Na BA, Zé Ramalho critica boato de morte na web: ‘Quanta maldade’

Músico está na cidade de Ilhéus, sul do estado, para realizar um show.
Após a apresentação na Bahia, o cantor retornará para o Rio de Janeiro.

Publicado originalmente no G1

Post feito pelo cantor Zé Ramalho no Facebook (Foto: Reprodução/Facebook)
Post feito pelo cantor Zé Ramalho no Facebook
(Foto: Reprodução/Facebook)

O músico paraibano Zé Ramalho criticou, na tarde deste sábado (8), boatos espalhados na internet sobre a sua suposta morte.

Em nota divulgada na página oficial do cantor no Facebook, Zé Ramalho afirma que há “maldade escondida sob o anonimato da internet”.

O cantor, que tem 63 anos, está no município de Ilhéus, sul da Bahia, para a realização de um show no centro de convenções da cidade. A assessoria de imprensa do artista disse ao G1 que Zé Ramalho está bem e trabalhando normalmente.

Os boatos da morte do cantor se espalharam por redes sociais durante a manhã deste sábado, diz a assessoria, que afirma ainda ter recebido diversos telefonemas sobre o ocorrido. Várias postagens de fãs e pessoas próximas ao cantor foram deixadas na página oficial dele na rede social.

“Ninguém faz matéria de jornal para dizer que você está ótimo, que está super bem de saúde após a cirurgia, que está cantando melhor do que nunca, que bateu todos os recordes e expectativas dos médicos… . Mas são capazes de inventar e espalhar, criminosamente, uma matéria mentirosa, alegando que você está no hospital, ou que se foi…”, diz a postagem no Facebook.

Após o show na cidade de Ilhéus, o cantor retornará para o Rio de Janeiro.

No dia 10 de março, Zé Ramalho deixou o Hospital Samaritano, em Botafogo, na Zona Sul do Rio de Janeiro, após ser internado no dia 4, com quadro de angina instável. Na ocasião, ele foi submetido a um cateterismo e a uma revascularização miocárdica.

reprodução
Printscreen de matéria postada no site do MSN em 8 de março. O post foi excluído somente hoje.

Leia Mais

Globo proíbe menções ao Facebook e Twitter em seus programas

A partir de agora, programas e personagens devem se referir aos sites como “grande rede social” e “rede social de mensagens curtas”, respectivamente.

Fonte: Google Imagens
Fonte: Google Imagens

Publicado originalmente na Exame

Globo proibiu oficialmente a citação das redes sociais Facebook e Twitter em seus programas. A partir de agora, “rede social de mensagens curtas” e “grande rede social” serão os termos usados para fazer referência às duas empresas durante a programação. A informação foi confirmada por Ariadne Guimarães, gerente de produção editorial da empresa.

Em abril, a Globo decidiu retirar links de redirecionamento para seus sites no Facebook. O pequeno tráfego de usuários gerado pelos links foi o motivo apresentado pela empresa para a medida. Apenas 2% do público total do site vinha da rede social.

No mês anterior, a empresa já havia estabelecido uma taxa extra para anúncios que citassem Twitter, Orkut e Facebook. O entendimento é de que a exposição das redes sociais nas propagandas é uma forma de divulgação delas e também deve ser paga.

Leia Mais

Vírus atinge Facebook, rouba dados e “espiona” histórico de navegação

Malware se espalha via chat, e finge ser um arquivo de imagem – mas é de fato um programa que instala um código malicioso na máquina da vítima.

virus_435

 

Publicado originalmente no IDG Now!

Mais um malware surge para atingir usuários do Facebook. Uma variante do Dorkbot está infectando membros da rede social do mundo todo, e se espalha via chat, de acordo com a empresa de segurança Bitdefender.

O worm (vírus que se autorreplica) é capaz de espionar as atividades realizadas pelas vítimas durante a navegação e roubar informações pessoais. De acordo com Bianca Stanescu, da Bitdefender, a família do malware já foi identificada circulando nos Estados Unidos, Índia, Portugal, Reino Unido, Turquia e Romênia.

A Dorkbot finge ser um arquivo de imagem, mas é de fato um programa que instala um código malicioso na máquina da vítima, quando ela tenta abrir o tal arquivo.

A ameaça foi identificada pelo serviço de hospedagem de arquivos MediaFire, que descobriu os arquivos maliciosos em seus servidores e tomou medidas para exclui-los. A confusão pode acontecer por conta da “dupla” extensão dos arquivos, salvos como “.jpg.exe” e “.bmp.exe” (tais arquivos já foram bloqueados pelo serviço, como medida de precaução).

O malware é controlado por um servidor de comando e controle e, além de ordenar o roubo senhas e nomes de usuário, o C&C também pode pedir ao código para realizar downloads maliciosos.

O Dorkbot tem a capacidade de bloquear atualizações de softwares antivírus, para impedir que seja descoberto. O malware também pode ser espalhado via dispositivos USB.

A empresa de segurança recomenda aos usuários evitar clicar em links suspeitos, recebidos via bate-papo no Facebook ou outras redes IRC – mesmo que sejam URLs enviadas por conhecidos.

Leia Mais

Zuckerberg atrasou a negociação com o Instagram para assistir Game Of Thrones

imagem: blue bus
imagem: blue bus

Publicado no Blue Bus

Matéria de Kara Wisher na Vanity Fair descreve em detalhes uma das maiores negociações do mundo tech – a compra do Instagram pelo Facebook, no ano passado, por USD 1 bilhão.

Para o Daily Dot, no entanto, foi um detalhe em especial que chamou a atenção – “No sábado, Systrom (co-fundador do Instagram) voltou a encontrar Zuckerberg para formalizar as negociações e chegar a um acordo oficial de venda, que ambos assinariam. O processo foi interrompido por uma festa para assistir a Game of Thrones, que Zuckerberg, um fã ávido, estava organizando”.

Afinal, um negócio de USD 1 bilhão pode esperar, não é? ;-)

Leia Mais