Turco Louco lança o Manifesto #AquiJaz

Alberto Hiar, o Turco Louco, e um casal de modelos posam com cruzes do Manifesto #AquiJaz no centro de SP (foto: Raquel Cunha/Folhapress)
Alberto Hiar, o Turco Louco, e um casal de modelos posam com cruzes do Manifesto #AquiJaz no centro de SP (foto: Raquel Cunha/Folhapress)

Publicado por Mônica Bergamo

“Vamos renascer das cinzas”, escreveu o cantor Otto na cruz de madeira do “kit de protesto” que ganhou de Alberto Hiar, o Turco Louco, na noite da segunda-feira passada, em um restaurante japonês da Liberdade, em SP.

*

O músico era um dos 20 convidados do dono da Cavalera para o lançamento informal do Manifesto #AquiJaz, que vai estar também na passarela da SPFW amanhã, quando a marca apresenta a coleção Woodstock em Bali.

O músico Otto foi um dos artistas que aderiram ao manifesto #AquiJaz: "Vamos renascer das cinzas", escreveu em sua cruz
O músico Otto foi um dos artistas que aderiram ao manifesto #AquiJaz: “Vamos renascer das cinzas”, escreveu em sua cruz

Por aqui, o Turco Louco tenta com a iniciativa fazer o máximo de gente acreditar que é tempo de mudanças. “Estas cruzes são uma ferramenta para que as pessoas possam se manifestar e dar sinais das angústias e medos que estão atormentando a todos nós brasileiros”, explicou à repórter Eliane Trindade.

*

Hiar, que teve quatro mandatos —dois de vereador e dois de deputado estadual—, saiu da política partidária há sete anos. “Desisti. Cansei do discurso solitário”, declarou aos parceiros reunidos à mesa, entre eles Paulo Borges, diretor da SPFW, e os cantores Jairzinho e Max de Castro.

O cantor Jairzinho durante o lançamento do manifesto #AquiJaz, na segunda (24)
O cantor Jairzinho durante o lançamento do manifesto #AquiJaz, na segunda (24)

Em vez de faixas e cartazes, os manifestantes do #AquiJaz vão se expressar em cruzes de madeira branca, distribuídas com uma caneta hidrocor. Cada um é convidado a escrever na sua o que deseja enterrar ou ver nascer.

*

“Gosto do simbolismo de morte e renascimento”, diz Otto, que promete “carregar sua cruz” na próxima Virada Cultural. Max de Castro vai enterrar a sua na frente de um banco: “$$$$, Ganância, Revólver, Violência”.

*

É essa a ideia. A inspiração de Hiar foram as cruzes que cruzam o seu caminho rumo à praia de São Sebastião, no litoral norte. “Sempre que passo por uma cruz na estrada fico pensando como a pessoa morreu. Foi a imprudência que tirou aquela vida e tantas outras?”

O músico Max de Castro também aderiu ao movimento
O músico Max de Castro também aderiu ao movimento

Numa de suas cruzes plantadas na praça da Sé na quarta-feira, ele pede o fim da impunidade. “O que mais me incomoda é o cara matar para roubar um celular e saber que nada acontece com ele. Tá todo mundo com medo.” (mais…)

Leia Mais

Persona Invisible

Publicado por Murilo Bispo

Estava a caminho da ETEC quando vi os coletores pegando o lixo e jogando no caminhão, algumas pessoas passavam tampavam seus narizes e fingiam não enxergar o que acontecia. Isso infelizmente é muito comum, não só com os coletores mas com muitas outras profissões em que as pessoas ficam praticamente invisíveis para o resto do mundo, na hora em que pensei sobre isso abri meu caderninho no meio da rua e rabisquei a ideia para não perder o time.

Depois busquei mais informações uma boa base conceitual e terminei a execução por coincidência no dia do trabalho (1 de maio), acho que a função do design deve ir além de fazer coisas bonitas para o público, meu papel como designer também deve ser conscientizar e fazer as pessoas pensarem a respeito da forma que levam suas vidas. Optei por utilizar pictogramas, pela linguagem simples e versatilidade.

