“Os Simpsons” irão encontrar sua primeira versão, de 1989, em episódio especial de Halloween

publicado no Papel Pop!

Tem mais novidade legal na nova temporada de “Os Simpsons”. Depois de se encontrar com o pessoal de “Uma Família da Pesada”, a família amarela irá encontrar uma versão deles mesmos – só que do jeitinho que estrearam na TV, em 1989.

As duas versões da família de Homer travarão uma batalha sangrenta inspirada no filme “Os Outros” (2001).

simpsons1

“Sugerimos que eles fossem assassinados e enterrados embaixo da casa, então isso é uma expansão daquele pensamento”, disse o produtor Al Jean ao EW, sobre o episódio especial. “Se as pessoas querem um verdadeiro massacre para o dia das bruxas, elas terão”.

Os Simpsons da “primeira geração” já fizeram algumas participações na série ao longo dos anos, mas essa será a primeira vez em que as duas versões da mesma família irão contracenar e se enfrentar.1987

“Treehouse of Horror” vai ao ar em outubro.

Leia Mais

Mentores e candidatos do “The Voice EUA” cantam “Hallelujah” em homenagem às vítimas do massacre em Connecticut

Kavad Medeiros, no POPline

A última sexta-feira (14) ficou marcada nos Estados Unidos pelo horror causado por um massacre em escola na cidade de Newtown, no estado de Connecticut.

Não só os Estados Unidos ficaram em choque com o acontecido, mas o mundo inteiro.

No primeiro episódio dos dois que marca a final da terceira temporada do “The Voice EUA”, os quatro mentores e seus pupilos se juntaram para homenagear as vítimas do massacre e cantaram a música “Hallelujah”.

Veja o vídeo:

Leia Mais

Cachorros treinados oferecem conforto a crianças em luto em Newtown


Cachorros são treinados para agradar (Foto: Divulgação/Lutheran Church Charities)

Publicado originalmente no site da Época

Um time de cães viajou quase 1.300 km para levar um pouco de conforto às crianças e pais afetados pelo massacre na escola de Newtown, nos EUA.

Uma organização social vinculada à Igreja Luterana de Chicago enviou cerca de dez golden retrievers à cidade no último sábado (15), segundo o jornal Chicago Tribune. “Os cachorros não julgam. Eles são amáveis. Eles aceitam todos”, disse o presidente do grupo, Tim Hetzner, ao diário.

No domingo, os cachorros foram à Igreja Luterana de Newtown, onde ocorreram os dois primeiros funerais de crianças mortas no massacre. Na última sexta-feira, 20 foram vítimas de um atirador que invadiu a escola Sandy Hook. Sete adultos, inclusive a mãe do autor do ataque, também morreram.Hetzner disse que, na igreja, as pessoas sofrendo com o luto estavam em silêncio. Algumas faziam carinho nos cães e permaneciam quietas.

A iniciativa de treinar cães para dar apoio em momentos trágicos começou em 2008, na Universidade Northern Illinois, depois que um atirador matou cinco estudantes. Atualmente, seis diferentes Estados americanos têm o serviço. Os cachorros costumam visitar pessoas em hospitais, asilos e parques. Cada um deles carrega um cartão de visita, com nome, página de Facebook e Twitter.

Leia Mais

“Meu filho é um Cristo”, diz pai de Carlinhos Cachoeira antes de audiências em Goiânia


O pai de Carlinhos Cachoeira, Sebastião Almeida Ramos, 82, chega nesta terça-feira (24) à Justiça Federal de Goiânia para acompanhar os depoimentos de defesa e acusação dos réus das investigações da operação Monte Carlo

Lourdes Souza e Rafhael Borges, no UOL

A família de Carlos Cachoeira defende a inocência do bicheiro antes do início das audiências no Tribunal da Justiça Federal, em Goiânia, nesta terça-feira (24). Na chegada ao prédio da Justiça Federal em Goiânia, o pai de Carlos Cachoeira, Sebastião Almeida Ramos, conhecido como “Tião Cachoeira”, 82, afirmou que a investigação da Operação Monte Carlo teria sido encomendada pelos réus do mensalão, como o ex-ministro José Dirceu e Delúbio Soares.

“Meu filho é um Cristo, ele está passando por um massacre e seria um bonde expiatório do sistema.” Ao afirmar que tem certeza sobre a inocência do filho, ele disse que é a pessoa que mais o conhece. “Sei da sua inocência porque fui eu quem deu tudo pra ele.”

A mulher de Cachoeira, Andressa Mendonça disse que o marido está sendo injustiçado. Para ela, a prisão tem cunho político e provocou da debilidade da saúde do marido, que estaria deprimido. Ela vai acompanhar os depoimentos ao lado de duas irmãs de Cachoeira.

Carlos Cachoeira chegou ao prédio do Tribunal da Justiça Federal às 8h25, escoltado por três carros da Polícia Federal. As audiências foram abertas por volta das 9 horas, com os pedidos dos advogados. A previsão era de que as testemunhas começassem a falar por volta das 10 horas.

14 testemunhas

Acusados de formação de quadrilha, lavagem de dinheiro e outros delitos pela investigação da Operação Monte Carlo, os réus foram investigados pela Polícia Federal, na Operação Monte Carlo. Hoje (terça 24), 14 testemunhas devem prestar depoimentos, sendo quatro de acusação e dez de defesa.

Amanhã (quarta 25), a expectativa gira em torno dos interrogatórios do bicheiro, Gleyb Ferreira da Cruz, Idalberto Matias de Araujo (o Dadá), José Olímpio de Queiroga Neto, Lenine Araújo de Souza, Raimundo Washington de Sousa Queiroga e Wladimir Garcez. Geovani Pereira da Silva também é réu no processo, mas está foragido.

Leia Mais

Dica da semana: Tirar o cristianismo da reta

Thiago Bomfim, no Cristianismo Xique

Eu sei que não é novidade, mas eu vou relembrar, já que vários ímpios acessam este blogue: o cristão é um criatura perfeita. O sangue lavado e remido de Jesus já limpou toda a safadeza ou incoerência que é comumente encontrada nos outros humanos ainda não convertidos.

Anders Behring BreivikPor isso, não devemos nunca imputar a um cristão genuíno nenhuma falha ou pecado. Existe um mecanismo, criado por alguém aí, que instantaneamente desconverte qualquer pessoa que se declara cristã quando esta, de alguma forma, contraria os ideais que Cristo ensinou com exclusividade para o seleto remido grupo.

Vamos a um exemplo prático: este rapaz do massacre na Noruega, Anders Breivik, não pode ser mais considerado cristão. Primeiro, pelo fato de que o moço é um defensor de ideais políticos de extrema direita, coisa que nem de longe representa a disposição política do povo de Deus, é só lembrar os irmãos republicanos da América. Outra coisa: apesar de estar corretíssimo acerca dos perigos do islamismo, Breivik pecou por não ter evangelizado esse pessoal, pra salvar pelo menos cinco, que é a tolerância mínima anti-destruição que nós conhecemos muito bem da Bíblia.

Outro erro inaceitável: o rapaz, no seu manifesto levemente inspirado, criticou o Brasil, coisa que não se faz com uma nação de crescimento explosivo do número de evangélicos, dezenas de vezes ungida pela irmã Ana Paula Valadão.

E pra finalizar a minha defesa, no momento em que pôs em prática o seu plano maligno, o rapaz automaticamente esqueceu todos os ideias de amor de Cristo e, num breve instante, foi tomado pelo furor islâmico de destruição que, como todos sabemos, é exclusivo da ideologia mulçumana.

Leia Mais