25 anos após disputa entre Lula e Collor, votar no PT é quase secreto

charge: Maringoni
charge: Maringoni

Fernando Rodrigues, na Folha de S.Paulo

A única certeza sobre a atual corrida presidencial é a volatilidade nesta reta final entre Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB). Estará dando apenas uma opinião pessoal quem disser ter certeza sobre qual dos dois candidatos sairá vencedor no domingo, dia 26.

Mas, no meio de tanta incerteza, há um dado cristalizado a respeito do maior partido de esquerda do Brasil, o PT. Basta comparar as pesquisas Datafolha de hoje, a poucos dias do segundo turno, com o que se passou nesta mesma época em 1989.

Assim como agora, o candidato a presidente pelo PT há 25 anos, Luiz Inácio Lula da Silva, estava colado ao seu adversário, Fernando Collor de Mello (então no PRN; hoje no PTB). Havia muitas dúvidas sobre quem poderia vencer aquela disputa.

A diferença entre 2014 e 1989 é que um quarto de século atrás quase todos os descolados votavam no PT. Só que esse eleitorado era muito concentrado. Lula estava à frente de Collor com folga apenas em uma região, o Sudeste. O PT perdia feio no Nordeste. Hoje, essa situação se inverteu de forma radical.

Há outro fator curioso instalado na política nacional. Em São Paulo, em 1989, havia um certo orgulho petista ao declarar voto. Era “cool”. Agora, para alguns, é algo quase secreto. Diferentemente do Nordeste, região na qual o petismo adquiriu status próximo ao de uma religião.

Depois de ter governado o país 12 anos, as políticas sociais do PT são ao mesmo tempo o seu maior sucesso e o maior fracasso. É uma vitória porque a sigla chegou ao governo e implantou parte das propostas que defendia desde sempre –de buscar formas de reduzir a assimetria existente entre ricos e pobres no Brasil. Mas trata-se de uma derrota por ter resultado também numa divisão política perversa num país ainda tão longe do desenvolvimento sustentável.

Ganhe quem for, o próximo presidente terá a duríssima missão de unificar um pouco mais a nação.

Leia Mais

Não há nada de errado com o rosto de Renée Zellweger, mas algo de errado conosco

zell

Jennifer Gerson Uffalussi, no The Guardian [via F5]

Ser mulher e celebridade é perder sempre. Você ousa envelhecer? Passará vergonha por seu rosto, na melhor das hipóteses; na pior, ficará sem trabalho. A escolha é uma cirurgia plástica perceptível, no rosto, para combater o envelhecimento? Na melhor das hipóteses você será alvo de zombaria pelo narcisismo; na pior, ficará sem trabalho, uma vez mais. A evolução continuada de nossa obsessão por pessoas famosas resultou em um estranho fenômeno: os corpos de completos desconhecidos são considerados propriedade pública coletiva, a ser casualmente avaliada, criticada e… descartada.

Por mais perturbador que possa ser contemplar a eventual transformação de uma figura pública diante de nossos olhos, é ainda mais perturbador perceber nossa pressa em dizer alguma coisa sobre aquela transformação.

“Onde foi parar o rosto de Renée Zellweger?”

Fazer uma pergunta como essa, como tantos de nós fizemos na terça-feira (21), é cortar em todas as direções, fazendo do corpo da mulher mercadoria no momento mesmo em que aparentemente se procura defendê-la.

O que Zellweger fez para merecer essa forma de reação automática? Ela compareceu ao evento “Mulheres em Hollywood”, da revista “Elle”, na noite de segunda-feira (20) —o que seria exatamente a espécie de coisa que deveríamos esperar que uma mulher de Hollywood fizesse, especialmente porque a ocasião marcava seu primeiro trabalho no cinema em cinco anos. Mas ao que parece ninguém ficou feliz por vê-la de novo. Em lugar disso, na manhã de terça-feira, os guardiões dos portais da mídia —entre os quais muitas mulheres— expressaram repulsa diante da aparência do rosto de Zellweger, que parecia acentuadamente diferente desde sua última aparição memorável no tapete vermelho, que aconteceu cinco anos atrás. O burburinho foi ruidoso e universal —o que, exata e infelizmente, é o tipo de coisa que uma mulher de Hollywood aprendeu a esperar a cada vez que altera alguma coisa em sua aparência.

