David matou Golias. Né?

David com a cabeça de Golias em pintura de Caravaggio: será que ele foi o matador mesmo?
David com a cabeça de Golias em pintura de Caravaggio: será que ele foi o matador mesmo?

Reinaldo José Lopes, no blog Darwin e Deus

Essa qualquer moleque sabe, mesmo que ele tenha sido criado numa família não religiosa: quem matou o gigante Golias com uma pedrada lançada por sua funda foi David, certo?

Na Antiguidade, um pessoal estava meio em dúvida, porém. Tipo o pessoal que escreveu um tal de Segundo Livro de Samuel. Na Bíblia.

“Elcanã, filho de Iari, de Belém, matou Golias de Gat; a madeira de sua lança [isto é, da lança de Golias] era como cilindro de tecedeira.”

É só isso — nada de descrição épica ou falas grandiloquentes. Essa passagem aparece numa espécie de apêndice do livro, vários capítulos DEPOIS da história tradicional da luta entre David e Golias que todos conhecemos e amamos, presente no Primeiro Livro de Samuel.

Atenção aos detalhes: 1) O tal Elcanã, um ilustre desconhecido, nasceu em Belém, coincidentemente ou não a mesma cidade natal de David; 2)Não apenas o nome “Golias” é o mesmo, mas o texto diz que ele era de Gat, a mesma cidade de origem do gigante na narrativa sobre David; 3)a descrição da lança “como cilindro de tecedeira” (o que quer dizer que era uma haste bastante grossa, adequada a um gigante) também é igualzinha à que aparece no capítulo anterior.

Desculpaí, mas é o mesmo Golias. Então, quem apagou o homem, David ou Elcanã?

Conclusão consensual entre os principais estudiosos do texto bíblico: muito mais famoso do que seu conterrâneo, David “atraiu” para si a história do feito, o que é um fenômeno comum no caso de heróis de outras culturas. Os autores bíblicos, no entanto, possuíam a tradição paralela da morte do guerreiro e acabaram por registrá-la. Faz muito mais sentido eles “transferirem” o feito de Elcanã para David do que o contrário.

Pense nisso da próxima vez que alguém disser que a Bíblia é 100% infalível em todos os assuntos, da história antiga à cosmologia, que ela nunca se contradiz nem tem pontos obscuros. O exemplo acima é apenas um de inúmeros. Nada contra acreditar na inspiração divina do texto — até porque eu também acredito. Mas não parece sensato achar que essa inspiração não foi moldada por mãos e mentes humanas, e que não é preciso discernimento e trabalho humano para entender as tensões e complexidades do texto.

Leia Mais

Homem assassina o filho para poder jogar videogame

Cody Wygant sufocou bebê de 16 meses porque criança estava chorando

Cody Wygant, em foto divulgada pela polícia da Flórida (Reprodução/TV)
Cody Wygant, em foto divulgada pela polícia da Flórida (Reprodução/TV)

Publicado na Veja on-line

Um homem na Flórida, nos Estados Unidos, incomodado com o fato de o choro do filho de dezesseis meses não deixá-lo jogar videogame matou a criança, disse a polícia nesta sexta-feira. Cody Wygant, de 24 anos, foi preso na quinta-feira acusado de assassinato em terceiro grau, que na legislação americana significa que ele não planejou a morte. Wygant também foi acusado de negligência infantil com grande dano corporal, disse a porta-voz do gabinete do xerife do condado Citrus, Heather Yates.

Um juiz determinou a fiança em 100.000 dólares para Wygant, que é de Homosassa, cerca de 148 km a oeste de Orlando. Wygant contou a investigadores que estava tentando jogar jogos de Xbox on-line às 1h de quinta-feira e ficou frustrado com o fato de o filho Daymeon chorar incontrolavelmente, de acordo com o depoimento de prisão. “É inconcebível que um pai mate seu filho”, disse o xerife de Citrus, Jeff Dawsy, em comunicado.

Wygant disse que colocou a mão sobre a boca e nariz do bebê por três a quatro minutos até que a criança pareceu exausta e letárgica. Depois, ele colocou a criança em um cercadinho e cobriu-o da cabeça aos pés, com várias camadas de roupas de cama – impedindo a circulação de, disseram os investigadores. A namorada de Wygant, mãe da criança, não estava em casa no momento.

O acusado não verificou o bebê por cinco horas, informaram os investigadores. Nesse tempo, ele ficou jogando videogame e assistiu três episódios do programa de televisão Fringe. Quando ele foi olhar a criança, Daymeon  estava com um aspecto azulado e já estava morto.

A porta-voz do gabinete do xerife disse que Wygant estava desempregado e tinha recentemente se mudado da Califórnia para a Flórida. Segundo ela, Wygant tem uma ficha criminal extensa na Califórnia, incluindo crimes de invasão e estupro.

