Mulheres são desafiadas a desenhar seus próprios seios; veja o resultado

publicado no Catraca Livre

Como as mulheres veem seus próprios seios? Para descobrir a resposta o site feminino The Cut entrevistou 57 mulheres nova-iorquinas, entre 17 e 72 anos de idade, e pediu a cada uma delas para que desenhassem e escrevessem uma frase explicando como se sentem em relação a eles.

Os desenhos foram os mais variados: cicatrizes, estrias, seios flácidos e até seios quadrados fazem parte das percepções que cada mulher tem de si.

Já entre as respostas coletadas aparecem frases como “Eu não tenho seios”, “Eles parecem aqueles sapatos holandeses”, “Às vezes é pesado e desconfortável” e “Eu amo meus seios!”.

55-898x1200

62-910x606

82-899x1200

92-910x606

103-910x606

118-910x606

123-910x606

313-898x1200

410-910x606

Leia Mais

Nova espécie de camarão que brilha no escuro pode ser a chave para vida alienígena

denselygroupedshrimp-main_1
publicado no O Globo

Camarões que rastejam em torno de chaminés de rochas que expelem água quente, no fundo do mar do Caribe, podem ser uma pista essencial sobre os tipos de vida que podem existir em ambientes extremos de outros planetas, segundo a NASA.

A nova espécie de crustáceo, batizada como Rimicaris hybisae, vive em bando, aglomerada, em fontes hidrotermais submarinas a 2.300 metros de profundidade, onde as temperaturas chegam a 400 graus Celsius e é muito, muito escuro. A água ao redor das fontes, no entanto, é morna o suficiente para que o camarão possa viver nela. Já a água extremamente quente que sai das aberturas é onde cresce o alimento desses animais. Esses camarões-vagalume, que brilham no escuro, se alimentam do carboidrato produzido pelas bactérias que vivem dentro das fendas. Eles são cegos, mas têm sensores térmicos na parte de trás de suas cabeças.

E o que isso tem a ver com os alienígenas? Se esssas bactérias podem sobreviver em condições tão extremas na Terra, talvez outros seres também sejam capazes de viver em ambientes semelhantes, em outros planetas, como, por exemplo, na gelada lua de Júpiter, Europa, que tem um oceano subterrâneo.

— Durante dois terços da história da Terra, a vida existiu apenas como vida microbiana”, diz Max Coleman, pesquisador sênior do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA, na Califórnia, em entrevista ao próprio site da agência espacial americana. “Na [lua] Europa, a melhor chance para a vida seria microbiana”.

Se os camarões comem o carboidrato produzido pelas bactérias, o que esses seres microscópicos comem então? Os cientistas explicam que as bactérias obtêm sua energia por meio de reações químicas, uma vez que o sulfeto de hidrogênio é abundante nas fendas submarinas, através de um processo chamado quimiossíntese, que funciona na ausência de luz solar. Elas utilizam o gás — que tem odor de ovos podres e carne em decomposição — para produzir matéria orgânica.

— Se um animal como este poderia existir na Europa depende muito da quantidade real de energia que é liberada lá, através de fontes hidrotermais — explica Emma Versteegh, uma estudante de pós-doutorado no laboratório.

Porém, se os camarões, que vivem na costa oeste de Cuba, não conseguem encontrar bactérias para produzirem carboidrato, eles não morrem. Se tornam carnívoros ou até canibais. Os pesquisadores encontraram pedaços de crustáceos nas entranhas dos camarões e, já que não há uma grande oferta de animais da família dos crustáceos nessa região, os cientistas acreditam que eles comem seus semelhantes quando necessário.

Leia Mais

‘Facebook para o trabalho’ deve ser lançado em janeiro

imagem
publicado na INFO

A versão do Facebook para ser usada no trabalho está quase pronta e será lançada no começo de janeiro, segundo informa o Wall Street Journal. A novidade, batizada de “Facebook at Work”, é testada por menos de uma dúzia de companhias e ainda está sendo finalizada.

O WSJ informa que o produto inicialmente será gratuito e sem publicidade. E será oferecido apenas a empresas que pedirem para participar.

É a terceira vez que essa iniciativa surge no noticiário. Na semana passada, o Financial Times trouxe a informação de que o produto já estava em testes e, em junho, o TechCrunch tratava pela primeira vez sobre o que então era chamado de “FB@Work”.

Ele teria um formato quase idêntico ao Facebook convencional, com feed de notícias, grupos e chat, mas sem fotos de família, baladas etc. Ao separar a vida pessoal dos usuários da profissional, o Facebook dribla a desconfiança de muitas empresas que bloqueiam o acesso à rede social para evitar distrações e ainda entra no mercado corporativo, hoje dominado por sites como LinkedIn.

Leia Mais

Um batedor de carteiras do bem presenteia mulheres sem que elas percebam

kleenex-embolsador

publicado no Brainstorm9

Diz a lenda que bolsa de mulher tem tudo. Quando ela tem filhos, então, a bolsa se torna praticamente uma edição especial daquela do gato Félix – algumas tem até band aind, para o caso do filhote se machucar.

Em uma divertida ação que queria colocar um pacotinho de lenços Kleenex para dentro das bolsas dessas mulheres, a marca criou o “Embolsador”, um “batedor de carteiras”, só que do bem – sem que elas percebessem, ele colocava presentes nas bolsas delas. O personagem é interpretado por Philip Blue, que com truques de ilusionismo consegue interagir com as moças, oferecendo algo que muda um pouquinho o dia delas.

Os presentinhos variaram desde pacotes de lencinhos (óbvio) até itens mais necessários para algumas dessas mulheres – vale conferir no vídeo o que ganharam a moça que está noiva e a que espera a chegada de um bebê em breve.

A criação é da agência Salve.

Leia Mais

Girafas a bordo: Interpol procura quem tenha visto animais voando

gira
publicado no O Globo

A Interpol divulgou esta semana uma nota pedindo que quem tenha visto girafas voando em um avião militar da Tanzânia para o Qatar avise a agência. O pedido faz parte de uma campanha da Interpol para localizar os suspeitos mais procurados por crimes ambientais no mundo.

A agência pede a ajuda do público para rastrear os nove principais suspeitos de crimes ambientais, e como ressalta Ioannis Kokkinis, agente da inteligência da Interpol, qualquer pista pode ser útil. Crimes como tráfico de vida silvestre, pesca ilegal, corte ilegal de árvores e comércio de marfim são alguns dos delitos cometidos pelos suspeitos.

Entre os nove mais procurados pela agência está Ahmed Kamran. Segundo a Interpol, Kamran teria pagado pelo transporte de impalas, espécie de antílope, e girafas vivas em um avião militar do Aeroporto Internacional de Kilimanjaro até o Qatar.

Leia Mais