Namorada traída faz jogo de “caça ao tesouro” com coisas do namorado

Carta da namorada traída para o namorado
Carta da namorada traída para o namorado

Publicado originalmente no F5

Uma namorada traída encontrou uma solução criativa para se vingar do namorado.

Ela deixou uma carta, em tom irônico, dando dicas de onde escondeu cada uma das coisas dele.

“Olá querido!
Adivinha só quem esqueceu o Facebook aberto e recebeu uma mensagem da Kelsi? É! Você!
Mas não se preocupe, eu não quebrei nada! Na verdade, fui boazinha e até empacotei suas coisas para você.
E ainda inventei um jogo divertido, já que você gosta tanto de procurar coisas (outras mulheres, por exemplo).
É aqui que você vai encontrar suas coisas:
- suas roupas estão onde nos conhecemos
- seus videogames estão onde demos nosso primeiro beijo
- seu laptop está onde compramos nosso primeiro videogame juntos
- sua TV está onde chegamos aos “finalmentes”
- todo o resto, incluindo fotos dos últimos dois anos de nossas vidas está na casa da Kelsi!

Divirta-se! Ah, e já que eu não destruí suas coisas, não posso garantir que alguém não vá encontrá-las primeiro que você! Boa caça!”

A carta foi compartilhada na rede social Imgur e já soma mais de 870 mil visualizações.

dica da Camila Freitas

Leia Mais

Igreja Batista paga estudos de Beira-Mar por crer na ‘restauração do ser humano’

Traficante condenado a 200 anos de prisão começou a cursar teologia.
Ele está preso na Penitenciária Federal de Catanduvas e estuda à distância.

Igreja Batista do Bacacheri fica em Curitiba e financia estudos de Beira-Mar (Foto: Adriana Justi/G1)
Igreja Batista do Bacacheri fica em Curitiba e financia estudos de Beira-Mar (Foto: Adriana Justi/G1)

Samuel Nunes, no G1

O administrador da Igreja Batista do Bacacheri, em Curitiba, Francisco Sales Gomes Neto, afirmou ao G1 que a instituição decidiu pagar a faculdade de teologia do traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar por acreditar que qualquer pessoa pode ser transformada. “Nós cremos realmente em Deus e na restauração de qualquer ser humano”, disse.

Beira-Mar está preso na Penitenciária Federal de Catanduvas, no oeste do Paraná, desde 2012. Na terça-feira (12), ele foi condenado pela Justiça do Rio de Janeiro a mais 80 anos de prisão, por homicídio qualificado, chegando à soma de 200 anos com todas as penas. Um dia antes, começou o curso de teologia à distância, pela Faculdade Teológica Batista do Paraná, ligada à igreja que financia os estudos.

Gomes Neto explicou que o pedido para fazer o curso partiu do próprio Beira-Mar, por meio de um capelão que faz trabalhos sociais junto aos presos de Catanduvas. O pedido chegou à igreja, que, então, optou por pagar o curso ao traficante. Ele explica que a igreja promove uma série de trabalhos com pessoas em situação de risco, como prostitutas pessoas que têm problemas com as drogas.  “Faz parte da nossa missão, dar o recurso para ele e qualquer outro fazer o curso”, completou .

‘Dar a mão e ajudar’

Francisco é o administrador da Igreja Batista em Curitiba (Foto: Adriana Justi/G1)
Francisco é o administrador da Igreja Batista em
Curitiba (Foto: Adriana Justi/G1)

“Com os presos, seguimos todos os passos necessários para deixar tudo certo. Vamos ao Ministério da Justiça, buscamos autorização quando é necessário. Nós queremos dar a mão e ajudar pessoas”, conta o administrador.” Francisco diz ainda que a igreja não quer se promover com a repercussão dos estudos de Beira-Mar.

Ainda de acordo com Gomes Neto, a igreja dá todo o apoio necessário a pessoas que pretendem buscar a palavra de Deus. “Não temos acepção de pessoas”, garante.

Apesar de ter demonstrado o interesse de estudar teologia, Beira-Mar ainda não se converteu à Igreja Batista, segundo o administrador. “O que vai ser a vida dele, só ele vai decidir e Deus”, disse Gomes Neto, citando ainda uma passagem bíblica. “Ele tem que pagar por tudo aquilo que fez aqui”, afirma o administrador.

