Telexfree bloqueia acesso de divulgadores a escritório virtual

Acesso está bloqueado desde segunda (15) e divulgadores reclamam.
Empresa está proibida de realizar pagamentos e adesões pela Justiça.

Julgamento recurso Telexfree no Acre (Foto: Rayssa Natani / G1)
Julgamento recurso Telexfree no Acre (Foto: Rayssa Natani / G1)

Juliana Borges, no G1

O acesso ao escritório virtual do site da empresa Telexfree está bloqueado desde esta segunda-feira (15) e, dessa forma, os associados não conseguem visualizar seus ganhos. Um comunicado foi feito na página do Facebook da companhia. De acordo com o advogado Horst Fuchs, a medida precisou ser tomada porque hackers tentaram invadir o sistema. Ainda não há prazo para a situação se normalizar.

A Telexfree está sendo investigada por suspeita de pirâmide financeira, e desde o final de junho estão proibidos os pagamentos de comissões, bonificações e quaisquer vantagens oriundas da companhia aos divulgadores, além de novas adesões à rede, conforme decisão judicial. O descumprimento a qualquer das determinações pode gerar o pagamento de multa de R$100 mil por cada novo cadastramento ou recadastramento e por cada pagamento indevido.

O advogado explicou que o bloqueio do escritório virtual não tem ligação com decisão judicial. “Essa parte do portal continua bloqueada enquanto algumas medidas são tomadas pelos departamento de segurança e tecnologia de empresa. Hackers estavam tentando invadir o sistema e até que não esteja seguro, vamos manter como está, mas garantimos que os ganhos dos divulgadores continuam congelados”, disse.

Divulgadores
Com o bloqueio do escritório virtual, muitos divulgadores usaram a página da Telexfree do Facebook para reclamarem ou, ainda assim, apoiarem a empresa. Uma mulher escreveu que pretende sair da companhia. “Acabou! Pra mim não dá mais, chega de farsa Telexfree! Na hora entrar nessa pirâmide (…) foi muito rápido e agora na hora de me pagarem é uma novela mexicana! Exigimos transparência.”

Outra divulgadora se mostrou desconfiada do bloqueio. “Não podíamos fazer nada mesmo, mas parece que fizeram [o bloqueio] de propósito, para aqueles que querem guardar provas não possa printar (sic) a tela, por exemplo, do valor da adesão paga, onde diz seu nome, e quando foi paga a adesão. Também printar (sic) a tela da parte de renda para verificar quanto o divulgador já recebeu e quanto falta, para qualquer coisa os que saíram no prejuízo receber da Justiça os valores (…) para nos indenizar caso a empresa não volte. Acredito na empresa, mas esta difícil. Não sei porque esta medida de travar o nosso acesso ao backoffice, estanho isso”, escreveu.

Justiça do Acre
A juíza Thaís Borges, da 2ª Vara Cível da Comarca de Rio Branco, no Acre, julgou favorável a medida proposta pelo Ministério Público do Estado do Acre para suspender as atividades da Telexfree, no último dia 18. Com a decisão, foram suspensos os pagamentos e a adesão de novos contratos à empresa até o julgamento final da ação principal, sob pena de multa diária de R$ 500 mil em caso de descumprimento e de R$ 100 mil por cada novo cadastramento. A magistrada afirmou que a decisão não configura o fim da empresa, apenas suspende as atividades durante o processo investigativo.

Os advogados da empresa chegaram a entrar com pedido de reconsideração após a decisão da juíza, mas que foi negado pelo Tribunal de Justiça do Acre.

Leia Mais

Homem tenta pagar prostituta na Bahia com cartão do Bolsa Família

Uso do cartão está sendo investigado. Pelas regras do programa, a titular do benefício é, preferencialmente, a mulher da casa

cartao-bolsa-familia

Publicado originalmente em O Globo

SALVADOR – A Delegacia de Polícia de Itapetinga, a 316 km da capital baiana, está investigando um caso de uso incomum do cartão do Bolsa Família. Um homem, identificado apenas pelo pré-nome de “João”, teria tentado pagar os serviços de uma prostituta e o motel em que pretendia realizar o programa sexual com o cartão do principal programa social do governo. A confusão começou quando a prostituta tentou cobrar adiantado os R$ 50 do programa. “João” percebeu que estava sem dinheiro, e perguntou se ela não aceitaria o pagamento através do cartão do Bolsa Família.

A mulher se recusou e, devido à discussão, uma radiopatrulha da PM foi chamada ao local. Para pagar a entrada no quarto do motel, o homem teria deixado o aparelho de som do seu carro. Os policiais militares contaram que “João” se irritou com o escândalo e reclamou da situação nos seguintes termos:

— Itapetinga tá atrasada mesmo, nem as p… aceitam cartão!.

O delegado Roberto Júnior, titular da delegacia de Itapetinga, informou que o caso foi registrado na delegacia como um “termo circustancial” de um cliente que não pagou o motel. Segundo ele, a utilização do cartão do Bolsa Família ainda está sendo investigado.

— O problema é que os policiais não retiveram o cartão, pois aí eu só liberaria na presença da titular — disse.

