Arquivo da tag: Sérgio Pavarini

A empresa que faz vídeos sobre depressão e apoia quem precisa de ajuda

827_tabu1

PARCERIA
Ana Saad e Geison Luz, em São Paulo. Com problemas de infância parecidos, eles filmam histórias difíceis de vida (Foto: Filipe Redondo/ÉPOCA)

Publicado na Revista Época

Ana Maria Saad e Geison Ferreira Luz têm muito em comum. Além de ter passado por transtornos emocionais na infância, têm grande paixão pelo cinema. Juntos, fundaram a Pensamentos Filmados, que conta histórias de pessoas que, como eles, viveram em meio a tabus, como suicídio e depressão.

Ana, formada em hotelaria, sofria de depressão desde os 8 anos. Aos 23, a doen­ça lhe deu uma trégua e ela foi para Londres, onde durante um ano e meio estudou cinema. Quando voltou ao Brasil, os sintomas reapareceram. “Como não tratava a causa, tive uma recaída”, diz. Foi nessas condições, em 2006, que começou um curso de atuação. Lá conheceu Geison. Nascido em Jaboatão, interior de Pernambuco, ele não se sentia emocionalmente confortável. “Cresci num ambiente sem estímulos para me desenvolver. Era uma família religiosa, um presídio”, afirma ele. Em 1994, aos 12 anos, veio para São Paulo com sua mãe. No Sudeste fez teatro e, num dos cursos que frequentava, se encontrou com Ana. Como perceberam que tinham histórias de vida parecidas, em 2008 resolveram criar um projeto audiovisual. Assim nasceu a primeira obra, V.I.D.A., um curta-metragem que mostra a depressão do ponto de vista de quem sofre da doença. Inspirado na vida de Ana, o filme chamou a atenção. “Foi enviado no primeiro corte para o Festival de Brasília. Lá a sala teve lotação máxima. Aos poucos nos demos conta do tamanho do filme”, afirma Geison. Com o sucesso, a ideia de desenvolver um projeto social ganhou força. “Ana e eu entendemos que cinema não é algo que você coloca na prateleira.

É uma ferramenta para abrir o diálogo com as pessoas, sobre questões que incomodam.”
A partir daí, a Pensamentos Filmados começou a se moldar e a produzir outros filmes, tratando de outros temas delicados. O curta-metragem Solo fala sobre a solidão. Jogatina discute a psicopatia. Todos estão na internet, no site do projeto.

Para pagar os filmes, os fundadores da Pensamentos usaram o próprio dinheiro. “Fomos tentar pela Lei Rouanet e não conseguimos. Fui atrás de editais, não tive resposta. Não consegui apoio de empresas, mas muitas pessoas físicas ajudaram, ainda que de forma tímida”, afirma Ana. Ela faz bicos para conseguir o dinheiro. Os trabalhos vão de coaching para atores a aulas de inglês. Geison trabalha como caixa de um restaurante em São Paulo. “Para fazer nosso último projeto, tive de colocar R$ 1.000 do meu bolso, o Geison mais R$ 500, e todos os que trabalharam ali foram voluntários.”

827_tabu2

FILMES E CAUSAS
Capas dos DVDs da Pensamentos Filmados. Entre os temas: solidão, depressão, psicopatia e superação (Foto: Reprodução)

A ação trouxe resultados, principalmente entre quem sofre com os problemas retratados nas obras do projeto. Com os celulares disponíveis no site do projeto, os fundadores acabam se tornando orientadores de muitos que não sabem a quem recorrer. “Todo dia falo com gente que me procura nas redes sociais. Vou atrás de terapeutas e indico lugares que atendem de graça”, diz Ana. Uma ferramenta mais lúdica, como os vídeos, para disseminar conhecimento sobre temas tabus é bem-vinda. “Toda vez que alguém foge do normal das coisas e quer mostrar um outro lado, deve ser incentivado”, diz Adriana Rizzo, voluntária membro da comissão nacional de divulgação do Centro de Valorização da Vida (CVV).

Mesmo com as dificuldades financeiras, há planos de crescer. Para o futuro, a Pensamentos planeja embarcar em esquetes de humor para internet que transmitam alguma mensagem positiva. O plano é arrecadar dinheiro com a publicidade da exibição dos filmes no YouTube. “Serão temas de comportamento abordados de maneira cômica, trazendo uma reflexão”, afirma Geison. “Acredito que podemos mudar o mundo. Principalmente começando por nosso próprio mundo”, diz Ana.

