8 provas definitivas que o ano já acabou e você não tá sabendo

publicado no BuzzFeed

1. Já estamos no horário de verão \o/
1

2. Daqui 50 dias as aulas acabam e chegam as Férias!!!!!
enhanced-22413-1413898099-9
E tudo isso só porque teve Copa então atrasou tudo.

3. Faltam apenas 60 dias para o Natal.
anigif_enhanced-buzz-22858-1413907267-14
4. Inclusive já começaram as decorações.

enhanced-buzz-4131-1413896421-9
Essa ai de cima é de Palmas. Quem também já deu a largada foi Gramado e Cascavel.

5. E os clássicos Panetones já estão nas prateleiras.
enhanced-buzz-1548-1413896645-23
6. Quem também já está ai é o Reveillon. Faltam apenas 67 dias para a virada!
anigif_enhanced-buzz-26491-1413906961-35
7. E 115 dias para o Carnaval <3

anigif_enhanced-9516-1413907139-6

8. Inclusive, já começou a escolha das rainhas de bateria.
rainha
Susana Vieira foi coroada a rainha da Grande Rio ao som de Valesca Popozuda.

VEM 2015!!!

2015

Leia Mais

ONG alerta sobre exploração sexual infantil durante a Copa

A ação acontecerá entre os dias 18 e 24 de junho e impactará mais de 21 mil passageiros de voos nacionais da GOL

ONG alerta sobre exploração sexual infantil na Copa: ação é parte da campanha “Copa das Meninas”
ONG alerta sobre exploração sexual infantil na Copa: ação é parte da campanha “Copa das Meninas”

Publicado na Exame

A Plan International Brasil fará uma ação de mídia em 179 voos nacionais da GOL para chamar a atenção dos passageiros sobre a exploração sexual infantil durante a Copa do Mundo 2014.

A ação acontecerá entre os dias 18 e 24 de junho e impactará mais de 21 mil passageiros que partirão dos aeroportos de Congonhas e Guarulhos (SP) com destino a quatro cidades-sede da Copa do Mundo: Rio de Janeiro (aeroportos Galeão e Santos Dumont), Fortaleza (CE), Natal (RN) e Recife (PE).

A ação faz parte da campanha “Copa das Meninas”, iniciativa da Plan de combate à violência sexual contra crianças e adolescentes no período dos jogos.

Durante os voos, as comissárias de bordo transmitirão a seguinte mensagem no sistema de som das aeronaves: “Caros passageiros, durante estes jogos não desvie o olhar. Sua doação ajuda a impedir a exploração sexual e transforma a vida de milhares de meninas. Ajude a Plan International Brasil a combater esse crime. Coloque o botton, compartilhe nosso filme no seu Facebook e nos ajude a espalhar essa causa! Mais informações no cartão informativo ou pelo site: www.copadasmeninas.org.br“.

Durante o voo, também haverá a distribuição de outros materiais da campanha.

Lançada em fevereiro, a “Copa das Meninas” tem como objetivo alertar a população sobre a situação da proteção infantil durante a Copa do Mundo e conscientizar turistas sobre o aumento da exposição e vulnerabilidade de crianças e adolescentes a situações de violência.

“Com esta ação pretendemos atingir não só o público brasileiro, como também turistas que estarão participando do evento. Chamamos a campanha de ‘Copa das Meninas’ para destacar situações as quais elas estão mais vulneráveis, mas isto não quer dizer que a violência sexual se aplique apenas às meninas. Estamos falando da proteção das crianças em geral”, afirma a diretora nacional da Plan International Brasil, Anette Trompeter.

Confira o vídeo:

Leia Mais

Brasil tem 11 das 30 cidades mais violentas do mundo, diz ONU

Maceió está na quinta posição da lista da violência, seguida por Fortaleza, na sétima
Levantamento aponta 437 mil assassinatos em 2012; do total, 36% ocorreram nas Américas

280313cnnMarcelo Remigio, em O Globo

RIO – O Brasil tem 11 das 30 cidades mais violentas do mundo. Levantamento do Escritório sobre Drogas e Crime das Nações Unidas com base em assassinatos ocorridos no ano de 2012 aponta Maceió como a quinta cidade em homicídios por cada 100 mil habitantes. Fortaleza está na sétima posição e João Pessoa, em nono. A América Latina desbancou a África como a região mais violenta. Já Honduras é hoje o país com maior número de assassinatos por 100 mil habitantes. O índice registrado naquele país aponta para o que os pesquisadores chamam de “situação fora de controle”. O segundo país mais violento é a Venezuela, seguido por Belize e El Salvador.

De acordo com a pesquisa da ONU, foram assassinadas 437 mil pessoas em 2012, das quais 36% nas Américas, a maior parte na Central e na do Sul. O Brasil é o país com mais cidades na lista da violência, seguindo pelo México, com seis – ambos são os países mais populosos da América Latina. Venezuela e Colômbia têm três cidades e Honduras e Estados Unidos, duas. Além de Maceió, Fortaleza e João Pessoa, foram listadas pelo levantamento das Nações Unidas Natal (12ª posição); Salvador (13ª); Vitória (14ª); São Luís (15ª); Belém (23ª); Campina Grande (25ª); Goiânia (28ª); e Cuiabá (29ª).

