Concurso polêmico vai eleger a Miss Hitler 2014

Para participar da disputa realizada em em uma rede social russa é preciso ser uma mulher nazista

Fotos das candidatas ao concurso de beleza nazista - Reprodução
Fotos das candidatas ao concurso de beleza nazista – Reprodução

Publicado em O Globo

Um concurso de beleza organizado através da rede social russa VKontakte, o equivalente local do Facebook, está provocando polêmica. O Miss Ostland 2014 (Ostland é o nome dado pela Alemanha nazista aos Estados bálticos ocupados e ao Leste da Polônia), hospedado na página do grupo “Adolf Hitler” — com mais de 7 mil seguidores — já conta com 14 participantes, todas nazistas.

Para participar, é preciso seguir as seguintes regras: “Ser mulher, ser nazista, ser uma mulher nazista, ser uma mulher que odeia judeus, ser membro do grupo “Adolf Hitler”, postar uma foto nazista sexy, conseguir outros nazistas para curtir sua foto e não insultar outras fotos — nazistas são um monte de coisas, mas são, aparentemente, pouco maliciosos nas mídias sociais”.

Além de enviar suas fotos sensuais, as mulheres interessadas em participar devem escrever sobre seu amor por Hitler. O candidato que obtiver o maior número de curtidas será declarado o vencedor. Até agora, Katya Shkredova que “adora Adolf por sua filosofia sobre a sociedade ideal”, lidera o concurso.

Além dela, outras 13 mulheres se inscreveram. Uma delas Ekaterina Matveeva, de São Petersburgo, que acredita que “a posição de Adolf Hitler é de um gênio e verdadeiro, já que as raças são diferentes, não só na aparência, mas também em inteligência”. Já Irina Nagrebetskaya (na foto) é ucraniana.

“”Não se esqueça! Adolf é o seu nome, ele é a nossa eterna raça, a ele foi dada a vida eterna”, escreveu.

O primeiro lugar ganhará uma joia, parecida a uma das runas nórdicas que eram tão amadas por Heinrich Himmler, um dos principais líderes do Partido Nazista. O segundo prêmio é um pingente da suástica.

O concurso despertou críticas nas redes sociais. “É vergonhoso. Por que alguém organiza um concurso como esse?”, tuitou Miriam Struk. Para o internauta Andrew Gross, o concurso “é um lembrete de que o antissemitismo se dissemina online e que é preciso combatê-lo”.

Uma das candidatas ao concurso, Irina Nagrebetskaya é ucraniana (foto: Reprodução)
Uma das candidatas ao concurso, Irina Nagrebetskaya é ucraniana (foto: Reprodução)

Leia Mais

Mulher etíope possui maior ‘disco labial’ do mundo com 60 cm

etiopiamulherdiscoreprodaily

publicado no Terra

Uma mulher tem o maior disco labial do mundo e foi encontrada por dois cineastas australianos que filmavam tribos locais da Etiópia. A circunferência do objeto que deforma a boca da africana tem cerca de 60 centímetros. As informações são do Daily Mail.

Segundo as tradições do país, jovens de aproximadamente 15 anos colocam um piercing na boca e, ao longo do tempo, vão aumentando o tamanho do disco. A deformação nos lábios demonstra poder e é proporcional ao valor do dote de casamento; ou seja, quanto maior, melhor será o marido conquistado e maior a quantidade de cabeças de gado dada pela família da noiva como dote.

O cineasta Abrahem Joffe está fazendo um documentário e viaja pelo país neste mês orientado por guias da região – e até os nativos ficaram impressionados com o disco labial de Ataye Eligidagne, 20 anos, na cidade de Omo Rover. “Quando você viaja e encontra algo que surpreende até mesmo os nativos, isso quer dizer que você achou algo extraordinário”, disse o australiano.

Em uma entrevista, a jovem disse que começou a deformar os lábios aos 17 anos e, em três anos, tem uma circunferência de 59,5 centímetros – mais que o dobro do tamanho médio dos discos vistos nas mulheres de sua tribo. Ela disse que não sente dor e que não existiram efeitos colaterais.

O governo da Etiópia luta contra as deformações por disco e já lançou campanhas contra tal tradição.

