Mas afinal, o que é inteligência?

Isaac Asimov, no Update or Die!

Quando eu estava no exército, fiz um teste de aptidão, solicitado a todos os soldados, e consegui 160 pontos.

A média era 100.

Ninguém na base tinha visto uma nota dessas e durante duas horas eu fui o assunto principal.

(Não significou nada – no dia seguinte eu ainda era um soldado raso da KP – Kitchen Police)

Durante toda minha vida consegui notas como essa, o que sempre me deu uma ideia de que eu era realmente muito inteligente. E eu imaginava que as outras pessoas também achavam isso.

Porém, na verdade, será que essas notas não significam apenas que eu sou muito bom para responder um tipo específico de perguntas acadêmicas, consideradas pertinentes pelas pessoas que formularam esses testes de inteligência, e que provavelmente têm uma habilidade intelectual parecida com a minha?

Por exemplo, eu conhecia um mecânico que jamais conseguiria passar em um teste desses, acho que não chegaria a fazer 80 pontos. Portanto, sempre me considerei muito mais inteligente que ele.

Mas, quando acontecia alguma coisa com o meu carro e eu precisava de alguém para dar um jeito rápido, era ele que eu procurava. Observava como ele investigava a situação enquanto fazia seus pronunciamentos sábios e profundos, como se fossem oráculos divinos.
No fim, ele sempre consertava meu carro.

Então imagine se esses testes de inteligência fossem preparados pelo meu mecânico.

Ou por um carpinteiro, ou um fazendeiro, ou qualquer outro que não fosse um acadêmico.

Em qualquer desses testes eu comprovaria minha total ignorância e estupidez. Na verdade, seria mesmo considerado um ignorante, um estúpido.

Em um mundo onde eu não pudesse me valer do meu treinamento acadêmico ou do meu talento com as palavras e tivesse que fazer algum trabalho com as minhas mãos ou desembaraçar alguma coisa complicada eu me daria muito mal.

A minha inteligência, portanto, não é algo absoluto mas sim algo imposto como tal, por uma pequena parcela da sociedade em que vivo.

Vamos considerar o meu mecânico, mais uma vez.

Ele adorava contar piadas.

Certa vez ele levantou sua cabeça por cima do capô do meu carro e me perguntou:

“Doutor, um surdo-mudo entrou numa loja de construção para comprar uns pregos. Ele colocou dois dedos no balcão como se estivesse segurando um prego invisível e com a outra mão, imitou umas marteladas. O balconista trouxe então um martelo. Ele balançou a cabeça de um lado para o outro negativamente e apontou para os dedos no balcão. Dessa vez o balconista trouxe vários pregos, ele escolheu o tamanho que queria e foi embora. O cliente seguinte era um cego. Ele queria comprar uma tesoura. Como o senhor acha que ele fez?”

Eu levantei minha mão e “cortei o ar” com dois dedos, como uma tesoura.

“Mas você é muito burro mesmo! Ele simplesmente abriu a boca e usou a voz para pedir”

Enquanto meu mecânico gargalhava, ele ainda falou:

“Tô fazendo essa pegadinha com todos os clientes hoje.”
“E muitos caíram?” perguntei esperançoso.
“Alguns. Mas com você eu tinha certeza absoluta que ia funcionar”.
“Ah é? Por quê?”
“Porque você tem muito estudo doutor, sabia que não seria muito esperto”

E algo dentro de mim dizia que ele tinha alguma razão nisso tudo.

Leia Mais

SMS estimula sinceridade, diz estudo

Os pesquisadores chegaram à conclusão de que as pessoas podem demorar um pouco mais para responder às mensagens, mas chegam a respostas mais sinceras

Mais pessoas usam mensagens de texto para se comunicar, uma prática que se estendeu sobretudo entre jovens

Publicado originalmente na EXAME.com

A troca de mensagens de textos por celular é uma boa maneira de obter respostas sinceras para perguntas delicadas, segundo um estudo da Universidade de Michigan (EUA) divulgado nesta quarta-feira.