Leia Mais

Adolescente filho de pastor é procurado por matar gays

Publicado no Pragmatismo Político

Polícia procura adolescente de 17 anos, filho de pastor evangélico, acusado de matar dois gays e de planejar a morte de um terceiro

Acusado de matar dois homossexuais e de preparar a morte de um terceiro para os próximos dias, um adolescente de 17 anos é procurado pela Polícia Civil de Agudos, no interior de São Paulo. O jovem fugiu após a polícia localizar o corpo de Igor Alves, 15 anos, supostamente uma de suas vítimas. O corpo de Igor, morto a facadas, foi localizado na noite de quarta-feira em um reflorestamento de pinus na zona rural de Agudos.

Igor, que morava com os avós, em Agudos, estava desaparecido desde sábado. A polícia investigava o caso como sequestro. O pai de Igor, que mora em São Paulo, viajou a Agudos para distribuir fotos do adolescente na tentativa de localizar o filho.

Na quarta-feira, a polícia prendeu um comparsa do adolescente, que confessou a participação no crime e levou os investigadores ao local onde estava o corpo de Igor. “Ele ainda nos contou que o adolescente o obrigou a dar uma facada em Igor para que confirmasse sua participação no crime e teria dito que, antes de a polícia localizar o corpo de Igor, mataria outro adolescente, de 15 anos”, revelou Biazon.

“Checamos e realmente constatamos que ele havia assediado o menino de 15 anos, que já não estavam mais frequentando as aulas com medo das investidas dele”, afirmou Biazon. “Acho que ele tem algum distúrbio, não aceita a condição de homossexual”, disse o delegado.

A polícia começou a suspeitar do jovem porque ele tinha sido o último a ver Igor. “Ele contou aos familiares de Igor que ele tinha sido sequestrado por três homens que ocupavam um Fiat Pálio verde, e como ele tinha um corte de faca nas mãos, desconfiamos e pedimos sua internação”, contou o delegado titular de Agudos, Jader Biazon.

Além disso, a polícia tinha outro motivo para suspeitar de o adolescente. Ele já tinha passagem por homicídio motivado por homofobia. Ele cumpriu pena de internação na Fundação Casa por matar com 16 facadas o empresário Valdinei Rocha, 56 anos, em 17 de março de 2013. Segundo Biazon, o empresário, dono de uma fábrica de toldos e coberturas, era homossexual e tinha um caso com o adolescente, que contou com ajuda de um rapaz de 18 anos, que está preso pelo crime.

“Crime poderia ter sido evitado”

Para o delegado, a morte de Igor poderia ter sido evitada se a Justiça não aliviasse a pena do adolescente acusado de ter cometido o crime. Ele deveria sair da prisão ao completar a maioridade, mas o Tribunal de Justiça de São Paulo reformou a pena e o colocou em semiliberdade seis meses depois da morte do empresário. “Foi assim, livre nos finais de semana, que ele começou a fazer amizade com Igor, que se apaixonou por ele e até ameaçava deixar a casa dos avós porque os idosos são evangélicos e não aceitavam sua homossexualidade”, contou o delegado.

No dia 27 de março, o Juizado de Menores de Marília, onde o adolescente cumpria pena, extinguiu a semiliberdade e o colocou de vez em liberdade. “Dois dias depois de ser colocado em liberdade e pouco mais de um ano depois de matar o empresário, ele matou Igor”, afirmou o delegado. Para Biazon, as atuais leis o impedem agora de localizar o jovem, que pode se transformar em um assassino em série. “Ele vai completar 18 anos em agosto próximo, mas não posso nem usar uma foto para localizá-lo”, diz o delegado.

O pai do adolescente é pastor evangélico e separado da mãe. Ele não tinha passagens na polícia até o assassinato do empresário. O seu comparsa, também não tinha passagens pela polícia, mas agora teve internação determinada pelo Juizado de Menores.

dica do Sergio Luiz SantAnna

Leia Mais

Jovem se entrega à polícia e confessa que matou ex-namorada e amigo dela

Vítimas foram mortas quando saíam de reunião de oração na Assembleia de Deus

Kemily e Eduardo foram mortos a facada pelo ex da menina em Itapuranga, Goiás (Foto: Arquivo pessoal)
Kemily e Eduardo foram mortos a facada pelo ex da menina em Itapuranga, Goiás (Foto: Arquivo pessoal)

Silvio Túlio, no G1

O jovem Lázaro Ferreira de Castro Júnior, de 18 anos, se entregou à Polícia Civil nesta quarta-feira (15), em Itapuranga, a 166 km de Goiânia. Segundo a delegada da cidade, Giovana Sas Piloto, em breve depoimento, o rapaz confessou que assassinou a facadas a ex-namorada, Kemily Andrielle Maia Freire, de 13 anos, e de um amigo dela, Eduardo de Camargos Oliveira, de 22.

