Arquivo da tag: rebanho

Cajadada?

Felipe Costa, no Mero Cristianismo

Desde que comecei a frequentar uma igreja evangélica ouço o termo cajadada incluso na seguinte expressão: O pastor deu uma cajadada em fulano.

Sempre entendi que essa frase queria dizer que o pastor havia repreendido alguém por ter cometido algum erro. Mas com o tempo percebi que muitos dos que levavam uma cajadada se distanciavam dos outros irmãos, por vergonha ou porque os irmãos passavam a evitar alguém que tomasse a tal cajadada. Não era incomum que com o tempo estes saiam da igreja. Ouvi histórias de pessoas que saíram de gabinetes pastorais aos prantos após uma conversa com algum pastor. O cajado tomou forma de porrete.

Muitas vezes a cajadada era coletiva. Todo mundo dividia o coro que o pastor aplicava do alto do púlpito. Isso muito me lembrava de quando era pequeno e um dos irmãos aprontava, os três apanhavam. Com o microfone numa mão e a Bíblia na outra, alguns pastores costumam descascar fiéis por motivos sérios ou banais, em muitos casos. Já ouvi um pastor cobrar os irmãos de que na reunião anterior havia recolhido pouca oferta e, assim, distribuiu meia hora de cajadada. Nesta ocasião uma pessoa que estava sentada ao meu lado disse, “olha a cajadada!”. E sorriu como que concordando com a repreensão. Afinal de contas, o homem que estava com o microfone nas mãos era “o pastor” e, por conseguinte, o portador do cajado.

No entanto, o Salmo 23 nos diz que o cajado do pastor não é usado para machucar as ovelhas que cometem “delitos”. Este salmo é uma poesia construída em duas experiências diferentes, a do “Pastor e Ovelha” e, a do “Fugitivo e o Anfitrião”. A história do Anfitrião e o Fugitivo (v. 5 e 6) fundamenta-se na experiência de um homem que provavelmente seria condenado pela sua comunidade, por ter violado algum tipo de conduta em seu clã (ver Dt 19:1-7). Às vezes tal individuo fugia errante pelo deserto enquanto a comunidade ainda dormia. Logo pela manhã ao sentirem sua ausência, o clã enviava alguns homens a sua captura, caso ele sobrevivesse a fuga do deserto – como nas histórias de Moisés e Jacó, que fugiram.

O fugitivo chegava quase morto em uma estrutura que havia sacerdotes. Ali era recebido pelo Anfitrião que proporcionava acolhimento integral, no qual depois de um banho, uma taça de vinho transbordava sobre a mesa. Neste lugar tal Fugitivo era honrado com perfume sobre a cabeça. O sacerdote que o recebia em sua casa nada lhe perguntava, simplesmente o recebia, mesmo sabendo que ele estava ali por ter cometido algum delito grave. Quando seus perseguidores se aproximavam e percebiam onde estava, nada poderiam fazer, pois a hospitalidade era sagrada no Oriente e por isto inviolável. Então, o salmista brinca com seus inimigos diante da hospitalidade proporcionada pelo Anfitrião – “prepare-me uma mesa diante dos meus inimigos“.

Depois de alguns dias quando seus perseguidores percebiam que não poderiam captura-lo, iam embora. O sacerdote colocava duas escoltas (homens) para acompanhá-lo a uma nova tribo para que o então Fugitivo iniciasse nova vida. O salmista novamente faz desta escolta a Misericórdia e Bondade do Senhor-Anfitrião que o acompanharão todos os dias de sua vida. E ainda deixa em aberto a possibilidade de ter que desfrutar deste acolhimento em dias futuros. Ou seja, o perdão é renovável.

O cajado do pastor de verdade não machuca. Ele tem duas extremidades: com a circunflexa, resgata a ovelha caída; com a pontiaguda, dá toques leves em suas patas frágeis para que as ovelhas tomem seu caminho e na eventualidade de lobos atacarem, defende as ovelhas. Como disse o salmista “o teu cajado me consola“. Consolo este que vem acompanhado da Misericórdia e Bondade, sem jamais machucar as ovelhas com autoritarismo. Sem as duas escoltas dadas pelo nosso Senhor-Anfitrião, não existe cajado que consola. Apenas cajadadas.

