Arquivo da tag: pastor

Governador do Acre diz que oração feita por apóstola fez com que as águas do Rio Madeira baixassem

cidade-destaqueMarcos Vinicius, no ac24horas

O governador Sebastião Viana se emocionou no Palco onde aconteceria o show principal da banda Som e Louvor na noite deste sábado (10), pós a Marcha para Jesus, ato evangélico onde cerca de 25 mil pessoas percorreram a principal Avenida do Segundo Distrito de Rio Branco, a Via Chico Mendes, rumo ao Estacionamento do Estádio Arena da Floresta.

Em seu “testemunho”, como ele mesmo fez questão de frisar, perante o prefeito Marcus Viana, os deputados Jamyl Asfury e Perpétua Almeida, e a Apóstola  no Acre, Dayse Costa, viúva do apóstolo Afif Arão, Sebastião afirmou que graças a uma oração da Líder da Igreja Renovada no Acre, que foi visitá-lo em seu gabinete, as águas do Madeira começaram a baixar.

O TESTEMUNHO:

“Eu estou emocionado. Recentemente a apóstola Dayse me fez uma visita ao meu gabinete foi levar oração da Igreja da Visão Celular ao meu governo, na hora mais difícil da história do Acre, era a hora em que o Rio Madeira alagou a BR e virou mar. A maior tragédia da Amazônia estava ocorrendo há mais de 60 dias e todas as forças já tinham sido usadas para superar aquele momento, mas o rio continuava subindo todos os dias e ali chegou apóstola Dayse, parecia uma pessoa normal, amiga onde construí uma amizade, com o pastor Arão, e com muitos pastores. E ela chegou ali com a autoridade religiosa, na sua autoridade de Igreja e disse: governador, eu quero fazer uma oração ao senhor, ao seu governo , ao Marcus Alexandre, a esse momento difícil do Acre e vi lhe dizer que nos estamos intercedendo a Jesus e água do Rio Madeira vai baixar. Parecia impossível naquele momento, mas no outro dia meus amigos, as aguas do Madeiras começaram a diminuir”, disse Sebastião, que logo após foi aplaudido pela multidão.

Ainda no evento, o governador aproveitou para anunciar que de hoje em diante a Marcha Para Jesus faz parte do Calendário Oficial Religioso do “Governo do Povo do Acre”.

dica do Thiago Gonçalves

Por dar entrevista à Playboy, Feliciano pode perder o título de pastor

logo-da-playboy_429396Daniela Lima, na Folha de S.Paulo

A Convenção Fraternal das Assembleias de Deus no Estado de São Paulo (Confradesp) pode cassar o título de pastor do deputado Marco Feliciano (PSC-SP) por ele ter dado uma entrevista à revista “Playboy”, cujo carro-chefe é a publicação de fotos de mulheres nuas.

Ontem, a entidade que reúne oito mil pastores do Ministério do Belém no Estado decidiu abrir uma apuração contra Feliciano em seu conselho de ética. O procedimento pode levar a desde uma advertência até o “descredenciamento pastoral” do deputado. Ou seja, a cassação do título de pastor.

A entrevista, publicada em abril, tem oito páginas. À publicação, Feliciano confessou ter usado cocaína na adolescência e disse sonhar com a Presidência. Ele também falou sobre sexo anal.

“Com certeza tem homens que têm tara por ânus, sim. Não entendo muito dessa área porque nunca fiz, graças a Deus, e espero nunca fazer, porque parece que quem faz não volta mais”, avaliou.

À Folha, o chefe de gabinete de Feliciano, Talma Bauer, disse que ele não falaria sobre o caso porque ainda não havia sido notificado, mas que considerava normal um “pedido de explicações”.

Bauer diz que a entrevista foi um “direito de resposta” concedido pela revista ao deputado, que se sentiu ofendido pelo modo como um humorista se referiu a ele na ‘Playboy’.

Membro da direção da Confradesp, o pastor Lelis Washington diz que o problema não está no conteúdo das declarações de Feliciano. “Deixando de analisar a entrevista, não é essa literatura que recomendamos aos fiéis.”

