Arquivo da tag: pastor

Que negócio é esse?

Ariovaldo Ramos, no Facebook

Mestre, você poderia orar pelo meu negócio? Perguntou o empresário

Não! Eu só tenho autorização para orar pelos negócios do Senhor Jesus. Respondeu o Mestre.

Mas, que negócio tem Jesus? Questionou o empresário.

Jesus tem, ou deveria ter, o negócio que você chama de seu. Disse o Mestre.

Como assim? Inquiriu o empresário.

Quando você entregou a vida para o Senhor, entregou tudo o que, até então, você entendia como seu. Logo, você não tem mais nada, Jesus é o Senhor de tudo, e tudo o que você pensava ser seu, agora, você administra para Jesus. Arrematou o Mestre.

E o que isso significa? argüiu o empresário.

Que esse negócio é, agora, plataforma para que a Palavra do Pai seja espalhada, como o barco de Simão, na primeira pesca maravilhosa, serviu de púlpito para Jesus. Que esse negócio é para que haja mantimento para os irmãos, porque quem ora: o pão nosso de cada dia, se oferece para ser uma das padarias de Deus, para o sustento de todos. Que esse negócio é meio de Deus investir na expansão do seu reino, e de garantir, por meio da geração de emprego, a sobrevivência das pessoas, de modo geral. Que você tem de fazer do jeito de Jesus, como Simão, depois de uma noite de trabalho infrutífero, contra toda a experiência e evidência, levou o barco para onde Jesus orientou e jogou a rede por obediência a Jesus.

Reuniões religiosas perdem espaço e pastor símbolo da era Dunga fica fora da seleção

No comando da seleção, Mano Menezes procurou restringir reuniões religiosas na concentração
No comando da seleção, Mano Menezes procurou restringir reuniões religiosas na concentração

Carlos Padeiro, no UOL

Conhecido no ambiente da seleção brasileira de futebol há pelo menos dez anos, o pastor Anselmo Alves não viajará para a Olimpíada de Londres. Segundo o religioso, que ficou marcado principalmente no período de Dunga como treinador, sua entrada no hotel do Brasil não é mais liberada.

“Não tenho mais a permissão de fazer trabalhos aí [na seleção] e nenhum atleta me convidou. Então vou ficar por aqui mesmo”, revelou o pastor, que vive em Curitiba, por telefone. Essa é a primeira vez que ele fica ausente de um grande torneio desde 2002.

Já a CBF informou que não proíbe a entrada de ninguém na concentração durante a viagem pelo Reino Unido. Na última terça-feira, por exemplo, familiares do volante Sandro estiveram no hotel em St. Albans, conversaram com boa parte do elenco e tiraram fotos.

Quando assumiu o cargo de técnico da seleção, Mano Menezes avisou que não aprovaria reuniões religiosas na concentração. Mesmo assim, o pastor Anselmo esteve na Argentina na Copa América de 2011, a convite do capitão Lúcio. O zagueiro era o último remanescente da turma próxima ao evangélico e o conhecia desde o Mundial de 2002, na conquista do penta.

Para seguir a recomendação de Mano, Lúcio conversou e rezou com o pastor no restaurante do hotel argentino, ou seja, um local público. O beque de 34 bancava as viagens de seu amigo, e outros atletas passaram a ajudá-lo.

“Não é só um suporte espiritual, mas sim emocional, psicológico, de problemas familiares”, comentou Anselmo, sobre o apoio que oferece.

Os encontros religiosos no ambiente da equipe nacional viraram um tema polêmico durante a era Dunga, que tinha no seu auxiliar Jorginho um dos maiores expoentes. Os pastores tinham livre acesso aos bastidores. Existia um espaço reservado só para isso, e mesmo jogadores que não eram evangélicos participavam.

foto: Mowa Sports

Ex-mulher acusa pastor Marcos Pereira, da Assembléia de Deus dos Últimos Dias, de estupro

O pastor Marcos Pereira é acusado pela ex-mulher de estupro, em depimento na Delegacia de Combate às Drogas (Dcod)
O pastor Marcos Pereira é acusado pela ex-mulher de estupro, em depimento na Delegacia de Combate às Drogas (Dcod)