Estudos
O diretor da instituição onde Beira-Mar fará o curso, Jaziel Guerreiro Martins, disse que como o traficante não pode acessar a internet, as apostilas semestrais serão enviadas até o presídio de Catanduvas. “Quando tiver aula presencial e na aplicação da prova, será feito um sorteio entre os professores da faculdade para eles irem até lá”, explicou. As disciplinas são divididas em eixos interdisciplinares – filosófico, histórico, social, metodológico, teológico, bíblico e sociopolítico.

De acordo com a instituição, para ser aprovado no vestibular Beira-Mar fez uma redação com base em uma reportagem sobre extremismos religiosos no Brasil e tirou 7,4. A mensalidade do curso pago pela igreja custa R$ 242 por mês. O Departamento de Execuções Penais (Depen) informou que a cada 12 horas de estudo, o preso tem direito à reduzir em um dia a pena, conforme a Lei n.º 12.433/2011. O tempo do curso é de 3.180 horas e será concluído em quatro anos.

Leia Mais

Tallinn é primeira capital europeia com transporte público grátis

publicado na Folha de S. Paulo

Tallinn, na Estônia, se tornou em 2013 a primeira capital europeia com transporte público gratuito para todos os seus habitantes, uma forma de reduzir os engarrafamentos e a contaminação.

Desde o começo do ano, os moradores da cidade têm que apresentar um novo cartão ao embarcar em ônibus, bondes ou trólebus, mas o trajeto é totalmente gratuito.

“Ainda é tão novo que muitas vezes me esqueço”, admitiu à AFP Pavel Ilmajarv, um jovem de 19 anos, ao embarcar em um ônibus no centro da capital estoniana. “Antes, tinha um cartão mensal e não precisava apresentá-lo toda vez. Mas não vou me queixar: a gratuidade dos transportes é superprática, adoro”, afirmou,

A gratuidade é reservada aos 420 mil moradores de Tallinn. Só é preciso pagar dois euros pelo cartão magnético pessoal que comprova a residência.

“Tivemos esta ideia há um ano e constatamos que nas primeiras semanas o número de pessoas que usa os transportes públicos aumentou, portanto decidimos aumentar o número de ônibus em serviço”, afirmou à AFP o prefeito adjunto de Tallinn, Taavi Aas. A metade dos moradores da capital já utilizou o novo sistema, segundo a prefeitura.

Raigo Pajula/France Presse
Passageiros em ônibus de Tallinn, primeira capital europeia a oferecer transporte gratuito
Passageiros em ônibus de Tallinn, primeira capital europeia a oferecer transporte gratuito

Mas para o município, a gratuidade tem um custo. “Este ano, ficaremos sem os 12,4 milhões de euros da venda de bilhetes, uma soma que cobriria 23% da totalidade dos custos do transporte público de Tallinn”, explicou Toomas Pirn, porta-voz da prefeitura.

“Uma parte deste valor será compensada pelo aumento dos impostos correspondentes à chegada de novos moradores. Este ano, a população aumentou em 3.686 pessoas e continua aumentando”, acrescentou.

Muitas pessoas que até agora declaravam sua residência de verão como a principal se registraram em Tallin para poder se beneficiar da gratuidade dos transportes e assim contribuem para aumentar os ganhos do município, pagando impostos localmente.

O objetivo da operação é lutar contra os engarrafamentos e a contaminação.

“Esperamos limitar o número de veículos em circulação na cidade e reduzir a contaminação do ar. Segundo os estudos, os veículos são os maiores contaminadores em Tallinn”, afirmou Pirn.

Leia Mais

Igrejas arrecadam R$ 20 bilhões no Brasil em um ano

Flávia Foreque, na Folha de S.Paulo

Em um país onde só 8% da população declaram não seguir uma religião, os templos dos mais variados cultos registraram uma arrecadação bilionária nos últimos anos.

Apenas em 2011, arrecadaram R$ 20,6 bilhões, valor superior ao orçamento de 15 dos 24 ministérios da Esplanada –ou 90% do disponível neste ano para o Bolsa Família.

A soma (que inclui igrejas católicas, evangélicas e demais) foi obtida pela Folha junto à Receita Federal por meio da Lei de Acesso à Informação. Ela equivale a metade do Orçamento da cidade de São Paulo e fica próxima da receita líquida de uma empresa como a TIM.

A maior parte da arrecadação tem como origem a fé dos brasileiros: R$ 39,1 milhões foram entregues diariamente às igrejas, totalizando R$ 14,2 bilhões no ano.

