Edir Macedo inaugura megatemplo em SP com “recado” para Dilma e Alckmin

A presidente Dilma Rousseff (no centro), o vice Michel Temer (à esquerda), o bispo Edir Macedo (no centro, de barba), o prefeito de São Paulo Fernando Haddad (à direita) e o governador de São Paulo Geraldo Alckimin (à esquerda) participam da cerimônia de inauguração do Templo de Salomão
A presidente Dilma Rousseff (no centro), o vice Michel Temer (à esquerda), o bispo Edir Macedo (no centro, de barba), o prefeito de São Paulo Fernando Haddad (à direita) e o governador de São Paulo Geraldo Alckimin (à esquerda) participam da cerimônia de inauguração do Templo de Salomão

Publicado no UOL

O líder da IURD (Igreja Universal do Reino de Deus), o bispo Edir Macedo, foi o último a subir no altar na noite na inauguração do Templo de Salomão, nesta quinta-feira (31), em São Paulo.

Em frente à presidente Dilma Rousseff e ao governador Geraldo Alckmin, o bispo deu um recado aos governantes ao afirmar que “só orando” é possível e ter acesso à segurança e à saúde.

Antes de Macedo, o bispo Rogério Formigoni ambém cutucou os políticos presentes ao falar sobre o combate as drogas.

Formigoni, que se declarou um ex-viciado em crack e responsável por cultos em que combate o vício, disse que o governo “investe tanto em tratamentos que não dão certo”, enquanto a religião oferece a cura.

Igreja chegou a armar púlpito para Dilma, que saiu sem falar

Apesar de Macedo anunciar que Dilma faria um pronunciamento, e da instalação de um púlpito em frente ao templo a pedido do Planalto, a presidente não quis falar com a imprensa.

Enquanto estava fora do palco, Macedo acompanhou o início da cerimônia sentado na primeira fila, ao lado de Dilma.

Além da presidente e do governador, também estavam presentes o vice Michel Temer, o prefeito Fernando Haddad, o ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, e o ex-prefeito Gilberto Kassab, entre outras autoridades.

Artistas da Rede Record, como os apresentadores Brito Júnior e Ticiane Pinheiro, também estavam no salão com capacidade para 10 mil pessoas.

Líderes da IURD utilizaram indumentária judaica na inauguração

A avenida Celso Garcia, endereço do novo complexo religioso, teve uma das faixas bloqueadas e cobertas por um tapete vermelho para a passagem da arca da aliança, um símbolo do antigo testamento, carregada por seis homens vestidos com togas.

Vídeos com a história bíblica do povo judeu, da história de Jesus, do protestantismo e da fundação da IURD em 1977, por Macedo, foram projetados na faixada do prédio.

Macedo e os outros pastores que conduziram a cerimônia subiram ao altar cobertos por indumentárias judaicas: o talit, uma espécie de xale sagrado, e o quipá, um pequeno chapéu, sob a cabeça.

Ambos os adereços são comuns à fé judaica, assim como os candelabros que adornam as paredes internas do templo. Cantores, uma orquestra e um coral africano também participaram da cerimônia.

Leia Mais

Número de pastores candidatos cresce 40% nestas eleições

Charge via Reino em Movimento
Charge via Reino em Movimento

Gil Alessi, no UOL

As eleições deste ano contarão com 270 candidatos que se declararam pastores, um crescimento de 40% com relação ao pleito de 2010 –quando 193 pessoas disseram ocupar o cargo. Além disso, o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) registrou a candidatura de 32 bispos (25% a menos do que em 2010) e 16 padres (30% a menos).

O PSC lidera a indicação de sacerdotes: são 37 clérigos evangélicos –um deles é o pastor Everaldo, que disputa a presidência da República pelo partido. Nas últimas pesquisas Datafolha e Ibope, ele estava em quarto lugar com 3% das intenções de voto.

Os partidos de esquerda lideram as indicações de párocos católicos: o PT conta com cinco padres, e o PC do B, com três. Nenhum candidato adotou o termo rabino ou imã.

