Modo avião pode driblar função de ‘mensagem lida’ do WhatsApp

Função que acusa se mensagem foi lida no WhatsApp
Função que acusa se mensagem foi lida no WhatsApp

Publicado na Folha de S.Paulo

Atenção usuários de iPhone: dá para driblar a nova função do WhatsApp que informa se a mensagem enviada foi lida.

A novidade, lançada nesta quarta (5) para o aplicativo e semelhante à que tem o Messenger, do Facebook –empresa que adquiriu o WhatsApp neste ano–, não agradou todos os usuários.

Apesar de não existir opção de desativar a função dentro das configurações do WhatsApp, dá para usar um truque simples para burlar a ferramenta.

O tique duplo azul, que confirma a visualização de texto, imagem ou vídeo enviados, não aparecerá se o usuário ativar o modo avião antes de entrar na janela de conversa na qual há mensagem nova. É só seguir os passos:

  • Ao receber uma mensagem no WhatsApp, entre no aplicativo, mas não abra janela alguma; permaneça na tela que lista as últimas conversas;
  • Deslize o dedo de baixo para cima na tela do iPhone e clique no primeiro ícone da esquerda no topo da barra para ativar o modo avião e interromper a conexão à internet do seu iPhone;
  • Entre na conversa que tiver novas mensagens; leia e retorne à tela que lista as últimas conversas;
  • Desligue o modo avião para restabelecer a conexão do seu telefone. Os ticks azuis não aparecerão.

A artimanha não funciona em telefones equipados com Android: seguindo o mesmo passo a passo, é enviado um alerta de visualização assim que a conexão à internet é retomada.

Leia Mais

WhatsApp começa a mostrar se mensagens enviadas já foram lidas

Com nova função, tiques ao lado de mensagens mudam para a cor azul.
Mudança já foi notada por alguns usuários do aplicativo de mensagens.

Página de perguntas frequentes no site do WhatsApp mostra função que indica que mensagem foi lida (foto: Reprodução/WhatsApp.com)
Página de perguntas frequentes no site do WhatsApp mostra função que indica que mensagem foi lida (foto: Reprodução/WhatsApp.com)

Publicado no G1

O aplicativo WhatsApp começou a mostrar para alguns usuários se as mensagens enviadas foram lidas pelo seu destinatário. Com a nova função, os dois tiques que indicavam apenas o envio com sucesso de uma foto ou texto, por exemplo, mudam para a cor azul.

A mudança foi notada por usuários do app de mensagens nos sistemas Android e iOS, mas ainda não foi disponibilizada a todos. A página de perguntas frequentes no site do WhatsApp, no entanto, já aponta a inclusão da função.

Essa é a principal novidade do aplicativo desde que ele foi comprado pelo Facebook em fevereiro. O Messenger, app de bate-papo entre usuários da rede social, conta com um recurso que mostra quando um contato leu a mensagem enviada.

 

Leia Mais

Há blogueiros e colunistas que são personagens deles próprios

blog463463

Publicado por Leonardo Sakamoto

Fui abordado em uma balada de São Paulo por um leitor do blog que ostentava uma cara muito feia. Normalmente, quando isso acontece, faço uma varredura a fim de mapear as saídas de emergência (quando estão em bando) ou tento imaginar o que o senhor Miyagi aconselharia a Daniel-san. Mas contrariando as expectativas, o leitor disse mais ou menos: “Japa, achei que você fosse tão chato que ficasse o dia inteiro trancado, com uma pilha de livros comunistas, e nunca saísse para se divertir”.

Não é preciso ser especialista em estudos de recepção na teoria da comunicação para saber que a mensagem é interpretada de forma diferente por pessoas diferentes, por mais que o emissor seja cuidadoso ao divulgá-la. Depende da classe social, profissão, experiências de vida, enfim, de uma pá de coisas.

E, não raro, a mensagem se confunde com o emissor. Daí, o leitor passa a acreditar que a interpretação que ele teve do texto serve para definir a pessoa que a enviou. Como diria o filósofo: loucura, loucura, loucura.

Ou seja, para a parte dos leitores que acha que estou tramando uma revolução comunobolivarianistaveganogayzista, cantarolo a Internacional Socialista enquanto faço cocô, não tomo refrigerantes para não compactuar com o envio de royalties oriundos da exploração socioambiental de nosso patrimônio e não dou risada porque rir é concordar com uma sociedade inserida no modo de produção capitalista, compactuando com os elementos simbólicos que mantém a estrutura hegemônica de dominação contra o proletariado, devo parecer realmente alguém muito chato.

Ainda bem que é uma minoria que não possui bagagem para decodificar a mensagem dessa forma. Ou, pelo menos, assim espero.

É curioso que o causo não ocorre apenas com este que vos rouba tempo precioso, mas está presente com outros blogueiros e colunistas, sejam eles de “direita” ou de “esquerda” – as aspas seguem por falta de conceitos melhores para classificar a rapaziada.

Isso é hipocrisia? De maneira alguma. O objetivo não é necessariamente construir um personagem. Mas a forma como se escolhe para sistematicamente expressar e defender ideias, quando absorvida e interpretada por parte dos leitores, ajuda a inserir o autor em um estereótipo. Que não raro é simplista.