Além do dinheiro recebido diretamente dos fiéis (dos quais R$ 3,47 bilhões por dízimo e R$ 10,8 bilhões por doações aleatórias), também estão entre as fontes de receita, por exemplo, a venda de bens e serviços (R$ 3 bilhões) e os rendimentos com ações e aplicações (R$ 460 milhões).

Sérgio Lima/Folhapress
Lucilda da Veiga paga dízimo com cartão de débito em igreja evangélica de Brasília
Lucilda da Veiga paga dízimo com cartão de débito em igreja evangélica de Brasília

“A igreja não é uma empresa, que vende produtos para adquirir recursos. Vive sobretudo da doação espontânea, que decorre da consciência de cristão”, diz dom Raymundo Damasceno, presidente da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil).

Entre 2006 e 2011 (último dado disponível), a arrecadação anual dos templos apresentou um crescimento real de 11,9%, segundo informações declaradas à Receita e corrigidas pela inflação.

A tendência de alta foi interrompida apenas em 2009, quando, na esteira da crise financeira internacional, a economia brasileira encolheu 0,3% e a entrega de doações pesou no bolso dos fiéis. Mas, desde então, a trajetória de crescimento foi retomada.

Editoria de Arte/Folhapress

IMPOSTOS

Assim como partidos políticos e sindicatos, os templos têm imunidade tributária garantida pela Constituição.

“O temor é de que por meio de impostos você impeça o livre exercício das religiões”, explica Luís Eduardo Schoueri, professor de direito tributário na USP. “Mas essa imunidade não afasta o poder de fiscalização do Estado.”

As igrejas precisam declarar anualmente a quantidade e a origem dos recursos à Receita (que mantém sob sigilo os dados de cada declarante; por isso não é possível saber números por religião).

Diferentemente de uma empresa, uma organização religiosa não precisa pagar impostos sobre os ganhos ligados à sua atividade. Isso vale não só para o espaço do templo, mas para bens da igreja (como carros) e imóveis associados a suas atividades.

Os recursos arrecadados são apresentados ao governo pelas igrejas identificadas como matrizes. Cada uma delas tem um CNPJ próprio e pode reunir diversas filiais. Em 2010, a Receita Federal recebeu a declaração de 41.753 matrizes ou pessoas jurídicas.

PENTECOSTAIS

Pelo Censo de 2010, 64,6% da população brasileira são católicos, enquanto 22,2% pertencem a religiões evangélicas. Esse segmento conquistou 16,1 milhões de fiéis em uma década. As que tiveram maior expansão foram as de origem pentecostal, como a Assembleia de Deus.

“Nunca deixei de ajudar a igreja, e Deus foi só abrindo as portas para mim”, diz Lucilda da Veiga, 56, resumindo os mais de 30 anos de dízimo (10% de seu salário bruto) à Assembleia de Deus que frequenta, em Brasília.

“Esse dinheiro não me pertence. Eu pratico o que a Bíblia manda”, justifica.

Leia Mais

Os pastores mais ricos do Brasil

Anderson Antunes, na Forbes Brasil

Mesmo sendo um país predominantemente católico, são 64,6% da população, o número de evangélicos está em crescimento e já soma 22,2% dos brasileiros, ante os 15,4% de uma década atrás.

Novo ranking FORBES traz as fortunas dos cinco pastores mais ricos do Brasil. A lista foi estimada segundo dados do Ministério Público e da Polícia Federal, assim como em reportagens publicadas na imprensa nacional.

Os pastores mais ricos do Brasil - 1 (© Edir Macedo Reprodução)

1º) Edir Macedo

Igreja Universal do Reino de Deus

Fortuna: US$ 950 milhões

Os pastores mais ricos do Brasil - 1 (© Edir Macedo Reprodução)

2º) Valdemiro Santiago

Igreja Mundial do Poder de Deus

Fortuna: US$ 220 milhões

Os pastores mais ricos do Brasil - 1 (© Edir Macedo Reprodução)

3º) Silas Malafaia

Assembleia de Deus

Fortuna: US$ 150 milhões

Os pastores mais ricos do Brasil - 1 (© Edir Macedo Reprodução)

4º) R.R. Soares

Igreja Internacional da Graça de Deus

Fortuna: US$ 125 milhões

Os pastores mais ricos do Brasil - 1 (© Edir Macedo Reprodução)

5º) Estevam Hernandes Filho e Sonia Hernandes

Igreja Renascer em Cristo

Fortuna: US$ 65 milhões

Clique aqui para ler a matéria na íntegra (em inglês)

dica do Rafael Alexandre dos Santos

Leia Mais