Para os pesquisadores da ONU, o elevado índice de homicídios na América Latina está ligado ao crime organizado e à violência política, que persiste há décadas nos países latinoamericanos. A maior parte das mortes (66%) foram provocadas por armas de fogo. Os cartéis do narcotráfico mexicanos são citados como responsáveis pela violência também em Honduras, El Salvador e Guatemala, países que integram rotas de distribuição de drogas que têm como destino os Estados Unidos. Já na Venezuela, os assassinatos são atribuídos à violência urbana.

Taxas de homicídios acima de 20 por 100 mil habitantes são consideradas pelos especialistas como graves. Em Honduras, são 90,4 homicídios por 100 mil habitantes. Já na Venezuela, a taxa chega a 53,7; em Belize, 44,7; em El Salvador, 41,2; na Guatemala, 39,9; na África do Sul, 31; na Colômbia, 30,8; no Gabão, 28; no Brasil, 25,2; e no México, 21,5. Países em conflitos têm taxas inferiores às da América Latina, como Iraque, no Oriente Médio, onde o índice registrado é de oito para 100 mil habitantes.

As cidades mais violentas do mundo são: San Pedro Sula (Honduras), Caracas (Venezuela), Acapulco (México), Cali (Colômbia), Maceió; Distrito Central (Honduras), Fortaleza; Cidade da Guatemala (Guatemala), João Pessoas, Barquisimeto (Venezuela), Palmira (Colômbia), Natal, Salvador, Vitória, São Luís, Culiacán (México), Guayana (Venezuela), Torreón (México), Kingston (Jamaica), Cidade do Cabo (África do Sul), Chihuahua (México), Victoria (México), Belém, Detroit (Estados Unidos), Campina Grande, Nova Orleans (Estados Unidos), San Salvador (El Salvador), Goiânia, Cuiabá e Nuevo Laredo.

Taxa média de homicídios global é de 6,2 por 100 mil/hab

Segundo o estudo da ONU, cerca de 750 milhões de pessoas vivem em países com as maiores taxas de homicídio do mundo, o que significa que quase metade de todos os homicídios acontece nos países onde moram apenas 11% da população mundial. Europa, Ásia e Oceania, onde estão cerca de 3 bilhões de pessoas, as taxas de homicídios são consideradas relativamente baixas.

A taxa média de homicídios global é de 6,2 por 100 mil habitantes, mas o Sul da África e a América Central registraram mais de quatro vezes esse número, 30 e 26 vítimas por 100 mil habitantes, respectivamente, os números mais altos do mundo. Enquanto isso, com taxas cerca de cinco vezes menores do que a média global, Ásia Oriental, sul da Europa e Europa Ocidental registraram os níveis mais baixos de homicídio em 2012. Ainda de acordo com a pesquisa, os níveis de homicídios no norte da África, na África Oriental e em partes do sul da Ásia estão aumentando em meio à instabilidade social e política. Já a África do Sul apresenta tendência de queda das taxas de homicídio: os assassinatos caíram pela metade, de 64,5 por 100 mil habitantes em 1995 para 31 por 100 mil habitantes em 2012.

Os homicídios ligados ao crime organizado, gangues e facções representam 30% de todos os assassinatos da América, em comparação com menos de 1% na Ásia, Europa e Oceania. Ainda que picos de homicídio estejam muitas vezes ligados a este tipo de violência, a América tem níveis de homicídio cinco a oito vezes maiores do que a Europa e a Ásia desde a década de 1950, aponta a ONU.

Cerca de 80% das vítimas de homicídio são homens, assim como 95% dos autores dos crimes; 15% de todos os assassinatos resultam de violência doméstica e a maioria (70%) das vítimas domésticas são mulheres. Mais da metade das vítimas de homicídios têm menos de 30 anos de idade, com crianças menores de 15 anos de idade representando pouco mais de 8% de todos os homicídios.

ONU confirma dados sobre violência divulgados por ONG mexicana

A pesquisa da ONU confirma dados sobre violência apresentados em levantamento elaborado pela ONG mexicana Conselho Cidadão para Segurança Pública e Justiça Penal AC divulgado em março deste ano. Segundo a pesquisa mexicana, o Brasil é o país com mais municípios no ranking: 16; e Maceió a quinta cidade mais violenta do mundo. O México aparece em segundo, com nove. Apenas sete cidades da lista não estão na América Latina: quatro dos Estados Unidos (Detroit, Nova Orleans, Baltimore e Saint Louis) e três da África do Sul.

