Roger Abdelmassih: “Mulher é um bicho desgraçado”

Em conversas telefônicas com seu psiquiatra gravadas pela promotoria, o ex-médico condenado a 278 anos por estupro admite que teve relações sexuais com suas pacientes

Roger Abdelmassih é preso no Paraguai (Divulgação/Secretaria Nacional De Antidrogas do Paraguai/VEJA)
Roger Abdelmassih é preso no Paraguai (Divulgação/Secretaria Nacional De Antidrogas do Paraguai/VEJA)

Alexandre Hisayasu, na Veja on-line

Um dos pontos de partida para a investigação que prendeu o ex-médico Roger Abdelmassih em agosto foram números de telefone encontrados pela polícia civil em maio, em uma operação em uma fazenda da família dele.

Quando um dos agentes do Ministério Público salvou os números em um telefone e entrou no aplicativo de troca de mensagens Whatsapp, em um dos contatos apareceu a foto de Larissa Sacco, a mulher de Abdelmassih.

A Promotoria grampeou todos os números. As conversas que mais chamaram a atenção das autoridades foram as consultas do ex-médico com seu psiquiatra, por telefone.

Nas conversas, a que VEJA teve acesso, ele refere a si mesmo como “o grande comedor” e admite pela primeira vez que teve relações sexuais com várias de suas pacientes, embora negue as acusações de estupro.

Abdelmassih sugere que que apenas cedia ao assédio das pacientes: “A mulher jogava o milho e eu ia comer, e levei ferro (…) Mulher é um bicho desgraçado mesmo.”

Condenado a 278 anos de prisão, ele está preso no interior de São Paulo. Ouça aqui suas confissões.

Leia Mais

Turistas são ‘pichados’ após vandalismo em praia em Guarujá (SP)

Gilmar Alves Jr., na Folha de S.Paulo

Um casal de turistas teve o corpo manchado com tinta spray e foi retirado da praia Branca, em Guarujá (a 86 km de São Paulo), após um ato de vandalismo em uma rocha no domingo de Páscoa (20).

Usando uma lata de tinta e um rolo, o casal pintou a inscrição “ABC” numa rocha, em provável alusão à região da Grande São Paulo. O ato foi percebido por outros turistas e moradores da comunidade, que repreenderam o casal.

Reprodução/Facebook
Imagem de casal de turistas manchado com tinta após pichar pedra em praia do Guarujá, em SP
Imagem de casal de turistas manchado com tinta após pichar pedra em praia do Guarujá, em SP

Segundo Mariana de Oliveira, monitora ambiental e integrante da Associação de Comércio e Camping da Prainha Branca, os moradores da comunidade pediram, inicialmente, para o casal limpar a rocha. “Eles se negaram e acharam ruim. Disseram que iam pichar a praia toda”, afirmou.

A monitora disse que a atitude do casal foi “lamentável”. “Poderiam ter trazido uma mudinha de planta e não uma lata de tinta.”

O presidente da Sociedade Amigos da Prainha Branca, Márcio dos Santos, disse que a pichação se tornou hábito de alguns turistas que frequentam a região, principalmente aos feriados.

De acordo com a Polícia Civil, nenhuma pessoa envolvida no episódio havia registrado ocorrência até a tarde desta quinta-feira (24).

Leia Mais

Propaganda sobre ‘xaveco’ causa embaraço para o Metrô

Vagão parado na estação da Sé em horário de pico (foto: Nacho Doce/Reuters)
Vagão parado na estação da Sé em horário de pico (foto: Nacho Doce/Reuters)

Eduardo Gonçalves, na Veja on-line

Uma peça publicitária do Metrô de São Paulo veiculada ao vivo num programa esportivo da rádio Transamérica causou embaraço para a companhia. Na propaganda, o locutor afirma que os vagões lotados são um bom lugar para “(sic) xavecar a mulherada”.

