Esquenta para capítulo de hoje de ‘Avenida Brasil’: bafo dos famosos no Twitter

‘Oi oi oi’: a chegada do 100º capítulo da novela causa burburinho e moda nas redes sociais

Pedro Willmersdorf, no Jornal do Brasil

É hoje! Mais tarde, boa parte da população brasileira vai ficar em casa, em frente à TV, para assistir ao 100º capítulo de ‘Avenida Brasil’, a novela de João Emanuel Caneiro que abalou as estruturas da teledramaturgia brasileira. Há muito tempo não havia tanta comoção em torno de uma história e de uma música tema (o famoso “Oi, Oi, Oi!” da canção Vem Dançar Com Tudo, de Robson Moura e Lino Krizz, já virou gíria) como agora.

Até os famosos estão se mostrando superansiosos para mais tarde. Muitos deles homenagearam a novela mudando, hoje, os seus avatares no Twitter para um padrão no qual a foto parece “congelada” como nos finais de capítulo de ‘Avenida Brasil’. Fernanda Paes Leme foi uma das primeiras. “Congelei!!! ‘Todas Congela’ (sic)!! Av Brasil cap 100!!! Go Carminhaaaaa!”, declarou a atriz, empolgada. Mas não foi só ela, o ex-BBB Marcelo Arantes, conhecido como Dr. Marcelo, apresentadora Adriane Galisteu e a cantora Mariana Belém também entraram na brincadeira. “Sabe por que eu vou focar em dar risada hoje e falar de avatar de novela? Porque se eu for pensar na justiça desse país, eu choro”, disse Mariana aos seus seguidores, mais cedo.

Está rolando até campanha com a hashtag #CongelaBonner para convencer o jornalistaWilliam Bonner a personalizar o seu avatar e ficar no clima do 100º capítulo da novela. Até agora, ele não cedeu, mas se os apelos aumentarem, quem sabe. Oi, Oi, Oi!

Além disso, estão rolando ótimos tutoriais na internet para fazer o avatar de Avenida Brasil.

Confira aí:

Leia Mais

Evangélicos tentam invadir terreiro em Olinda

Babalorixá Érico Lustosa filmou o que classificou de ato de intolerância religiosa / Foto: Marcos Pastich/JC Imagem
Babalorixá Érico Lustosa filmou o que classificou de ato de intolerância religiosa

Publicado originalmente no JC Online

Centenas de evangélicos com faixas e gritando palavras de ordem realizam protesto em frente a um terreiro de matriz africana e afro-brasileira – candomblé, umbanda e jurema. As imagens poderiam ser de um filme sobre a Idade Média. No entanto, foram registradas no domingo, no Varadouro, em Olinda, Grande Recife. As cenas de intolerância religiosa circularam ontem nas redes sociais e provocaram a revolta de milhares de internautas.

As imagens foram captadas pelo filósofo e babalorixá Érico Lustosa, vizinho do terreiro alvo dos ataques. Segundo ele, por pouco os evangélicos não invadiram o espaço. “Eles gritavam ‘Sai daí, satanás’ e forçaram o portão. Foi aí que me coloquei em frente ao portão e meu filho começou a gravar. Um deles gritou para a gente tomar cuidado, que ele era evangélico mas era também um ex-matador”, relembrou.

O fato ocorreu uma semana depois que pessoas invadiram terreiros em Brejo da Madre de Deus, no Agreste, após o assassinato de uma criança, segundo a polícia, a mando de um pai de santo. Pesquisadores dizem que essas religiões não realizam sacrifício de humanos.

Com a repercussão nas redes sociais – o vídeo teve mais de 1,5 mil compartilhamentos no Facebook e cerca de 400 visualizações no YouTube em menos de 12 horas – representantes de dezenas de terreiros se reuniram, ontem à tarde, no Palácio de Iemanjá, no Alto da Sé, em Olinda.

Foto: Marcos Pastich/JC Imagem

entre os + de 100 comentários no site, muitos afirmam que a matéria é “mentirosa” pq a manifestação foi “pacífica” e “ñ houve tentativa de invasão”. como se o problema estivesse nos verbos, e ñ nos sujeitos.

Leia Mais

Nokia diz estar satisfeita com campanha “Perdi meu amor na balada”

Perdi_meu_amor.jpg
Imagem de um dos vídeos da campanha “Perdi meu amor na balada”

João Varella, no site da IstoÉ Dinheiro

A Nokia diz estar feliz com a repercussão da campanha “Perdi meu amor na balada”, que recebeu uma onda de comentários negativos nesta terça-feira, 17, dia em que a empresa revelou que a série de vídeos se tratava de uma ação para promover um celular. Em entrevista à DINHEIRO, a diretora de marketing da Nokia no Brasil, Flavia Molina, disse que a polêmica já era esperada. “A inovação traz polaridades e esse celular tem muitas inovações”, afirmou Flavia.

A campanha publicitária foi iniciada no dia 10 deste mês. Nela, Daniel Alcântara, amigo de um dos sócios da agência Na Jaca, autora da campanha, pedia ajuda para encontrar Fernanda. Alcântara alegava ter perdido o telefone da garota que havia conhecido em uma balada de São Paulo. Desde o princípio, muitos usuários suspeitavam que se tratava de uma publicidade viral, que conta com a repercussão da peça nas redes sociais a partir do engajamento dos usuários. Porém, houve casos de usuários que se comoveram e ajudaram na suposta busca fictícia de Alcântara.