Conceito:

Na Psicologia Analítica (Jung), é dado o nome de persona à função psíquica relacional voltada ao mundo externo, na busca de adaptação social. Jung usou este termo para mostrar a maneira como uma pessoa adapta-se ao mundo, sua máscara, sua maneira de ser socialmente. Essa máscara é necessária para nos adaptarmos à vida e sobrevivermos em sociedade.

Este projeto é acima de tudo, um manifesto e crítica sobre a má educação de algumas (muitas) pessoas que passam diariamente ao lado destes honrados e dignos profissionais, ignorando-os.

Para aqueles que quando precisam correm para perguntar e pedir, sem nem lembrar de agradecer depois ou para aqueles que não dão bom dia, boa tarde, boa noite, por não achar necessário cumprimentar estes profissionais. Também para aqueles que simplesmente não os enxergam, por ter uma visão limitada de mundo e já estarem condicionados a uma associação cromática entre a cor dos uniformes e a cor dos ambientes em que estão inseridos, automaticamente excluindo-os do seu campo de visão.

Infelizmente, para alguns são personas invisibles.

Pense um pouco como seria se sentir invisível, cheio gente ao seu redor. Algumas pessoas ainda não entenderam que todo trabalho tem o seu valor.

0165458b87ef852dfe866b68b92b1bed e03d00e052eafabfae026929eac51fcd b0bd1e5e9d3cfba9d9cae39df02948b2 a4f740228f1d0df680aded7128fc19a3 bfc4d8a47df52d809ae7004683ddf7a4 10b10b7aef03d435bc857a14ec7b8b09 9f4aa54584f1f19f4960856f73fad24e e81fb0ec8bbd8af49d60331d2832b207 7e0c5c3ee1b1862b247a30561836c856 4fd14e37703f60e170a99266e6ce447a ca54593d1d718aab7d28d351c4030075 09862f4d7d8704384744411f68076965

Leia Mais

‘Fui assassinada’, diz mulher que criou ONG contra ‘vingança pornô’

‘Marias da Internet’ foi criada para ajudar vítimas de crimes pela internet.
ONG completa um ano e já salvou algumas vidas, afirma Rose Leonel.

A jornalista Rose Leonel foi vítima de um crime pela internet, em 2008 (Foto: Arquivo pessoal)
A jornalista Rose Leonel foi vítima de um crime pela internet, em 2008 (Foto: Arquivo pessoal)

Erick Gimenes, no G1

A ONG Marias da Internet existe há um ano e já salvou algumas vidas, segundo a criadora dela, Rose Leonel, que mora em Maringá, no norte do Paraná. O trabalho é feito para ajudar mulheres que foram vítimas de ‘vingança pornô’, ou seja, que tiveram fotos ou vídeos íntimos espalhados pela internet por ex-companheiros.

“Crimes como esses acabam com a vida da vítima. É um crime que não se apaga. A imagem sempre vai estar na internet, já foi espalhada. Posso te dizer que, depois de passar por isso, a pessoa morre, moralmente e até fisicamente, em casos de adolescentes que não resistem a todo esse julgamento da sociedade, por exemplo. Meu objetivo é dar alento, dar a mão, dizer: ‘Olha, eu estou aqui e já passei por isso. Quero ajudá-la a salvar sua vida’”, explica a jornalista.

Rose é uma das muitas mulheres que vivenciaram e sofreram com a exposição causada por homens com quem se relacionam. Há oito anos, o ex-noivo divulgou fotos íntimas dela pela internet porque, de acordo com a jornalista, não aceitou o fim do noivado. Além de divulgar as imagens, ele ainda insinuou em redes sociais que ela era uma garota de programa. Rose entrou na Justiça e, em 2010, ganhou a causa.

“Fui assassinada. Fui morta moralmente. Hoje, eu ainda estou em recuperação, dia a dia. Não vai passar. Eu sofri com isso e decidi criar a ONG no auge da minha dor. Eu sei o que é estar desamparada em um momento desses. Em muitos casos, até a família se afasta e vira o rosto para você”, afirma Rose.

