Quantos escravos você tem?

Se você acha que a resposta é “nenhum”, talvez você deva conhecer esta ferramenta online…

slaves1Ana Freitas, na Galileu

Conheça a Slavery Footprint, uma ferramenta que informa a quantidade de trabalho escravo usado para produzir os bens de consumo que você usa.

O app faz parte de uma ação  da ONG Made In A Free World, que tem como objetivo erradicar o trabalho escravo no mundo. De acordo com a entidade, são mais de 29 milhões de pessoas, incluindo crianças, sendo escravizadas no planeta em 2014. E e o pior: elas trabalham, frequentemente, na cadeia de produção de muitos dos bens de consumo que a gente tem em casa, do seu celular e suas roupas até na extração de matéria prima para produtos de beleza e de limpeza, construção civil e mineração.

Para saber quantos escravos trabalham para você, é preciso responder a um questionário interativo que investiga todo o seu perfil: onde você mora, sua idade, o que você come, o que você tem no gabinete no banheiro, no guarda-roupa, na mesa do escritório e na garagem. No final, você pode ver o número de pessoas que seus hábitos de consumo podem estar ajudando a manter em condições desumanas de trabalho e dá meios de ajudar a combater isso, informando os pontos mais sensíveis dos seus hábitos de consumo e os meios para contatar as empresas para que elas fiscalizem melhor suas linhas de produção.

Leia Mais

28 lugares fantásticos ao redor do mundo que nem mesmo os melhores agentes de viagem conhecem

publicado no aewbic

Esse é mais um post para quem ama viajar. Não só isso, é para aqueles que curtem admirar fotos espetaculares da natureza e de lugares únicos.

Eu particularmente prefiro viajar para lugares com natureza exuberante, onde podemos passar muito mais tempo em contato com o natural do que com o artificial. Se você também é assim, vai ficar morrendo de vontade de visitar cada um desses 28 destinos a seguir.

Aí estão 28 lugares fantásticos ao redor do mundo que nem mesmo os melhores agentes de viagem conhecem (ou se preferir, que pouca gente conhece)

1. Albarracín (Espanha)

Lugares fantásticos (1)

Fonte: stock-free-images.com

Um lugar místico que ainda tem preservado vilas medievais. Fica no norte da Espanha.

2. Haiku Stairs (Havaí, EUA)

Lugares fantásticos (2)

Fonte: kulfoto.com

Também conhecido como Stairway to Heaven (“escadaria para o paraíso”, em tradução livre), a trilha de degraus chega a uma altura de 850 metros acima do nível do mar. Imagine a vista!

3. Huacachina (Peru)

Lugares fantásticos (3)

Fonte: charismaticplanet.com

No meio de muita areia existe um oásis lindo. Cerca de 100 pessoas vivem nesse lugar. Consegue imaginar um recanto melhor para ficar em paz e descansar?

4. Alcázar de Segovia (Espanha)

Lugares fantásticos (4)

Fonte: slowrobot.com

Um dos castelos mais famosos da Espanha, o Alcázar de Segovia é uma fortificação de pedra conhecida por sua forma única — alguém mais lembrou de Hogwarts?

5. Quinta da Regaleira (Portugal)

Lugares fantásticos (5)

Fonte: wikipedia.org

Gosta de jardins? Então esse lugar é feito para você, porque tem grandes luxuriantes jardins… mas por lá também tem nevoeiros constantes que adensam a aura de mistério do palácio.

6. Dubrovnik (Croácia)

Lugares fantásticos (6)

Fonte: interfacelift.com

Aqui está um excelente destino para quem é fã da série Guerra dos Tronos. Foi nessa região que filmaram todas as cenas de paisagem de Porto Real.

7. Aescher (Suíça)

Lugares fantásticos (7)

Fonte: brucepercy.co.uk

Com certeza esse é meu destino favorito. No meio das montanhas suíças existe esse pequeno hotel para hospedar aqueles que procuram um bom refúgio para descansar.

8. Bishop Castle (EUA)

Lugares fantásticos (8)

Fonte: wikipedia.org

Um dos castelos mais curiosos no mundo, o Castelo Bishop foi construído por apenas um homem: Jim Bishop.

9. Leptis Magna (Líbia)

Lugares fantásticos (9)

Fonte: overland-2010.blogspot.ca

Embora esteja localizado na Líbia, esse lugar é na verdade uma herança histórica do Império Romano. Esse é o destino se você tem o desejo de conhecer as obras dos homens de Roma sem visitar a cidade italiana (se é que isso faz algum sentido).

