Namorada traída faz jogo de “caça ao tesouro” com coisas do namorado

Carta da namorada traída para o namorado
Carta da namorada traída para o namorado

Publicado originalmente no F5

Uma namorada traída encontrou uma solução criativa para se vingar do namorado.

Ela deixou uma carta, em tom irônico, dando dicas de onde escondeu cada uma das coisas dele.

“Olá querido!
Adivinha só quem esqueceu o Facebook aberto e recebeu uma mensagem da Kelsi? É! Você!
Mas não se preocupe, eu não quebrei nada! Na verdade, fui boazinha e até empacotei suas coisas para você.
E ainda inventei um jogo divertido, já que você gosta tanto de procurar coisas (outras mulheres, por exemplo).
É aqui que você vai encontrar suas coisas:
– suas roupas estão onde nos conhecemos
– seus videogames estão onde demos nosso primeiro beijo
– seu laptop está onde compramos nosso primeiro videogame juntos
– sua TV está onde chegamos aos “finalmentes”
– todo o resto, incluindo fotos dos últimos dois anos de nossas vidas está na casa da Kelsi!

Divirta-se! Ah, e já que eu não destruí suas coisas, não posso garantir que alguém não vá encontrá-las primeiro que você! Boa caça!”

A carta foi compartilhada na rede social Imgur e já soma mais de 870 mil visualizações.

dica da Camila Freitas

Leia Mais

Estresse no trabalho pode deixar as mulheres sem sorte no amor

busy-woman-working-120104-600x420

título original: Sem sorte no amor? Talvez seu trabalho seja o culpado

Ana Claudia Cichon, no HypeScience

Mulheres com empregos de alta pressão podem sofrer mais para encontrar um parceiro. Um estudo sugere que os níveis elevados de um hormônio do estresse – cortisol – torna os rostos femininos menos atraentes para os homens, em comparação com as que possuem a face mais relaxada.

Poderia ser uma má notícia para aquelas que detêm posições estressantes e estão em busca de um amor. O efeito provavelmente ocorre porque os rostos transmitem sinais fortes sobre a saúde e a fertilidade de uma pessoa. Aqueles que têm altos níveis de estresse são geralmente menos saudáveis.

No entanto, os pesquisadores descobriram que a força do sistema imunológico da mulher não afeta sua atratividade para o sexo oposto. Já estudos anteriores demonstraram que os homens são considerados mais atraentes se eles têm baixos níveis de estresse e têm sistemas imunológicos fortes.

Dr. Markus Rantala, biólogo da Universidade de Turku, na Finlândia, liderou o estudo e disse: “Talvez, então, os baixos níveis de cortisol sejam sinal de saúde em rostos femininos”. Isso seria consistente com muitos estudos em humanos que descobriram que o estresse tem um forte efeito negativo sobre a saúde, incluindo a função imunológica, doenças cardíacas e câncer.

Os cientistas vacinaram 52 jovens da Letônia com uma idade média de 20 anos contra o vírus da hepatite B. Eles, então, recolheram amostras de sangue para medir a sua resposta imune e os níveis de cortisol. Eles pediram a 18 estudantes heterossexuais do sexo masculinos para avaliarem a atratividade de cada mulher a partir de uma fotografia de seu rosto.

Enquanto puderam encontrar nenhuma correlação entre a resposta imune das mulheres e sua atratividade facial, aquelas com níveis mais baixos de cortisol no sangue foram classificados como mais atraentes.

O cortisol é um hormônio que desempenha certo número de funções no organismo, incluindo a supressão do sistema imunitário e auxiliar o metabolismo. É conhecido por ser produzido quando o corpo está sob estresse ou quando um indivíduo está ansioso.

Os pesquisadores também descobriram que as mulheres consideradas mais atraentes possuem uma quantidade ideal de gordura – nem muito nem pouco.

Dr. Rantala acrescentou: “Nosso estudo sugere que atratividade facial em mulheres não indica a capacidade de resposta imune contra a hepatite B, mas está associada a dois outros aspectos da saúde a longo prazo e da fertilidade; os níveis de cortisol, o hormônio do estresse em circulação, e o percentual de gordura corporal”.

