Arquivo da tag: namorando

Mais de 60% das pessoas engordam em relacionamentos

gordinhos

Publicado originalmente no Virgula

Um estudo realizado por uma empresa britânica de refeições para dietas e divulgado pelo jornal “Daily Mail”, constatou que mais de 60% das pessoas costumam adquirir quilinhos extras ao engatar um romance.

Para descobrir qual seria o motivo dessa ganha de peso, os pesquisadores conversaram com diversos casais. Entre os entrevistados, 30% declararam que atividade mais comum com o companheiro é ficar em casa vendo TV, enquanto 20% afirmaram que sair para comer é a atividade preferida do casal.

As participantes do sexo feminino revelaram outro fato curioso: 52% delas contou que, ao fazerem uma refeição com o parceiro, ingerem a mesma quantidade de comida que ele, sendo que 56% admitiram que a porção é muito maior do que comeriam normalmente.

Lauriete e Magno Malta finalmente assumem o namoro

título original: Deputada e senador Magno assumem namoro em Tocantins

Publicado no site da Agência Congresso

O que todo muito comenta no ES e Brasília há mais de seis meses, acabou sendo confimado em Tocantins, num encontro evangélico.

Lá o senador Magno Malta (PR) e a deputada federal Lauriete Almeida (PSC) assumiram o relacionamento amoroso, conforme noticiam sites de lá:

Foram tratados inclusive como casados.Na última segunda-feira o casal acabou atrasando um vôo da Gol que saia de Vitória porque não apareceram.

Os dois tem viajado juntos constantemente e desenvolvidos ações políticas conjuntas. Magno deve apoiar a reeleição de Lauriete em 2014

Lauriete foi eleita com 69.818 votos, numa eleição dificil para a Câmara Federal. Segundo o site http://musica.gospelmais.com.br, Lauriete se dirvorciou há quatro meses.

Cantora gospel, foi casada por 20 anos com Reginaldo Almeida, político e pastor evangélico. Muito bonita, é dona de uma voz impecável.

Em 27 anos de carreira, já gravou 24 CDs. Lauriete se destaca no meio gospel capixaba, nacional e internacional.

Ao longo de sua carreira, conquistou alguns prêmios como discos de ouro e de platina. Magno anda rindo à toa.

Os dois já pensam em morar juntos e tem feitos diversas visitas a municípios do Brasil – menos ES – O senador admite que deseja concorrer a presidência da República em 2014.

Neste mesmo ano ele pretende apoiar a reeleição do governador Renato Casagrande (PSB-ES).

Mas em 2018 quer concorrer ao governo capixaba, o que mostra que nem ele mesmo acredita em sua eleição para a vaga de Dilma.

O casal foi a Tocantins, dia 10 do mês passado, apoiar o candidato tucano a prefeito de Porto Nacional, Otoniel Andrade (foto)

Ele acabou eleito com 10.184 votos, e derrotou o segundo colocado, Paulo Mourao (PT), com 8.312, 29,40% votos e Clyeton Maia (PMDB) com 7969 votos.

Mas a eleição foi tumultuada. Segundo a imprensa local, o candidato eleito foi acusado de compra de votos e até invasão de residências.

dica da Rina Noronha

refrescando a memória:

durante a conturbada separação da cantora-deputada, magno malta chamou o ex-marido dela de “canalha, vagabundo e nojento”. o irmão de lauriete foi contratado no gabinete do pagodeiro, assim como aconteceu antes com músicos de sua banda.

depois é só mandar um “grandioso és tu” na tribuna que fica tudo certo, neam…

Daniel Rocha, o Roni de Avenida Brasil: “Tenho minha fé, porém sou um artista”

Ator brilha no horário nobre | Foto: João Laet / Agência O Dia

tíulo original: Daniel Rocha diz que as periguetes não fazem seu tipo

Paulo Ricardo Moreira, em O Dia Online

Rio -  A polêmica sobre a sexualidade de Roni, vivido por Daniel Rocha em ‘Avenida Brasil’, tem atiçado a imaginação e o desejo das mulheres … E dos homossexuais também! Não bastasse o assédio de meninas, que querem dar um trato no marido de Suelen (Isis Valverde) e “ajudá-lo” a virar hétero, o ator paulista, de 21 anos, tem recebido cantadas de homens que se identificam com o jeito fofo, sensível e romântico do craque de bola do Divino, e torcem por um possível romance entre Roni e o melhor amigo, Leandro (Thiago Martins).

