Menina consegue arrecadar fundos para levar à Disney o pai, que tem câncer terminal

ruby-myles-1

publicado no Extra

A reação de Ruby Myles, de 5 anos, à notícia de que seu pai, vítima de um câncer terminal, tinha poucos meses de vida surpreendeu sua família. A jovem rapidamente decidiu que queria ir com Damian Myles, de 42 anos, ao complexo de parques de diversão da Disney. Eles ficaram tristes de constatar que não poderiam bancar o passeio, já que tinham usado suas economias no tratamento do pai. Foi então que a menina conseguiu o apoio de um pub de sua cidade, Southport, na Inglaterra, para arrecadar fundos, de acordo com o jornal local Southport Visiter.

Os moradores da pequena cidade britânica se uniram para ajudar a menina em sua única chance de realizar a viagem de seus sonhos ao lado do pai. Em apenas uma semana, o pub The Wellington conseguiu arrecadar 4.130 libras esterlinas, cerca de R$ 16 mil. Pai, mãe e filha já estão com as passagens compradas para os Estados Unidos, na próxima terça-feira.

ruby-myles-2

Uma das funcionárias do The Wellington Annie McTaggart organizou as doações. “Foi tão emocionante. Eles são uma família muito linda e o Damian é uma das melhores pessoas do mundo”, afirmou. “A Ruby chegou para ele e disse: ‘Papai, vou te levar à Disney antes que os anjos venham te buscar’”, lembrou a funcionária.
A família de Damian recebeu o valor em uma festa temática de princesas da Disney, promovida por uma casa de festas local, a Part of Your World. “Acho que todos ficaram com lágrimas nos olhos quando Ruby viu as princesas. Ela começou a chorar, foi muito emocionante. Fazer parte disso é incrível”, celebrou o dono da casa de festas, Mike Parks.

Leia Mais

Por que algumas pessoas conseguem dormir pouco e ficar bem descansadas?

537669b371647

publicado na Galileu

Pesquisadores da Academia de Medicina do Sono dos EUA conduziram um estudopara descobrir por que alguns de nós precisam dormir mais enquanto outros precisam de poucas horas de sono para descansar completamente. Para entender se há uma base biológica para essa diferença, eles analisaram 100 pares de gêmeos e conseguiram identificar uma mutação genética que permite um maior descanso com um menor período de sono. Não apenas isso, pessoas que possuem essa alteração sentem menos os efeitos de uma noite insone.

O gene em questão é chamado BHLHE41 e a sua cariante é a  p.Tyr362His – todos os indivíduois que apresentavam a variante dormiam apenas cinco horas por noite. No estudo, gêmeos sem a variante dormiam, em média, uma hora a mais e tinham mais dificuldade de se manterem acordados após 36 horas sem dormir.

Para chegar às conclusões, além de manter os gêmeos acordados, suas habilidades cognitivas eram medidas a cada duas horas durante o período sem sono.

Todos os gêmeos usados no estudo eram do mesmo sexo – 59 pares eram de gêmeos idênticos, enquanto 41 eram dizigóticos.

Leia Mais

Jogar videogame diariamente faz bem a crianças e adolescentes, diz estudo

Jogos como "Minecraft" estão entre os favoritos dos jovens e crianças
Jogos como “Minecraft” estão entre os favoritos dos jovens e crianças

Publicado no UOL

Crianças e adolescentes que jogam videogame menos de uma hora por dia, em dias de semana, são “melhor ajustadas” do que as que não jogam videogame, aponta um estudo da Universidade de Oxford, na Inglaterra.

A universidade realizou um estudo com 5 mil jovens entre 10 e 15 anos de idade, onde 75% deles jogam videogame todos os dias. A pesquisa observou como os jovens socializam com seus pares, se eles ajudam outros com frequência e o grau de satisfação deles com suas vidas.

Comparados com outros grupos, os jovens ‘gamers’ que jogam menos de uma hora por dia sofriam menos com hiperatividade e problemas emocionais, além de informarem estar mais satisfeitos de forma geral.

“Pouco envolvimento [com jogos] foi associado com maior satisfação pessoal, comportamento pro-social e menos exteriorização ou internalização de problemas”, explicou o Dr. Andrew Przybylski, que conduziu o estudo. “Esse foi o resultado oposto do encontrado em [jovens com] altos níveis de jogatina”.

“Nenhum efeito foi observado em níveis moderados de jogo quando comparados a jovens que não jogam nada”.