De blogs de moda à CNN, o horror e a repulsa eram palpáveis: que espécie de monstro é esse, o mundo parecia questionar, capaz de trocar de pele com tamanha facilidade, para evitar o envelhecimento ou a morte, ou no mínimo a morte de sua carreira, ao se transformar em pessoa completamente diferente? Os resmungadores oficiais da Internet começaram a lastimar sobre a semelhança entre Zellweger e Jennifer “ninguém deixa nenê de lado” Grey, infame por aparar o nariz e, com isso —como se em uma história de terror— supostamente jamais ter voltado a trabalhar.

Mas um clichê era notável pela ausência, no coro grego de críticas e lamentações sobre a aparência física de Zellweger. Apesar de todas as expressões de pesar e todas as críticas horríveis dirigidas a ela, praticamente ninguém apontou que o público não sente ter direito apenas a comentar livremente sobre os corpos e rostos de celebridades. Não, esse mesmo público que aparentemente acredita que Zellweger tenha feito algo de inominável contra seu principal patrimônio (o talento como atriz, aparentemente, não conta) também está sempre ocupado lançando exclamações ruidosas de pesar quando alguma mulher ousa permitir que uma ruga, um vislumbre de celulite ou músculos abdominais corajosamente não tonificados maculem sua aparência.

(Estranho que ninguém mencione que mesmo a lendária Jennifer Grey só tenha optado por fazer uma plástica depois de chegar aos 30 anos, a mesma idade em que as mulheres de Hollywood que “Elle” estava homenageando na segunda-feira começam a encontrar dificuldade para obter trabalhos expressivos.)

E as mulheres famosas que ousam envelhecer —com muita beleza— são incessantemente glorificadas como possuidoras de um talento tão excepcional —tão perfeito— que lhes permite transcender a decadência de sua forma física.

Costumamos sempre dizer que Meryl Streep continua a trabalhar e a acumular prêmios, sorrindo respeitosamente sempre que uma atriz mais jovem anuncia que seu maior sonho é contracenar com ela. E Jessica Lange, claro, é a nova face da grife Marc Jacobs, proferimos, orgulhosos de nossos padrões de beleza progressistas e subversivos. Permitimo-nos algumas exceções excepcionais —se elas forem bonitas o bastante e se pudermos acreditar que jamais se humilhariam com uma visita a um profissional de medicina.

Esperamos que as celebridades mulheres tenham literalmente tudo: beleza, juventude, talento, humildade e um desdém consciencioso pela influência da aparência sobre sua capacidade de praticar sua arte, a menos, é claro, que essa aparência esteja a serviço da arte. Pobre da mulher ousada a ponto de contrariar essas expectativas ao se deixar ver em público depois de certa idade —com ou sem ajuda da comunidade médica.

Pobrezinha da Renée Zellweger, dizemos, pois ela supostamente deveria saber quando uma mulher famosa já não satisfaz nossos padrões de beleza inatingível e descomplicada. Poupe-nos de ver, nós exigimos, aquilo que nossa hipocrisia causa aos nossos ídolos demasiadamente humanos.

tradução: Paulo Migliacci

Leia Mais

15 sabores de Kit Kat que você nem imaginava que existiam

publicado na VEJASP

O Kit Kat, o chocolate ao leite com biscoito da Nestlé, é extremamente popular mundo afora — disso, não há dúvidas. Agora, você sabia que existem mais de 200 sabores do doce à venda no Japão, entre opções curiosas, estranhas e completamente bizarras?

O site Buzzfeed fez o favor de lembrar que os costumes orientais são bem diferentes dos nossos. Em um vídeo divertidíssimo, eles apresentaram para seus repórteres alguns dos sabores mais peculiares do chocolate. O resultado é hilário. Assista:

Inspirado nestas belas imagens de pessoas amando/odiando Kit Kat de wasabi, resolvemos fazer uma lista com 15 sabores de Kit Kat que você não sabia que existia. Preparados? Então vamos lá:

1) Wasabi – porque você já não gosta dessa raiz oriental quando ela encosta no seu sushi, imagina no seu doce predileto <3

WASABIIIII

2) Soja – e não, não é no sentido de que é mais saudável e feito para quem tem alergia a leite e derivados; é só porque eles são loucos mesmo

SOOOOJA

3) Sal da França – sabe lá o que isso significa. Salgado, provavelmente?

