Cão mais feio do mundo recebe prêmio de R$ 3,3 mil

Vira-lata de dois anos sofreu maus tratos e queimaduras antes de ir para um abrigo e ser adotado

Vira-lata é eleito o cão mais feio do mundo

publicado no Estadão

O cão mais feio do mundo, eleito neste fim de semana em um concurso em Petaluma, na Califórnia, se chama Peanut (amendoim) e é um vira-lata de pelos revoltos. 

O vencedor tem olhos e dentes salientes e um passado trágico. Quando ele era um filhote, sofreu maus tratos e queimaduras em diversas partes do corpo que lhe deixaram marcas visíveis. 

Ele foi parar em um abrigo para cães abandonados e foi adotado por Holly Chanlder, moradora da Carolina do Norte. Agora, a dona do cão mais feio do mundo vai usar os US$ 1,5 mil que recebeu na premiação para ajudar outros cães vítimas de maus tratos. O valor equivale a R$ 3,3 mil.

“Estamos tentando usá-lo como garoto-propaganda sobre o que pode acontecer com os animais que são mal tratados”, disse a dona de Peanut. A escolha do cão mais feio do mundo, realizada pelo 26º ano consecutivo, é feita por três três juízes que analisam diversos quesitos, incluindo atributos especiais ou incomuns, personalidade e feiúra natural.

Leia Mais

Estudante fica preso em vagina gigante

publicado no Page not Found

Um americano que faz intercâmbio estudantil ficou preso em uma vagina gigante de pedra em Tübingen (Alemanha).

O jovem havia entrado na vagina para tirar uma “foto divertida” na obra de arte, segundo um colega, que postou a foto no site de compartilhamento de imagens Reddit.

Um equipe de emergência com 27 profissionais foi ao local e libertou o estudante.

A escultura, de autoria do peruano Fernando de la Jara, está na entrada do Instituto de Microbiologia, no campus de uma universidade da cidade alemã, há 13 anos.

Leia Mais

Sósia do jogador Marcelo, drag queen torce pelo Brasil na Copa do Mundo 2014

A drag queen Shangela, sósia de Marcelo, postou uma foto vestindo a camisa da seleção brasileira

publicado no Extra

Sósias de jogadores da seleção brasileira costumam aparecer mais do que o normal em época de Copa do Mundo. E o camisa 6 Marcelo tem um bastante fora do convencional. A drag queen e comediante americana Shangela Laquifa movimentou as redes sociais pelas semelhanças com o atleta.

Marcelo comparado em montagem com a drag queen Shangela

Antes de se caracterizar como mulher, com vestido, cabelos compridos e maquiagem, a performer tem um black power muito parecido com o do jogador. Torcedora ferrenha do Brasil, Shangela vestiu a camisa verde-e-amarela e postou a foto no Instagram.

Shangela antes e depois da caracterização como drag queen; na foto da esquerda, com a camisa da seleção brasileira, parecida com Marcelo

Participante do reality show americano “Ru Paul’s Drag Race”, uma competição entre drags, a artista falou sobre a semelhança com Marcelo na rede social. “Parece que J-Lo não é a única a fazer a festa no Brasil. Meu gêmeo de cabelo no futebol está fazendo muitos gols. Boa sorte, Brasil!”, brincou a performer em uma de suas postagens. “Brasil está me fazendo rir muito com esses memes”, escreveu em outra foto.

Marcelo num meme, com um bordão de Shangela Laquifa
Marcelo num meme, com um bordão de Shangela Laquifa 

Os fãs comentaram com risadas e falaram sobre a semelhança. “Achei que apenas eu e meus amigos tínhamos reparado nisso! Amamos você!”, comentou uma seguidora.

Leia Mais

Cientistas dos EUA usam uma rede sombria que é 100x mais rápida do que a internet da sua casa

esnet

publicado no GizModo

Quando falamos em valores verdadeiramente gigantes de dados, pode ser mais rápido simplesmente enviar um disco rígido por correio – a não ser que você tenha acesso à Energy Science Network, uma rede incrível que é 100 vezes mais veloz do que a Google Fiber.

Claro, para acessá-la você precisa fazer algo mais produtivo e importante para o mundo do que baixar as quatro temporadas de Game of Thrones. A Energy Sciente Network, ou ESnet, é supervisionada pelo Departamento de Energia dos EUA para uso em pesquisas. Cientistas que precisam de grandes conjuntos de dados, digamos, do Grande Colisor de Hádrons, ou o Projeto Genoma Humano, podem ter acesso a ela. Além de operar uma rede, escreve Klint Finley naWired, “a ESnet é um teste para cientistas explorarem novas ideias antes de usá-las na internet comercial.”

Em novembro, a ESnet atingiu a velocidade mais rápida de ponta a ponta em transferência de dados em condições reais do mundo. A NASA enviou 91 gigabits por segundo de Denver, nos EUA, para o Goddard Space Flight Center em Maryland, também nos EUA.

A ESnet também busca meios para arquiteturas de rede avançadas. Como Flint explica, “pesquisadores usam a rede para explorar redes virtuais de circuitos chamados ‘Oscars‘, que podem ser usados para criar redes complexas sem mudanças grandes de hardware. E eles trabalham no que é conhecido como redes ‘DMZs‘, que podem atingir velocidades altíssimas com segurança sem a necessidade de firewalls tradicionais.

O diretor da ESnet diz que o objetivo final é uma conexão de rede de um terabit por segundo. Bem mais rápido do que nossas conexões domésticas.

Leia Mais

Sudanesa condenada à morte por conversão ao cristianismo é libertada

Publicado na Folha de S.Paulo

Um tribunal de Cartum, a capital do Sudão (norte da África), anulou a condenação à morte de Meriam Ibrahim, 27, por apostasia –renúncia a uma fé, no caso dela o islamismo. Ibrahim foi libertada nesta segunda-feira (23), segundo seu advogado e a mídia estatal sudanesa.

Segundo a agência de notícias Suna, a Corte de Apelações anulou a sentença contra a jovem depois de os advogados dela apresentarem sua defesa. Um dos defensores de Ibrahim, Eman Abdul-Rahim, declarou à agência Associated Press que ela já deixou a prisão e está na companhia do marido e de seus dois filhos pequenos, que estavam com ela na cadeia.

AFP
Meriam Ibrahim na prisão em maio, após o nascimento da filha
Meriam Ibrahim na prisão em maio, após o nascimento da filha

De pai muçulmano, mas criada pela mãe cristã, Ibrahim foi condenada por se casar com um cristão do Sudão do Sul numa cerimônia em 2011. Desde 1983, o Código Penal sudanês criminaliza a conversão de islamitas a outras religiões, que é punível com a pena capital. No país, homens seguidores do islamismo podem se casar com mulheres de outras religiões, mas o casamento entre mulheres muçulmanas e homens não muçulmanos é proibido.

O caso de Ibrahim gerou comoção internacional e provocou pressão diplomática sobre o governo sudanês -países como o Reino Unido instaram o Sudão a cumprir obrigações internacionais no que diz respeito à liberdade de religião. No final de maio, a jovem, que estava grávida ao ser sentenciada à morte, deu à luz seu segundo filho –uma menina– na prisão.

Leia Mais