A população evangélica do país cresceu 61,5% em dez anos e atingiu a marca de 42,3 milhões de fiéis, cerca de 22,2% da população brasileira, segundo dados do Censo 2010 do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), divulgado em 2012.

O voto evangélico é cortejado tanto pelo partido da presidente Dilma Rousseff (PT), quanto por seu principal adversário na disputa, o tucano Aécio Neves. Atualmente a bancada evangélica na Câmara Federal tem 66 parlamentares.

Nesta semana quinta-feira (31), a presidente deve participar da inauguração do Templo de Salomão da Igreja Universal do Reino de Deus. O local tem 74 mil metros quadrados de área construída (3,2 vezes maior a Basílica de Aparecida), o equivalente a 18 andares de altura e capacidade para 10 mil pessoas.

Durante as eleições presidenciais de 2010 a questão do aborto entrou na pauta dos candidatos. José Serra (então candidato do PSDB à Presidência) e seu vice, Índio da Costa (DEM), insinuaram que Dilma seria defensora da prática.

Propaganda no templo

No último dia 18, o pastor Everaldo participou de um culto evangélico em Brasília e intercalou orações e promessas para o futuro do país. A lei eleitoral proíbe a realização de campanha dentro de templos religiosos.

Se configurado o descumprimento da regra, o candidato pode ser multado por propaganda irregular. Os valores vão de R$ 2.000 a R$ 8.000. O candidato negou que tenha feito campanha. (Com Estadão Conteúdo)

Leia Mais

Acordo judicial proíbe Igreja Universal de expor crianças e adolescentes a situações vexatórias

TAC firmada com o MP-SP impede que menores revelem informações íntimas ou tenham imagem explorada durante cultos da entidade

Universal deverá impedir exposição vexatória de crianças em altares da Igreja; regra vale para transmissões na TV (foto: Wikipedia)
Universal deverá impedir exposição vexatória de crianças em altares da Igreja; regra vale para transmissões na TV (foto: Wikipedia)

Publicado no Última Instância

O MP-SP (Ministério Público de São Paulo) firmou um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) com a Igreja Universal do Reino de Deus para impedir que a entidade exponha a situação vexatória crianças e adolescentes que, em área reservada ao púlpito, altar ou palco, participem direta e ativamente de culto ou evento religioso.  O termo vale para todo o território nacional.

De acordo com a promotora de Justiça Fabiola Moran Faloppa, responsável pelo TAC , entende-se por exposição vexatória, humilhante ou degradante toda a situação provocada por ministro religioso que implique revelação de informações íntimas próprias ou de seus familiares, com exposição de dados a respeito de sua vida, doenças, condições psíquicas ou episódios de abuso ou violência de que forem protagonistas ou diretamente envolvidas.

O acordo prevê que, em transmissões televisivas de cultos “ao vivo”, a Universal também deverá impedir a veiculação de imagem de criança e adolescente em situação que a exponha de forma vexatória, especialmente em participações diretas no culto. No caso de eventos gravados e transmitidos na TV posteriormente, a Igreja se comprometeu a editar as imagens para evitar o reconhecimento dos menores.

A Universal assumiu ainda a obrigação de, a partir da data da assinatura do TAC, manter por um período de três meses um arquivo organizado dos vídeos relacionados às transmissões e gravações de produção própria que comprovem o cumprimento do acordo. O TAC prevê que a Igreja também arquive, pelo mesmo período, todas as “autorizações de uso das imagens” de crianças e adolescentes. Nos documentos deverão constar os nomes das pessoas que, adentrando a área do altar, participarem de evento religioso de sua responsabilidade.

Segundo o acordo com o MP, a Universal deverá orientar seus fiéis sobre a proibição de utilização de câmeras celulares ou quaisquer aparelhos de registro audiovisual para a captação de imagens dos cultos.

O descumprimento do TAC acarretará em multa de R$ 1 mil por cada incidente registrado, a qual será revertida em benefício do Fundo dos Direitos da Criança e do Adolescente instituído no âmbito municipal.

Leia Mais