(mais…)

Leia Mais

NASA transmite imagens da Terra em tempo real

terranasa590

 

 

 

 

 

 

 

Publicado no Estadão

A estação espacial internacional ISS iniciou um experimento para mostrar a Terra em tempo real através de um streaming de vídeo. Quatro câmeras foram acopladas do lado de fora da estação para a captação contínua das imagens.

O projeto se chama High Definition Earth Viewing (HDEV), ou Visualização da Terra em Alta Definição, e está sendo feito em parceria com estudantes do ensino médio inscritos em um programa de criação de hardware com a agência espacial. Os alunos ajudaram a projetar algumas partes das câmeras, que também servirão para estudar os efeitos da radiação solar nos equipamentos.

O sinal da transmissão está sujeito a falhas, o que pode deixar a tela cinza. A visibilidade também ficar prejudicada quando a estação está sobrevoando o lado escuro do planeta. Mesmo assim, é possível ver imagens espetaculares ao longo do trajeto que a ISS realiza em torno do planeta azul a cada 90 minutos.

Assista no player abaixo:

Live streaming video by Ustream

Leia Mais

A pirâmide no meio do nada construída para evitar o fim do mundo

piramide fim mundo (1)

Geoff Manaugh, no GizModo

Uma enorme pirâmide no meio do nada tenta prevenir o fim do mundo usando um radar. Uma forma geométrica abstrata sob o céu, sem uma pessoa à vista. Poderia ser a cena de abertura em um filme apocalíptico de ficção científica, mas na verdade é uma estrutura real do Exército dos EUA.

A Biblioteca do Congresso americano tem um conjunto extraordinário de imagens que documentam o Stanley R. Mickelsen Safeguard Complex – próximo à fronteira dos EUA com o Canadá – mostrando-o em vários estados de construção e conclusão. E as fotos são impressionantes.

Elas foram tiradas pelo fotógrafo Benjamin Halpern, a serviço do governo americano, e mostram a pirâmide central – ou obelisco, monumento, megaestrutura – que servia para monitorar e abater mísseis na área. Como uma mistura de Gizé e o olho de Sauron, ela olha para todas as direções com seus círculos brancos que tudo veem, buscando objetos invisíveis no ar.

piramide fim mundo (2)

A pirâmide fazia parte do sistema antimísseis dos EUA: seu radar ficaria de olho em mísseis vindos da Rússia para derrubá-los no céu. Ela foi construída durante oito anos, porém funcionou por pouquíssimo tempo, até ser desativada. Como explica o Atlas Obscura:

(mais…)

Leia Mais

Cuidar da Mãe Terra e amar todos os seres

”Amar uma pessoa é dizer-lhe: tu não poderás morrer jamais” (G.Marcel)

Publicado por Leonardo Boff

O amor é a força maior existente no universo, nos seres vivos e nos humanos. Porque o amor é uma força de atração, de união e de transformação. Já o antigo mito grego o formulava com elegância: “Eros, o deus do amor, ergueu-se para criar a Terra. Antes, tudo era silêncio, desprovido e imóvel. Agora tudo é vida, alegria, movimento”. O amor é a expressão mais alta da vida que sempre irradia e pede cuidado, porque sem cuidado ela definha, adoece e morre.

Humberto Maturana, chileno, um dos expoentes maiores da biologia contemporânea, mostrou em seus estudos sobre a autopoiesis, vale dizer, sobre a auto-organização da matéria da qual resulta a vida, como o amor surge de dentro do processo evolucionário. Na natureza, afirma Maturana, se verificam dois tipos de conexões (ele chama de acoplamentos) dos seres com o meio e entre si: uma necessária, ligado à própria subsistência e outro espontânea, vinculado a relações gratuitas, por afinidades eletivas e por puro prazer, no fluir do próprio viver.

Quando esta última ocorre, mesmo em estágios primitivos da evolução há bilhões de anos, ai surge a primeira manifestação do amor como fenômeno cósmico e biológico. Na medida em que o universo se inflaciona e se complexifica, essa conexão espontânea e amorosa tende a incrementar-se. No nível humano, ganha força e se torna o móvel principal das ações humanas.

O amor se orienta sempre pelo outro. Significa uma aventura abraâmica, a de deixar a sua própria realidade e ir ao encontro do diferente e estabelecer uma relação de aliança, de amizade e de amor com ele.

