Empresário planta 17.685 árvores e cria 1º parque linear de SP



Plantador

publicado no Catraca Livre

Dizem que há três coisas que um homem deveria fazer na sua vida: plantar uma árvore, ter um filho e escrever um livro. O empresário Hélio Silva, 63 anos, foi um pouco além: plantou 17.685 árvores, teve 3 filhos (e 2 netos) e já escreveu 49 páginas de um livro para inspirar as pessoas a cuidarem do planeta.

Foi caminhando por uma área degradada na avenida Carvalho Pinto, na Penha, zona leste de São Paulo, em 2003, que ele teve a ideia de transformar o local “na maior UBS [Unidade Básica de Saúde] a céu aberto da cidade”. As primeiras 500 mudas plantadas foram destruídas. “De cada 10 que eu plantava, arrancavam 8”, conta.

Mas ele persistiu e, 5.000 árvores plantadas e 40 meses depois, a prefeitura transformou o Tiquatira no primeiro parque linear (ao longo de rios) da cidade, levando para o local equipamentos de lazer e banheiros. Com mais de 170 espécies nativas da mata Atlântica, deve se tornar um dos maiores em biodiversidade.

Parque

São jequitibás, jatobás, paus-brasil, eritrinas, aroeiras, canelas, goiabas, amoras, ingás… “Conheço uma por uma e sei exatamente o dia em que foram plantadas”, afirma Hélio. Para atrair a fauna, a cada 12 árvores que ele planta, 1 é frutífera. E deu certo: vieram sabiás, sanhaços, saíras, tico-ticos, gaviões, papagaios. “De vez em quando é uma sinfonia só”, conta.

Faça chuva ou faça sol, diariamente Hélio está no parque, ou cuidando das árvores (fazendo covas, adubando, plantando, podando) ou caminhando. “É meu Lexotan natural”, brinca. “Agradeço, converso, pergunto como foi o dia ou a noite delas. E, por incrível que pareça, tenho todas as respostas.”

O dinheiro gasto comprando mudas e adubo, de R$ 1.000 a R$ 3.000 mensais, ele considera o maior investimento da sua vida. “O Tiquatira é meu patrimônio maior, que divido com todos. Dividir é muito melhor que somar para si mesmo”, pontua. E compara: “Ter uma árvore é muitíssimo parecido com ter um filho, mas os filhos são nossos, e as árvores, do coletivo”.

Área-degradada

E o que ele planeja para o futuro? “Já combinei com Deus que vou até os 87 anos e ainda vou plantar de 40 mil a 50 mil árvores. Tenho projetos interessantes a serem desenvolvidos para a comunidade, para o bairro, para a cidade, para o Brasil, para o planeta, para a vida.”

Leia Mais

Garoto usa giz para desenhar no chão. Quando perceberam o que era, todos já estavam emocionados

publicado no Awebic

A produção desse vídeo é realmente sensacional, em poucos minutos o vídeo consegue demonstrar o sentimento de uma criança que deve estar sentindo falta de alguma coisa.

Essa criança pega meia dúzia de giz e faz um desenho no chão que deixam as pessoas impressionadas e emocionadas ao mesmo tempo.

Só vendo o vídeo para saber do que estou falando, realmente foi de emocionar o que essa criança fez para suprir sua necessidade.

“Alguns de nós, ao contrário dos mais privilegiados, valoriza e deseja o amor materno. Ame e seja amado incondicionalmente. Adote uma criança“

Leia Mais

Montanhistas gravam erupção vulcânica que deixou 31 mortos no Japão

4z358apcwwu4svqwheo9pbxhp

publicado no iG

O momento da inesperada erupção foi registrada pela câmera de celular de um dos montanhistas que estavam no local.

Assista clicando no link abaixo:

Montanhistas gravam erupção de vulcão que matou 31 no Japão

Centenas de pessoas caminhavam pela montanha quando o vulcão entrou em erupção. A maioria conseguiu sair com segurança, mas muitos foram atingidos pela chuva de rochas e cinzas e nuvens de gás tóxico lançadas pelo vulcão.

O número de pessoas que ainda estão na região é incerto. Fumaça continuava saindo do vulcão nesta segunda-feira (29). Mais de 1.100 homens trabalham na operação de busca.

Leia Mais

Ensaio da vida selvagem africana produzida nos jardins zoológicos

publicado no Mistura Urbana

Ao primeiro olhar nessas belas fotografias do mundo selvagem, parecem terem sido feitas no habitat natural desses animais, mas não! As imagens da fotógrafa alemã Manuela Kulpa foram clicadas de dentro do jardim zoológico.

As fotos foram registradas em zoológicos da Alemanha, Bélgica, República Theca e Holanda, e traduzem os trabalhos de sete anos dela juntamente com seu marido, o também fotógrafo Stefan.

Ela revelou os desafios enfrentados durante a captura de animais do jardim zoológico, como indivíduos que não cooperam, cercas e grades ficando no caminho, má iluminação e pontos de vista limitados. Ela também acrescentou que a edição das imagens às vezes pode demorar até semanas ou mesmo meses.

Kulpa leva esses obstáculos no tranco, dizendo que ela aprendeu a ser paciente e que a maioria de suas melhores fotografias foram o resultado de momentos espontâneos. Lindo :)

African souls: V

African souls: XVII

African souls: II

African souls: IV

African souls: III

African souls: XVI

African souls: VI

Leia Mais

Personagem de “Os Simpsons” morre na estreia da 26ª temporada

a-serie-famosa-no-mundo-inteiro-vai-estar-em-produtos-do-boca-1381527416010_615x300

publicado no UOL

Alerta de spoilers: se você não quer saber quem morre, não continue a ler o texto

A série “Os Simpsons” se despediu de um de seus personagens na estreia norte-americana de sua 26ª temporada, que aconteceu no último domingo (28).

A vítima da vez na animação foi o rabino Hyman Krustofsky (dublado por Jackie Mason), pai do Palhaço Krusty. A morte veio quase um ano após ser revelado que um personagem da série morreria na nova temporada. Nesse meio tempo, fãs especularam sobre quem iria se despedir, com os nomes de Krusty e de Homer aparecendo como possíveis vítimas.

Al Jean, produtor executivo de “Os Simpsons”, afirmou em entrevista à revista “Hollywood Reporter” que não esperava que o mistério em torno da morte tivesse uma grande repercussão: “Foi algo que não prevíamos de qualquer forma como algo possível. Eu havia sugerido que fizéssemos um episódio em que o pai de Krusty morre e a última palavra dele para Krusty é ‘eh’. Pensei que seria engraçado e triste lidar com essa sendo a última coisa que seu pai lhe diz”.

O produtor ainda contou que a intenção era criar um episódio “emocionante”. “Queria ter certeza de que as pessoas soubessem que estávamos tentando criar um episódio emocionante sobre alguém que perde seu pai”, declarou.

Jean ainda disse que não acredita que os fãs ficarão desapontados com a morte – por conta do nome do episódio, “Clown in the Dumps” (Palhaço triste, em tradução livre), muitos esperavam que Krusty fosse a vítima.

“As pessoas queriam que Krusty morresse? Eu acho que não. Nós tomamos muito cuidado. Tudo o que dissemos foi muito verdadeiro em relação a quem morreria. Então, se você pensou sobre isso, você vai acertar e acho que você não vai ficar surpreso ou decepcionado. A forma como fizemos Krusty e seu pai se reconciliarem, mesmo que eles não possam… Fiquei muito feliz com a forma que conseguimos o sentimento que queríamos”.

Leia Mais