Pelas regras do programa, a titular do cartão é, preferencialmente, a mulher da casa. O delegado explicou que se ficar comprovado o uso indevido, o cartão pode ser cancelado.

Leia Mais

“Homem que bate em mulher é um homossexual”, dispara Mr. Catra

Mister_catra

Welison, no Depósito Jovem

O cantor Mr. Catra não deixa de causar polêmica. Na manhã desta segunda-feira (15), data que é comemorado o Dia do Homem, não foi diferente. O funkeiro mandou um recado para àqueles que agridem as mulheres.

“Homem que bate em mulher é em homossexual, é o verdadeiro bichinha. Esse é o cara que vive no armário, e não tem coragem de se assumir. Bate no que ele acredita serem seus rivais. E podem acreditar, o homem que vive no armário são os verdadeiros homofóbicos”, disparou.

E não foi só isso. Catra, que mantêm quatro relacionamentos, revelou ser o homem mais feminista do Brasil: “Brigo pelos direitos das mulheres, por que não sei viver sem elas. Meu sonho era morar em uma cidade só de mulheres”.

O funkeiro adiantou que fará uma campanha contra a homofobia, citando o personagem Félix, do ator Mateus Sonalo, da novela ‘Amor à Vida’. “Vou fazer uma campanha para o Félix. ‘Félix, sai do armário e ajude a galera que está trancada sair’”, completou.

dica do Sidnei Carvalho de Souza

Leia Mais

Astronauta mostra desafios de lavar cabelo em ambiente sem gravidade

Única mulher na ISS grava vídeo que mostra como mantém os fios limpos. Maior dificuldade enfrentada é não poder utilizar água corrente no espaço.

Astronauta Karen Nyberg molha cabelo com bolsa de água morna (Foto: Reprodução/YouTube/InsideISS)
Astronauta Karen Nyberg molha cabelo com bolsa de água morna (Foto: Reprodução/YouTube/InsideISS)

Publicado no G1

Para lavar o cabelo no espaço, é preciso levar em conta que a água pode simplesmente escapar e sair flutuando.

A astronauta americana Karen Nyberg, de 43 anos, atualmente a única mulher na Estação Espacial Internacional (ISS), resolveu gravar um vídeo para mostrar aos curiosos como ela faz para manter limpas as madeixas loiras em um ambiente de gravidade zero. Em sua conta do twitter, ela disse que a demonstração era uma resposta a muitas perguntas que recebeu sobre o assunto.

Para começar, ela coloca um pouco de água morna (que fica armazenada em um tipo de bolsa) no couro cabeludo. O mais difícil, segundo ela, é conseguir manter a água entre os fios. Parte dela escapa pelo ar em grandes “bolhas”, na falta da gravidade para puxá-la para baixo. Depois de molhar o cabelo até as pontas, espalha um pouco de shampoo sem enxágue.

Esfrega até as pontas com os dedos e, depois, com a toalha. “Sem a água corrente, é preciso usar a toalha para ajudar a tirar a sujeira”, explica. Depois, coloca um pouco mais de água no couro cabeludo e novamente espalha até as pontas, com a ajuda de um pente.  Por fim, ela usa a toalha novamente para tirar o excesso de umidade. Durante todo o processo, e sempre que Karen resolve deixar o cabelo solto, os fios ficam totalmente levantados.

Todos os acessórios de que precisa ficam grudados à parede com velcro. Ela explica que deixa os cabelos soltos enquanto ele seca. A água que evapora dos fios vai ser coletada pelo sistema de ar condicionado. Posteriormente, o sistema de processamento de água  da estação vai transformá-la em água potável.

 

Leia Mais

Namorado infiel é obrigado a segurar cartaz e coletar assinaturas nos EUA

Americana teria obrigado rapaz a obter 500 assinaturas para reatar.
Homem teria sido ‘paquerado’ em shopping durante ‘provação’.

Usuária flagrou homem com cartaz afirmando que tinha traído namorada de 3 anos de relacionamento (Foto: Reprodução/Imgur/Brunetteness)
Usuária flagrou homem com cartaz afirmando que tinha traído namorada de 3 anos de relacionamento (Foto: Reprodução/Imgur/Brunetteness)

Publicado originalmente no G1

Após descobrir que o namorado com quem mantinha um relacionamento de 3 anos havia cometido uma traição, uma americana de Hanover, no estado de Maryland (EUA) decidiu “punir” o parceiro, fazendo-o exibir um cartaz no qual ele declara a infidelidade.

Uma mulher, que se identificou como “Brunetteness” na rede social Reddit, flagrou o jovem com um cartaz com os dizeres “traí minha incrível, perfeita e maravilhosa namorada de 3 anos [de relacionamento]. Essa é minha punição”, e o homem foi obrigado a segurá-lo no shopping Arundel Mills. Além disso, o namorado teve ainda que coletar 500 assinaturas dos visitantes para que fosse aceito de volta.

No entanto, a estratégia teria provocado um problema. Brunetteness escreveu no tópico original, que possui mais de 2 mil comentários, que o rapaz teria “paquerado uma linda morena”, que teria dito que o homem “não deveria passar por essa humilhação”.

A foto original foi reproduzida mais de 960 mil vezes.

Leia Mais