“Estar envolvido com videogames pode dar uma linguagem em comum para as crianças”, disse Pryzbylski ao canal britânico BBC. “E para alguém que não faz parte dessa conversa, isso pode acabar deixando o jovem de fora”.

Benefícios dos games

O estudo da Universidade de Oxford é a mais recente pesquisa que aponta os benefícios de jogar videogame. Outros projetos concluíram que os jogos podem aumentar o tamanho do cérebro, afetar a percepção e o comportamento e aprimorar a atividade cerebral.

Leia Mais

O mito do “cérebro direito” e “cérebro esquerdo”

publicado no Universo Racionalista

O mito do hemisfério esquerdo lógico e o hemisfério direito criativo tornou-se uma poderosa e útil metáfora para o entendimento do cérebro humano. Mas enquanto essa noção não é totalmente infundada, o psicólogo Christian Jarrett diz que devemos confrontá-la. Achar o que o modelo cérebro-esquerdo e cérebro-direito tem de correto – e como ela nos engana sobre o nosso próprio cérebro.

O mito dos hemisférios do cérebro provavelmente nunca vai morrer porque ele se tornou uma poderosa metáfora para diferentes formas de pensamento – um lado lógico, focado e analítico, contra um liberal e criativo. Pegue o exemplo do chefe britânico Rabbi Jonathan Sacks falando na Radio BBC 4: “O que faz a Europa acontecer e faz ela tão criativa,” ele explica, “é que o cristianismo era uma religião ligada ao lado direito do cérebro… traduzida para uma linguagem do lado esquerdo [Grego]. Então, por séculos você teve essa visão de que ciência e religião são essencialmente partes da mesma coisa.”

Bem como um apelo metafórico, a ideia sedutora do lado direito do cérebro e seu inexplorado potencial criativo também tem uma longa história de ser alvo de gurus de auto-ajuda vendendo pseudo-psicologia. Hoje, a mesma ideia é também explorada pelos criadores de jogos e aplicativos de auto-aperfeiçoamento. A última versão do aplicativo The Faces iMake-Right Brain Creativity para iPad, por exemplo, se vangloria de que “é uma extraordinária ferramenta para desenvolver as capacidades criativas do lado direito do cérebro”.

Há mais do que um grão de verdade para o mito dos hemisférios do cérebro. Embora eles sejam diferentes, os dois hemisférios do cérebro funcionam de formas diferentes. Por exemplo, já se tornou um conhecimento de senso comum que na maioria das pessoas o lado esquerdo é dominante para a linguagem. O lado direito, por outro lado, é mais ativo no processamento emocional e nas representações do estado mental dos outros. Entretanto, a distinção não é totalmente clara como o mito faz parecer. Por exemplo, o hemisfério direito está envolvido em processar alguns aspectos da linguagem, como a entonação e a ênfase.

Hemisfério-Esquerdo-e-Direito

Muito do que nós sabemos hoje sobre as diferenças entre os hemisférios veem dos notáveis estudos de divisão de cérebros que começaram nos anos sessenta. Essas pesquisas foram conduzidas com pacientes que tiveram o grosso feixe de fibras que ligam os hemisférios cortados como um último recurso para tratamento de epilepsia. Pesquisadores, incluindo os psicólogos Roger Sperry e Michael Gazzaniga, puderam estimular apenas um hemisfério por vez, e descobriram que as duas metades do cérebro agiram como entidades independentes, com diferentes estilos de processamento.

É também importante notar que o tipo de tarefa que envolve um hemisfério mais do que o outro nem sempre mapeia cuidadosamente os tipos de categorias que achamos útil falar nas nossas vidas cotidianas. Vamos pegar o exemplo da criatividade. Podemos achar ela um atalho útil para dividir tarefas entre aquelas que são criativas e aquelas que são repetitivas. Obviamente a realidade é bem mais complexa. Existem muitas maneiras de ser criativo.

Na verdade, alguns estudos mostraram que o hemisfério direito parece estar mais envolvido quando temos um lampejo de inspiração. Por exemplo, um estudo descobriu que a atividade cerebral era maior no hemisfério direito quando os participantes resolveram uma tarefa por inspiração ao invés de gradualmente. Outro mostrou que uma pequena exposição a quebra-cabeças é mais útil para o hemisfério direito do que o esquerdo, como se o direito estivesse mais próximo da resposta.

