Pessoas ficam mais bonitas às 4h da manhã (e a culpa não é só do álcool)

Thiago Perin, no Superinteressante

Olha pra mim, moço! Olha pra miiiiiim!

A ideia de que a beleza alheia aumenta conforme a gente bebe, o álcool faz efeito e a madrugada corre não é novidade. Certeza que muitos de vocês já até comprovaram isso na prática, né? Mas olha que interessante: a culpa não é, necessariamente, da bebida (ou, melhor dizendo, só da bebida). Três pesquisadores da Universidade de Macquarie, em Sidney (Austrália), passaram uma noite inteira acompanhando 87 voluntários em um bar local. De tempos em tempos, mediam o nível alcoólico de cada um e pediam que dessem notas à aparência das pessoas ao redor.

Eles confirmaram o que a gente já sabia: conforme foi ficando tarde, todos foram vendo mais beleza nos desconhecidos. E isso até entre gente comprometida, que nem estava procurando companhia. E, para os pesquisadores, parte desse efeito – que eles chamam de the closing time effect (o efeito da hora de fechar) – se deve, simplesmente, à exposição prolongada às mesmas pessoas. Como se a gente se “acostumasse” com elas e desse uma “colher de chá”. Além disso, eles acham que a escassez também tem culpa: como a certa altura a quantidade de pessoas no bar diminuía, quem restava parecia naturalmente mais bonito – é, por comparação.

“Esse fenômeno merece ser pesquisado não apenas por ser interessante, mas também porque acontece todas as noites, em todos os bares, em todas as cidades do mundo”, diz o estudo.

Leia Mais

Garoto da capa de disco do Placebo quer processar banda

Capa do disco de estreia do Placebo, com David Fox aos 12 anosFoto: Reprodução
Capa do disco de estreia do Placebo, com David Fox aos 12 anos Reprodução

Publicado originalmente em O Globo

O garoto que aparece na capa do álbum de estreia do Placebo quer processar a banda por ter “arruinado a sua vida”. Em 1996, David Fox tinha apenas 12 anos quando a foto tirada por um primo foi parar em todas as lojas de disco do Reino Unido. Ele disse ao jornal inglês The Times que passou a sofrer bullying após a exposição, eventualmente sendo obrigado a abandonar a escola.

“Em uma semana estava nas lojas. Eu estava com a minha mãe no metrô e vi um anúncio com a minha cara”, disse o rapaz ao The Times, “(Na escola) ninguém me queria por perto. Até os professores me chamavam no canto para perguntar o que significava aquela capa”.

O primo que levou sua foto, revelou mais tarde por telefone que a imagem havia sido licenciada para o disco do Placebo. O álbum traz os sucessos “Come home”, Nancy boy”, “Teenage angst” e “36 degrees” e chegou ao número 5 das paradas britânicas.

“Meu irmão tinha acabado de morrer e um primo de Londres veio nos visitar. Ele era um fotógrafo profissional e tirou algumas fotos pessoais da família”, revela Fox, alegando que não deu o consentimento para o uso da imagem.

O rapaz de 28 anos pretende entrar com um processo contra a banda no mês que vem, usando as economias de sua mãe e “todo dinheiro que consiga juntar”. Após deixar a escola, ele acabou se formando como chef, mas atualmente está desempregado.

Os agentes da banda disseram ao Times que Foz deve abrir o processo contra a Virgin, selo que lançou o álbum, e não contra os músicos.

Leia Mais

Professora sugere que pais usem cinta e vara para educar aluno

Bilhete em que professora sugere que pais usem
cinta para educar aluno (Foto: Reprodução EPTV)

Publicado originalmente no G1

Pais de um menino de 12 anos acusam uma professora de português de uma escola municipal de Sumaré (SP) de sugerir o uso de ‘cintadas’ e ‘varadas’ como forma de educar o filho. Em um bilhete em papel timbrado da Escola Municipal José de Anchieta, a educadora solicita que os pais conversem com o aluno porque o garoto estaria tendo comportamento inadequadro na sala de aula. Em observação escrita à mão, a professora diz que, caso a conversa não resolvesse, a alternativa seria partir para a agressão. “Quer conversar com o seu filho? Se a conversa não resolver. Acho que umas cintada vai resolver (sic!)”, escreve a professora.

O texto tem erros de concordância verbal e termina com outra sugestão. “Esqueça tudo o que esses psicólogos fajutos dizem e parta para as ‘varadas'”, completa o bilhete. A denúncia e a cópia do documento foram enviadas para o VC no G1. De acordo com os pais, o menino, que está na 5ª série do ensino fundamental, tem dificuldade de aprendizado, diagnosticada há cerca de dois anos.

