Homens buscam mulheres belas para namorar, mas não para casar

foto: Internet
foto: Internet

Publicado por AFP [via UOL]

Homens que buscam um relacionamento casual preferem mulheres mais belas, de feições mais femininas, mas buscam as menos atraentes quando querem relações estáveis, revelou um estudo que mergulha nos determinantes evolutivos sobre o jogo amoroso.

O estudo, conduzido por Anthony Little, da Universidade de Stirling, na Inglaterra, e Benedict Jones, da Universidade de Glasgow, na Escócia, está publicado no British Journal of Psychology.

Segundo a pesquisa, as feições femininas, como um maxilar menor ou bochechas mais preenchidas, são vinculadas à atratividade de uma mulher e são consideradas um indício de saúde, juventude e fidelidade, entre outras características. Feições femininas estão associadas a um nível mais elevado do hormônio estrogênio, que também está relacionado com o sucesso reprodutivo da mulher.

Estudos sobre os fatores que influenciam a formação de casais costumam se concentrar nas mulheres, que demonstram ter uma preferência similar por homens mais fortes para se envolver em casos rápidos, mas preferem um tipo mais intelectual para relacionamentos estáveis, possivelmente por considerarem uma aposta mais confiável para ajudar a criar os futuros filhos.

Em um estudo realizado com centenas de voluntários heterossexuais, uma equipe de cientistas apresentou composições de fotos variadas de rostos de mulheres e perguntou aos homens quais eles escolheriam para relacionamentos longos ou curtos.

As fotos apresentaram duas versões do mesmo rosto, uma com traços sutilmente mais femininos e outra com traços mais masculinos. As fotos eram de rostos de mulheres japonesas e europeias.

Os pesquisadores descobriram que os homens atribuíram notas mais altas para um relacionamento casual às mulheres com traços mais femininos. Essa preferência se mostrou especialmente alta entre os homens que já estavam em uma relação estável.

“Quando um homem tem uma parceira garantida, o custo potencial de ser descoberto pode aumentar sua seletividade no que diz respeito a parceiras fortuitas em comparação com homens solteiros, que podem aumentar as chances de sucesso nos relacionamentos ao suavizar seus padrões”, escreveram os autores do estudo.

Mas, ao fazer escolhas de longo prazo, os homens “podem realmente preferir mulheres menos atraentes ou menos femininas”, acrescentaram.

Pesquisas anteriores revelaram que as mulheres atraentes são mais propensas a ser infiéis, particularmente se o parceiro for feio. “Se sua parceira o trair, o homem corre o risco de criar um filho que não é seu”, explicaram os autores.

Leia Mais

Na TV, Mara Maravilha chama gay de ‘aberração’

No ‘Morning Show’, da RedeTV!, ex-apresentadora infantil, que é evangélica, diz que admira o pastor Marcos [sic] Feliciano, avalizador do projeto de ‘cura gay’

Mara Maravilha no 'Morning Show', da RedeTV! (Reprodução)
Mara Maravilha no ‘Morning Show’, da RedeTV! (Reprodução)

Publicado na Veja on-line

Alvo de um protesto realizado em São Paulo na última sexta-feira, o projeto de lei apelidado de “cura gay”, aprovado na semana passada pela Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) da Câmara dos Deputados, ganhou nesta segunda-feira uma defensora pública. Convidada do programa Morning Show, da RedeTV!, a ex-apresentadora infantil Mara Maravilha disse que admira o pastor Marcos Feliciano, presidente da comissão, e que duas pessoas do mesmo sexo se beijando é uma “aberração”.

Mara, que é evangélica, ainda se disse “vítima”, juntamente com Feliciano, de “preconceito” da sociedade. “Acho que falta democracia. É preciso respeitar o gay, mas também quem pensa diferente do gay. Não respeitar a nossa opinião é que é preconceito”, afirmou. “Não estou defendendo o Feliciano, mas o respeito a essa opinião, a democracia, a liberdade de expressão, porque tem muitos pais, muitas mães que não concordam com essa, sabe, essa aberração. Eu não concordo com homens ou mulheres em público ficarem se agarrando. Tem coisa que é particular.”