Leia Mais

Roger Abdelmassih: “Mulher é um bicho desgraçado”

Em conversas telefônicas com seu psiquiatra gravadas pela promotoria, o ex-médico condenado a 278 anos por estupro admite que teve relações sexuais com suas pacientes

Roger Abdelmassih é preso no Paraguai (Divulgação/Secretaria Nacional De Antidrogas do Paraguai/VEJA)
Roger Abdelmassih é preso no Paraguai (Divulgação/Secretaria Nacional De Antidrogas do Paraguai/VEJA)

Alexandre Hisayasu, na Veja on-line

Um dos pontos de partida para a investigação que prendeu o ex-médico Roger Abdelmassih em agosto foram números de telefone encontrados pela polícia civil em maio, em uma operação em uma fazenda da família dele.

Quando um dos agentes do Ministério Público salvou os números em um telefone e entrou no aplicativo de troca de mensagens Whatsapp, em um dos contatos apareceu a foto de Larissa Sacco, a mulher de Abdelmassih.

A Promotoria grampeou todos os números. As conversas que mais chamaram a atenção das autoridades foram as consultas do ex-médico com seu psiquiatra, por telefone.

Nas conversas, a que VEJA teve acesso, ele refere a si mesmo como “o grande comedor” e admite pela primeira vez que teve relações sexuais com várias de suas pacientes, embora negue as acusações de estupro.

Abdelmassih sugere que que apenas cedia ao assédio das pacientes: “A mulher jogava o milho e eu ia comer, e levei ferro (…) Mulher é um bicho desgraçado mesmo.”

Condenado a 278 anos de prisão, ele está preso no interior de São Paulo. Ouça aqui suas confissões.

Leia Mais

Os 40 são os novos 30, só que não

Mulher-em-frente-ao-espelho

Mariliz Pereira Jorge, na Folha de S.Paulo

Você está se levando muito a sério, disse meu psicanalista. Olhei para ele e pensei, como a gente deixa esse tipo de coisa acontecer. Parece que foi ontem que tudo que eu planejava era chegar até o fim de semana.

Não perdia o sono, não sabia o que era ansiedade, muito menos perceber um desânimo, e não entender de onde vem esse peso que nos afunda.

Durante muito tempo eu consumia a vida. E quando me dei conta é a vida que me consome. São prazos, cobranças, mais contas do que dinheiro, falta de paciência, saco cheio, intolerância, um bufar constante. Passei a não me aguentar, porque não aguentava mais o pouco do muito que me rodeava.

É complexo. Mas quem já passou por isso sabe o que é. A gente se sente muito jovem ou nem pensa no momento porque está ocupado demais em viver. Nunca fui inconsequente. Não ser careta, certinha, não tem nada a ver com ser porra louca. Eu apenas percebi muito cedo que tinha mundo demais, tinha gente demais, tinha vida demais para conhecer e desbravar por aí.

Então, você se depara com o mestre dos clichês: a vida é feita de escolhas. E quando você olha tem 40 anos. E entra em crise porque não sabe se fez as escolhas certas. E começa a contestar se tudo o que fez valeu a pena. E se pergunta quando você começou a ficar tão chata. E olha para os lados e pensa, de onde veio esse medo da vida?

Tudo começa a ganhar uma proporção maior do que deveria. Você pensa que talvez, e só talvez, deveria ser a antítese da música dos Titãs. Amei muito, arrisquei muito, vi centenas de pores do sol, caguei para os problemas, morri de amor algumas vezes, aceitei sempre o que a vida me trouxe. E agora, José?

Agora todo mundo casou, teve filhos, comprou uma casa –ou duas–, se separou, casou de novo, foi promovido. E você continua sem saber o que fazer na semana seguinte.

Tomo um copo de água. Olho para o meu psicanalista, ele ri. De mim, claro. E começa a dizer o que a gente não deveria esquecer.

Quando começamos a olhar todos os problemas que surgem na vida adulta, focamos apenas em resolver o que nos traz o conforto imediato e não exatamente o que nos faz feliz. Chega uma hora que a gente resolve que chegou o momento de ter estabilidade na vida. Para a maioria essa urgência chega aos 30. Para outros aos 40, que são os novos 30 –só que não, exatamente.

