Aécio está 13 pontos à frente de Dilma

Pesquisa ISTOÉ/Sensus mostra o candidato tucano com 56,4% das intenções de voto e a petista com 43,6%

São Paulo (SP) No maior colégio eleitoral, o PSDB prepara uma vitória sem precedentes
São Paulo (SP)
No maior colégio eleitoral, o PSDB
prepara uma vitória sem precedentes

Publicado na IstoÉ

Pesquisa ISTOÉ/Sensus realizada entre a terça-feira 14 e a sexta-feira 17 mostra a consolidação da liderança de Aécio Neves (PSDB) sobre a petista Dilma Rousseff no segundo turno da sucessão presidencial. De acordo com o levantamento, o tucano soma 56,4% dos votos válidos, contra 43,6% da presidenta. Uma diferença de 12,8 pontos percentuais, que representa cerca de 19,5 milhões de votos. Se fossem considerados os votos totais, Aécio teria 49,7%; Dilma, 38,4%; e 12% dos eleitores ainda se manifestam indecisos ou dispostos a votar em branco. A pesquisa indica que nessa reta final da disputa os dois candidatos já são bastante conhecidos pelos eleitores. O índice de conhecimento de Dilma é de 94,4% e de Aécio, de 93,3%. “Com os candidatos mais conhecidos, a tendência é a de que o voto fique mais consolidado”, afirma Ricardo Guedes, diretor do Instituto Sensus. O levantamento, que ouviu 2.000 eleitores de 24 Estados, revela também a liderança de Aécio Neves quando não é apresentado ao eleitor nenhum candidato. Trata-se da chamada resposta espontânea. Nesse quesito, o tucano foi citado por 48,7% dos entrevistados e a petista, que governa o País desde janeiro de 2011, por 37,8%.

Contagem (MG) Petistas tentam evitar crescimento tucano na terra de Aécio
Contagem (MG)
Petistas tentam evitar crescimento tucano na terra de Aécio

Realizada em 136 municípios, a pesquisa ISTOÉ/Sensus também constatou que a campanha petista não conseguiu reduzir o índice de rejeição à candidata Dilma Rousseff. Quase metade do eleitorado, 45,4%, afirma que não admite votar na presidenta de maneira alguma. Com relação ao tucano, segundo o levantamento, a rejeição é de 29,9%. “Isso significa que a margem de crescimento da candidata Dilma é menor do que a de Aécio”, avalia Guedes. Os números mostram, segundo a pesquisa, uma forte migração para o senador tucano dos votos que foram dados a Marina Silva (PSB) no primeiro turno. “Hoje estamos juntos em torno de um programa para mudar o Brasil”, disse Marina na sexta-feira 17, ao se encontrar com Aécio em evento público na zona oeste de São Paulo.

isto3

Desde 1989, quando o Brasil voltou a eleger diretamente o presidente da República, é a primeira vez que um candidato que terminou o primeiro turno em segundo lugar começa a última etapa da disputa na liderança. A pesquisa Istoé/Sensus divulgada no sábado 11 já apontava esse movimento, quando revelou que Aécio estava com 52,4% das intenções de voto. Na última semana, os levantamentos que são feitos diariamente pelo comando das duas campanhas também mostraram a liderança de Aécio. É com base nessas consultas que tanto o PT como o PSDB planejam a última semana de campanha. E tudo indica que o tom será cada vez mais quente. No PT há uma divisão. Um grupo sustenta que a campanha deve aumentar o tom dos ataques contra Aécio e outro avalia que a presidenta deva imprimir um ritmo mais propositivo à campanha. O mais provável, no entanto, é que a campanha de Dilma continue a jogar pesado contra o tucano. Segundo Humberto Costa, líder do PT no Senado, o partido vai insistir na tese de que é necessário “desconstruir a candidatura tucana”. “Não basta ficar defendendo nosso governo”, disse o senador na sexta-feira 17. Claro, trata-se de um indicativo de que a campanha de Dilma vai continuar usando a mesma tática. “Se deu certo contra Marina, deverá dar certo contra Aécio”, afirmou Costa.

