Mãe de Pai Bruno revela que ele era evangélico e cantava no coral da Igreja Batista


Pai Bruno na época em que frequentava a igreja e cantava no coral
Foto: Roberto Moreyra / EXTRA

Pai Bruno em anúncio de jornal
Foto: Divulgação

Carolina Heringer, no Extra

Para resolver as causas impossíveis e urgentes de seus clientes, Pai Bruno de Pombagira evocava o demônio. “Vou te provar que o diabo existe”, prometia, num de seus anúncios. Assim Edmar Santos de Araújo, de 23 anos, apresentou-se para o mundo nos últimos 18 meses. Nos 21 anos anteriores, porém, ele encarnou para a família — e, principalmente, para a mãe — um garoto evangélico que chegou a integrar o coral da Igreja Batista de Miguel Couto, em Nova Iguaçu.

— Deus me deu como filho Edmar, que era um doce de menino, e não Pai Bruno — emociona-se Dona Jussiara, de 53 anos.

Arrasada com a prisão do filho, no último dia 13, por ter extorquido dinheiro de um cliente, diz que é tudo obra do diabo — palavra com a qual seu filho ganhava a vida, mas que a evangélica se recusa a pronunciar. O “inimigo”, ela explica, se apossou de Edmar em 2010, quando ele, incentivado por amigos, passou a frequentar “centros de macumba”.

Os próprios parentes têm dificuldade para explicar como um jovem que sempre leu a Bíblia, e cresceu frequentando a Igreja, incorporou um adorador do diabo. Adepto da nova religião, acabou se afastando da mãe e dos irmãos, Jucimar e Luvimar, de 32 e 30 anos.

Leia Mais

Jesus não é Je$u$: Marcha COM Jesus em Curitiba

Douglas Rezende, no flickr

A Marcha COM Jesus em Curitiba 2012 foi muito melhor do que o esperado, a receptividade foi espantosa, pessoas vinham pedir panfletos, concordavam com as faixas e cartazes com aceno de cabeça e positivos. Outras vieram unir forças conosco, caminhões de som leram ao microfone o que estava sendo expresso e o pastor Hilquias da Batista Vila Lindóia pediu a bênção de Deus sobre as nossas vidas de cima de um dos carros de som.

Em 2010, em Campo Largo, a Marcha parou quando viram que não retiraríamos as faixas, então oraram pedindo “união” do “povo evangélico”. Em Curitiba, na mesma data, organizadores da “Marcha” quiseram que retirássemos a faixa sobre a “oração da propina”.

Neste ano de 2012 trouxemos o tema “Jesus NÃO É Je$u$. Poderes Políticos e econômicos precisam ser questionados e não bajulados. Se a Igreja está viva então não sepultemos o evangelho”, entre outros relacionados à ética na política.

Membros da Repas, Rede Paranaense de assistência social, vieram nos cumprimentar pelas faixas, fomos entrevistados por duas rádios e ambas nos cumprimentaram pela iniciativa… São mais motivos para orarmos, precisamos ter cuidado, não acredito que o que afirmamos seja consenso, mas quem sabe a partir desta iniciativa, desta pequena ação, o óbvio não comece a incomodar?

Veja + fotos aqui.

Leia Mais