Aos 30 você morre de tédio de pensar nessa monotonia da estabilidade. Mas aos 40 começa a acreditar que deveria ter engolido alguns sapos no trabalho e no amor, para não ter que pensar na semana que vem. E assim, ser infeliz para sempre.

Os paradoxos da vida. Quero tudo, mas não agora. Nem sempre as coisas acontecem quando queremos, principalmente para os adoradores da vida, para quem o tempo pode ser a qualquer hora. A gente precisa desarmar essa bomba prestes a explodir dentro de nós, que se chamam convenções, obrigações, chateações e olhar de novo apenas para o que nos dá prazer.

Quanto mais converso com o meu senhor Freud, mais me convenço de que estou tentando ser alguém que não sou –e nem preciso ser. Não sou a garota certinha, que planeja passo a passo o que vai acontecer amanhã. Não sou eu. Quanto mais quero prever o futuro, mais sofro com o presente. Quero usar a maturidade para viver a vida de uma forma mais adolescente, quando tudo que a gente mais faz é ser feliz, porque acredita que tem a adolescência pela vida afora.

Leia Mais

Idosa é xingada e agredida por causa de assento em ônibus em São Vicente

Cena foi gravada por um passageiro que presenciou a discussão.
Idosa foi chamada de ‘velha nojenta’ e levou um empurrão.

Mariane Rossi e Orion Pires, no G1

Uma mulher xingou e empurrou uma idosa após não ceder a poltrona preferencial a ela em um ônibus metropolitano que circula em São Vicente, no litoral de São Paulo. A cena foi gravada por um passageiro do coletivo, que ficou indignado com a atitude da mulher e resolveu postar o vídeo em uma rede social.

O socorrista Rildo Ramos, de 33 anos, conta que entrou na linha 21, no Centro de São Vicente, por volta das 16h30 da sexta-feira (5). Durante o trajeto, ele presenciou a discussão entre uma mulher e uma idosa, que gostaria de se sentar em uma das poltronas preferenciais. “Foi uma cena lamentável”, comenta Ramos que, na hora, começou a gravar a situação com o celular.

Mulher ameaça idosa em ônibus (foto: Reprodução/G1)
Mulher ameaça idosa em ônibus
(foto: Reprodução/G1)

Muitos passageiros estavam de pé no ônibus. A mulher disse que não iria ceder o assento à idosa. “Se eu estou sentada aqui eu tenho um motivo. Não vou me levantar”, falou. Em seguida, a idosa disse que a moça era tão inteligente que não sabia ler, já que estava sentada onde não deveria e que não respeitava uma pessoa com mais idade. A mulher mandou a idosa calar a boca. Depois, xingou a idosa de “velha nojenta”, “mal criada” e disse que poderia “ferrar” com ela.

Revoltada, a mulher resolveu sair do ônibus e ainda ameaçou a idosa. “A senhora vai pagar. Engole o banco. Mal criada é a senhora. Engole o banco, velha nojenta”, falou. Na saída, ela empurrou a idosa, que rebateu a agressão. “Não me empurra que eu te meto a mão. Não vem com a sua velhice querer abusar”, disse ela ao descer do coletivo próximo à rua Lima Machado.

Ramos conta que os passageiros do ônibus acharam um absurdo a atitude da mulher e também a criticaram quando ela saiu do ônibus. “Ela a agrediu com um monte de palavras e deu um empurrão ainda. Independente de estar marcado ou não para idoso tem que ceder o espaço”, opina.

Ele diz que gravou o vídeo porque ficou com medo de que algo pior acontecesse à idosa. “Eu fiquei esperando. Eu ia utilizar o vídeo se fosse uma agressão. Eu levava ela para uma delegacia e apresentava para o delegado essas imagens”, afirma.

Ele diz não ter informações sobre a idosa e a mulher e lamenta que uma situação dessas ainda ocorra nos dias atuais. Ramos acredita que a passageira ainda pode ser identificada no vídeo e que o relato dele pode resultar em alguma atitude sobre casos de agressão a idosos. “Depois de divulgar o vídeo, quero que ela seja identificada até mesmo pelas imagens e alguém faça alguma coisa”, diz ele.

Lei
O Estatuto do Idoso determina que as empresas detentoras do transporte público municipal reservem duas vagas gratuitas às pessoas com 60 anos ou mais.

Leia Mais