O limite mais desastroso do paradigma ocidental tem a ver com o outro, pois o vê antes como obstáculo do que oportunidade de encontro. A estratégia foi e é esta: ou incorporá-lo, ou submete-lo ou eliminá-lo como fez com as culturas da África e da América Latina. Isso se aplica também para com a natureza. A relação não é de mútua pertença e de inclusão mas de exploração e de submetimento. Negando o outro, perde-se a chance da aliança, do diálogo e do mútuo aprendizado. Na cultura ocidental triunfou o paradigma da identidade com exclusão da diferença. Isso gerou arrogância e muita violência.

O outro goza de um privilégio: permite surgir o ethos que ama. Foi vivido pelo Jesus histórico e pelo paleocristianismo antes de se constituir em instituição com doutrinas e ritos. A ética cristã foi mais influenciada pelos mestres gregos do que pelo sermão da montanha e prática de Jesus. O paleocristianismo, ao contrário, dá absoluta centralidade ao amor ao outro que para Jesus, é idêntico ao amor a Deus.

O amor é tão central que quem tem o amor tem tudo. Ele testemunha esta sagrada convicção de que Deus é amor(1 Jo 4,8), o amor vem de Deus (1 Jo 4,7) e o amor não morrerá jamais (1Cor 13,8). E esse amor incondicional e universal inclui também o inimigo (Lc 6,35). O ethos que ama se expressa na lei áurea, presente em todas as tradições da humanidade: “ame o próximo como a ti mesmo”; “não faça ao outro o que não queres que te façam a ti”. O Papa Francisco resgatou o Jesus histórico: para ele é mais importante o amor e a misericórdia do que a doutrina e a disciplina.

Para o cristianismo, Deus mesmo se fez outro pela encarnação. Sem passar pelo outro, sem o outro mais outro que é o faminto, o pobre, o peregrino e o nu, não se pode encontrar Deus nem alcançar a plenitude da vida (Mt 25,31-46). Essa saída de si para o outro a fim de amá-lo nele mesmo, amá-lo sem retorno, de forma incondicional, funda o ethos o mais inclusivo possível, o mais humanizador que se possa imaginar. Esse amor é um movimento só, vai ao outro, a todas as coisas e a Deus.

No Ocidente foi Francisco de Assis quem melhor expressou essa ética amorosa e cordial. Ele unia as duas ecologias, a interior, integrando suas emoções e os desejos, e a exterior, se irmanando com todos os seres. Comenta Eloi Leclerc, um dos melhores pensadores franciscanos de nosso tempo, sobrevivente dos campos de extermínio nazista de Buchenwald:

“Em vez de enrijecer-se e fechar-se num soberbo isolamento, Francisco deixou-se despojar de tudo, fez-se pequenino, colocou-se, com grande humildade, no meio das criaturas. Próximo e irmão das mais humildes dentre elas. Confraternizou-se com a própria Terra, como seu húmus original, com suas raízes obscuras. E eis que a ‘nossa irmã e Mãe-Terra’ abriu diante de seus olhos maravilhados um caminho de uma irmandade sem limites, sem fronteiras. Uma irmandade que abrangia toda a criação. O humilde Francisco tornou-se o irmão do Sol, das estrelas, do vento, das nuvens, da água, do fogo e de tudo o que vive e até da morte”.

Esse é o resultado de um amor essencial que abraça todos os seres, vivos e inertes, com carinho, enternecimento e amor. O ethos que ama funda um novo sentido de viver. Amar o outro, seja o ser humano, seja cada representante da comunidade de vida, é dar-lhe razão de existir. Não há razão para existir. O existir é pura gratuidade. Amar o outro é querer que ele exista porque o amor torna o outro importante.”Amar uma pessoa é dizer-lhe: tu não poderás morrer jamais” (G.Marcel); “tu deves existir, tu não podes ir embora”.

Quando alguém ou alguma coisa se fazem importantes para o outro, nasce um valor que mobiliza todas as energias vitais. É por isso que quando alguém ama, rejuvenesce e tem a sensação de começar a vida de novo. O amor é fonte de suprema alegria.

Somente esse ethos que ama está à altura dos desafios face à Mãe Terra devastada e ameaçada em seu futuro. Esse amor nos poderá salvar a todos, porque abraça-os e faz dos distantes, próximos e dos próximos, irmãos e irmãs.

dica do Ronaldo Dos Santos Junior

Leia Mais