Paolla Serra, no Extra

A ex-mulher do pastor Marcos Pereira da Silva acusa o líder da Assembleia de Deus dos Últimos Dias de estupro. No depoimento que deu à Delegacia de Combate às Drogas (Dcod), no último dia 9, Ana Madureira da Silva, de 58 anos, conta que morou com o religioso até 1998 e que, numa ocasião, ele “entrou em casa, trancou as portas e fez sexo à força” com ela. O documento consta no inquérito que apura as acusaçõs do coordenador do Afroreggae José Junior contra Marcos Pereira.

De acordo com o depoimento, Ana Madureira conta que os dois se casaram em 1989, quando ainda não eram evangélicos. Cinco anos depois, Marcos passou a frequentar cultos e criou um “ponto de pregação” em casa, onde eram realizados cultos às segundas-feiras. Antes do abuso sexual acontecer, Ana Madureira teria tido, segundo ela, “uma visão do Anjo do Senhor que avisava que o pastor Marcos iria estuprá-la para que engravidasse” e, posteriormente, lhe acusasse de adultério. Eles têm dois filhos juntos.

Procurado pelo EXTRA, a ex-mulher do pastor Marcos Pereira não quis comentar as informações que deu à polícia. O líder da Assembléia de Deus dos Últimos Dias também não quis comentar as acusações. Seu advogado, Sérgio Júnior, informou que ainda não teve acesso aos autos e as acusaçõs da ex-mulher são difamantes:

- A Justiça será feita e a inocência do meu cliente será provada. A verdade é a vida, Aleluia!

A delegada Valéria Aragão, titular da Dcod, informou que, embora crimes sexuais não façam parte da sua investigação, ela está encaminhando os depoimentos com essas acusações para as Delegacias de Atendimento à Mulher (Deam). O foco do inquérito é apurar o suposto envolvimento do pastor com tráfico de drogas, associação para o tráfico e lavagem de dinheiro.

- Em nenhum dos depoimentos, as testemunhas falam em violência, ameaça, coação, apenas em sedução. Todos há cerca de oito anos atrás – explica

Foto: Fabiano Rocha / Extra

Homens de Deus não devem se casar com mulheres mais velhas ou de raça diferente, segundo bispo Edir Macedo

“O rapaz que deseja fazer a Obra de Deus não deve se casar com uma moça que tenha idade superior à dele”,  diz Edir Macedo em seu artigo publicado no site Arca Universal.

Tiago Chagas, no Gospel+

Relacionamentos e as diferenças entre homem e mulher, idade, raça e a complexidade que os envolve foram tema de um artigo do bispo Edir Macedo para a sessão de comportamento do site da Igreja Universal do Reino de Deus.

O texto trata das diferenças de idade e raça entre homem e mulher, e dá recomendações explícitas sobre o que deve ou não ser feito quando o assunto é casamento. Macedo afirma que “o rapaz que deseja fazer a obra de Deus não deve se casar com uma moça que tenha idade superior à dele [...]para não se deixar influenciar por ela”. O líder da Universal abre exceções para homens “suficientemente” maduros, mas ressalta que essa “diferença não deve ultrapassar dois anos”.

“Muitas pessoas não gostam quando fazemos estas colocações”, afirma Macedo. Entre os argumentos usados pelo bispo para justificar sua postura, estão a possibilidade de traição quando a esposa envelhecer ou a probabilidade de ela tornar-se “mandona” com o passar do tempo: “Para evitar este ou outros transtornos, oriundos da diferença de idade (a do marido inferior à da esposa), é preferível que não haja qualquer compromisso de casamento”.

Sobre a diferença de raça e cor, Macedo é enfático ao afirmar que “não haveria nenhum problema para o homem de Deus se casar com uma mulher de raça diferente da dele, não fossem os problemas da discriminação que seus filhos poderão enfrentar nas sociedades racistas deste mundo louco”, e justifica sob o argumento de missões: “os pais não terão como evitar que aconteçam rejeições ou críticas por parte dos coleguinhas nas escolas nos países onde eles poderão estar pregando o Evangelho”.