O estudante iniciou tratamento com psiquiatras e psicólogos para ajudá-lo nos estudos, o que, de acordo com o garoto, virou motivo de perseguição da professora na sala de aula. “Ela fala que eu preciso tomar remédio, que eu tinha problemas mentais e que nunca vou ser nada na vida”, relata o garoto. “Eu achei o bilhete um absurdo. Ela mandou meus pais me agredirem e isso não é adequado para uma professora”, completa.

Depois de receberam o bilhete no começo deste mês, os pais decidiram fazer uma reclamação formal à diretoria, mas a escola não se posicionou a respeito até sexta-feira (22), de acordo com o pai do estudante. “Chegou em um ponto absurdo. Ela (a professora) tem conturbado ainda mais o andamento escolar dele, que já tem dificuldade de aprendizado. A gente sempre soube que ele tinha dificuldade, mas ele sempre esteve lá, estudando”, diz o comerciante André Luis Ferreira Lima.

Os pais dizem que o filho é vítima de bullying. “Coisas que ela deveria falar em um ambiente particular, ela fala em frente aos alunos. A classe toda pega no pé dele, porque a própria professora fica o ofendendo. Não é porque o aluno tem dificuldade que a professora pode rebaixar alguém na sala de aula”, conta André Lima. A mãe do garoto, Lucineide Ferreira Lima, conta que o filho pediu para trocar de escola por causa da postura da professora. “Se ele precisa de ajuda, não é com ‘varadas’ e ‘cintadas’ que eu vou fazer isso. A ajuda dos psicólogos e psiquiatras tem sido boa, ele tem melhorado e se sentido bem. E é assim que vamos educá-lo”, defende a mãe.

Em nota, a supervisão da Secretaria Municipal de Educação de Sumaré diz que a direção está tomando as providências administrativas sobre o fato. De acordo com a direção da escola, “a professora enviou o bilhete sem o conhecimento do grupo gestor da escola. A regra diz que todo bilhete deve passar antes pela orientação ou coordenação”.

Ainda em nota, a secretaria afirma que uma psicóloga conversou com todos os professores da 5ª série, inclusive com a professora que enviou o bilhete, mas alega que desde quinta-feira (21), a mãe do aluno não retorna as ligações da escola. Os pais dizem que passaram todos os números de telefone da família foram disponibilizados para o contato. O aluno está frequentando as aulas normalmente. A professora também continua lecionando e ainda não foi afastada da função.

O G1 tentou conversar com a educadora, mas ela não foi encontrada para falar sobre o assunto.

Leia Mais

Morte de Michael Jackson completa 3 anos

Michael Jackson será homenageado pelos irmãos com uma série de shows da banda The Jacksons

Nesta segunda-feira, dia 25 de junho, se completam três anos da morte de Michael Jackson, momento que quatro de seus irmãos aproveitarão para render-lhe homenagem com uma série de shows através da banda The Jacksons.

The Jacksons – o grupo formado por Marlon, Jermaine, Tito e Jackie, membros de The Jackson 5 junto com Michael – fez na última semana em Ontário (Canadá) uma turnê de shows denominada Unity Tour 2012, que acabará no dia 29 de julho em Washington e que inclui paradas em Los Angeles, Atlanta, Las Vegas e Nova York, entre outras cidades.

Amanhã, no aniversário do falecimento de Michael, tocarão no Fox Theatre de Detroit.

“É um sonho tornado realidade”, disse Jackie Jackson em comunicado quando a turnê foi anunciada. “Não posso crer que esteja acontecendo. Não há nada como nos reunirmos todos no palco. Será algo excitante para os fãs de todo o mundo e sei que em cada show o espírito de Michael estará conosco”, acrescentou.

The Jackson Five

Após a morte de Michael, os quatro irmãos apareceram no reality show The Jacksons: The Family Dynasty, que explicava como enfrentaram a perda do famoso artista e como planejaram seu retorno aos palcos.

Michael Jackson deu seus primeiros passos na música com seus irmãos em The Jackson 5, mas foi sozinho que alcançou a categoria de mito.The Jackson 5 entrou para o Salão da Fama Rock and Roll em 1997, apesar de Marlon, Jermaine, Tito e Jackie não terem alcançado o mesmo sucesso em seus projetos individuais.Unity é a primeira turnê que reúne os irmãos em um palco desde 1984.

O “rei do pop” morreu no dia 25 de junho de 2009 vítima de uma intoxicação aguda do anestésico propofol, que lhe foi administrado por seu médico pessoal, Conrad Murray, segundo ficou provado no julgamento que terminou com veredicto de culpabilidade em 7 de novembro de 2011.

Três semanas depois, Murray foi condenado a quatro anos de prisão, a pena máxima possível para um caso de homicídio involuntário, segundo decretou o juiz Michael Pastor, da Corte Superior do condado de Los Angeles.

O cardiologista cumpre pena na prisão do condado.

Para recordar, um dos sucesso de Michael:

*com informações do Terra e Agência EFE

Leia Mais