Filhos de Michael Jackson torram quase R$ 18 milhões por ano

71105211

publicado no Glamurama

Michael Jackson, acostumado a comprar o que queria e a gastar fortunas em exuberâncias, orientava as babás de Prince, 17, Paris, 15,  e Blanket, 12, que deixassem comprar “o que eles quisessem”. E o legado passou aos filhos. Hoje, após cinco anos de sua morte, a gastança continua, chegando a um montante de US$ 8 milhões, o equivalente a R$ 17,9  milhões por ano, de acordo com o site “Page Six”.

Os três herdeiros dividem esta quantia provinda de lucros crescentes com as propriedades, além do montante recebido pela avó Katherine, mãe de Michael, que ganha R$ 2,2  milhões para cuidar dos filhos do cantor.

Três férias por ano para destinos como Havaí e Vegas também geram gastos de cerca de R$ 786,9 mil, fora o pagamento seguranças, motoristas, passagem aérea de primeira classe e abundância de luxo. No Havaí, a família geralmente surfa na praia isolada e deixam cerca de R$ 12,3 mil por noite, em hotel de luxo em Honolulu.

Na escola, Paris compra presentes, como calçados e roupas esportivas para seus amigos. Prince, que já está se mostrado um galanteador, já gastou mais de R$ 112,4 mil em joias e outros presentes para pelo menos três namoradas diferentes. Blanket gasta regularmente sua herança pagando R$ 500 por hora para aulas como karatê e personal trainer.

Leia Mais

Furacões com nomes femininos matam mais #apontaestudo

publicado no Vi na Internet

Daniel é mais assustador do que Daniela? Parece que sim, ao menos quando estamos falando de furacões. Um estudo publicado pela Academia Nacional de Ciências dos EUA mostra que furacões com nomes femininos soam mais inofensivos aos ouvidos do público. Como resultado, esses fenômenos naturais são mais mortíferos quando batizados com nomes femininos, segundo o site Mashable.

O sistema para batizar furacões e fenômenos similares alterna nomes masculinos e femininos, com os nomes femininos iniciando a lista em anos ímapres (portanto, em 2014, o nome iniciado por A é masculino). O estudo detectou um problema com essa nomenclatura usada para batizar os furacões: mulheres são menos associadas a atitudes negativas como violência e destruição.

Qual o resultado disso? Quando o furacão é batizado com o nome de um homem, as populações das áreas atingidas tendem a tomar mais precauções ou mesmo evacuar as regiões por onde o furacão passa. Já quando o nome do furacão é feminino, as pessoas tendem a ficar, pois supõem que o fenômeno vai ser menos intenso. Ou seja, atitudes baseadas em visões sobre gêneros. Não faz sentido, né? (dica do Fernando Santos)

Leia Mais

E se Game of Thrones fosse desenhado criado pela Disney ?

publicado no Criatives

A Série Game of Thrones está em alta com a nova temporada, com isso, muitos ilustradores e designers utilizam esse hype para promover seus trabalhos na internet com alguns personagens.


Navegando pelo deviantart, vi um projeto que me chamou muita minha atenção, são os personagens do Game of Thrones com os traços e conceitos da Disney.
Eles foram criados pelo ilustrador Brasileiro Fernando Mendonça, que em seu deviantart publicou esses e outros projetos de ilustração que ele desenvolveu.

Leia Mais

LEGO finalmente chega ao Vine

Objetivo é estimular a imaginação de seus seguidores na rede social

Com o objetivo de estimular a criatividade de seus seguidores, o LEGO finalmente resolveu lançar um canal no Vine. Com criação do 1000heads, o espaço contará com a postagem de dois vídeos semanais, com ideias que poderão servir de inspiração para outros criadores e construtores. Isso sem contar a ampla divulgação dos produtos da marca, é claro.

O primeiro vídeo, estrelado pelo desajeitado Seismo, da linha Mixels, você confere abaixo.

Leia Mais