Questionado sobre o assunto em seu perfil no Facebook e por veículos da imprensa, Alcântara negou que se tratava de ublicidade. “Fazia parte do script que ele mantivesse o personagem durante essa semana”, afirmou Flavia.Segundo a diretora de marketing da Nokia, uma coisa que não estava no roteiro da campanha era a ampla repercussão . “Não esperávamos que tivesse tamanha repercussão”, diz. “Tivemos 500 mil visualizações [do vídeo] em pouco tempo, o que foi assustador, no bom sentido”. Flavia revelou estar “celebrando uma conquista” ,com a repercussão da campanha. “Geramos engajamento por chegartocar as pessoas com uma história romântica, algo que tocasse de alguma maneira”, diz. O objetivo da Nokia é atingir jovens das classes A, B e C com essa campanha.

Já a professora de redes sociais da ESPM-SP Liliane Ferrari diz que a empresa teve forte repercussão negativa por ter deixado algumas brechas em sua estratégia. “Hoje para uma ação viralizar precisa ser milimetricamente construída. O vídeo ficou pasteurizado, o texto muito marcado, faltou dar mais alma pra coisa ser crível pra valer”, afirmou.

Aspectos técnicos

O celular que a Nokia está promovendo com a campanha “Perdi meu amor na balada” é o Pure View 808. O aparelho custará R$ 2 mil e virá com sistema operacional Symbian, já praticamente abandonado pela fabricante finlandesa. Isso gerou uma grande quantidade de críticas nas redes sociais. Flavia diz considerar difícil comparar o produto com qualquer outro disponível no mercado, pois ele conta com uma câmera fotográfica de 41 megapixels, resolução que nenhum outro aparelho tem. “A Nokia realmente anunciou que iria descontinuar o Symbian, mas essa tecnologia estava sendo pesquisada e desenvolvida antes”, afirma. “A linha Lumia vai receber no futuro a tecnologia Pure View, que não está disponível nem em câmeras digitais”, afirma Flavia.

Leia Mais

1/5 das páginas da web leva usuário ao Facebook

Nayara Fraga, no Radar Tecnológico

Vinte e dois por cento das páginas da web contêm URLs que direcionam o usuário para o Facebook, segundo análise do pesquisador Mathew Berk. Acrônimo para Uniform Resource Locator, URL é o endereço de um recurso disponível em uma rede, como o endereço para chegar a este post ou o endereço de um post da editoria de Economia&Negócios no Facebook.

Com a ajuda de uma ferramenta para coletar informações na web chamada Commom Crawl, o pesquisador examinou 1,3 bilhão de URLs neste ano e descobriu que 242 milhões delas são de páginas que levam o usuário à rede social de Mark Zuckerberg. “Estabelecer conexões sociais não está relacionado apenas a pessoas: tem a ver com interconexões entre conteúdos estruturados, entidades e pessoas”, diz Berk em seu site.

O uso do Facebook por meio de outros sites também foi revelado no estudo: 7,6% das páginas continham ferramentas que permitem a interação com o Facebook sem sair delas. Exemplo disso são os botões “curtir” que aparecem em notícias publicadas em sites ou blogs. Quando clicados, eles costumam gerar uma janela pop-up do Facebook, e o usuário pode fazer o login na rede social e comentar o que está curtindo sem sair da notícia.

Para Berk, o resultado de sua pesquisa mostra que a web passa por uma momento de transformações no qual as páginas da web em si estão perdendo espaço para as conexões geradas entre elas. Páginas no Facebook, perfis no LinkedIn e artigos na Wikipedia estão conectados uns aos outros e às pessoas por meio de conexões significativas, como “curtiu”, “trabalhou com”, “recomendou”, explica. Ele descreve esse novo momento como “a web de ponta-cabeça”.

Leia Mais

Lady Gaga lançou sua própria rede social

publicado originalmente no E+

A cantora Lady Gaga, adepta de redes sociais como Facebook e Twitter, resolveu lançar sua própria plataforma, a Little Monsters, nome dado em homenagem ao apelido pelo qual se refere aos seus seguidores.

A página, que foi apresentada na segunda-feira (9), contava com a mensagem “Bem-vindos à casa, pequenos monstros!” (Welcome home, little monsters!). A rede social permitirá que seus admiradores compartilhem notícias, desenhos, fotografias, conversem entre si e adquiram entradas para os shows da cantora nova-iorquina.

“Este é um espaço para compartilhar a paixão e a criatividade, em uma comunidade cheia de arte, aceitação, monstros e Gaga”, disse. Embora outras estrelas tentassem previamente, sem sucesso, iniciar suas próprias redes sociais, a intérprete de Bad Romance tem grandes chances de revolucionar a internet com a iniciativa.

A artista foi a primeira a alcançar os 20 milhões de seguidores no Twitter, e três meses depois, voltou a superar a própria marca ao se transformar na primeira pessoa com mais de 25 milhões de admiradores.

Além disso, com 52 milhões de simpatizantes, seu perfil é o sétimo mais popular do Facebook e o terceiro entre os artistas. A cantora fica atrás apenas do rapper Eminem, que possui 59 milhões de seguidores, e da cantora Rihanna, com 58 milhões.

Leia Mais