10 motivos para sentir saudades do Orkut

Publicado no Estadão

Se você chegou até aqui, provavelmente já sabe que o Orkut vai finalmente pendurar as chuteiras e chegar ao seu fim. O Google anunciou em seu blog nesta segunda-feira, 30, que “é hora de dizer adeus ao Orkut” e marcou a data de encerramento para 30 de setembro.

É fato que a rede social inventada pelo turco Orkut Büyükkökten já não tem a mesma popularidade de antigamente, mas a memória de muita gente ficou guardada por lá. O Link selecionou 10 motivos para lembrar com carinho da primeira rede social do Google – e que até hoje ainda tem o Brasil como seu principal País.

Comunidades úteis

Parece até estranho, mas sem um feed de notícias, boa parte da interação que você podia ter no Orkut era dentro das comunidades. E algumas delas eram bastante sérias: durante muito tempo, comunidades de times de futebol eram os melhores lugares para saber de notícias, enquanto bandas divulgavam seus trabalhos e muita gente dividia links para compartilhar filmes, séries e músicas – é o caso da Discografias, que foi excluída (e recriada) da rede social diversas vezes por ações judiciais que diziam que ela incentivava a pirataria.

comunidadesserias590

Comunidades sem sentido nenhum

Além de lugares legais para trocar ideias e conhecer pessoas, as comunidades funcionavam como as fanpages do Facebook, servindo para mostrar para quem visitasse o seu perfil que você gostava de uma banda ou compactuava com uma ideia. E algumas delas eram pura piada ou galhofa – a comunidade mais popular no Brasil durante muito tempo foi a “Eu Odeio Acordar Cedo”. Mas o que dizer de clássicos como “Lenin, de três”, “Além do Ben e do Mao” (que homenageava Jorge Ben e Mao Tsé Tung), “Não fui eu, foi meu eu-lírico” ou “Sou mole, tô te dando um legal”, além da que ilustra esse texto, a “Luta de classes”.

comunidadeszoeira590

Os depoimentos

Atire a primeira pedra quem nunca mandou um depoimento fofo para um amigo ou lutou pelo “topo” de uma página cheia de “testmonials” (como eles eram chamados lá no comecinho do Orkut, quando o site ainda nem era traduzido). Declarações de amizade, de amor, piadas internas e até mesmo revelações sinceras eram o centro da parte mais sentimental da rede social.

Depoimento

O Buddy Poke

Muito antes do Facebook se tornar popular aqui no Brasil e trazer à tona o “cutucar”, o Orkut tinha o BuddyPoke. Era um aplicativo com gráficos meio toscos, mas que recriava os usuários do site em versão 3D e os colocava para interagir com seus amigos. Você podia dar um abraço, oferecer uma rosa, contar uma piada ou até jogar uma partida de futebol, tudo virtualmente.

BuddyPoke590

Ser 90% legal, 80% sexy e 70% confiável

Outra tendência dos dias de hoje, mas que o Orkut já mostrava há muito tempo, era a possibilidade de ranquear seus amigos – alô, Lulu! Claro que, ao contrário do #UsaCrocs, o Orkut só deixava você fazer avaliações positivas, dizendo se seu amigo era legal, sexy ou confiável, além de te deixar ser fã dele.

90legal590

Os scraps

Em uma época que a internet não era tão instantânea assim, a conversa entre os amigos no Orkut rolava através dos scraps, os famosos recadinhos – que podiam ir de cantadas até gifs animados ou um pedido de amizade, uma vez que tinha muita gente que obedecia à regra de “soh add com scrap” (traduzindo para os dias de hoje: só adicionar com um scrap). Para não falar numa galera que tinha outra lei muito pessoal: “Leio, respondo e apago”, sempre avisada de jeitos muito originais. Não é?

respondo-e-apago

Os perfis pessoais organizados

A foto quase sempre pouco importava, mas ter um texto caprichado no seu perfil era imprescindível para ser uma pessoa legal no Orkut. “Quem se define se limita”, diziam as recalcadas, mas tinha gente que apostava em citações de poemas (quase sempre atribuídas a Clarice Lispector) ou em crônicas bem construídas para falar sobre si mesmo. Isso para não falar nas invasões, quando um amigo roubava a sua senha e deixava um recadinho mostrando para os outros quem você era de verdade – carinhosamente, é claro. Havia até briga entre amigos para ver quem conseguia invadir o perfil mais vezes. Se você não lembra disso, aqui tem vários exemplos de como eram as invasões.

orkutperfil590

A sorte do dia

Às vezes, parecia que o Orkut era 2 em 1: junto com a rede social, você ganhava de graça um conselheiro anônimo na sua tela de entrada. Era a “sorte do dia”, que tinha palavras edificantes dignas de um biscoitinho da sorte chinês. Mas de vez em quando esse conselheiro anônimo tirava férias, e o resultado era sempre engraçado.