Pressionado na Band, R.R. Soares pede dinheiro a fiéis

Missionário e bispo R. R. Soares, pastor da igreja evangélica neopentecostal Igreja Internacional da Graça de Deus (foto: Fernando Donasci/Folhapress)

Missionário e bispo R. R. Soares, pastor da igreja evangélica neopentecostal Igreja Internacional da Graça de Deus (foto: Fernando Donasci/Folhapress)

Ricardo Feltrin, no UOL

Todo ano é a mesma coisa. A renovação de contrato entre a Band e a Igreja Internacional da Graça, do pastor R.R. Soares, se torna um verdadeiro padecimento de Jó. Ano após ano, a emissora exige cada vez mais dinheiro do pastor, já que ele ocupa uma hora no horário nobre. É a única TV aberta que vende o “crème de la crème brûlée” de seu horário nobre

A Band ou a igreja nunca divulgaram valores, mas estima-se que o contrato esteja entre R$ 8 milhões e R$ 12 milhões mensais (há quem diga que não passa de R$ 2 milhões, mas isso significaria que a Band está vendendo cada minuto de sua grade por pouco mais de R$ 1000, o que é altamente improvável).

Soares representaria, caso esse número esteja correto, até 15% do faturamento anual da Band (R$ 600 milhões). Como ocorre em todos sempre na época da “penitência de Jó”, a TV da família Saad mais uma vez fez exigências para renovar o contrato da igreja em 2014. Por “novas exigências” entenda-se “aumento no “cachê” recebido.

Escaldado com anos e anos de ameaças de não renovação caso não aceitasse as, digamos, exigências, este ano o missionário Soares começou cedo uma campanha destinada a reforçar o caixa da igreja e garantir o espaço comprado na Band. A campanha tem sido exibida exaustivamente em seu programa, e na internet, no site da igreja e do missionário, que tem quase 1 milhão de seguidores no Facebook e no Twitter.

A campanha pede que o fiel ajude “a espalhar a boa nova” por todo o mundo. A Igreja de Soares, que é cunhado de Edir Macedo, está hoje em quase 100 países em todo o mundo, seja por meio de rádios ou TVs ou sites (www.ongrace.com).

Ele não cita nominalmente a Band, mas a campanha estourou bem no mês em que o contrato vence (abril).

Em suas pregações diárias, o pastor também sempre abre um espaço para pedir doações a uma conta que a igreja mantém em um banco. Comparativamente, ele pede menos dinheiro que os pastores da Igreja Universal, que nos últimos anos parece que transformaram as doações no assunto principal das pregações.

Doe! Ajude! Colabore! Pague! Os verbos são diferentes, mas o pedido é sempre o mesmo.

Nos últimos dois anos a Igreja Internacional da Graça renovou contrato com a Band praticamente em cima da hora. Os contratos quase sempre têm validade de apenas um ano. Assim a emissora pode exigir aumentos de remessas de seu parceiro anualmente.

Muitos executivos da Band já defenderam a saída de Romildo Soares e sua igreja, ou pelo menos que mudasse de horário. O problema é que o evangélico entra no ar exatamente depois do “Jornal da Band”, no momento em que a emissora atinge um de seus picos de ibope em dias úteis (seis pontos, cada ponto vale por 65 mil casas sintonizadas na Grande São Paulo). Quando Soares começa a pregar, esse ibope cai quase que imediatamente para zero (traço).

Por isso, parte dos diretores da Band (especialmente os de núcleo artístico) gostariam que o pastor saísse do horário nobre. O problema maior é que, sem ele, o faturamento da casa cai e a Band prefere faturar e perder ibope, do que ganhar ibope e não faturar ou faturar bem menos com comerciais que conseguisse vender no horário.

Bruno Fernandes recebe visita do goleiro Fábio, do Cruzeiro

 

20140422233851304164e

Publicado em O Estado de Minas

“Uma visita apenas para falar de Deus”. Assim justificou o goleiro Fábio, do Cruzeiro, ao revelar que foi até a Penitenciária Nelson Hungria, na Grande BH, para visitar o ex-goleiro Bruno Fernandes, condenado a 22 anos e três meses de prisão pela morte da ex-amante Eliza Samudio. O encontro aconteceu no último dia 14 e foi revelado pelo atleta celeste nesta terça-feira, em entrevista à rádio Itatiaia.

Membro da Igreja Batista Getsêmani, Fábio foi à penitenciária acompanhado do Pastor Jorge Linhares. Sobre o encontro com o antigo rival dos gramados, o arqueiro celeste disse que eles não falaram sobre esporte. “Fizemos orações e não falamos sobre futebol”. Ainda segundo Fábio, há muito tempo ele queria ter feito esta visita. Participou ainda do encontro uma mulher que trabalha na Nelson Hungria e que frequenta a mesma igreja do camisa 1 celeste.

Fábio também comentou sobre a expectativa do ex-goleiro sobre a decisão judicial que pode permitir a transferência dele para Montes Claros, no Norte de Minas, e o possível retorno aos gramados, já que Bruno assinou contrato de cinco anos com uma equipe do município. “Ele está tranquilo. Está bem e, principalmente, buscando a Deus”, revelou o goleiro do Cruzeiro.