SALLLL-FRANCÊSSSS

4) Morango — de uma lista com 15 sabores, este é o mais comum

MOOOORANGO

5) Manga — não conseguimos nem imaginar o quão indigesto isso deve ser

MANGAAAAA

6) Maça — incrivelmente estranho e, aparentemente, delicoso

MAÇÃÃÃÃÃ

7) Laranja e Chocolate — não conseguimos imaginar como esse sabor não pode dar certo

LARANJA-E-CHOCOLAAATE

8) Flor de Cerejeira — é sério. Não perguntem. Será que eles foram no Parque do Carmo procurar inspiração para esse sabor?

FLOOR-DE-CEREJEIRA

9) Feijão Azuki — aquele feijão doce que você encontra em bolinhos deliciosos na Feira Liberdade. Eu experimentaria, e vocês?

FEIJÃÃÃÃO-AZUKI

10) Cheesecake de Morango — que pessoa em sã consciência mexe com a integridade sagrada de uma cheesecake de morango? Apenas não.

CHEEESECAKE

11) Chá — esta bebida oriental tem um nome típico que não vale a pena ser mencionado (porque nós não lembramos)

CHÁÁÁÁÁ

12) Chá Verde – vamos levar em consideração que este chocolate pode ser… mais saudável? Afinal, ele é verde

CHÁÁÁÁ-VERDE

13) Banana — banana e chocolate? Não há nada de estranho para se ver por aqui, pessoal. Prosseguindo

BANAAAAANA

14) Chessecake de Abóbora — perfeito para o Halloween

ABOOOOBORA

15) Abacaxi — nem experimentei, mas a acidez já atacou o meu estômago

ABACAXIIIIII

Os sabores japoneses são praticamente uma grande brincadeira de pera, uva, maça e salada mista! Imagina o sabor de um Kit Kat de abacaxi. A acidez da fruta me atingiu e eu nem estou comendo o doce!

Leia Mais

Colgate faz recall de enxaguante bucal por risco de infecção respiratória

enxaguatorio-bucal-colgate-periogard-alvo-de-recall-anunciado-pela-empresa-em-outubro-1413979598112_615x470

Publicado no UOL

A Colgate-Palmolive está promovendo um recall de alguns lotes do enxaguante bucal Colgate PerioGard.

Segundo a empresa, os produtos têm presença bacteriana acima dos limites permitidos, e sua inalação pode prejudicar as pessoas que têm o sistema imunológico debilitado, que podem ficar mais suscetíveis a infecções respiratórias.

O produto alvo de recall é o Colgate PerioGard sem Álcool Solução Bucal de 250 ml, fabricado entre 21 e 26 de fevereiro de 2014. Os lotes envolvidos nesse recolhimento são os seguintes:

(L) 4053BR122C
(L) 4054BR121C
(L) 4054BR122C
(L) 4055BR122C
(L) 4056BR122C
(L) 4057BR121C
(L) 4057BR122C

O número do lote está localizado no frasco do produto, e não na caixa.

“A utilização do produto dentro dos parâmetros e indicações descritas em sua embalagem não apresenta riscos ao consumidor, mas a inalação acidental desse produto pode ser prejudicial para pessoas com sistema imunológico severamente debilitado, que podem estar mais suscetíveis a infecções respiratórias”, diz a Colgate-Palmolive, em comunicado.

Consumidor deve contatar a empresa
Quem comprou o produto deve guardar o frasco e entrar em contato com a empresa para pedir a troca, que é gratuita.

O telefone da Central de Atendimento da empresa é o 0800-703-9366, e o atendimento é feito de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h às 17h.