‘Os resultados preliminares indicam que as pessoas são mais propensas a revelar uma informação delicada por mensagens de texto do que nas conversas com voz’, explicou em comunicado Fred Conrad, diretor do Programa de Metodologia de Pesquisa do Instituto de Pesquisa Social (ISR) da Universidade de Michigan.

O resultado foi uma surpresa para os pesquisadores, ‘já que muitas pessoas achavam que o envio de mensagens de texto diminuiria as probabilidades de revelar informações delicadas’.

Os analistas acreditavam que, ao se criar um ‘registro visual’, as pessoas desconfiariam, já que suas respostas podem ser vistas em seu telefone por outros.

Os pesquisadores entrevistaram, via texto e voz, cerca de 600 usuários do iPhone

‘(No entanto), descobrimos que as respostas são mais precisas via texto porque não há a pressão de tempo que existe nas conversas telefônicas’, assinalou Conrad.

Os pesquisadores chegaram à conclusão de que as pessoas podem demorar um pouco mais para responder às mensagens, mas chegam a respostas mais sinceras.

Conrad realizou o estudo junto com Michael Schober, professor de psicologia e diretor da Nova Escola de Pesquisa Social de Nova York, e uma equipe multidisciplinar que incluiu psicólogos, psicolinguistas, analistas de pesquisas, especialistas em informática e colaboradores da companhia telefônica AT&T.

Para o estudo, os pesquisadores entrevistaram, via texto e voz, cerca de 600 usuários do iPhone e analisaram as reações de quando as perguntas eram feitas por mensagens gravadas ou por uma pessoa, ou se o entrevistado estava sozinho ou na presença de alguém, entre outros.

Os participantes responderam a perguntas como quantos exercícios praticavam por semana e quanto álcool consumiram no último mês. Os especialistas confirmaram que as respostas de maior exatidão vieram por mensagem de texto.

Schober e Conrad explicam que realizaram o estudo para analisar as mudanças nos padrões de comunicação e seus impactos na indústria, pois aproximadamente uma em cada cinco famílias nos Estados Unidos usa somente telefone celular e já não possui mais linhas fixas.

Isso significa que mais pessoas usam mensagens de texto para se comunicar, uma prática que se estendeu sobretudo entre jovens, embora seja algo comum entre todos os grupos de idade.

O estudo, antecipado pela Universidade de Michigan, será apresentado nesta semana na reunião anual da Associação Americana de Pesquisas de Opinião Pública, que será realizada entre 17 e 20 de maio em Orlando, na Flórida.

Leia Mais

Tati Quebra Barraco: “Não vou na igreja, não virei crente, só faço culto”

Carol Martins, no iG

Entre copos e copos de Amarula (ela bebe mais de duas garrafas em cada show), palavrões, gírias, “capelas” cantadas pela metade e muita gargalhada, Tatiana dos Santos Lourenço, mais conhecida por Tati Quebra Barraco, recebeu o iG para um bate papo.

Pouco antes de um show em São Paulo, com o mesmo repertório recheado de sexo, palavrão e letras de duplo sentido que a fizeram famosa em 2004, Tati falou sobre a vida nos palcos, no papel de mãe e no de avó.

Ainda com uma agenda intensa de apresentações – talvez não mais em festinhas particulares de famosos e do hi-society, mas em clubes alternativos e da periferia -, Tati conta que faz questão de investir nos estudos dos três filhos e do neto, algo que ela não teve. “E não tive porque não quis. Hoje me arrependo muito (de não ter estudado) porque não sei nem dar autógrafo. Quando me pedem, aviso que não sei escrever e falo: “é de coração, então não me pergunta o que tá escrito”.


As idolatradas tatuagens de Tati Quebra Baraco: no braço direito a palavra “Jesus Cristo”. No do esquerdo, a frade, “Tati, Sou Fiel”.

