Artista israelense destrói Templo de Salomão em vídeo

01270219_6h1g8a6g4f

publicado na Veja SP

Antes do Templo de Salomão, construído pela Igreja Universal do Reino de Deus no Brás, existiram outros dois em Jerusalém. O primeiro foi destruído em 584 a.C. e o segundo, em 64 d. C, dando origem ao atual Muro das Lamentações. Quando soube que um terceiro templo seria erguido no Brasil, a artista israelense Yael Bartana decidiu fazer um filme que simulasse a demolição dele, como se fosse uma repetição profética do passado.

A diretora visitou as obras no ano passado e, no galpão de uma escola de samba, reproduziu seu interior em detalhes. Com efeitos visuais feitos em computador, finalizou sua história. O resultado é a ficção Inferno, de 22 minutos, na qual se vê o templo pegando fogo, desmoronando completamente e dando lugar – tal como o original – a um grande paredão onde as pessoas vão rezar, no meio da cidade.

O vídeo fará parte da 31ª Bienal de São Paulo que abre 6 de setembro. A exposição terá como tema a influência da arte sobre o mundo. Foram realizadas diversas residências artísticas no país e o resultado é que a capital paulista aparecerá em muitos trabalhos.

Assista a um trecho da obra:

Leia Mais

Anão grava documentário com câmera escondida para mostrar o preconceito que sofre diariamente

documentario-anao-interna

publicado no Hypeness

Tudo o que é diferente chama a atenção, mas quando se trata de pessoas, é preciso saber o limite da curiosidade. O norte-americano Jonathan Novick tem 22 anos e possui um tipo de nanismo, o que faz com que ele seja muito menor do que qualquer outra pessoa. Sim, ele é um anão. E embora chame a atenção das pessoas no dia a dia, passa por situações que não são nada agradáveis.

Para mostrar como é a vida de um anão, Jonathan Novick, que atualmente mora em Nova York, usou uma pequena câmera acoplada ao corpo, que o permitiu gravar momentos de seu dia e como as pessoas o tratam. No vídeo, é possível ver diversas pessoas o xingando, dando risadas e até mesmo tirando fotos, como se ele fosse algum tipo de aberração.

Além de ter a chance de ver o mundo como alguém que tem nanismo, o vídeo traz palavras tocantes de Novick. “A próxima vez que você encontrar alguém diferente de você, pense sobre como é seu dia a dia. Pense sobre todos os eventos que o levaram até lá e pense sobre seu dia – e sobre qual parte de seu dia você gostaria de estar”.

Dá uma olhada nos registros de Novick no vídeo abaixo:

documentario-anao

documentario-anao2

documentario-anao3

documentario-anao4

documentario-anao5

documentario-anao7

documentario-anao8

Leia Mais

Lembra deles? Simony e Fofão voltam aos palcos após 30 anos

6jq7pvy2hc12da3qeso9vnwuspublicado no iG

Na noite dessa quarta-feira (20), Simony reuniu famosos na gravação do DVD em comemoração aos seus 30 anos de carreira “Caixinha de Música” , no Teatro Anhembi Morumbi, em São Paulo. A cantora ainda reviveu a parceria com o personagem que participava da “Turma do Balão Mágico” na década de 1980. Aois 8 anos, a artista já se apresentava ao lado do boneco.

Outro parceiro da mesma época, Jair Oliveira, o Jairzinho, também relembrou a dupla com Simony durante o show. Além dele, o cantor Belo fez questão de marcar presença.

Leia Mais

Cinco motivos pra dormir pelado

478984077

Publicado no Yahoo!

Segundo uma grande pesquisa feita pelo National Sleep Survey, nos Estados Unidos, menos de 1 em 10 norte-americanos dormem nus. Uma situação lamentável considerando os benefícios fantásticos (e cientificamente provados) em deixar os pijamas no armário e dormir no pelo. Para Natasha Turner, médica naturopata que escreveu o livro The Hormone Diet, dormir sem roupas pode ajudar as pessoas a terem bom humor, menos barriga, mais sexo, e muito mais — veja a seguir o que você pode ganhar ao ir pra cama pelado.

1) Melhore seu desempenho e envelheça mais tarde: Muitas pessoas gostam de se sentir aconchegantes na hora de dormir, mas se o seu ambiente de sono estiver quente demais, isso impede o resfriamento natural que acontece enquanto dormirmos. Se o seu quarto ou seu corpo ficarem quentes demais (acima dos 21ºC), a temperatura irá interromper a liberação de melatonina e do hormônio do crescimento. Num estudo publicado no jornal “Sleep”, pesquisadores mostraram que você pode tomar doses seguras e legais de hormônio do crescimento — e até melhorar seu desempenho atlético — apenas mergulhando nos lençóis para aquele sono profundo.