sorte-do-dia

Radar de bisbilhoteiros

Essa servia para quem queria se sentir popular ou tinha mania de perseguição: em cima da sorte do dia, na tela de entrada, todo dia o orkut avisava quantas pessoas tinham visto sua perfil recentemente, e dava até os nomes dos curiosos – há quem até tenha começado namoros graças a essa ferramenta, mas também servia para lembrar que cada um tinha que cuidar um pouco da sua vida.

visualizações590

Todo mundo estava lá

Hoje o Facebook, o Twitter e o Instagram podem ter superado o Orkut na preferência dos internautas brasileiros, mas uma coisa é certa: se você navegou na web entre 2005 e 2011, você esteve lá – e também todos os seus amigos. Era um grande espaço de convivência, e, mais do que isso, a primeira interação social de muitos brasileiros na internet. E a primeira rede social a gente nunca esquece. Que tal ir lá para lembrar como era, hein?

orkutabre590

Leia Mais

Após dez anos, Google encerra atividade do Orkut nesta terça-feira

orkut-logo

Publicado no UOL

O Google vai encerrar, definitivamente, o Orkut nesta terça-feira (30) após dez anos de atividade. O anúncio do fim da rede foi feito em 30 de junho e, na ocasião, a companhia disse que vai se concentrar em outras plataformas sociais.

Para quem quer recuperar as informações contidas na rede social, o Orkut disponibilizou uma ferramenta chamada Takeout. Com ela, é possível guardar álbuns de fotos, scraps (recados) e depoimentos.

Histórico
Fundado pelo turco Orkut Büyükkökten, que trabalhava no time de engenharia do Google, o projeto da rede social fazia parte de uma iniciativa da gigante das buscas, que disponibilizava 20% do horário do expediente para funcionários trabalharem em um projeto novo.

Orkut Buyukkokten visitou o Brasil em 2005, no auge do sucesso da rede
Orkut Buyukkokten visitou o Brasil em 2005, no auge do sucesso da rede

A rede social fez sucesso, basicamente, em dois países: Brasil e Índia. Isso fez com que o Google em 2008 transferisse a responsabilidade pela plataforma entre os engenheiros do Google nessas duas localidades.

No Brasil, o Orkut foi por bastante tempo a rede mais acessada no país. Com a popularidade, também vieram os problemas. Em função da disseminação de pornografia infantil no site, em 2 de julho de 2008, o Google assinou um TAC (termo de ajustamento de conduta) com o MPF (Ministério Público Federal), comprometendo-se em cooperar com a Justiça para localizar infratores.

A primeira experiência de rede social do brasileiro foi escancarada no Orkut. Não faltavam conteúdos esquisitos postados por usuários. Houve até sites especializados em reunir esse tipo de conteúdo, como o “Pérolas do Orkut”.

Outro aspecto da rede social é que ela foi também palco de uma das primeiras webcelebridades brasileiras: Katilce Miranda. Após ser beijada por Bono Vox, do U2, durante um show de 2006, a carioca recebeu em sua área de scraps (recados) mais de 1 milhão de mensagens. A iniciativa ficou conhecida como “Chat da Katilce”.

Declínio
Em 2011, ano que marcou o início da queda da rede, o Orkut afirmou que não temia a ameaça do Facebook — então com 600 milhões de usuários no mundo (hoje o número de usuários ultrapassa 1 bilhão). Em setembro daquele ano, o Ibope confirmou que a rede social de Mark Zuckerberg havia passado a rede do Google em número de usuários no Brasil.

Além da popularização do Facebook, outra mudança que contribuiu para a queda do Orkut foi a o lançamento do Google+ em julho de 2011. No ano seguinte, a plataforma passaria a conectar os perfis do Orkut à rede, unificando postagens.

Oficialmente, o Google cita que Google+, YouTube e Blogger acabaram “canibalizando” o Orkut, na medida que não valia mais a pena manter a rede social idealizada pelo engenheiro turco.

“Foram dez anos inesquecíveis. Pedimos desculpas para aqueles que ainda utilizam o Orkut regularmente. Esperamos que vocês encontrem outras comunidades online para alimentar novas conversas e construir ainda mais conexões, na próxima década e muito além”, escreveu Paulo Golgher, diretor de engenharia do Google, em post sobre o fim do Orkut.

Leia Mais

Órfãos do Orkut rejeitam Facebook e migram para VK, rede social russa

Comunidade Sobreviventes do Orkut na VK, rede social russa
Comunidade Sobreviventes do Orkut na VK, rede social russa

Alexandre Orrico, na Folha de S.Paulo

Usuários que ainda movimentam comunidades do Orkut, resistentes à decadência da rede social que já foi a maior do Brasil, começam a escolher um novo serviço para onde possam migrar.