“São cantadas educadas, os homens me respeitam mais do que as mulheres. As meninas atacam, arranham, puxam o cabelo. Quando vou jogar futebol beneficente no interior, saio com a roupa toda rasgada”, conta Daniel. Ele tem uma teoria: “Isso só acontece com ator. Bota uma atriz linda e gostosa e vê se os homens a atacam? Eles são mais respeitosos”.

Apesar da paixão reprimida por Leandro, Roni ainda não assumiu sua opção sexual. Mas seu intérprete torce, sim, para que o filho do machão Diógenes (Otávio Augusto) se declare e fique com o jogador no final. “Para mim, como ator, é mais interessante, desafiador, que Roni termine com Leandro. Não sei se ele é gay, mas também acho que, dramaturgicamente, essa dúvida sobre a sexualidade é melhor do que ter a certeza”, diz.

Se rolar beijo gay, Daniel já se prontificou a fazer, sem problemas. Mas será que o público está preparado para assistir à cena de dois homens se beijando na TV?

“É ingenuidade achar que não existe racismo e preconceito. Qual seria a reação de um pai com seu filho que visse na novela um personagem anunciando sua sexualidade? Ainda é um problema social e cultural, porque viemos de uma geração machista. Isso pesa muito”, analisa ele. “Tenho amigos gays que namoram, mas não assumem sua sexualidade para a família. Gostam do Roni porque ele não tem o estereótipo, não é caricato. Tem sensibilidade, mas não é frágil”, completa.

Na trama de João Emanuel Carneiro, Roni, Suelen e Leandro estão vivendo juntos sob o mesmo teto. Daniel acha interessante mostrar essa ousada relação a três na novela, mas não assumiria um triângulo amoroso na vida real: “Deixo esse tipo de relação para os personagens”. A surpresa ao descobrir que o pé é o ponto fraco do rapaz não mudou sua visão por essa parte do corpo. “Nunca reparei em pés, nem olho!”, garante, aos risos. Mas ele revela o que observa primeiro no corpo de uma mulher: “Os olhos… Dizem muitas coisas”.

A química com Isis Valverde, diz o ator, foi conquistada com o tempo. “Acho fundamental ter essa sintonia. Criamos uma relação de amizade e respeito. A gente preserva muito isso para fazer a cena da melhor maneira possível”, explica. Nem as cenas de sexo com a periguete mais desejada do Divino abalam os nervos do ator. “Para mim, só é complicado por causa da construção do personagem, da dúvida sobre a sexualidade. Mas sou experiente em teatro. Já perdi um pouco desse pudor e timidez”, frisa o ator, que passou três anos no Centro de Pesquisa Teatral (CPT), grupo experimental comandado por Antunes Filho, em São Paulo.

Além da formação nos palcos, ele busca inspiração em dois ídolos do cinema: Marlon Brando e James Dean. “Vejo e copio o jeito deles. São escolas que me ensinam muito. Acho Marlon um ótimo ator. Espero que um dia chegue a ser um Marlon Brando. Ele tira coelho da cartola o tempo todo, é gênio!”, derrama-se.

Solteiro, Daniel tem aproveitado para curtir a vida no Rio, onde mora há seis meses e pretende fixar residência. Quando não grava no dia seguinte, gosta de sair à noite com amigos do elenco. Sobre paquera, ele se diz um pouco tímido. “Ainda estou me adaptando ao assédio. Tem que ter um pouco de jogo de cintura. Mas é difícil encontrar alguém que goste das mesmas coisas que eu, que tenha afinidade. Se eu chamar a pessoa para ir ao cinema e assistir a um filme em preto e branco, francês, ela vai querer? Tem que ter química, encaixar. Por isso estou solteiro”, argumenta ele, que terminou há três meses o namoro com a atriz paulista Monizza, 18. “Não estou à procura. Agora, estou focado na novela, no meu crescimento profissional”, decreta.

E para acabar com a curiosidade de muita gente, ele entrega: “Nunca namorei uma periguete como a Suelen. Nem faz o meu tipo, né?”.Evangélico, o ator não mistura a religião com a profissão. “Tenho minha fé, porém sou um artista”, diz ele, que estudou violino por dez anos. Se na novela bate um bolão no Divino, na real ele arrasa nos ringues. É campeão panamericano, sul-americano, brasileiro e paulista de kickboxing, luta que pratica desde os 15 anos e hoje virou hobby, além do surfe. “Comecei a lutar para me defender na escola, era muito magrinho e levava a pior no jogo. Não gosto de futebol”, conta o ator.

Foto: João Laet / Agência O Dia