Arquivo da tag: Nanã

‘Feminismo não é uma guerra entre homens e mulheres’

Naomi

Nana Queiroz, no BrasilPost

Naomi Wolf é uma das maiores pensadoras vivas da terceira onda do feminismo. No sábado, tive um delicioso (e polêmico) encontro com ela, no qual ela me falou de uma visão de feminismo em que cabem homens e mulheres. Vejam a nossa conversa.

Você acredita que existam roupas vulgares?
Nós vivemos em um mundo mergulhado na pornografia e em que o corpo da mulher está em todo canto. Mas ninguém tolera que as mulheres ganhem o poder sobre o próprio corpo e digam: “Meu corpo não é erótico, ele é o que eu quiser que ele seja!”

Sou uma libertária, cresci em São Francisco! Era muito comum que homens gays andassem com calças de couro e furos atrás que deixavam seus bumbuns totalmente expostos. Não era nenhum fator de desestabilização social, eles não incomodavam ninguém, apenas expressavam sua moda. Ninguém nunca disse que isso era uma desculpa para abusar sexualmente deles. As pessoas deviam ser livres para se vestir como quisessem. Claro, há limites, como não fazer sexo na frente de crianças ou ver pornografia com elas. Mas, com o mínimo de bom-senso, é possível ter uma liberdade imensa ao se vestir.

Você acredita na existência de homens feministas?
Claro, fui criada por um e casei com outro. Como não poderia haver homens feministas? Se acredita no tipo de feminismo em que acredito — que é apenas uma extensão lógica da democracia, ou seja, todos merecem os mesmos direitos –, não é uma coisa de gênero, só inclui prestar atenção à situação especial da mulher e se importar com seu bem-estar e equidade.

Você tem algumas críticas à segunda onda do feminismo…
Primeiro, tenho que celebrá-las. A segunda onda do feminismo foi a que mais trouxe conquistas para as mulheres na história de nossa espécie – e em muito pouco tempo. Só temos mulheres presidentes hoje graças a elas.

Mas já criticou a visão que elas têm dos homens.
Sim. Todo movimento precisa de críticas para crescer, principalmente, porque os tempos mudam. As feministas da segunda onda acreditavam que o feminismo era uma oposição aos homens. Eu rejeito isso. Feminismo é uma questão humana, não é uma guerra entre homens e mulheres. Às vezes, também criam imagens de mulheres como anjos inocentes e homens como bestas predadoras. Essa ideologia foi inventada no século 19 e é muito perigosa. Essa visão vitimiza as mulheres e está afastando os homens; eles sentem que não há um lugar para eles nessa luta.

É possível ser de direita e ser feminista?
Sim. Você pode ser militar e ser feminista, pode ser a favor do livre mercado ou empresária e ser feminista. A mídia quer que acreditemos que o feminismo é uma linda festa de verão em que todas temos que ser grandes amigas. Feminismo não é uma festa. O feminismo também não dita regras sobre suas visões políticas. Temos que amadurecer e entender o que é “afiliação parcial”. Isso é uma estratégia para trabalhar o que o grupo tem em comum e deixar de fora questões que não cabem ao tema. Depois, fora do grupo, podem brigar à vontade sobre as outras questões.

 

Depois de posar em NY, Nana Gouvêa fará ensaio sensual em Auschwitz

publicado impagavelmente no Sensacionalista

A modelo Nana Gouvêa inova mais uma vez. Depois de posar em frente a destroços do Furacão Sandy, ela já prepara um novo ensaio sensual, dessa vez em Auschwitz. A assessoria da modelo divulgou um release informando que “Nana traz para o Brasil o conceito do Sensual Tragedy, no qual modelos pousam (sic) em lugares onde aconteceram grandes tragédias da humanidade. Para isso, nada melhor do que ir até Auschwitz”.

De acordo com o texto, o “estilo” celebra a alegria de viver. “O Sensual Tragedy mostra que viver é bom. E a sensualidade faz parte da vida”. A modelo seguirá em seguida para Chenobyl, lugar do acidente atômico que fez com que crianças nascessem sem cérebro. A assessoria esclarece que Nana não nasceu lá.

dica do Sidnei Carvalho de Souza

Nana Gouvêa: fotos da subcelebridade em desastres históricos fazem sucesso nas redes sociais

Nana Gouvêa mostrou os danos causados pelo furacão Sandy em NY (Arquivo pessoal)

Definitivamente, na internet não há limites, principalmente quando o assunto são os memes. Ontem a pseudocelebridade Nana Gouvêa divulgou fotos dos desastres em Nova York, dizendo que “adora hurricanes – furacões”.

Nana deixou o apartamento onde mora com o produtor musical Carlos Keyes, em NY, para fotografar os danos que o furacão Sandy causou na cidade americana. Árvores derrubadas, carros destruídos e ruas vazias. O curioso não é o desastre propriamente dito, mas, sim, a falta de noção as poses e os lugares inusitados que a atriz moça escolheu para as fotos.

Nana Gouvêa em NY (Arquivo Pessoal)

O resultado não poderia ser outro: os internautas aproveitaram as poses micadas de Nana e, bingo, surge um novo meme: “Nana Gouvêa em Desastres”.

As fotos – montagens, é claro – mostram a Sebastiana (nome verdadeiro dela) em vários desastres históricos do mundo. Até um tumblr foi criado em ~homenagem~ a ela: nanagouveaemdesastres.tumblr.com/.

Confiram algumas imagens:

Guerra do Vietnã (1972)

Tsunami, Japão (2011)

Bomba Atômica, Hiroshima (1945)

Rebaixamento do Corinthians, Porto Alegre (2007)

Campo de concentração, Auschwitz (1943)

Titanic, Newfoundland (1912)