2) Previna diabetes, problemas cardíacos e mantenha a disposição do seu corpo: Ao impedir a liberação do hormônio do crescimento, você também não irá queimar gordura enquanto dorme, ou se beneficiar de uma noite de reparação para seus ossos, pele e músculos. O hormônio do crescimento (HGH) afeta todas as células do organismo e é essencial para a restauração de tecidos, construção dos músculos, densidade óssea e estrutura corporal. Indivíduos que dormem menos de seis horas por noite são mais propensos a desenvolver diabetes e problemas do coração, de acordo com pesquisadores da Universidade de Warwick. Se você não dormir o suficiente, seus níveis de cortisol e hormônio da fome disparam, gerando um aumento na insulina. Além disso, os hormônios responsáveis pela queima de gordura e controle do apetite despencam.

3) Descanse mais profundamente e por mais tempo: Pesquisas revelam que certas formas de insônia estão associadas a uma regulação deficiente da temperatura corporal e à incapacidade de resfriamento à noite — impedindo assim o estágio mais profundo do sono.
Num experimento realizado na Holanda, cientistas vestiram os participantes com roupas térmicas para reduzir a temperatura corporal em menos de um grau Celsius, sem afetar a temperatura corporal central do corpo. O resultado? As pessoas não despertavam tanto durante a noite, e a porcentagem de sono nos estágios 3 e 4 (sono profundo) aumentou. Acredite ou não, você não sua ou arrepia durante o sono REM, portanto não precisa ficar com medo de sonhar que está numa geleira.

4) Adeus gordura localizada na barriga: Conforme seu corpo vai esfriando e os hormônios do crescimento aumentando, o nível de cortisol também irá diminuir com padrões de sono saudáveis. Entre 10 p.m. e 2 a.m é o momento em que o seu organismo está realmente descansando e se recuperando. Depois das duas da manhã, suas glândulas suprarrenais começam a produzir cortisol para o dia seguinte, e essa atividade alcança outro pico por volta das 4 a.m até chegar ao seu ponto mais alto por volta das 6 a.m.

Em noites que você não dormiu o bastante, você irá acordar com um nível de cortisol acima do normal. E isso vai disparar seu apetite — especialmente para comidas rápidas e confortáveis — e a sua tendência para comer demais, ficar ansioso, e colaborar para aquela gordura localizada na barriga; mesmo para pessoas magras.

5) Viva a ocitocina: Se você e o seu parceiro dormem pelados, vocês já devem estar colhendo os benefícios dos hormônios que nos fazem sentir bem. O toque da pele com a pele (com intimidade, seja uma massagem, relação sexual, ou carinho) é tudo o que você precisa para ativá-los. Além de estar envolvida no orgasmo e na resposta sexual, a ocitocina é capaz de combater o estress e a depressão, eliminando os efeitos nocivos do cortisol e reduzindo a pressão sanguínea. O hormônio também melhora a mobilidade intestinal, evitando inflamações. Finalmente, não há nada mais excitante para um casal do que ir para debaixo do edredom pelados — e os orgasmos continuam sendo os melhores soníferos naturais.

Leia Mais

Bilhões de criaturas marítimas invadem praias dos EUA

euavelella-velellacostatwitter

publicado no Terra

Um ‘mistério’ tem causado curiosidade em banhistas americanos: milhares de vellelas (uma espécie de hidrozoário marítimo) invadiram as areias das praias americanas, sendo encontradas do sul da Califórnia até British Columbia. As informações são do Daily Mail.

Bilhões destas criaturas marítimas apareceram nas praias – e ainda não se sabe o que teria causado este fenômeno. O professor de Biologia da Faculdade da Península de Monterey disse que o número de Velellas que se encontram nas areias ainda é incerto, mas seus alunos contaram mais de milhares por metro quadrado. “Estes números crescem rápido demais”, disse.

Estas criaturas são semelhantes à água-viva, liberando uma substância para atordoar suas presas – embora não seja capaz de causar muita dor em seres humanos.

O guia de viagens, Michael Ellis, disse que velellas são comuns e se encontram em todos os oceanos do mundo, mas pouco se sabe sobre suas vidas.

Leia Mais