No QG dos tucanos, a ordem é não deixar nada sem resposta e continuar mostrando ao eleitor os inúmeros casos de corrupção que marcam as gestões petistas, particularmente os quatro anos do governo de Dilma. “Não podemos nos colocar como vítimas. O que precisamos é mostrar nossas propostas, mas em nenhum momento deixar de nos defender com veemência das armações feitas pelos adversários”, disse um dos coordenadores da campanha de Aécio Neves. “Marina tentou apenas fazer a campanha propositiva e acabou atropelada pela máquina de calúnias do PT.” Nessa última semana de campanha, Aécio vai intensificar a agenda em Minas e no Nordeste, principalmente na Bahia, em Pernambuco e no Ceará. Não está descartada a possibilidade de que os nomes de novos ministros venham a ser divulgados pelo candidato.

Leia Mais

Acreditar que se teve uma boa noite de sono pode fazer seu dia render mais

sono-838x419

Publicado no Hype Science

Pesquisadores demonstraram que as pessoas que acreditam que dormiram bem ou “profundamente”, mesmo quando isso não é verdade, têm melhor desempenho em testes do que aqueles que acreditam que dormiram mal.
Sendo assim, simplesmente acreditar que você teve uma boa noite de sono pode melhorar seu desempenho.

No teste, os cientistas disseram aos participantes que 25% do sono é REM, o tipo que nos faz de fato descansar, e que quem gasta menos de 20% do seu tempo no sono REM tende a ter um desempenho pior em testes de aprendizagem e memória, enquanto os que gastam mais de 25% tendem a ter um melhor desempenho – tudo mentira. Depois, disseram a algumas dessas pessoas que eles passaram apenas 16% de suas horas de sono no período REM, e para outras, que tiveram um sono REM de 29% – também mentira.

Quando seus níveis de atenção e velocidade de processamento de informações foram testados, aqueles que acharam que tiveram uma noite melhor de sono se saíram melhor. Os pesquisadores chamaram isso de “sono placebo”, pois os resultados mostram semelhanças com o efeito placebo, aquele que ocorre quando pacientes recebem remédios falsos sem saber e desenvolvem melhora em suas condições de saúde.

Mas como se convencer de que você dormiu bem quando, na verdade, você quase não pregou os olhos?
Para começar, uma boa dica talvez seja parar de pensar ou dizer o quanto você está cansado. Se você não pode tirar sonecas restauradoras durante o dia por causa de coisas chatas que ficam no seu caminho como o trabalho ou a faculdade, outra solução pode ser o que especialistas chamam de descanso ativo, ou relaxamento progressivo dos músculos, no qual você foca em uma área muscular específica do seu corpo, como as suas mãos, deixa elas bastante tensas por 15 segundos e depois relaxa. Ao fazer isso ao longo de todo o seu corpo, você deve se sentir “recarregado”. Assim como uma soneca, o descanso ativo melhora o humor e diminui a fadiga e os níveis de estresse.

Ou talvez você possa se dizer todas as manhãs que a noite foi linda e maravilhosa, e que você nunca tinha dormido tão bem. [Science Alert]

Leia Mais

15 carreiras onde há equilíbrio entre a vida pessoal e a profissional

Guia turístico e salva-vidas são algumas das profissões onde há mais equilíbrio entre a vida pessoal e a profissional, segundo site da carreiras Glassdoor - Montagem/Arquivo O Globo
Guia turístico e salva-vidas são algumas das profissões onde há mais equilíbrio entre a vida pessoal e a profissional, segundo site da carreiras Glassdoor – Montagem/Arquivo O Globo

Publicado em O Globo

Quem não gostaria de ter mais tempo livre para a vida pessoal, sem abrir mão da carreira? Em algumas profissões, isso é possível. A rede social profissional Glassdoor, que reúne profissionais de todo o mundo, inclusive do Brasil, listou as profissões que melhor equilibram a vida profissional com a pessoal. A lista foi feita com base na opinião dos próprios usuários da rede, que avaliaram suas carreiras com notas que variavam de zero a cinco, sendo nota 1 para muito insatisfeito com a relação vida pessoal e profissional, nota 3 para satisfeito e nota 5 para muito satisfeito.

