Arquivo da tag: tarefas

9 dicas para gerenciar melhor o tempo em 2013

Luiza Tenente, na Revista PEGN

Saiba como ser eficiente e administrar seu horário, sem sacrifícios

Empreendedores, normalmente, não têm rotina. Querem aproveitar o expediente para resolver o maior número possível de tarefas. Além de sentirem-se exauridos, têm dificuldade de conciliar a correria da profissão com a família, o descanso, a consulta médica, o horário de almoço… É possível ser eficiente e não se estressar? Quem tenta resolver esse desafio dos negócios é Christian Barbosa, empreendedor, especialista em gerenciamento de tempo e fundador da Triad Productivity Solutions, consultoria em produtividade. Confira as dicas dele:

1. Sempre registre suas tarefas: É comum que os empreendedores sintam-se perdidos porque não organizam os compromissos do dia. “Mas não adianta fazer umas anotações em post-its, outras no computador e algumas na agenda”, afirma Barbosa. “Eleja uma única plataforma e registre tudo ali.”

2. Não deixe tudo para a última hora: Ao escrever quais são as suas tarefas, pense sempre no prazo de três dias. Não adianta, pela manhã, planejar o que fará na mesma data. Ter um tempo à frente facilitará sua organização.

3. Planeje em conjunto: Não adianta seguir a estratégia de registrar as tarefas sozinho. “O ideal é que, toda sexta-feira, a equipe faça uma reunião de meia hora para eleger quais são os compromissos mais urgentes da semana seguinte”, diz o empreendedor.

4. Aprenda a delegar: De acordo com Barbosa, é comum que o empreendedor tenha aberto um negócio por possuir uma habilidade individual. E que, por isso, ele centralize a maior parte das tarefas da empresa. Mas não caia nessa cilada: delegue e faça com que todos da equipe criem um trabalho excepcional. “Treinar os funcionários, ouvir os clientes e prestar atenção na concorrência são deveres do empreendedor. Ele deve parar de fazer e aprender a olhar”, diz o especialista. Isso colaborará para que sobre tempo na sua agenda.

5. Descanse: Não adianta querer se enganar. Nenhum empreendedor conseguirá tirar férias de um mês e abandonar a empresa nesse período. No entanto, sobrecarregar-se é prejudicial à saúde. Como solucionar esse problema? Barbosa sugere que, logo no começo do ano, preste atenção ao calendário e eleja pequenos períodos de descanso. Se o Carnaval não afeta o movimento do negócio, é uma boa opção para fazer uma pausa. No caso dos comerciantes, basta pensar em datas de menor demanda. Dois dias, emendados ao fim de semana, já ajudam a relaxar.

6. Desligue-se: A tendência é sempre estar conectado – sair do trabalho e checar o e-mail pelo celular constantemente. É normal que se sinta irresponsável por abster-se dessas tecnologias. Uma alternativa é combinar com a equipe que as decisões e comunicados urgentes devem ser feitos por telefone.

7. Inclua a família no trabalho: “É impossível separar totalmente a vida profissional da pessoal”, diz Barbosa. Para ele, o ideal é estipular qual a carga horária necessária para que as tarefas sejam executadas e para que sobre um tempo para a família. Oito horas? Então, não ultrapasse isso. Outra dica do empreendedor é envolver os filhos na empresa. “Um garoto no ensino médio já pode fazer um estágio na empresa”, afirma.

8. Faça intervalos durante o dia: Um amigo de Barbosa possui um restaurante e acorda às 4h da manhã para receber os alimentos. Como ele vai ao dentista? Aproveita o intervalo entre 15h30 e 19h, quando o movimento cai, para ficar com a família e resolver os problemas pessoais. Às 19h30, retorna ao estabelecimento. “Ache um horário na agenda para você. Emendar é pedir para se estressar”, diz.

9. Use aplicativos a seu favor: Se há afinidade com tecnologias, uma boa ideia é usar aplicativos móveis para gerir o tempo. “Google Tasks, Remember the Milk e Neotriad são boas opções”, afirma Barbosa. Mas nada impede que se use o bom e velho caderno.