O bispo Edir Macedo afirma que não tem opinião pessoal contrária à miscigenação, mas que a orientação para que os fiéis procurem esposas de sua raça visa uma melhor aceitação por sociedades estrangeiras, que não estão acostumadas com a realidade brasileira.

A igreja, diz o bispo, busca “alertar sobre esta situação não porque tenha qualquer objeção quanto ao casamento envolvendo mistura de raça ou cor. Não, muito pelo contrário! Temos vários homens de Deus casados com mulheres de raças diferentes. Não teríamos absolutamente nada a comentar a este respeito, mas temos visto este tipo de problema acontecendo com as crianças dentro das nossas igrejas, em outros países”, justifica-se.

Confira abaixo a íntegra do artigo “Homem de Deus quanto à idade e à raça”, do bispo Edir Macedo, para o site Arca Universal:

O rapaz que deseja fazer a Obra de Deus não deve se casar com uma moça que tenha idade superior à dele, salvo algumas exceções, como por exemplo aquele que é suficientemente maduro e experiente na vida para não se deixar influenciar por ela. Mesmo assim, a diferença não deve ultrapassar dois anos.

Muitas pessoas não gostam quando fazemos estas colocações; entretanto, temos visto que quando a mulher tem idade superior à do seu marido, ela, que por natureza já tem o instinto de ser ‘mandona”, acaba por se colocar no lugar da mãe do marido.

E o pior não é isto. A mulher normalmente envelhece mais cedo que o homem, e quando ela chega à meia-idade, o marido, por sua vez, está maduro mas não tão envelhecido quanto ela. E a experiência tem mostrado que é muito mais difícil, mas não impossível, manter a fidelidade conjugal.

Para evitar este ou outros transtornos, oriundos da diferença de idade (a do marido inferior à da esposa), é preferível que não haja qualquer compromisso de casamento. Devemos crer que Deus tem reservado para cada servo uma serva, de acordo com as suas aspirações, que por sua vez vão ao encontro das aspirações dela.

Por esta razão, não é bom que o rapaz se afobe e se case com a primeira que aparecer, só porque quer fazer a Obra de Deus e precisa de uma esposa. Não! Se ele não confia que Deus irá lhe suprir com a sua outra metade, como vai confiar que Ele fará a Sua Obra por seu intermédio?

Quanto à raça

Não haveria nenhum problema para o homem de Deus se casar com uma mulher de raça diferente da dele, não fossem os problemas da discriminação que seus filhos poderão enfrentar nas sociedades racistas deste mundo louco.

É preciso que ambos estejam conscientes quanto aos riscos de traumas ou complexos que as crianças poderão absorver durante os períodos escolares, e, a partir daí, carregarem-nos por toda a vida.

Infelizmente, os pais não terão como evitar que aconteçam rejeições ou críticas por parte dos coleguinhas nas escolas nos países onde eles poderão estar pregando o Evangelho.

O homem de Deus precisa estar sempre preparado para servir a Deus onde quer que Ele assim determine, e, assim, nem sempre estará em um país onde não haja esse tipo de situação. Portanto, é necessário que o casal examine também esta questão, antes de qualquer compromisso mais sério.

O homem de Deus não pode simplesmente dizer: “Ela tem o Espírito de Deus e eu também. Nós nos amamos e vamos nos casar”. Não! Não deve ser apenas isto! Ele tem o futuro totalmente comprometido com uma missão de extrema importância, e não pode ser limitado. É preciso que haja uma avaliação esmerada quanto aos passos no presente.

Procuramos alertar sobre esta situação não porque a Igreja Universal do Reino de Deus tenha qualquer objeção quanto ao casamento envolvendo mistura de raça ou cor. Não, muito pelo contrário!

Temos vários homens de Deus casados com mulheres de raças diferentes. Não teríamos absolutamente nada a comentar a este respeito, mas temos visto este tipo de problema acontecendo com as crianças dentro das nossas igrejas, em outros países.

Procuramos, portanto, trazer à baila esta situação a fim de evitarmos transtornos no futuro do homem de Deus e na obra que está reservada para ele.