Arquivo da tag: Sendo

Como uma atitude positiva pode aumentar sua expectativa de vida

heartrate-monitor-111220-600x499Guilherme de Souza, no HypeScience

Se você tem alguma doença cardíaca e é mal-humorado/estressado/rabugento, é bom mudar de atitude o quanto antes: isso pode salvar sua vida.

Em estudo publicado recentemente na revista Circulation: Cardiovascular Quality and Outcomes, pessoas com atitude positiva tiveram 42% menos chances de morrer em um período de cinco anos (um intervalo que, naturalmente, pode ser ainda maior).

Os pesquisadores analisaram informações de 600 pacientes com doença arterial coronariana (em que ocorre estreitamento das artérias que fornecem sangue aos músculos cardíacos) que foram tratados em um hospital da Dinamarca. Os participantes responderam em 2005 um questionário a respeito de sua (ou da ausência de uma) rotina de exercícios.

Ao longo do estudo, 80 pacientes faleceram, sendo que 30 (5% do total) tinham uma atitude positiva e 50 (8,3%) tinham uma atitude negativa.

Esse aumento na expectativa de vida pode ser explicado em parte porque, de modo geral, os pacientes com atitude positiva eram duas vezes mais propensos a manter uma rotina de exercícios, garantindo um impacto positivo na saúde. Os autores do estudo não souberam responder, contudo, o que veio antes: a atitude positiva ou a rotina de exercícios (uma vez que atividades físicas prazerosas podem melhorar o humor da pessoa).

A cardiologista preventiva Suzanne Steinbaum, do Hospital Lenox Hill (Nova York, EUA), lembra que uma visão de mundo positiva pode reduzir níveis de hormônios de estresse e de substâncias inflamatórias, além de incentivar a pessoa a manter hábitos saudáveis – como ter uma dieta balanceada, ter uma boa rotina de sono e evitar o consumo de tabaco. “Acho que é mais provável que as pessoas positivas cuidem mais de si mesmas e ajudem a si mesmas”. [LiveScienceCirculation: Cardiovascular Quality and Outcomes]

Jovens são agredidas após se beijarem em culto de Feliciano

Pastor e deputado federal acionou a polícia para expulsar jovens de evento.
‘Elas deveriam ter um pouquinho mais de juízo e me esquecer’, diz Feliciano.

feliciano2_1

Publicado no G1

O deputado federal e pastor Marco Feliciano (PSC-SP) mandou prender duas jovens que participavam do Glorifica Litoral, evento gospel que terminou neste domingo (15) em São Sebastião, no litoral norte de São Paulo.

As jovens de 18 e 20 anos de idade que dizem ser namoradas foram expulsas do evento depois de se beijarem durante a pregação do deputado como forma de protesto. Após acionar a segurança, Feliciano afirmou que elas ‘não têm respeito ao pai, à mãe e à mulher’.

“A Polícia Militar que aqui está, dê um jeitinho naquelas duas garotas que estão se beijando. Aquelas duas meninas têm que sair daqui algemadas. Não adianta fugir, a guarda civil está indo até aí. Isso aqui não é a casa da mãe joana, é a casa de Deus”, disse Feliciano para o fiéis presentes. Após terem sido removidas à força e algemadas por pelo menos seis guardas-civis municipais, por volta das 23h, as jovens foram encaminhadas para a delegacia. No caminho, elas afirmam que foram agredidas pelos guardas.

“Eles tiraram a gente do meio do povo e colocaram para dentro da grade. A partir do momento em que levaram a gente para debaixo do palco, me jogaram de canto na grade, deram três tapas na minha cara e começaram a torcer meu braço”, afirma a estudante Joana Palhares, de 18 anos.

A estudante Joana Palhares, de 18 anos, sendo retirada do evento (Foto: Reprodução/Facebook)

A estudante Joana Palhares, de 18 anos, sendo
retirada do evento (Foto: Reprodução/Facebook)

De acordo com a estudante Yunka Mihura, de 20 anos, também havia casais heterossexuais se beijando no local sem problema algum. “Foi completamente injusto e horrível. Nunca senti tanta impotência ao ver os policiais batendo nela, me segurando forte e eu não podendo fazer nada. Não tiraram a gente da grade, fomos jogadas”, diz.

O advogado das jovens, Daniel Galani, disse que vai abrir uma ação para apurar os responsáveis pela agressão. “A gente vê que foi uma situação que fugiu completamente ao controle. A gente sabe que existiam dois direitos em conflito: um é a liberdade de expressão e o outro a liberdade do ato religioso. Os dois direitos são constitucionais e estão previstos para que as pessoas possam fazê-los”, disse. Galani disse ainda que vai entrar com uma representação contra o deputado nesta segunda-feira (16).