Leia Mais

Site lista 13 coisas que pessoas de sucesso fazem nos últimos 10 minutos do expediente

organizar-dia-trabalho

Publicado no Extra

Muitos profissionais passam os últimos minutos do expediente olhando para o relógio, contando os segundos até a “liberdade”. Outras pessoas trabalham duro até os últimos instantes e, quando o ponteiro marca a hora de partir, pegam as coisas e vão embora, sem nem se despedir dos colegas. Segundo o site “Business Insider”, se esses hábitos fazem parte da rotina de um funcionário, está na hora de uma reavaliação.

De acordo com os especialistas ouvidos pelo site, os profissionais bem-sucedidos têm uma série de hábitos nos últimos 10 minutos da jornada de trabalho. Esses costumes ajudam a organizar o próximo dia útil e permitem que eles saiam do trabalho com a sensação de dever cumprido.
Confira a lista:

1 – Eles atualizam sua lista de tarefas

Os profissionais bem-sucedidos sempre atualizam uma lista com seus afazeres. No fim do dia, eles verificam se finalizaram algumas funções e atualizam com as tarefas que devem ser feitas no dia seguinte.

2 – Eles organizam sua mesa e computador
Os projetos demoram muito mais tempo para serem concluídos quando não estão organizados. Por isso, profissionais eficientes organizam a mesa e os arquivos no computador, salvando os documentos em pastas corretas.

3 – Eles analisam o que eles fizeram
Além de se concentrar no que ainda precisa ser feito, é importante olhar para trás e ver o que já foi feito. Esse momento de reflexão pode deixar o funcionário com um sentimento de realização, mesmo que o dia tenha sido difícil e agitado. Uma pesquisa indica que um hábito simples desse pode aumentar o nível geral da felicidade do profissional.

4 – Eles tiram um momento para refletir sobre o dia
As pessoas de sucesso buscam ver por quais motivos os projetos deram certo ou errado durante o expediente.

5 – Eles identificam as mensagens urgentes
Mesmo nos últimos minutos do expediente, e-mails, telefonemas e demandas variadas continuam sendo recebidos. Profissionais eficientes sabem o que exige uma resposta imediata e o que pode esperar até o próximo dia de trabalho.

6 – Eles mantêm o foco
As pessoas bem-sucedidas não se distraem com atividades que não são relacionadas com o trabalho nos últimos momentos do dia de trabalho.

7 – Eles determinam os seus principais objetivos para o dia seguinte
Os profissionais de sucesso têm uma lista diária de tarefas e sabem identificar os principais objetivos para o dia seguinte. Quanto mais organizada for essa agenda, mais a pessoa pode ser capaz de se concentrar no resto da sua vida com tranquilidade e ficar pronto para trabalhar no dia posterior.

8 – Eles permitem que os colegas de trabalho saibam como entrar em contato até o dia seguinte
As pessoas eficientes avisam se estarão ou não disponíveis, fora do expediente, pelo e-mail ou celular para seus chefes e colegas de trabalho. Não há uma resposta correta e não necessariamente o profissional deve ficar checando o e-mail corporativo fora do trabalho.

9 – Eles checam sua agenda do dia seguinte
Não há nada pior do que chegar no escritório e descobrir que você tem uma reunião em cinco munitos. As pessoas de sucesso tentar visualizar como o dia seguinte vai se desenrolar. Isso permite que elas cheguem para o próximo dia útil mais confiantes e menos estressados.

10 – Eles dizem obrigado a alguém
Grandes empresas são construídas com uma base de gratidão e reconhecimento. O hábito de agradecer quem lhe ajudou durante o dia, no fim da jornada de trabalho, é uma forma extremamente eficaz de aumentar o seu nível de felicidade e de ganhar pontos com os colegas de trabalho.

11 – Eles se despedem
Desejar uma “boa tarde” ou “boa noite” de forma amigável é uma atitude subestimada e requer pouco esforço. O cumprimento lembra ao seu chefe e equipe que, além de profissional, você é um ser humano educado.

12 – Eles vão embora otimistas
Sair do escritório sorrindo deixa um clima mais agradável para os colegas de trabalho. Os líderes bem sucedidos deixam essa boa impressão no fim do expediente.

13 – Eles realmente vão embora
Os profissionais de sucesso evitam a tentação de ficar no escritório. Eles sabem como é importante o equilíbrio entre o trabalho e a visda pessoal. Por isso, eles tentam sair do escritório em uma hora decente.

Leia Mais