Conteúdo marcado como Sim

Veja os pedidos de casamento mais românticos do mundo

Veja os pedidos de casamento mais românticos do mundo
Publicado em O Tempo Existe algo mais romântico que um pedido de casamento bem criativo? Vários casais de diversos países resolveram compartilhar suas experiências no site “HowHeAsked” (em português, “Como ele pediu”). E o que encontra por lá são histórias de deixar o “queixo caído”. Em um relato, uma noiva conta que foi pega de surpresa no topo de uma trilha no Havaí, quando o até então noivo, começou a […]

Assim surgiu a brincadeira da Girafa

Assim surgiu a brincadeira da Girafa
David Castillo, no Facebook Diabo: Precisamos pensar em uma nova estratégia para dominar a mente das pessoas. Sub-Diabo: Hum… deixa eu ver se descubro algo novo no Google. Diabo: Tá… mas antes deixa eu ver meu face. Sub Diabo: Isso chefe, o Face! Diabo: Que tem o Face? Deixei o meu aberto? Sub Diabo: Não chefe, o que eu quero dizer é que a gente tem q usar o Face […]

Os Primeiros Comentários

Os Primeiros Comentários
Por Rob Gordon, no Papo de Homem – Senhor? – Pois não? – Adão na linha nove. – Pode passar. – Só um minuto. – Alô? – Oi, Adão. Tudo bem? – Tudo. E o Senhor? – Tudo em ordem. Como posso ajudá-lo? – Eu liguei para tirar uma dúvida. – Pois não. – Foi o Senhor que fez o tatu cair do barranco? – Fui Eu que fiz o […]

Como um engenheiro ganhou 1,25 milhão de milhas aéreas comprando pudim

Como um engenheiro ganhou 1,25 milhão de milhas aéreas comprando pudim
  Publicado no Gizmodo Milhas aéreas são incríveis. Elas podem ser usadas para voos ou estadias gratuitas em hotéis, e, se você tiver sorte, também podem gerar ódio e desprezo de todos com quem você entra em contato e precisam pagar o preço inteiro quando viajam. O rei das viagens virtualmente gratuitas é David Phillips, um engenheiro civil que também é professor da Universidade da Califórnia. David ganhou destaque na […]

Gustavo Ioschpe: devo educar meus filhos para serem éticos?

Gustavo Ioschpe: devo educar meus filhos para serem éticos?
Gustavo Ioschpe, na Veja on-line Quando eu tinha uns 8 ou 9 anos, saía de casa para a escola numa manhã fria do inverno gaúcho. Chegando à portaria, meu pai interfonou, perguntando se eu estava levando um agasalho. Disse que sim. Ele me perguntou qual. “O moletom amarelo, da Zugos”, respondi. Era mentira. Não estava levando agasalho nenhum, mas estava com pressa, não queria me atrasar. Voltei do colégio e […]