Para o advogado do ex-atleta, Tiago Lemoir, a visitia de Fábio a Bruno foi um “encontro espiritual”. “Foi um momento de muita emoção, de fé, em que Fábio chegou a pedir perdão pelas vezes que julgou Bruno. Deus, a família e o trabalho são os três pilares que contribuem de forma fundamental na ressocialização do preso”, afirmou o advogado.

dica do Thiago Morais

 

Pastor Everaldo tenta sair das sombras e vai disputar Presidência

Pastor Everaldo será candidato (foto: Givaldo Barbosa / O Globo)

Pastor Everaldo será candidato (foto: Givaldo Barbosa / O Globo)

Paulo Celso Pereira, em O Globo

Ele entrou na política pelas mãos de Leonel Brizola, trabalhou na costura do apoio de evangélicos ao pedetista e a Lula em 1989, foi um colaborador próximo da ex-senadora Benedita da Silva (PT), integrou o núcleo de governo de Anthony Garotinho (PR), apoiou a eleição de Sérgio Cabral (PMDB) e, em 2010, surpreendeu ao levar o PSC a apoiar a presidente Dilma, após garantir que ficaria com José Serra. Após 25 anos nos bastidores, Pastor Everaldo (PSC) sacramentou este ano sua candidatura à Presidência. E já é motivo de preocupação na cúpula do PT, que teme um desempenho capaz de levar a disputa ao segundo turno.

Ligado aos mais conservadores da Câmara, como Jair Bolsonaro (PP-RJ) e pastor Marcos [sic] Feliciano (PSC-SP), Everaldo tem relação estreita com Eduardo Cunha (RJ), líder do PMDB. Na pesquisa Ibope feita há duas semanas, teve 3% das intenções de voto; e, no Datafolha, 2%, o quarto lugar.

PSC, que tinha 1 deputado em 2003, elegeu 17 em 2010

Apesar de ser desconhecido do público, na pesquisa Ibope Pastor Everaldo foi melhor que o senador Randolfe Rodrigues (PSOL), que obteve 1% das intenções de voto. A explicação no meio político é simples. Everaldo acrescentou o “pastor” ao seu nome político, o que atrairia os votos de muitos evangélicos. Segundo o IBGE, 22% da população se declarou evangélica em 2010; e, apesar de ele negar, é este o foco de sua campanha. Segundo seus mais próximos aliados, suas reuniões políticas são marcadas pela defesa da “vida” e da “família”. Na prática, seus alvos são o aborto e o casamento gay, que preocupam especialmente a parte mais religiosa da população. Ele escolheu mais duas frentes para amplificar suas críticas para além da pauta religiosa: o aparelhamento da máquina federal por petistas e o perfil “estatizante” do governo.

— A gente pode notar o verdadeiro aparelhamento do Estado pelo PT. Algumas pessoas colocadas no governo representavam princípios que a comunidade cristã não aceita. A presidente tinha assumido o compromisso de não defender causas contrárias à comunidade cristã. Ela cumpriu, mas colocou (no Ministério) pessoas que dão vazão ao pensamento dela. Aí veio a ministra abortista, outro que fez o kit gay — ataca Everaldo.

Pastor Everaldo deixa claro que vetaria iniciativas de legalização do aborto ou do casamento entre pessoas do mesmo sexo. Por conta desta pauta e por não ter cargos no governo do presidente Lula, relutou em levar o PSC a apoiar o PT nas eleições de 2010. Em maio daquele ano, fechou apoio à candidatura de José Serra (PSDB). O acordo foi mantido até o último dia do prazo para formalizar na Justiça Eleitoral a aliança. Eis que então, após se reunir com o vice-presidente Michel Temer (PMDB) e integrantes do governo, ele capitulou.

Integrantes do PSC dizem que a mudança teria ocorrido pelo fato de Everaldo ter ido a São Paulo e não ter sido recebido por Serra. Outros ex-aliados, porém, dizem que o motivo foi a promessa de ajuda financeira durante a campanha eleitoral. Na declaração do PT à Justiça Eleitoral, consta a remessa de R$ 4,7 milhões para o partido aliado. Reservadamente, integrantes do PSC minimizam e dizem que os recursos foram para produzir material de campanha a favor da presidente Dilma.

Pastor da Assembleia de Deus em Madureira, chefiada pelo Bispo Manoel Ferreira, Everaldo ganhou fama no meio político por ser considerado pragmático, organizado e tenaz. Ele se filiou ao PSC em 2003. No ano anterior, o partido só tinha elegido um deputado federal. Em 2006, já sob seu comando, foram nove; e, em 2010, 17. A meta para este ano é ter perto de 25 eleitos.

dica do Ailsom Heringer