A inserção, que foi ao ar na última semana, não poderia ter sido divulgada em pior hora: a Polícia Civil prendeu mais de vinte pessoas neste ano por assédio a mulheres no sistema metroviário paulista.

“Nos horários de pico, é normal trem e metrô lotados. É assim nas grandes metrópoles espalhadas pelo mundo. Para falar a verdade, até gosto do trem lotado, é bom para xavecar a mulherada, né mano (sic). Foi assim que eu conheci a Giscreuza”, diz o trecho da peça publicitária.

O Metrô informou que não aprovou previamente o conteúdo nem autorizou sua divulgação. “Advertida, a Rádio Transamérica tirou o comercial do ar e informou que a produção desse infeliz conteúdo é de sua inteira responsabilidade”, diz  nota do Metrô.

Leia Mais

Polícia de PE apura denúncia de venda de bebês pela internet

Página em rede social foi criada para intermediar negociações.
Crianças são ofertadas por preços que variam de R$ 7 mil a 10 mil.

Publicado originalmente no G1

A Polícia Civil de Pernambuco começa a investigar, nesta quarta-feira (31), um suposto esquema de venda ilegal de bebês pela internet. A página foi criada, em Pernambuco, no início do mês, no Facebook. Lá, mulheres grávidas oferecem seus bebês a quem tem vontade de adotar por preços que variam entre R$ 7 mil e R$ 10 mil. As informações iniciais foram levadas à polícia pelo Ministério Público de Pernambuco.

O delegado do Departamento de Polícia da Criança e do Adolescente (DPCA) do Recife, designado para o caso, Ademir de Oliveira, contou que uma mulher interessada na compra trocou e-mails com uma das gestantes. “Soubemos de uma pessoa, que me parece que queria obter o bebê para adoção. Em certo momento, a mulher que ofereceu a criança falou em dinheiro, então ela denunciou”, explicou Ademir.

O trabalho dos agentes pretende identificar as pessoas, chegar até elas e até as crianças e observar cada caso de negociação. A polícia vai analisar os diálogos entre as mães das crianças e as pessoas que pagariam as recompensas para avaliar se houve realmente o crime. O delegado informou ainda que o artigo 232 do Estatuto da Criança e do Adolescente fala que ofertar criancas para adoção com pagamento ou recompensa penaliza tanto a pessoa que oferece como quem paga pela criança. “A conduta criminal vem de ambas as partes”, disse.

Ademir alerta à população que há um procedimento legal e seguro para adotar crianças, que investiga a vida das famílias em questão e descobre se a pessoa ou casal pretendendo adotar tem condições de sustentar um bebê. “Quando a pessoa utiliza um sistema não oficial, ela pode estar negociando com um pedófilo, um traficante de drogas, de pessoas. Queremos, com essa investigação, preservar estas crianças”, afirmou Ademir.

A polícia ainda não pode afirmar se já houve alguma negociação realizada e concluída através da página na internet.

Leia Mais

Governo demite funcionário que deixou imprimir cédulas com o nome de Goku

Casa da Moeda colocou em circulação cédulas de cem reais com o nome de Goku seja Louvado
Casa da Moeda colocou em circulação cédulas de cem reais com o nome de Goku seja Louvado

Publicado impagavelmente no G17

O Governo Federal anunciou a demissão do funcionário que permitiu a impressão de 5 mil cédulas, de 100 reais, impressas com frase “Goku seja louvado”. Goku é um personagem fictício protagonista da serie japonesa Dragon Ball.

Além da demissão, o governo determinou a abertura de uma sindicância interna, uma investigação criminal por parte da Polícia Federal, três processos administrativos e mais duas investigações paralelas por parte da Polícia Civil.

O governo disse que as cédulas já estão em circulação, o que torna difícil fazer o recolhimento. Diante disso, o governo enviou uma nota pedindo a população que, ao encontrar uma destas cédulas, que risque o nome de Goku de caneta e escreva ao lado “Deus” ou “Lula”.

Leia Mais