Conteúdo marcado como rancor

Desesperança brasileira

Desesperança brasileira
Frei Betto, em O Dia O brasileiro anda desesperançado. A frustração se mescla ao rancor. Ninguém sabe dizer o que será deste país nos próximos anos. Diante da falta de perspectiva histórica e de protagonismo alternativo, o debate político baixou do racional para o emocional. Haja palavrão e carência de razão! A terceirização ameaça esgarçar ainda mais os direitos trabalhistas (e se não ameaça, como afirmam seus defensores, por que […]

Quando minhas palavras voaram

Quando minhas palavras voaram
Publicado por Fabrício Carpinejar Nossa vida não é triste. Mesmo quando não temos uma alegria, temos uma esperança. A esperança é a alegria nascendo. Nunca fui vítima do passado, órfão da memória, coitadinho da infância. Não me diferenciei pela dor, nem me destaquei pela tristeza. Detesto reclamar. Reclamar só chama rancor. O que eu passei, passei, superei de algum jeito, os traumas não me mataram. As brigas não me levaram […]

A nova safra de chatos

A nova safra de chatos
A safra de 2013 tem se revelado muito rica de sabores. 2013 tem sido um bom ano para novos tipos. Arnaldo Jabor, em O Globo Uma vez, escrevi um artigo sobre “os chatos” que foi um sucesso entre chatos e não chatos. Descobri em minhas pesquisas que o chato se sabe como tal, mas é movido pela esperança obstinada de um dia se libertar dessa categoria e ser aceito por […]

22 coisas que pessoas felizes fazem diferente

22 coisas que pessoas felizes fazem diferente
Lili e Marininha, no Agora Sim! Existem dois tipos de pessoas no mundo: aquelas que escolhem ser felizes e aquelas que optam por ser infelizes. Ao contrário da crença popular, a felicidade não vem da fama, da fortuna ou de bens materiais. Ela vem de dentro. A pessoa mais rica do mundo pode estar miseravelmente infeliz, enquanto um sem-teto pode estar sorrindo e contente com a sua vida. As pessoas […]

Genealogia do fanatismo

Ricardo Gondim [Eu não conhecia Emil Cioran. Meu amigo Ed René Kivitz recomendou que, dele, eu lesse “Breviário de decomposição” – Editora Rocco. Cioran nasceu na Romênia em 1911, formou-se em filosofia pela Universidade de Bucareste. Seu texto é cru, porém realista; intenso, mas lotado de poesia; por vezes amargo, sem perder-se em rancor.] Não resisti copiar os primeiros parágrafos do capítulo inicial. (Grato, parceiro!) ———————————————————————————— Genealogia do fanatismo Emil […]