Como funciona

'É a minha bandeira', diz jornalista sobre a ONG Marias da Internet (Foto: Reprodução)
‘É a minha bandeira’, diz jornalista sobre a ONG
Marias da Internet (Foto: Reprodução)

A ONG funciona exclusivamente pela internet, como uma consultoria para vítimas de crimes virtuais. Por meio do site da Marias da Internet ou pelo Facebook, as mulheres contam as histórias pelas quais passaram, em mensagens que chegam diretamente para Rose. A jornalista lê, analisa e entra em contato com a pessoa que precisa de ajuda.

O primeiro passo é sempre o mesmo: oferecer uma palavra amiga, segundo ela. “Faço os primeiros socorros”, define. “Ligo para a pessoa e tento ouvi-la. Conto o que passei e acalmo a vítima. Tento mostrar que existe vida após um crime na internet”.

Depois da primeira conversa, Rose entra em contato com uma equipe de profissionais especializados em crimes pela internet, para oferecer assessoria à vítima. No time há advogados, peritos digitais e psicólogos, por exemplo – todos voluntários.

O grupo se mobiliza e aconselha a vítima sobre o que fazer e como agir a partir do crime. Além disso, os voluntários da ONG, incluindo Rose, também visitam escolas e proferem palestras em locais para os quais são convidados.

“O objetivo é informar, orientar e dar suporte para as vítimas. Sou uma mulher que quer lutar por todas as outras mulheres. Isso me fortalece, me faz caminhar. Me sinto sendo útil erguendo essa bandeira, tendo essa missão”, ressalta Rose. “Que bom seria se eu tivesse a oportunidade de conversar com todas as mulheres que passaram por isso. Quantas vidas seriam salvas, não é mesmo?”.

Onde encontrar
Qualquer mulher pode entrar em contato com a Marias da Internet para pedir ajuda, por meio do site da ONG ou pela página dela no Facebook.

Leia Mais

23 fotos que provam que a sociedade está perdida

Publicado no BuzzFeed

1. Essa foto de velhas amigas recordando sobre os bons e velhos tempos durante um brunch delicioso:

enhanced-buzz-3832-1371655608-27

2. Essa foto adorável de almas gêmeas se encontrado pela primeira vez.

enhanced-buzz-4333-1371655695-10

3. Essa foto de formandos indo embora da escola pela última vez, finalmente livres das algemas da educação.

enhanced-buzz-12189-1371655752-12

4. Essa foto inspiradora de fãs torcendo pelo seu time em uma importante final:

enhanced-buzz-24661-1371655696-10

5. Essa foto de amigas se deliciando com uma pizza:

enhanced-buzz-25649-1371658354-40

6. Essa foto de uma família maravilhosa agradecendo todas as sua bênçãos em um jantar de Ação de Graças.

enhanced-buzz-29144-1371657871-2

7. Essa foto de melhores amigas partindo para uma viagem de carro que vai mudar as suas vidas.

enhanced-buzz-11486-1371655695-27

8. Essa foto de adolescentes aproveitando as suas últimas férias de verão, que sem dúvida irá mudar as suas vidas:

enhanced-buzz-22954-1371655697-11

9. Essa foto de amigos discutindo as complexidades do amor e da vida enquanto degustam um bom vinho.

enhanced-buzz-12532-1371655698-18

10. Essa foto de cortar o coração de um irmão e uma irmã se reencontrando após uma década de separação.

enhanced-buzz-10712-1371655699-31

11. Essa foto de pessoas que gostam de ir a museus pra ver quadros lindos do Thomas Cole pela primeira vez, o tipo de arte que leva alguém às lágrimas.

enhanced-buzz-13722-1371655698-9

12. Essa foto de amigos muito animados durante um esquenta antes do jogo do ‘Niners.

enhanced-buzz-12519-1371655714-41 (mais…)

Leia Mais