Confira a entrevista:

iG: É verdade que você virou evangélica?
Tati Quebra Barraco: Que história é essa de que virei evangélica? De c* é rola! Na verdade tem umas pessoas da minha família que são crentes e em 2009 comecei a fazer culto evangélico na minha casa e as pessoas acham que eu virei cristã. Não vou na igreja, não virei crente, só faço culto. O que passa no meu coração, só Deus sabe.

iG: Como são os cultos?
Tati Quebra Barraco: Meu culto é com muita comida. E quando eles vão embora, aí começa a festança. Sempre fiz e gosto muito de festas, com funk e cerveja, na humildade, com mais de seiscentas caixas de Skol.

iG: O que mudou na Tati Quebra Barraco depois que você começou a fazer esses cultos?
Tati Quebra Barraco: A Tati Quebra Barraco é uma coisa e a Tatiana é outra. A diferença é que no palco eu quebro tudo e na vida pessoal eu cozinho, tenho responsabilidade com filhos, acordo às seis horas da manhã, levo as crianças pra escola. Sou casada há nove anos com meu marido que é segurança. Sou fiel… a Jesus Cristo.


No palco, Tati Quebra Barraco agita a galera chacoalhando o “popozâo”

iG: E você é fiel a ele?
Tati Quebra Barraco: Sou a rainha da putaria e do funk. Fui mulher de muitos homens, mas de amor, só do meu marido. Não é à toa que cada filho tem um pai diferente. Minha filha vai fazer 19 anos, e já tem a neném, tenho um filho de 15 anos, que fica com minha mãe, Sônia, e a pequena de 8 anos, a Mila, vai pra outra mãe de criação, que cuidava dela porque eu trabalhava muito. Eu sou isso aí. (mais…)

Leia Mais

Com vídeo e tudo: Lula lança página oficial no Facebook

Matéria do Estadão

Ex-presidente pede que internautas curtam e divulguem o site para ‘ajudar a mudar o Brasil’

O ex-presidente Lula lança oficialmente nesta quarta-feira, 17, sua página no Facebook. O site vai reunir informações e acompanhar as atividades do petista e do Instituto Lula.

A página já reúne uma série de imagens e informações sobre o período em que Lula foi presidente (2003 a 2011). O ex-presidente aparece em fotos de lançamentos de programas como o Minha Casa Minha Vida e ao lado de líderes de outros países nas conferências internacionais.

O Instituto Lula divulgou um vídeo para promover a página. “Queremos reunir aqui todos os interessados em continuar compartilhando esperança e solidariedade na luta por um mundo mais justo”, afirmou o ex-presidente em vídeo de lançamento que pode ser visto na página.

Lula também pede que os internautas “opinem, participem, divulguem informações” para ajudar ele e a presidente Dilma a, “juntos, melhorar a vida de milhões de pessoas do Brasil”. “Curta a nossa página porque queremos reunir aqui todos os interessados em continuar compartilhando esperança e solidariedade na luta por um mundo mais justo”, diz.

Até o meio-dia desta quinta-feira, quase 60 mil usuários da rede social já haviam curtido a página, cujo endereço é www.facebook.com/lula.

Imagem: R7

Leia Mais

Graças ao Facebook, Bono vira o músico mais rico do mundo

Parcela da empresa comprada pelo músico passará a valer mais de 940 milhões de libras. Foto: Ivan Pacheco/Terra

Publicado originalmente no Terra

Além de ser responsável por excelentes performances do U2 sob os palcos, o vocalista Bono também já mostrou ser um ótimo investidor. Com a flutuação esperada do Facebook na bolsa de valores Nasdaq na sexta-feira (18), a fatia da empresa comprada pelo artista três anos atrás por 56 milhões de libras passará a valer 940 milhões – o que dará a ele o posto de músico mais rico do mundo. As informações são do The Sun.

Desta forma, Bono, 52, tomará o lugar do ex-Beatle Paul McCartney, 69, cuja fortuna é equivalente a algo em torno de 665 milhões de libras.

Criado há oito anos pelo CEO Mark Zuckerberg, o Facebook é avaliado em 64 bilhões de libras. Apenas a fatia de Zuckerberg da empresa logo deve atingir 15 bilhões, tornando-o o 15º homem mais rico do mundo.

Foto: Ivan Pacheco/Terra

Leia Mais