Há pessoas cordiais, simpáticas e amáveis no trato pessoal que constroem personagens duros e que provocam os instintos mais primitivos para seus blogs. Pessoas assim são encontradas em revistas semanais, jornais diários, sites alternativos e até na TV.

No espaço privado, conseguem rir de si mesmos. No ambiente público, vestem as características de seus alter egos e se mostram impávidos e resolutos. Pois cutucar (de forma educada, claro) quem pensa diferente pode ser uma forma de: a) acordar o outro para a discussão; b) reforçar seu argumento; c) gerar identidade reativa com o público que concorda contigo; d) alguém falou em audiência?

Daí vem o leitor miguxo, que acha que descobriu a América e grita “Sakamoto, você faz o mesmo!”  Em maior ou menor grau todos nós, que escrevemos diariamente, profissionalmente ou não, já fazemos isso.

Poderia citar nomes de um lado a outro no espectro ideológico que possuem personagens virtuais que não representam a totalidade da complexidade do seu autor ou autora. Se o personagem, seja ele conscientemente erguido ou inconscientemente estruturado, ajuda a passar a mensagem e, ao mesmo tempo, garante-se o cuidado para que simplificações não criem danos à sociedade, não vejo problema.

Há casos que o jornalista percebe que a caricatura serve como sua marca registrada e, tendo consciência de que o seu público se identifica com ela, a abraça. Como era com o finado Paulo Francis e como acontece, hoje, com muitos colunistas vistos como “exagerados”.

Porém, há uma categoria de blogueiros e colunistas que são personagens deles próprios. Rasos, simplistas e violentos, fogem da complexidade, pluralidade e contraditoriedade inerentes ao ser humano, tanto em sua vida profissional como no trato pessoal. Ignoram regras mínimas de convivência com o outro. Acham que a boa crítica é aquela que, ao final, extermina a diferença. São apenas aquilo que escrevem, nada mais. O pior: não percebem isso porque a reflexão e a autocrítica passam longe.

É triste, eu sei.

Mas, como diria a mãe de um amigo, sempre há pé cansado para chinelo velho. E chinelo velho, como a ignorância, pode ser muito confortável.

Leia Mais

Garoto de 11 anos conquista milhões de internautas com mensagem inspiradora

Publicado no Catraca Livre

Sob o codinome de Kid President (ou presidente criança, em português) e de maneira despretensiosa, Robby Novak de 11 anos conquistou milhões de internautas com sua mensagem inspiradora, desafiadora e divertida. A motivação de Kid President para fazer os vídeos é simples: tornar o mundo mais incrível. Quem pode ser contra isto?

A mensagem de Kid President vem por meio das “pep talks”, ou seja, por falas animadoras. Em seus vídeos, o garoto americano pede que crianças e adultos se esforcem para fazer o mundo menos chato. Para fazer isso, o pequeno fenômeno recomenda: “Trate todo mundo como se fosse o seu aniversário”.

O seu vídeo mais famoso, “A Pep Talk from Kid President to You” (Uma animada do Kid President para você), foi visto por quase 34 milhões de pessoas. A provocação vem logo no início: “Chato é fácil. Todo mundo pode ser chato”, e é seguida de um encorajamento: “você é melhor do que isso”.

Impossível resistir ao persistente chamado para mudar a realidade trazido por Kid President, cujo discurso fala do reconhecimento da importância de valorizar a pessoa integralmente e promover encontros pautados pelo respeito à diversidade. “O que você vai fazer para tornar o mundo incrível? Nada se você continuar sentado aí! É por isso que estou falando com você hoje.” O olhar singelo de uma criança se traduz numa fala recorrente em seus vídeos: “é dever de todo mundo dar ao mundo uma razão para dançar”.

Leia Mais

Jovem envia foto nua para o próprio pai sem querer e narra gafe no Twitter

Nyjah descreveu na rede social seu constrangimento e a reação do pai.
‘Atenda ao telefone agora’, respondeu o homem furioso.

'Você tinha a intenção de me enviar isso? Atenda ao telefone agora. Você está falando sério? É isso que você faz?', respondeu o pai revoltado (Foto: Reprodução/Twitter/dearfashionn)

publicado no G1

Uma jovem americana identificada apenas como Nyjah viveu momentos extremos de constrangimento na internet após enviar acidentalmente, para o próprio pai, uma foto em que aparece nua e narrar todo o incidente em seu perfil no Twitter.

“Como você cancela uma mensagem de texto? Eu acabei de enviar uma foto nua para o meu pai”, escreveu Nyjah, que começou a postar capturas de tela do celular que mostravam as tentativas de ligação de seu pai. “Atenda ao telefone agora. Você está falando sério?”, escreveu o homem, furioso.

As postagens começaram a circular pela web, e várias pessoas retuitaram ou fizeram comentários sobre a saia justa. Quando usuários começaram a suspeitar que toda a história era falsa, a jovem postou um vídeo em seu perfil no Instagram que mostraria o momento em que o pai chegou em sua casa para conversar.

Depois de a história ter se espalhado nas redes sociais, fazendo com que Nyjah obtivesse milhares de seguidores no Twitter, e finalmente ter sido publicada em sites como “BuzzFeed”, a jovem deixou de dar novidades sobre o caso e apenas se lamentou em uma das mensagens: “Nunca mais enviarei fotos nuas”.

Leia Mais