Você pode ter uma miniatura sua impressa em 3D por 150 reais

size_590_DSC_5305_bx (1)

publicado no Exame

Já pensou se você pudesse ter uma versão em miniatura de você mesmo? Há pelo menos duas empresas – Avatoys e MiniYou – que estão usando impressoras 3D para oferecer esse tipo de serviço.

Na próxima quinta (dia 21), a Avatoys abre um quiosque com essa finalidade no MorumbiShopping, em São Paulo.

Ao chegar no local, o interessado é escaneado por 15 segundos na pose desejada. Então, as imagens registradas são enviadas a um computador, que leva 50 minutos para processá-las.

Depois disso, uma impressora 3D imprime a miniatura em até quatro horas. Ela é feita de um pó composto de gesso, plástico e outros materiais.

Após a aplicação de resina protetora, o objeto está pronto para ser retirado. O prazo de entrega é de até cinco dias úteis.

“Já estamos pensando em abrir lojas em outras partes de São Paulo e no resto do país”, afirmou Caio Alegre, fundador e diretor-geral da Avatoys, em entrevista a EXAME.com.

MiniYou

A Avatoys não é a única empresa a usar impressoras 3D para fabricar miniaturas de pessoas. Em funcionamento há um mês, a MiniYou vem colhendo bons resultados na área.

A empresa usa uma tecnologia parecida com a da Avatoys para oferecer esse tipo de serviço. “Já vendemos mais de 100 miniaturas”, afirmou Raquel Topgian, uma das diretoras da MiniYou, em entrevista à EXAME.com.

A MiniYou funciona em um estúdio em Santana, na zona Norte de São Paulo. A empresa planeja abrir três espaços em shoppings paulistanos até o fim do ano. Em 2015, o plano é criar filiais em Belo Horizonte, Curitiba e Rio.

Segundo Raquel, o modelo de miniatura mais vendido pela MiniYou é o de 18 centímetros, que custa 699 reais. “Quanto maior é, mais real parece”, explica ela.

Além dele, a empresa oferece miniaturas de 10 centímetros (150 reais), 14 centímetros (249 reais) e 20 centímetros (899 reais). Já no caso da Avatoys, são oferecidas miniaturas de 10 centímetros (150 reais), 12 centímetros (200 reais) e 14 centímetros (250 reais).

Versões de miniatura com duas pessoas também estão à venda na Avatoys, custando – respectivamente – 220, 300 e 350 reais para modelos de 10, 14 e 20 centímetros.

A seguir, veja vídeo de divulgação da MiniYou:

Leia Mais

Vídeo mostra queda de avião que matou Eduardo Campos

thumb-544-momento-da-queda-do-aviao-resized

publicado na INFO

A Rede Globo divulgou nesta quarta-feira (20) imagens inéditas do momento exato da queda do jatinho que matou o candidato à Presidência da República, Eduardo Campos. O acidente também causou a morte de mais seis pessoas no dia 13 de agosto, em Santos, no litoral de São Paulo.

A câmera que registrou o acidente é de um prédio em construção que fica a cerca de 500 metros do local do acidente, no bairro do Boqueirão. É possível ver que o jatinho caiu de bico em alta velocidade após passar por dois prédios (veja o vídeo).

O vídeo demorou a ser divulgado porque o horário do sistema de monitoramento da câmera estava errado. De acordo com o Jornal da Globo, havia um erro no horário do equipamento, que marcava 11h03 quando o jatinho caiu. No entanto, o acidente aconteceu por volta das 10h.

O vídeo é o primeiro que mostra o avião no momento da queda. As imagens devem ajudar nas investigações para descobrir as causas do acidente.

O acidente – O candidato Eduardo Campos e mais seis pessoas morreram com a queda do jatinho de modelo Cessna 560XL, com prefixo PR-AFA. Também estavam no avião os assessores Pedro Valadares, assessor direto; Carlos Augusto Leal Filho (Percol), assessor de imprensa; Marcelo Lyra, cinegrafista; e Alexandre Severo, fotógrafo oficial, além dos pilotos Marcos Martins e Geraldo da Cunha.

A aeronave havia partido do Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, com destino ao Guarujá. O jatinho arremeteu antes do pouso por causa do mau tempo. Em seguida, o controle de tráfego aéreo perdeu contato com o jatinho.

A Força Aérea Brasileira (FAB) afirmou que a gravação da caixa-preta do jatinho não é do voo de Campos e sim de outro voo realizado dias antes. Atualmente, uma equipe de peritos está em Santos com o objetivo de apurar a causa do acidente.

99360-momento-da-queda-do-aviao

 

Leia Mais

Assim é a picada de uma água-viva em slow motion microscópico

1

publicado no Giz Modo

Se você já foi picado por uma água-viva, sabe como isso é incrivelmente doloroso. Os tentáculos deste cnidário estão cobertos de células explosivas, que agem como pequenas seringas hipodérmicas cheias de veneno. E no vídeo abaixo, você pode ver como isso funciona em câmera lenta microscópica.

