde cerca de 25 mil pessoas percorreram a principal Avenida do Segundo Distrito de Rio Branco, a Via Chico Mendes, rumo ao Estacionamento do Estádio Arena da Floresta.

Em seu “testemunho”, como ele mesmo fez questão de frisar, perante o prefeito Marcus Viana, os deputados Jamyl Asfury e Perpétua Almeida, e a Apóstola  no Acre, Dayse Costa, viúva do apóstolo Afif Arão, Sebastião afirmou que graças a uma oração da Líder da Igreja Renovada no Acre, que foi visitá-lo em seu gabinete, as águas do Madeira começaram a baixar.

O TESTEMUNHO:

“Eu estou emocionado. Recentemente a apóstola Dayse me fez uma visita ao meu gabinete foi levar oração da Igreja da Visão Celular ao meu governo, na hora mais difícil da história do Acre, era a hora em que o Rio Madeira alagou a BR e virou mar. A maior tragédia da Amazônia estava ocorrendo há mais de 60 dias e todas as forças já tinham sido usadas para superar aquele momento, mas o rio continuava subindo todos os dias e ali chegou apóstola Dayse, parecia uma pessoa normal, amiga onde construí uma amizade, com o pastor Arão, e com muitos pastores. E ela chegou ali com a autoridade religiosa, na sua autoridade de Igreja e disse: governador, eu quero fazer uma oração ao senhor, ao seu governo , ao Marcus Alexandre, a esse momento difícil do Acre e vi lhe dizer que nos estamos intercedendo a Jesus e água do Rio Madeira vai baixar. Parecia impossível naquele momento, mas no outro dia meus amigos, as aguas do Madeiras começaram a diminuir”, disse Sebastião, que logo após foi aplaudido pela multidão.

Ainda no evento, o governador aproveitou para anunciar que de hoje em diante a Marcha Para Jesus faz parte do Calendário Oficial Religioso do “Governo do Povo do Acre”.

dica do Thiago Gonçalves

Leia Mais

Em Manaus, artistas revoltam-se contra lei para eventos evangélicos

Emenda LDO é de autoria do vereador Carlos Alberto, do PTB.
Para cineasta Keila Serruya, lei “desrespeita Estado Laico”.

Show de Kleber Lucas, durante a Marcha para Jesus deste ano, lotou Sambódromo (foto: Marcos Dantas/G1 AM)
Show de Kleber Lucas, durante a Marcha para Jesus deste ano, lotou Sambódromo (foto: Marcos Dantas/G1 AM)

Camila Henriques, no G1

A classe artística de Manaus criticou a proposta do vereador Carlos Alberto (PTB), que pediu a inclusão de eventos culturais evangélicos no calendário da Prefeitura de Manaus e o repasse de recursos da Fundação Municipal de Artes e Cultura (Manauscult) para a realização dos mesmos. A emenda à lei aprovada na Câmara Municipal de Manaus (CMM) foi sancionada pelo prefeito Artur Neto (PSDB) na edição de dia 17 de julho do Diário Oficial do Município. No documento, o vereador afirma que “o objetivo da lei é proporcionar à grande nação evangélica de Manaus a possibilidade de desenvolver eventos culturais na cidade”.

Keila Serruya faz parte de grupo de artistas que não concorda com emenda (foto: Christian Braga/Arquivo Pessoal)
Keila Serruya faz parte de grupo de artistas que não
concorda com emenda
(foto: Christian Braga/Arquivo Pessoal)

Para a cineasta Keila Serruya, a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de autoria de Carlos Alberto  “é um desrespeito ao Estado Laico”. Procurada pelo G1, ela comentou a reação da comunidade artística na cidade. “O vereador pontua a religiosidade, mas a proposta dele está pautada apenas na religião evangélica”, afirmou.

Junto a outros artistas, ela deve participar de uma reunião no Estação Arte e Fato, nesta terça-feira (23), para discutir os impactos dessa emenda em Manaus. “Vamos nos reunir para afinar o discurso e decidir o direcionamento que iremos tomar. É importante dizer que a Manauscult provavelmente já tinha conhecimento disso e não informou ninguém. Descobrimos por conta própria”, acrescentou.

Assim como Keila, o cineasta Zeudi Souza também mostrou preocupação com a proposta do vereador. “Ele é eleito para representar o povo, que são todos aqueles que vivem na cidade e não um nicho religioso que o colocou no poder”, declarou. Na opinião de Zeudi, essa emenda representa uma ameaça aos “princípios morais e éticos dos artistas que nunca tiveram privilégios por serem evangélicos, afros, umbandistas etc”. “Conhecemos bem a história e a intromissão dos evangélicos nas instituições culturais. Há uma dificuldade de esse vereador entender o que é cultura, arte e religião”, completou.

Zeudi definiu ainda a lei como “horrenda”. “Se eu quiser fazer um longa com R$ 1 milhão, terei que passar por um edital. Se os evangélicos quiserem um festival de música com o mesmo valor, irão receber a verba direta”, exemplificou o cineasta.

Integrante do Conselho Municipal de Cultura, o diretor teatral Douglas Rodrigues foi quem descobriu a existência do documento. “Isso vai contra toda a produção e a cadeia produtiva de cultura. Ele retira direitos do segmento que está lutando por melhores condições de trabalho”, defendeu. “Todos os artistas estão na causa. Terça, nós faremos uma consulta a eles e, a partir daí, pretendemos encontrar com o presidente da Câmara Municipal ou até com o prefeito Artur Neto”, concluiu.

Prefeitura de Manaus se manifestou por meio de nota (foto: Reprodução/Facebook)
Prefeitura de Manaus se manifestou por meio de
nota (foto: Reprodução/Facebook)

Ao G1, a Manauscult informou que a Secretaria Municipal de Comunicação (Semcom) responderá a quaisquer questionamentos a respeito da Lei. Em nota, a Semcom esclareceu que “a Lei número 1.70 trata das disposições sobre as diretrizes para elaboração e execução da Lei Orçamentária do próximo ano”.

Ainda de acordo com a pasta, o artigo 64 do capítulo 7 da Lei, que pede a realização de dois eventos evangélicos, “alia-se a outros como o artigo 55 – que trata da inclusão de Bandas e Fanfarras em todas as escolas municipais – e os artigos 62 e 63 – que indicam a previsão da criação da Rua dos Artistas e da Praça do Rock, respectivamente. Há indicações para outras áreas, como a implementação de uma clínica veterinária pública e uma clínica para cuidar de idosos”.

Durante discurso no plenário da CMM na terça-feira, o vereador Carlos Alberto defendeu a proposta. ““Apresentei a emenda com o propósito de ajudar e contribuir com a grande nação evangélica. Me orgulho de poder ajudar essa grande nação, que foi capaz de colocar nas ruas, na ‘Marcha para Jesus’, praticamente 1 milhão de pessoas. E por que não fazer uma emenda para beneficiar eventos que atraem milhares de pessoas, que pregam a palavra de Deus, que cura, liberta e abençoa. A minha emenda veio com o propósito de beneficiar e não prejudicar. A proposta é justa, não tem nada de errado e por isso foi aprovada, está dentro da lei, do direito que temos de assim fazer e executar”, afirma.

dica da Patricia Crepaldi

Leia Mais