Outro lado
Marco Feliciano disse que a atitude das jovens é um desrespeito ao culto religioso, ministrado por ele.  “Aquilo é desrespeito. Com isso eles me fortalecem e se enfraquecem, porque qualquer pessoa de bem sabe que em um ambiente religioso não é lugar de fazer o que aquelas pessoas fizeram. Eu lido de maneira natural e eles deveriam ter um pouquinho mais de juízo e me esquecer”, disse Feliciano após o término do culto. Como o deputado Feliciano tem foro privilegiado, ações desse tipo acabam sendo encaminhadas para o Supremo Tribunal Federal, para só depois chegarem ao político.

A estudante Yunka Mihura, de 20 anos, sendo levada pelos guardas (Foto: Reprodução/Facebook)

A estudante Yunka Mihura, de 20 anos, sendo
levada pelos guardas (Foto: Reprodução/Facebook)

Já a Prefeitura de São Sebastião informou que abriu uma investigação para apurar se houve excessos por parte dos guardas que estavam no local de plantão. Segundo a prefeitura, a Guarda Civil Municipal agiu inicialmente conversando com as manifestantes na tentativa de retirá-las do local com segurança.

Sky Go – Publicidade invisível através das janelas do Metrô

Sky_invisible_Ads-BoldnessOpenBlog1

publicado no Boldness

Que atire a primeira pedra quem nunca tirou um cochilo no metrô, no trem ou no ônibus mesmo. Pois é, agora imagine ouvir uma voz vinda do além, que só você escuta, enquanto está com a cabeça inocentemente encostada na janela? Calma, não é você ficando doido pelas horas de sono atrasado, é um novo meio de comunicação que pode surgir nos próximos anos.

Tudo parte de um simples aparelho, o Sky Go, que é acoplado no vidro do metrô e emite frequências de som inaudíveis a qualquer um, a não ser que você encoste a cabeça na janela, para tirar um cochilo.

Pode parecer uma invenção vinda direta do Futurama, ou dos Jetsons, mas na verdade essa tecnologia já vem sendo usada pelo exército há alguns anos e agora foi aprovada para ser comercializada normalmente. Com ela surge uma plataforma de comunicação com o consumidor, muito mais intima, pois só ele consegue ouvir, mas será que funciona?

Até que ponto essa nova mídia teria mais haters do que lovers? Vamos ter que esperar pra ver… Enquanto isso, deixamos o vídeo de divulgação abaixo:

Por falta de funcionários qualificados, Apple deve inaugurar loja em dezembro

Empresa tem 13 vagas abertas para trabalhar na loja do Rio de Janeiro e outras 10 na área de software e engenharia para São Paulo

noticia_79413

publicado no Administradores

A Apple Store já está sendo construída no segundo pavimento do Village Mall, complexo anexado ao Barra Shopping, no Rio de Janeiro. Mas o estabelecimento, que deveria ter sido inaugurado em julho, irá abrir as portas apenas no início de dezembro. Motivo: falta de profissionais qualificados, segundo os rigorosos padrões da empresa.

De acordo com a INFO, a inauguração está prevista precisamente para o dia 7 de dezembro, com um pequeno evento — mas isso só irá acontecer após a companhia preencher os quadros. Um funcionário nível “Genius” recebe aproximadamente R$ 5 mil, enquanto a remuneração para cargos de chefia chega a R$ 10 mil.

No total, ainda estão abertas 13 vagas nas funções de engenheiro de soluções, líder corporativo e encarregado de estoque, dentre outras. Além das vagas no setor de varejo, a Apple também precisa de 10 profissionais nos segmentos software, engenharia, administrativo e finanças para atuação em São Paulo (SP). Aplicações para trabalho na Apple Brasil podem ser feitas pelo hotsite de empregos da companhia.

O que você faria se não tivesse medo?

Rina Noronha, no Resumo da Ópera

Há uns meses eu li o livro “Faça Acontecer – Mulheres, trabalho e a vontade de liderar“, da Sheryl Sandberg, executiva fodona do Facebook. No livro, ela faz algumas considerações sobre os porquês de existirem tão poucas mulheres em cargos de liderança, entre outras coisas dentro da temática mulher e trabalho. O livro não é autoajuda, mas é, não sendo. Achei fenomenal. Me fez refletir muito, pensar muito em questões que – veja só! – não acontecem só comigo. Percebi que tem muita gente, muita mulher, que sofre de forma parecida.