Em primeiro lugar da lista, aparece a carreira de cientista de dados, com nota 4,4. Também aparecem guia turístico e analista de investimentos, com 4,3 e 4,0, respectivamente. Confira a lista completa, com 15 profissões:

1. Cientista de dados – 4,4

2. Especialista em SEO (ferramenta de buscas) – 4,3

3. Guia turístico – 4,3

4. Salva-vidas – 4,3

5. Gerente de mídias sociais – 4,3

6. Instrutor de academia – 4,2

7. Designer de experiência de usuário – 4,2

8. Gerente de comunicação corporativa – 4,1

9. Bombeiro – 4,1

10. Operador (trader) da bolsa de valores – 4,0

11. Assistente jurídico – 4,0

12. Analista de investimentos – 4,0

13. Assistente administrativo – 4,0

14. Auxiliar de escritório – 3,9

15. Representante de vendas -3,9

Leia Mais

Pessoas de mau humor ‘stalkeiam’ os amigos mais patéticos do Facebook

Pesquisa mostra o que já sabíamos: quando estamos #chateados não queremos ver o sucesso alheio

"AFF, destruíram a estrela da morte" "Vamos olhar o perfil do jabba, pelo menos não estamos piores que ele" (foto: Kristina Alexanderson / flickr/ creative commons)
“AFF, destruíram a estrela da morte” “Vamos olhar o perfil do jabba, pelo menos não estamos piores que ele” (foto: Kristina Alexanderson / flickr/ creative commons)

Publicado na Galileu

Ok, seu dia foi ruim e lá está você, navegando pelas ondas do Facebook. Quem você vai stalkear? Aquele seu amigo incrível, com um trabalho sensacional e que está curtindo uma viagem para Fiji? Ou aquele seu colega da escola que acabou se dando mal na vida? De acordo com um estudo da Universidade Estadual de Ohio, o mais provável é que você escolha a segunda opção. O motivo parece óbvio: quando nos sentimos mal, queremos ver alguém que está ainda pior.

A pesquisa aponta que, em situações normais, nós ‘stalkeamos’ as pessoas que consideramos ter mais sucesso – mas em casos de mau humor fazemos o completo oposto. Para chegar a essa conclusão, pesquisadores fizeram com que 168 voluntários fizessem um tipo de prova – e, independente da sua performance, contaram a eles de forma aleatória que sua nota tinha sido excelente ou terrível. Depois da prova, os participantes entraram em um site similar ao do Facebook, que dava notas de 1 a 10 para seus membros em categorias como beleza e sucesso. A análise mostrou que as pessoas que receberam uma nota “terrível” na prova tinham uma maior tendência a olhar para os perfis com menores notas nas redes, enquanto o contrário acontecia com aqueles que tiveram “performances excelentes”.

Além disso, aqueles com notas mais baixas também passaram mais tempo stalkeando outros.

Mas vale lembrar que os pesquisadores não perguntaram como os participantes se sentiram após investigarem a vida alheia – então não se sabe se essa estratégia de stalkear alguém em situação pior que a nossa realmente pode melhorar o humor.

Via ScienceOfUs

Leia Mais

Pessoas em casamentos felizes vivem mais, afirmam pesquisadores

foto: Corbis
foto: Corbis

Publicado no F5

Quanto tempo uma pessoa pode viver?

Tentando responder a essa questão, dois pesquisadores da Universidade da Pensilvânia desenvolveram um questionário com oito perguntas.

Elas foram desenvolvidas baseadas em dados da população americana e está disponível em inglês.

O internauta responde se é casado (ou pretende se casar ou está solteiro), cor, sexo, se fuma, idade e quanto tempo se exercita por semana, além de confessar se usa sempre cinto de segurança e quantas milhas roda de carro por ano.

“Esses são os maiores fatores de risco que nós temos sólidas evidências”, disse Lyle Ungar, professor de ciência da computação e informação da Universidade da Pensilvânia, à revista “Time”.

“Se você está em um casamento feliz, você tem grandes chances de viver mais. Isso talvez seja mais importante quanto fumar, o que quer dizer que é muito importante”, ele acrescentou.

Leia Mais