No entanto, se altos níveis de estresse de fato tornarem as pessoas menos atraentes, isso pode ser uma má notícia para os homens. Um estudo publicado há três anos descobriu que os níveis de cortisol em homens aumentam quando eles estão na companhia de uma bela mulher.[Telegraph]

Leia Mais

Pesquisa indica que a humanidade ficou mais burra

Os cientistas analisaram 14 estudos sobre a inteligência desenvolvidos entre os anos de 1884 e 2004 e constataram que a população ficou mais burra

Publicado originalmente no Terra

Nobel de Física, Albert Einstein tinha um QI estimado de 160. A média para a população (estimativa do Reino Unido) é de 100 pontos (Foto: Getty Images
Nobel de Física, Albert Einstein tinha um QI estimado de 160. A média para a população (estimativa do Reino Unido) é de 100 pontos (Foto: Getty Images

Um provocativo estudo publicado recentemente na revista Intelligence sugere que, enquanto a tecnologia avança, a inteligência humana está em declínio. A pesquisa aponta que o quociente de inteligência (QI) dos ocidentais caiu 14 pontos desde o final do século 19. As informações são do Huffington Post.

Segundo o professor da Universidade de Amsterdam Jan te Nijenhuis, co-autor do estudo, as mulheres mais inteligentes tendem a ter menos filhos do que aquelas com menor inteligência, o que poderia ser um dos fatores para esse declínio.

Nijenhuis e alguns colegas analisaram os resultados de 14 estudos sobre a inteligência desenvolvidos entre os anos de 1884 e 2004, incluindo um feito por Francis Galton, antropólogo inglês primo de Charles Darwin. Cada pesquisa levou em conta o tempo que os participantes levaram para pressionar um botão em resposta a um estímulo. O tempo de reação reflete a velocidade de processamento mental de um indivíduo, e por isso é considerado uma indicação da inteligência.

No final do século 19, o tempo de reação visual era em média de 194 milésimos de segundo. Já em 2004, esse tempo havia aumentado para 275 milésimos de segundo. Ainda que a máquina utilizada para medir o tempo de reação do final do século 19 fosse menos sofisticada que a usada nos últimos anos, Nijenhuis afirmou ao Huffington Post que os dados antigos são diretamente comparáveis aos modernos.

Outros estudos recentes têm sugerido um aumento aparente no QI a partir da década de 1940. Porém, o especialista sugere que esses levantamentos refletem a influência de fatores ambientais – como melhor educação, higiene e nutrição –, que podem mascarar o verdadeiro declínio na inteligência herdada geneticamente no mundo ocidental.

Leia Mais

Mulheres gastam mais quando vão às compras juntas, diz estudo

Os especialistas descobriram que 62% das mulheres que se jogam nas compras com uma amiga do sexo feminino gastam mais dinheiro do que as que se aventuram sozinhas (Foto: Getty Images)
Os especialistas descobriram que 62% das mulheres que se jogam nas compras com uma amiga do sexo feminino gastam mais dinheiro do que as que se aventuram sozinhas (Foto: Getty Images)

Publicado originalmente no Terra

Para grande parte das mulheres, não existe melhor programa do que compras com as amigas. Mas uma nova pesquisa mostra que, na conta bancária, os resultados deste passeio não são nada bons. Com informações do site Female First.

Os especialistas descobriram que 62% das mulheres que se jogam nas compras com uma amiga do sexo feminino gastam mais dinheiro do que as que se aventuram sozinhas. Na verdade, elas tendem a desembolsar em média 37,45 libras (algo em torno de R$ 115) a mais a cada vez que vão às compras acompanhadas.

O levantamento, feito com 2 mil mulheres e patrocinado pelo shopping Liverpool One, também fez uma projeção do quadro ao longo de um ano, ou 24 idas às compras depois: o gasto das mulheres acompanhadas é de 894 libras a mais (ou R$ 2.762) do que o das que preferem ir ao shopping sozinhas.

Os dados mostram ainda que dois terços das mulheres se sentem mais confiantes nas roupas que compraram se tiveram a opinião de suas amigas; e a mesma porcentagem se sente mais feliz depois de ir às compras em boas companhia.

Um porta-voz do shopping disse que, apesar de mais custoso, o programa é mais feliz acompanhado do que só. “Amigas são boas para ajudar você a escolher algo para vestir, e vão dar opiniões sinceras”, afirmou, acrescentando que quando se está sozinha é mais fácil optar por não levar uma peça quando não há certeza se ficou boa ou não.

Leia Mais