Na mesma época, começamos a discutir o livro no grupo de email do LuluzinhaCamp. Eu falei um pouco dos meus medos e ouvi muita coisa. Papo vai, papo vem, de novo deu pra perceber que as questões eram bem similares, os medos muito parecidos.

Aí a Cátia Kitahara me marcou num post da The Period Store no Facebook (aliás, que ideia genial é essa loja!). O post tinha um vídeo. Esse vídeo:

Eu fiquei com a pergunta na cabeça. E consegui chegar a algumas respostas.

Mas o vídeo tá em inglês. E a legenda automática do youtube tá uma porcaria nele. Então eu resolvi transcrever e traduzir, porque posso nomear pelo menos umas 5 mulheres que pre-ci-sam ver o vídeo, mas não sabem inglês suficiente pra ver sem legendas.  Então, está aí a transcrição em português.

Obrigada, Marco, Nath, por me ajudarem na revisão da tradução :) (e se você aí vir alguma coisa pra corrigir ou melhorar na tradução, é só me avisar!)

Você pode comprar o livro em qualquer livraria. Eu tenho, mas esse é uma rara exceção que eu não empresto. Tem muita marcação pessoal demais :) Posso te dar um, se for o caso, mas não empresto o meu.

O Lean In virou uma organização e tem facebook, instagram, twitter etc. Tem todos os links na página do projeto.  Também tem um tumblr muito bacana pra inspirar a encarar os medos. Como uma das mulheres do vídeo fala, “não é sobre não sentir medo, mas é sobre conhecer o seu medo e fazer com que ele te impulsione”.

 

1) Eu acabei de ser indicada para o meu segundo Emmy e ainda não consigo dizer que sou uma escritora

2) Eu tenho um bom ouvido e uma boa voz, mas me sinto pouco confortável em me autodeclarar musicista

3) Uma bailarina clássica tem mais ou menos 1,65m, pernas e braços longos, dedos bonitos. E eu não sou assim.

4) Eu tenho medo de ser julgada

5) Eu tenho medo de parecer burra

6) Tenho medo de destoar dos demais

7) Tenho medo de fracassar.

<< Este ano, cerca de um milhão de mulheres vão terminar uma faculdade, onde foram preparadas para enfrentar o mundo. Elas estão prontas? >>

8) Elas criam essa ilusão de que vão para a faculdade e então encontrarão um emprego e se definirão, mas a verdade é que tem um monte de coisas puxando as mulheres para trás e as impedindo.

<< Desde bem cedo os meninos são encorajados a assumirem um papel de liderança, mas as meninas, não. Quando um menino toma a liderança, ainda que seja no playground do jardim de infância, ele é aplaudido, incentivado, e certamente não é criticado. Mas se uma menina age dessa forma, ela é chamada de mandona. Com o tempo, as crianças internalizam essas mensagens. >>

9) Sempre me disseram que minha melhor característica era ser dócil, bondosa, educada. Como que você descobre que… como perceber que não importa se todo mundo gosta de você ou não?

<< Estudos mostram que à época do término da graduação, mais homens do que mulheres se veem como líderes. Para muitas, o talento tem superado os medos. É preciso se perguntar “o que eu faria se não tivesse medo? >>

11) Uma vez eu ouvi que há duas formas de se encarar o medo: f…-se tudo e corra, ou encare tudo e se recupere.

12) Se eu não tivesse medo, teria estudado música na faculdade

13) Se eu me despisse de todo o medo, teria ido para aquela reunião e expressado as minhas ideias

14) Eu entraria na sala do meu chefe e exigiria um aumento.

15) Eu diria para aquele cara que assoviou para mim para ir se foder

<< Vamos mudar essa história. Vamos parar de ter medo. >>

16) É assustador, mas eu acho que vai ficar tudo bem.

17) Eu vou dizer o que penso.

18) Não é sobre não sentir medo, mas é sobre conhecer o seu medo e fazer com que ele te impulsione.

19) Eu vou conseguir falar sobre o meu medo

20) Eu não terei mais medo.

<< Como mulheres, precisamos tomar as rédeas do nosso sucesso, acreditar em nós mesmas, levantar as mãos, assumir riscos, precisamos vencer nossos medos. >>

<< Chegue em casa hoje e pergunte a si mesma: “o que eu faria se não tivesse medo?”. E então, vá e faça! >>