Sacadas geniais em peças publicitárias

Doces Chupa Chups: Sem Açúcar

Doces Chupa Chups: Sem Açúcar 

Publicado no Desafio criativo

Empresas necessitam ir de encontro a seus consumidores, e uma das estratégias mais bem sucedidas é através da propaganda. Das mais variadas em forma, conteúdo e tipo de mídia, com frequência encontramos campanhas que entram para a História deste rentável porém competitivo mercado de publicidade.

As que listo hoje para vocês são um bom exemplo de propagandas impressas que alcançaram seu objetivo, ou seja, aproximaram a identificação da marca ao seu público. Apesar de estarem escritas em inglês, as peças publicitárias são visuais e, caso não tenha entendido de primeira não desista! Pense um pouco e entenderá o significado da mensagem passada. Divirta-se e lembre de comentar qual a que mais curtiu!

Ecovia: Pare Com a Violência [no trânsito]

creatives-ads-propaganda-criativa-dcriativo-desafio-criativo_01

Fio Dental Colgate

creatives-ads-propaganda-criativa-dcriativo-desafio-criativo_05

Telescópios Orion

creatives-ads-propaganda-criativa-dcriativo-desafio-criativo_012

Lentes Keloptic

creatives-ads-propaganda-criativa-dcriativo-desafio-criativo_013

McDonald’s: Wi-Fi Grátis

creatives-ads-propaganda-criativa-dcriativo-desafio-criativo_018

‘Curtir’ Não Está Ajudando: Seja Um Voluntário

creatives-ads-propaganda-criativa-dcriativo-desafio-criativo_023

Cada folha Produz CO2 – Plante Para o Planeta

creatives-ads-propaganda-criativa-dcriativo-desafio-criativo_025

Lego: Imagine

creatives-ads-propaganda-criativa-dcriativo-desafio-criativo_044

 

Vocalista fica famoso na web fazendo versões metal para músicas pop

Publicado no Judão

O jovem cantor norueguês Per Fredrik Åsly, que atende pela alcunha de Pellek, vem sendo apontado pelos críticos especializados como uma espécie de queridinho da atual safra do novo heavy metal europeu.

À frente de uma banda que leva seu nome, ele mostra talento executando um power metal altamente influenciado por nomes como Kamelot, Helloween, Masterplan e mesmo pelos brasileiros do Angra. Mas o curioso é que Pellek também tem mostrado sua perícia vocal fazendo curiosas (e, na maior parte dos casos, excelentes) versões heavy metal de canções pop como Get Lucky (Daft Punk), Happy (Pharrell Williams), Smooth Criminal (Michael Jackson) e mesmo a premiada Let It Go, tema do filme animado Frozen.

Além disso, também são bastante divertidas as suas rendições às músicas de abertura de séries e/ou de filmes como Homem-Aranha, Caça-Fantasmas, Duck Tales, Power Rangers, Dragon Ball Z, Game of Thrones, Bleach e por aí vai. Alguns exemplos selecionados podem ser encontrados abaixo – mas você pode dar uma boa fuçada no perfil do sujeito no YouTube.

27 respostas de provas que revelaram gênios da comédia

1. O que mais me espanta é que a resposta aparentemente foi passada a limpo.

139501421953263a4b69ee7.jpg

2. Uma imagem, então, nem se fala.

139501421953263a4b739fd.jpg

3. Tá amarrado, em nome de Jesus.

139501421953263a4b7f8c2.jpg

4. Estudo baseado em propagandas de televisão.

139501421953263a4b930c5.jpg

Nave para ‘turistas astronautas’ é mostrada

Ônibus espacial pertence à companhia comercial Virgin Galactic, do britânico Richard Branson

SpaceShipTwo foi desenvolvido na Califórnia - Divulgação

Rafaela Borges, no Estadão

A primeira nave espacial comercial de transporte de passageiros do mundo, a SpaceShipTwo, foi apresentada nesta segunda-feira, durante o Salão de Nova York, nos Estados Unidos. A nave pertence à companhia espacial comercial Virgin Galactic, do empresário britânico Richard Branson, fundador do grupo Virgin.

A Virgin Galactic aceitou cerca de US$ 85 milhões, aproximadamente R$ 187 milhões, em depósitos de mais de 700 indivíduos, o que é aproximadamente 20% mais do que o número total de pessoas que já foram para o espaço. A nova nave espacial foi desenvolvida para a frota de veículos da Virgin Galactic pela Scaled Composites, em Mojave, na Califórnia. O veículo vai permitir uma experiência de gravidade zero, com vistas do planeta a partir do espaço sideral para “turistas astronautas”.