Mara ainda deu uma cucutada na cantora Daniela Mercury, falando, em momentos diversos, de uma “cantora popular” que sai do armário e de gente que usa esse tipo de história “para se promover”. “Tem gente que pensa assim, ‘Vou dar um beijo aqui na boca da minha companheira porque quero me promover com essa causa’. Não dá muito tempo, a pessoa posa do lado de um homem porque só quer mesmo é mídia.”

Questionada se entendia a homossexualidade como doença, Mara disse que não, que a via como “opção”. Mesmo assim, disse que a cura é possível, porque ela pode ser “mental, espiritual”.”Eu mesma já vivi vários tipos de cura”, contou, sem especificar do que foi curada. A cantora ainda falou que tem vários amigos e funcionários gays que querem ser “curados”. “Eu não faço acepção. Mas conheço muitos homossexuais que querem a cura.”

Entenda o projeto – O texto do projeto de lei chamado de “cura gay” suspende trecho da resolução do Conselho Federal de Psicologia de 1999 que proibiu profissionais da área de colaborar com eventos e serviços que ofereçam tratamento e cura da homossexualidade, além de vetar manifestação que reforcem preconceitos sociais em relação aos homossexuais. Apesar de ser sempre relacionado ao pastor Marcos [sic] Feliciano, o projeto é de autoria do deputado João Campos (PSDB-GO).

Leia Mais

Quase quatro em cada dez assassinatos a mulheres são cometidos pelo marido

Dado faz parte de levantamento feito pela OMS, que considera violência às mulheres um problema de saúde pública com proporções epidêmicas

violencia-contra-mulher

Publicado originalmente na Veja

Quase quatro em cada dez (38,6%) mulheres assassinadas no mundo foram mortas por seus maridos ou namorados, revelou um novo estudo da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre violência contra pessoas do sexo feminino. Por outro lado, esposas e namoradas são responsáveis por “somente” 6,3% dos assassinatos a homens.

A taxa de homicídios de mulheres cometidos por seus parceiros varia de acordo com o país. A taxa mais elevada é observada em países asiáticos, onde quase 60% dos assassinatos a mulheres são cometidos pelos maridos ou namorados. A região com a menor porcentagem é da mediterrânea (14,4%).

O trabalho da OMS também mostrou que mais de um terço de todas as mulheres do mundo é vítima de violência física ou sexual, e na maioria das vezes o abuso acontece por parte de seu marido ou namorado.

Diante desses números, a organização afirmou que o quadro representa um problema de saúde global com proporções epidêmicas. De acordo com a OMS, problemas de saúde comuns decorrentes desses abusos incluem ossos quebrados, contusões, complicações na gravidez, depressão e outros transtornos mentais.

Estatística — A pesquisa da OMS, divulgada nesta quinta-feira, foi feita em parceria com a Faculdade de Higiene e Medicina Tropical de Londres e com o Conselho Sul-africano de Pesquisa Médica. Os autores do estudo procuraram por todos os estudos sobre o assunto publicados nos últimos 20 anos e analisaram dados estatísticos de 169 países. Para chegar aos resultados finais, a equipe considerou 118 pesquisas que envolveram, ao todo, quase 500.000 pessoas.

“Nossos resultados sublinham que as mulheres são desproporcionalmente mais vulneráveis do que os homens a sofrerem violência e assassinato cometidos pelo próprio parceiro, e suas necessidades foram negligenciadas por muito tempo”, diz Heidi Stöckl, pesquisadora da Faculdade de Higiene e Medicina Tropical de Londres.

Em um comentário anexado ao estudo, Rosana Norman, pesquisadora do Instituto Infantil de Pesquisa Médica Queensland, Austrália, disse que esses resultados “têm implicações importantes para esforços em prevenir homicídios cometidos por parceiros íntimos e a necessidade de futuras pesquisas.”

Leia Mais

Chinesa inventa meia que imita perna peluda para afastar pervertidos

Será que essa meia antipervertido vai chegar ao Brasil?
Será que essa meia antipervertido vai chegar ao Brasil?

Publicado no UOL

Uma chinesa inventou uma meia que imita uma perna peluda. Tá, e daí? Daí que a peça foi especialmente feita para ser usada por mulheres para afastar pervertidos.