O levantamento leva em conta a taxa de homicídios por grupo de 100 mil habitantes no ano passado. De acordo com a ONG, foram levantados dados disponibilizados pelos governos em suas páginas na internet e consideradas só cidades com mais de 300 mil. Essa foi a quarta edição do ranking. Dos 16 municípios do Brasil no ranking das cidades mais violentas do mundo, seis vão receber jogos da Copa do Mundo: Fortaleza, Natal, Salvador, Manaus, Recife e Belo Horizonte.

As brasileiras da lista mexicana

Maceió (5ª colocada) – 79,76 homicídios por 100 mil habitantes; Fortaleza (7ª) – 72,81; João Pessoa (9ª) – 66,92; Natal (12ª) – 57,62; Salvador (13ª) – 57,51; Vitória (14ª) – 57,39; São Luís (15ª) – 57,04; Belém (16ª) – 48,23; Campina Grande (25ª) – 46; Goiânia (28ª) – 44,56; Cuiabá (29ª) – 43,95; Manaus (31ª) – 42,53; Recife (39ª) – 36,82; Macapá (40ª) – 36,59; Belo Horizonte (44ª) – 34,73 e Aracaju (46ª) – 33,36.

Leia Mais

Garoto de 13 anos constrói reator nuclear e quebra recorde

jamie-fusao-nuclear-1-1260x710

 

Publicado no Gizmodo

Você lembra qual foi seu maior feito aos 13 anos de idade? Bem, não importa o que seja, porque Jamie Edwards o superou: este jovem cientista é a pessoa mais nova a realizar fusão nuclear.

Há alguns anos, Jamie gastou todo o seu dinheiro de Natal em um contador Geiger, que serve para medir radiação. Então, ele elaborou uma proposta ambiciosa para construir seu próprio reator nuclear – você pode baixá-la aqui.

Após apresentá-la ao diretor da escola, ele recebeu da própria escola um orçamento de 2.000 libras (quase R$ 8.000) para realizar seu projeto – um fusor de Farnsworth-Hirsch. Trata-se de um dispositivo que usa um campo elétrico para acelerar íons e gerar a fusão nuclear.

Funciona assim: uma máquina cria tensão elétrica entre duas peças de metal, entre as quais há um tubo de vácuo. Através dele, fluem íons de carga positiva. Quando a tensão cai, esses íons ganham velocidade e colidem no centro da máquina, fundindo-se em uma só partícula. É possível detectar quando isso acontece usando o contador Geiger.

Mas isso não é perigoso? Na verdade, Jamie explica que a radiação é fácil de conter: basta usar um pedaço de chumbo; e ao desligar o fusor, ele para de emitir radiação. O maior problema aqui é o vácuo, porque partes de vidro no fusor podem quebrar – daí o uso de óculos protetores. E para evitar choques elétricos, basta “colocar uma das mãos no bolso”, diz ele.

jamie-fusao-nuclear-3

Jamie conseguiu, aos 13 anos, colidir dois átomos de hidrogênio para formar hélio através de fusão nuclear. Ele detalhou seu progresso ao longo do caminho, e você pode conferir tudo no blog dele.

O recorde de “físico nuclear mais jovem” pertencia a um garoto americano, que tinha 14 anos ao realizar a proeza. Jamie fará 14 anos neste final de semana, por isso ele correu contra o tempo. E o que o futuro reserva para Jamie? Assim como todo jovem nessa idade, ele promete criar um mini colisor de hádrons. [BBC]

jamie-fusao-nuclear-2

Leia Mais

Hotel cinco estrelas nos EUA abre as portas e recebe 500 sem-teto para a noite de natal

A procura por vagas para ser voluntário da iniciativa é maior do que a para ser hóspede

Publicado no Catraca Livre

O hotel Omni, um cinco-estrelas localizado no centro de Dallas, nos EUA, manteve sua tradição natalina e fez nessa véspera de Natal a mesma coisa que nos últimos nove anos: abriu suas portas para servir um banquete e hospedar homens, mulheres e crianças sem-teto por uma noite.

Em 2012, o prefeito de Dallas  Mike Rawllings foi um dos que serviram os moradores de rua.
Em 2012, o prefeito de Dallas Mike Rawllings foi um dos que serviram os moradores de rua.
reprodução soupmobile

Os moradores de rua chegam por um tapete vermelho, recebem muitos abraços e até cumprimentos do Papai Noel. Depois, almoçam, tomam banho, ganham roupas novas e se preparam para um banquete de natal. Na manhã do dia seguinte, acordam em belos e quentes quartos.

A ação é comandada pela SoupMobile, uma organização sem fins lucrativos que distribui alimentos e constrói abrigos para moradores de rua. O objetivo do “Room at the Inn“, como o evento do dia 24 de dezembro é conhecido, é juntar fundos para esse trabalho. Cada um dos mil voluntários que participam da ação (o prefeito da cidade é um deles) paga cerca de mil dólares para estar ali. E a procura é grande, pois existe até uma fila de espera para quem quiser servir e ajudar os sem-teto.

O vídeo abaixo (em inglês) foi feito na edição do ano passado e mostra como é a ação.

Leia Mais