As células, chamadas cnidoblastos, disparam uma estrutura carregada com toxinas, chamada de nematocisto. É mais ou menos como disparar um dardo envenenado, ou espetar uma agulha hipodérmica na pele:

2

Outras células nos tentáculos da água-viva sentem que uma presa está por perto ao detectar seu movimento, ou ao notar a presença de certas substâncias químicas. Isso causa um efeito cascata que obriga os cnidoblastos a absorver tanta água que eles liberam o veneno.

Você pode ver isso em mais detalhes no vídeo abaixo, do canal Smarter Every Day do YouTube. Nele, Destin conta com uma câmera de alta velocidade, um microscópio e um pesquisador da James Cook University, na Austrália, para mostrar como acontecem as picadas de medusas.

Leia Mais

Asteroide com mais de 1 km está vindo em direção à Terra e astrônomos não sabem como desviá-lo

092-184484

 

publicado no Jornal Ciência

Os pesquisadores, que estudam a rocha, dizem que ela gira tão rápido que deveria ter se quebrado, mas por uma estranha razão permanece intacta em sua trajetória em direção ao planeta Terra.

Astrônomos acreditam que ela permaneça sólida por forças de coesão, conhecidas como Van der Waals. Embora isso seja um grande avanço na pesquisa sobre os asteroides, os cientistas admitiram que não sabem ainda como pará-lo ou desviá-lo.

A descoberta foi feita por pesquisadores da Universidade do Tennessee. Pesquisas anteriores mostraram que asteroides são, na verdade, diversas “pilhas” de material rochoso soltos, porém unidos fortemente pela gravidade e pelo atrito. No entanto, a pesquisa da universidade mostrou que o asteroide denominado 1950 DA gira tão rápido que desafia essas forças.

092

Com 1.000 metros de diâmetro, ele gira rápido demais para seu tamanho. Esse ritmo deveria fazer a rocha se despedaçar, mas ela não demonstra nenhum sinal que isso irá ocorrer.

Com base nos dados que os cientistas conseguiram coletar, até o momento, a chance de impacto com a Terra é de 1 em 300, algo assustadoramente considerável, tornando-se uma chance real de colisão.

“Nós descobrimos que 1950 DA está girando mais rápido do que o limite de ruptura para sua densidade. Então, se apenas a gravidade estivesse segurando este monte de pedras em conjunto, como geralmente se supõe, elas voariam uma das outras. Portanto, forças de coesão devem estar segurando-as”, disse Joshua Emery, professor assistente no Departamento de Ciências da Terra e Planetária da universidade.

Na verdade, sua rotação é tão rápida que em seu equador ele tem a chamada ‘gravidade negativa’. Se um astronauta tentasse ficar em sua superfície, seria sumariamente arremessado para o espaço.

asteroid_animation

Algumas teorias acreditavam que os asteroides pudessem ter forças de coesão, mas até o momento isso não havia sido observado em nenhum. O estudo sobre 1950 DA foi publicado na revista Nature, despertando um interesse maciço dos cientistas em encontrar maneiras potenciais para defender a Terra.

O asteroide em questão poderá ser observado com mais detalhes a partir de 2032. Apesar do certo receio, existem vários aspectos que podem alterar sua trajetória: taxa de rotação, composição química, massa, interações gravitacionais com outros pequenos objetos cósmicos, etc.

 

092-2

Leia Mais

Campanha usa vilões famosos para incentivar doação de órgãos

vicover

publicado no Monster Box

Doação de órgãos não é um assunto que um dia achei que fosse ser mencionado aqui no meu blog, mas não é que eu estava enganado? Mesmo que indiretamente, hoje vim compartilhar com vocês uma série de trabalhos que aborda o assunto de forma inteligente e criativa. Uma série de trabalhos que abusam de uma sacada que tem tudo a ver aqui com o blog e com vocês que me acompanham.

Tudo isso é obra do diretor de arte brasileiro Felipe Franco. O cara criou uma série de pôsteres que apoiam a ideia de que podemos encontrar o bem dentro de todo mundo: até mesmo dentro de vilões. Com isso, Franco acabou criando uma das campanhas de incentivo a doação de órgãos mais legais que já vi nos últimos tempos.

Entitulada de “Something good” (“Algo de bom”, em inglês), a série traz imagens de vilões famosos como Darth Vader, Freddie Kruger e Adolf Hitler para ajudar a passar a mensagem de que todo mundo de algo de bom dentro de si que pode ser usado para ajudar o próximo, até mesmo vilões.

Espero que gostem, pois eu achei tudo muito incrível! Hahaha. Aí embaixo você vê alguns de meus favoritos e, para ver a série completa, vale a pena visitar o portfólio do artista. :)

Beijos e até a próxima!

 

vi01 vi02 vi03 vi04 vi05 vi06

Leia Mais