Escanteado pelo próprio Google, a infestação robôs de spam e o surgimento do G+ já eram um prévia do anúncio feito nesta semana : em setembro, o serviço que mais de 40 milhões de brasileiros reuniu em seus tempos áureos, fechará definitivamente as portas.

A pergunta nas comunidades sobre futebol, séries de TV e animações japonesas é uma só: para onde ir?

A VK, rede social com mais de 100 milhões de usuários ativos, é uma das respostas mais apontadas pelos órfãos. O serviço é a maior rede social da Europa e líder na Rússia, mas está disponível em várias línguas, incluindo o português.

“O número de inscrições do Brasil nos últimos dois dias aumentou em 2.000% e continua a crescer rapidamente” escreveu George Lobushkin, relações públicas da VK, em postagem no serviço russo.

A VK já tem quase 200 mil brasileiros e cerca de 20 comunidades em português –a maioria sobre futebol ou que fazem menção à condenada rede do Google, como a “Sobreviventes do Orkut”.

E O FACEBOOK?

“O Facebook não atende as necessidades dos usuários do Orkut”, diz Aluizio Hamann, 29, frequentador das comunidades “Futebol Alternativo” (7.389 membros) e “São Paulo FC Tricolor” (1.137.437 membros) no Orkut, ambas com dezenas de tópicos com novas postagens diárias.

“Insistimos no Orkut por causa do sistema de comunidades, que é bem superior ao esquema de grupos do Facebook”, diz Hamann. O Google+ é rejeitado pelo mesmo motivo.

“O VK é um meio-termo, não chega a ser tão bom quanto o Orkut, mas é a nossa melhor opção”, completa.

O Orkut ainda conta com cerca de 5 milhões de usuários no Brasil, segundo dados da consultoria Ibope Nielsen. Os usuários têm até o dia 30 de setembro para salvar todo o conteúdo do perfil.

Leia Mais

22 ‘orkutices’ que você já fez

n-ORKUT-large570

Nicoly França, no Brasil Post

A internet está de luto! Depois de 10 anos, o nosso amado Orkut tem o seu fim decretado. Já não é de hoje que a rede social “morreu”, mas quando tem data marcada para acabar de verdade, o choque é maior. O Google decidiu que a partir de hoje, já não será mais possível criar perfis e depois do dia 30 de setembro deste ano não existirá mais o domínio “Orkut.com”.

Corra fazer o seu backup daquelas suas fotos antigas, scraps e depoimentos. É até possível fazer isso de uma vez só, através da ferramenta Google Takeout, que permite fazer a cópia de dados de diversos serviços do Google, inclusive o Orkut, basta selecioná-lo no tópico Social (mais abaixo na página) e clicar no botão vermelho ”Criar arquivo”. Assim, o a ferramenta inicia a preparação dos arquivos e na sequência você pode fazer o download. Enquanto você espera o download terminar, veja as 22 orkutices que você já fez, enquanto era usuário dessa rede social maravilhosa e única:

#1 Começou depoimentos com “O que falar dessa pessoinha…”

#2 Checava quais de seus amigos eram seus fãs

#3 Quebrava a cabeça para escolher apenas 12 fotos para postar

#4 Deixou algum amigo preencher seu perfil com “Fulano invadindo aqui…”

#5 Comemorava ao aumentar número de scraps (depois a moda era apagar)

#6 Entrou na comunidade “A gente se fode, mas se diverte”

#7 Mandou depoimentos para não aceitar (e algumas pessoas aceitavam mesmo assim)

#8 Preencheu o perfil todo até a parte de “Gosto de animais de estimação”

#9 Criou uma comunidade para algum amigo “Amo/conheço/adoro/sou Fulano”

#10 Escreveu no perfil que “só add conhecidos com scrap”

#11 Começou a namorar e esperou o namorado (a) mudar o status para namorando

#12 Acreditou que era 90% sexy, 80% legal e 90% confiável

#13 Escreveu em [i]itálico[/i] e [b]negrito[/b]

#14 Colocou trecho de uma música do momento no “Quem sou eu”

#15 Mentiu a idade para poder acessar a conta, que era permitida para maiores de 18

#16 Comemorou quando recebeu o convite para criar a conta, e depois para o orkut novo, MUITO VIP

#17 Ficou se achando quando uma foto teve mais de 20 comentários

#18 Acreditou na sorte de hoje

#19 Recebeu ou enviou scraps dizendo “Retribuindo a visitinha”

#20 Desativou os visitantes recentes só pra poder fuçar todo mundo sem culpa

#21 Brincou no Buddy Poke

#22 Achava o N do orkut duvidoso

Vocês acreditam que já fizeram uma petição online para que o Google não encerre a rede social? Sempre existe uma esperança, #VAITERORKUT.

Publicado originalmente no Mas não me diga.

Leia Mais