Mas inspiração é apenas um dos tipos de criatividade. Contar histórias é outro tipo. Uma das mais fascinantes revelações dos estudos de divisão de cérebros foi que o hemisfério esquerdo cria histórias para explicar o que o hemisfério direito tem que fazer, – o que Gazzaniga apelidou de “fenômeno intérprete”. Por exemplo, em um estudo uma paciente completou uma tarefa de correspondência de figuras usando a sua mão esquerda (controlado pelo hemisfério direito) para corresponder uma pá com uma tempestade de neve (mostrado apenas para o hemisfério direito). Foi perguntado ao paciente por que ele fez isso. Mas o seu hemisfério esquerdo (a fonte da fala) admitiu não saber de nada. Ao invés disso, ele confabulou, dizendo que chegou na pá para limpar o seu galinheiro (a imagem mostrada ao hemisfério esquerdo foi a de um pé de um pássaro).

Fazendo um resumo do estudo de divisão de cérebros em um artigo na Scientific American (pdf em inglês), Gazzaniga concluiu, baseado no fenômeno interprete e outros resultados, que o hemisfério esquerdo é “inventivo e interpretativo”, enquanto o direito é “verdadeiro e literal”. Isso parece em desacordo com o mito invocado por Rabbi Sacks e muitos outros pseudocientistas.

Suponho que o mito do cérebro esquerdo lógico e do cérebro direito criativo tem uma simplicidade sedutora. As pessoas podem perguntar: “que tipo de cérebro eu tenho?” e assim comprar um aplicativo para treinar a metade fraca. Eles podem categorizar linguagens e pessoas como tendo o cérebro direito predominante ou o esquerdo. É complicado combater essa crença dizendo que a verdade é bem mais complicada. Mas vale a pena tentar, porque seria uma vergonha se um mito simplista abafasse a história fascinante de como o nosso cérebro realmente funciona.

Leia Mais

Noiva publica no Facebook lista de razões pelas quais não convidou todos os amigos para o casamento

“Vou tentar tornar isso o mais simples possível para que ninguém fique magoado”, escreveu a noiva, antes de enumerar sete motivos que usou para eliminar algumas pessoas de sua festa

"Não temos lugares sobrando na igreja e na recepção”, escreveu a noiva (foto: Think Stock
“Não temos lugares sobrando na igreja e na recepção”, escreveu a noiva (foto: Think Stock

Publicado na Marie Claire

Poucas coisas na vida dão mais trabalho do que selecionar os amigos que vão a sua festa de casamento. Mas uma noiva americana resolveu chutar para longe toda a etiqueta e listar, em sua página no Facebook, as razões pelas quais alguns “amigos” não são próximos o suficiente para ir ao evento.

“Não temos lugares sobrando na igreja e na recepção”, começa o post da noiva. “Então vou tentar tornar isso o mais simples possível para que ninguém fique magoado. Se você não for convidado, aqui vai uma lista de possíveis razões.”

Entre os sete motivos para a exclusão, a americana incluiu “Se eu já te convidei toda vez que faço uma reunião e você nunca apareceu”, “Se você é só um colega de trabalho e nós nunca saímos fora dele” ou “Se você provavelmente viria só pela comida e a bebida e realmente não tem nenhum outro interesse além disso”.

E, mostrando que não há limites para o constrangimento público, o número 7 é especialmente vingativo: “Se você se casou e eu pensei que éramos amigos mas você não me convidou”.
Confira, abaixo, a lista completa:

“1. Se eu já te convidei toda vez que faço uma reunião e você nunca apareceu;

2. Se você é só um colega de trabalho e nós nunca saímos fora dele;

3. Se eu compareci a coisa que você me convidou e você nunca apareceu ou sequer respondeu a meus convites;

4. Se eu só saí com você em um grupo, mas nós não somos próximos;

5. Se em algum momento você falou alguma m… sobre mim, você definitivamente não será convidado;

6. Se você provavelmente viria só pela comida e a bebida e realmente não tem nenhum outro interesse além disso;

7. Se você se casou e eu pensei que éramos amigos mas você não me convidou.”

Nos comentários, muitos usuários questionaram se alguém “que nunca respondeu a um convite” da noiva ou “nunca saiu com ela fora do trabalho” estaria realmente interessado na festa.

O post da noiva que decidiu listar os sete motivos para ter eliminado alguns convidados da sua festa (foto: Reprodução / Facebook)
O post da noiva que decidiu listar os sete motivos para ter eliminado alguns convidados da sua festa (foto: Reprodução / Facebook)

Leia Mais