O $how tem que parar: Protesto na Marcha para Jesus em SP

Publicado originalmente no YouTube

No dia 14 de julho de 2012, o Movimento pela Ética Evangélica Brasileira e os irmãos da Intervenção na Marcha se reuniram num protesto pacífico pela volta da pregação do Evangelho segundo ele é, conforme os ensinos de Jesus e seus apóstolos. Foram levantadas faixas com versículos bíblicos e frases que remetiam ao combate da corrupção e do comércio na igreja.

Porém, como sempre isso desagradou a muitos, que estão conformados com este mundo. Mas estivemos lá e a Palavra foi levada, mesmo a troco de agressões (um dos participantes tomou um soco nas costas), pisadas nos pés, ameaças e afins, todos esses atos nada dignos de pessoas que se dizem seguidoras de Cristo.

Falando em seguidores, muitos ali seguiam ao líder da Marcha e aos artistas gospel que se apresentaram no palco principal.

Em meio ao oba-oba gospel lá estávamos. Se apenas uma pessoa leu nossas mensagens e refletiu sobre elas, deixando o Espírito Santo falar ao seu coração, tudo foi válido.

Leia+

O $how tem que parar: Protesto na Marcha para Jesus em BH

Vereador diz que tem ‘vida de príncipe’ paga com dinheiro público & rapidinhas

A saia justa de Wanessa no VMB [via Glamurama]

Quem passou por uma saia justa no VMB foi Wanessa, grávida de sete meses, que, ao apresentar o show de Marina Lima, teve que ouvir a plateia gritando em coro: “Rafinha, Rafinha”.

Wanessa está processando o comediante Rafinha Bastos por uma piada que ele fez no “CQC”.

foto: Ego

a vontade de aparecer parece menor que a prudência. tava na barriga cara que ia acontecer isso…

***

Vereador diz na internet que tem ‘vida de príncipe’ e que a vida de luxo é paga com dinheiro público [via G1]

O vereador Rodson Lima (PP), de Taubaté, no Vale do Paraíba, interior de São Paulo, postou em uma rede social na internet que tem “vida de príncipe” durante uma viagem a Sergipe.

“Nesse momento, estamos hospedados em um hotel cinco estrelas, com uma ‘big’ de uma piscina e de frente para o mar. Tudo pago com dinheiro público. O povo me dá vida de príncipe”, dizia a mensagem postada pelo político.

faltam-me palavras… e sobram palavrões.

***

Longe dos palcos, cantora Perlla está atolada em dívidas [via Extra]

Haja oração, Perlla! A cantora, que vem sofrendo pressão do marido evangélico para abandonar a carreira, vive uma grave crise financeira. Sua dívida atual está perto dos R$ 215 mil. Recentemente, ela precisou deixar a casa em Vargem Pequena porque não conseguia mais dar conta das prestações de R$ 4.300.

A funkeira corre o risco também de perder seu carrão, um Hyundai IX35, que, inclusive, já está penhorado. Há cinco meses, ela não paga a prestação de R$ 2.700 do veículo. Sem contar que Perlla emitiu, desde maio deste ano, cinco cheques sem fundo.

então…

***
Morre menina ignorada após atropelamento na China [via UOL]

Uma menina que foi atropelada por dois veículos na China e ignorada por 18 pessoas que passaram a seu lado morreu em decorrência dos ferimentos. O hospital onde Yue Yue, de dois anos, estava internada disse que ela sofreu falência múltipla dos órgãos.

Imagens divulgadas pela TV chinesa mostraram a menina sangrando, desmaiada, em uma rua movimentada da cidade de Foshan e causaram choque e revolta no país.

me acabei de chorar após assistir à versão completa do vídeo. preferi ñ postar. #tristed+

***
Religião é pior que corrupção [via Top Vlog Brasil]

No último dia 12 de outubro de 2011, comemorou-se os 80 anos do Cristo Redentor, 150 mil romeiros foram para Aparecida-SP e apenas 3 mil pessoas protestaram contra a corrupção na avenida Paulista em São Paulo.

Algumas presepadas recorrentes entre o gado rebanho evangélico inspiram o novo vídeo de Daniel Fraga. O Pavablog aparece como uma das fontes.

***

Leilão [via Sonia Racy]

Criatividade na Igreja Mundial do Poder de Deus. O templo de Valdemiro Santiago oferece um martelo, daqueles usados em tribunais, para que o fiel destrua as pedras do caminho. Exemplos? Filho no alcoolismo, marido com amante e dívidas.

Pelo instrumento, pede-se a “ofertinha de mil reais”.

como distribuir 1 pouco de noção p/ os frequentadores dessa arapuca igreja?