Acontece que por lá, muitos homens cruzam os limites do bom senso e acabam bolinando as jovens na rua ou no transporte público.

A foto foi publicada no Sina Weibo, uma espécie de Twitter chinês, e rapidamente viralizou pela internet.

“Supersexy, meia cheia de pelos antipervertidos para ser usada neste verão. Essencial para as jovens que saem por aí”, publicou a usuária HappyZhangjiang quando postou a foto.

Será que as brasileiras também precisam de uma meia dessas?

Na Índia, estudantes de engenharia inventaram uma lingerie antiestupro que dá choques no agressor e é equipada com um GPS.

Leia Mais

EUA vão liberar pílula do dia seguinte sem restrição de idade, diz agência

Governo americano disse que não vai mais recorrer de medida judicial.
Decisão encerra uma batalha sobre a pílula que durou mais de uma década.

Publicado originalmente no Bem Estar

Pílula do dia seguinte é contraceptiva, não abortiva (Foto: Ian Hooton/I2H/Science Photo Library/ Arquivo AFP)
Pílula do dia seguinte é contraceptiva, não abortiva
(Foto: Ian Hooton/I2H/Science Photo Library/
Arquivo AFP)

O governo do presidente Barack Obama afirmou nesta segunda-feira (10) que cumprirá a decisão judicial e permitirá a venda da chamada ‘pílula do dia seguinte’ para meninas de qualquer idade, suspendendo sua tentativa de restringir a disponibilidade do medicamento, informaram agências internacionais.

Isso significa que qualquer mulher, inclusive adolescente, poderá comprar a pílula do dia seguinte em uma farmácia, sem a necessidade de receita médica, informou a agência France Presse.

Segundo a Reuters, a informação foi dada pelo Departamento de Justiça dos EUA em uma carta, que acrescentava que o governo não iria mais recorrer à decisão da Justiça que determinava a venda indiscriminada.

A decisão encerra uma batalha sobre a pílula que durou mais de uma década, mas poderia levantar nova polêmica para o presidente Barack Obama, informou a Reuters.

Até recentemente, a pílula estava disponível sem receita médica para as mulheres de 17 anos ou mais, que apresentassem comprovante de idade e receita médica no balcão do farmacêutico. Com a decisão da Justiça, isso não seria necessário. Os críticos dizem que o acesso irrestrito poderia levar a promiscuidade, abuso sexual e menos visitas ao médico.

Mas os defensores das pílulas de emergência dizem que elas ajudam a reduzir gravidez indesejada ou abortos e que o acesso rápido para as mulheres de todas as idades é fundamental para que o medicamento faça efeito, já que a pílula é mais eficaz quando tomada no prazo de 72 horas após a relação sexual.

A decisão “vai tornar disponível a contracepção de emergência nas prateleiras das lojas, assim como os preservativos, e as mulheres de todas as idades poderão obtê-la rapidamente, a fim de evitar gravidez indesejada”, disse Cecile Richards, presidente da Federação Americana de  Planejamento Familiar à agência Reuters.

Em uma carta enviada ao juiz Edward Korman, o governo americano informa que a FDA, a agência federal de alimentos e medicamentos, ‘solicitou ao fabricante da (pílula) Plan B One-Step (PBOS) o envio de um pedido suplementar para a aprovação do medicamento sem qualquer restrição’ de venda.

‘Assim que a FDA receber a solicitação complementar, será aprovada rapidamente’.

Mudanças de curso
A pílula do dia seguinte foi aprovada pela FDA em 1999, mas só em 2009 chegou ao mercado, ainda que de forma limitada.

Em 2011, a FDA decidiu aprovar vendas da droga sem limite de idade. Mas a secretária de Saúde e Serviços Humanos dos EUA, Kathleen Sebelius, ordenou que a agência revertesse a decisão, restringindo o acesso da pílila às menores de 17 anos sem receita médica.

Obama apoiou essa restrição, invocando as suas filhas. À época, 11 meses antes da eleição presidencial, o caso provocou críticas que diziam que ele estava tentando acalmar os conservadores sociais.

Leia Mais