Lázaro estava acompanhado de um advogado e disse que agiu sozinho. A partir disso, o rapaz usou o direito de permanecer calado e afirmou que só irá se pronunciar novamente em juízo. Como já tinha um mandado de prisão decretado pela Justiça, o jovem saiu da delegacia direto para um hospital, onde fez exame de corpo de delito e, em seguida, foi levado para a Unidade Prisional de Itapuranga.

O G1 entrou em contato com o advogado que acompanhou Lázaro à delegacia, mas o profissional não quis se identificar e preferiu não comentar o caso.

Apesar da prisão, as investigações sobre o caso continuam. “A partir de agora, tenho dez dias para concluir o inquérito. Vou ouvir cerca de dez pessoas para definir em qual crime vou indiciá-lo”, disse ao G1 a delegada Giovana. Ela não revelou quem serão os depoentes, com receio de que eles sofram algum tipo de represália.

Enterro
Kemily e Eduardo foram enterrados nesta manhã no Cemitério Municipal de Itapuranga. Centenas de pessoas acompanharam o sepultamento.

“Tinha um tumulto muito grande. As pessoas aqui estão comovidas e também tem a questão da curiosidade”, conta a amiga de Eduardo, Thalia da Cunha. Tia de Eduardo, Claudilene Lopes de Oliveira, conta que os pais do sobrinho “estão muito abalados”.

Crime
Kemily e Eduardo foram assassinados por volta das 22h30 de segunda-feira (13), no Centro da cidade. Eles tinham acabado de sair da Igreja Assembleia de Deus quando foram abordados pelo suspeito. A polícia informou que as vítimas tentaram correr, mas não foi o suficiente.

Conforme a delegada, Kemily levou nove facadas – cinco nas costas, três no tórax e uma no pescoço. Já Eduardo foi ferido uma vez no pescoço.

Leia Mais

RS: jovem confirma que fez e postou foto íntima de adolescente que se matou

Publicado no Terra

Um adolescente de 17 anos confirmou nesta quarta-feira para a Polícia Civil de Veranópolis, na serra gaúcha, que fez e divulgou uma foto íntima da adolescente de 16 anos que cometeu suicídio após ver sua imagem na internet na quinta-feira. De acordo com o delegado Marcelo dos Santos Ferrugem, que investiga o caso, o jovem, que era amigo da menina, fez a foto há cerca de oito meses e repassou para quatro amigos.

O jovem contou que eles teriam conversado através do Skype, ligaram a webcam, e ele pediu que ela mostrasse os seios. Ela levantou a blusa e ele deu um print da tela do computador. Ele teria passado a imagem para quatro amigos ainda na época que isso aconteceu, por volta de março”, disse o delegado, que ouviu o jovem na manhã de hoje, na companhia da mãe.

Segundo Ferrugem, a adolescente tomou conhecimento que a foto circulava pela internet no dia em que se suicidou. “Possivelmente ficou preocupada com a repercussão da imagem na família e se matou. O que impressiona é a rapidez com que ela tomou uma decisão dessa”, diz o delegado, que prefere não comentar a forma como a menina se suicidou.

O corpo da jovem foi encontrada na casa da família na quinta-feira. Em seu Twitter, a adolescente publicou, no mesmo dia em que se matou, a sua última mensagem. “Hoje de tarde eu dou um jeito nisso. Não vou ser mais estorvo para ninguém”, escreveu.

Conforme o delegado, o jovem que divulgou as fotos afirma que não tinha um relacionamento com a adolescente. Eles seriam apenas colegas de aula. “Ele disse que nem ‘ficar’ com ela ficou. Foi aquele ato inconsequente, típico de adolescente. Ele não imaginava que fosse ter uma repercussão dessa e que fosse acabar desse jeito.”

O inquérito foi instaurado depois que os pais da jovem registraram ocorrência, na terça-feira, e agora o delegado apura se a situação se enquadra no artigo 241A do Estatuto da Criança e do Adolescente, que qualifica como crime grave a divulgação de imagens de crianças ou adolescentes em situação de sexo explícito ou pornográfica. “A investigação não é pela morte em si, porque suicídio não é crime pela lei penal”, disse.

Segundo o delegado, o autor da imagem poderá ser responsabilizado, assim como os que repassaram a foto. “Considerando a hipótese que se caracterize o crime pelo ECA, esse jovem não deverá ir para a prisão; no máximo, deverá receber medida sócio-educativa, pelo ato infracional. Também não é caso de internação na Fase (Fundação de Atendimento Socioeducativo), que só recebe casos de grave ameaça ou violência contra pessoa, como homicídios.”

Outras pessoas que receberam e divulgaram a foto também serão chamadas a depor nos próximos dias. Segundo o delegado, a polícia ainda fará perícia nos computadores e nos celulares da jovem e do autor da imagem.

Leia Mais