“Encostos virtuais”: saiba como lidar com dez tipos de chatos das redes sociais

Chefe que cobra tarefas no seu mural, amigo que te marca em fotos constrangedoras e pessoas que fazem comentários preconceituosos em seus "posts": saiba agir com esses e outros malas das redes sociais

Andrezza Czech, no UOL

Aquele cliente que você nunca viu te adicionou no Facebook e tem insistido para que você o aceite. Um amigo resolveu fazê-lo passar vergonha com comentários preconceituosos em uma publicação sua. O chefe decidiu cobrar um relatório no seu mural. Como conseguir se livrar desses “encostos” sem parecer mal-educado e antipático?

Para te ajudar a driblar essas situações, o UOL Comportamento conversou com o economista e consultor de etiqueta e marketing pessoal Cláudio Pelizari, a consultora de imagem pessoal e etiqueta Ana Vaz e a consultora em etiqueta e mídias sociais Ligia Marques, autora do livro Etiqueta 3.0 (Ed. Generale).

Contato de trabalho que você não conhece, mas te adiciona
Você costuma tratar de assuntos profissionais por e-mail ou telefone com ele, mas nunca o viu pessoalmente. Quando você menos espera, ele te adiciona no Facebook. Você finge que não viu, mas, logo que pode, ele faz questão de te lembrar de que te adicionou. O que fazer? Se não quiser ter o contato, basta recusar. Ou aceite e depois bloqueie a pessoa, para que ela não veja as suas atualizações. Se não quiser ver as dela, basta ocultá-las. Para Ana, vale dizer que não está adicionando ninguém no momento, pois fechará a conta. Por outro lado, se você trabalha em uma área que exija ter muitos contatos, uma boa ideia é criar um perfil para fins profissionais.

Chefe que cobra tarefas em seu mural
É claro que um chefe com o mínimo de bom senso sabe separar a vida profissional da pessoal, mas, infelizmente, nem todos são assim. Segundo a consultora Ana Vaz, o ideal é ser gentil e não confrontá-lo. Deixe o recado sem resposta e, depois, diga que não viu na hora. E, por isso, seria mais eficaz se ele cobrasse as tarefas por telefone ou e-mail. “Diga que alguns amigos até perguntaram se você é pouco produtivo”, diz ela. Para evitar que isso volte a acontecer, configure suas privacidades para que ninguém mais possa publicar na sua “timeline”.

Colega de trabalho que nunca te cumprimenta, mas te adiciona
Se você deseja fazer amizade com o tal colega, não há dúvidas. Mas e se você não está nem um pouco a fim de ter contato com ele? Como não é seu chefe e não há obrigação alguma de criar um vínculo, o melhor é fingir que não viu o pedido, segundo Ana Vaz. O problema é que, se o colega é realmente mala, ele dará um jeito de lembrar-lhe de aceitar o pedido no primeiro encontro no elevador. Nesse caso, diga que não costuma entrar nas redes sociais ou que sua namorada ou seu namorado entra mais do que você.

Conhecidos que insistem para que você curta a “fanpage” deles
Dependendo da relação que você tem com essa pessoa, curta. “Não há nada de mal em agradar os outros”, diz a consultora em etiqueta e mídias sociais Ligia Marques. Se depois achar que a página é inconveniente, “descurta”. Agora, se a ideologia da página não está de acordo com a sua (defende um partido político diferente do seu, por exemplo), explique isso, com educação.

Amigos que marcam fotos suas em situações constrangedoras
Se você tem todos os colegas de trabalho e até o chefe no Facebook, cuidado com os amigos inconvenientes. Se ele resolver marcar uma foto sua na balada, com um copo na mão e cara de quem passou dos limites, não pense duas vezes e desmarque imediatamente a imagem. Para a consultora Ana, se a pessoa continuar sendo inconveniente, avise por mensagem privada que você tem muitos contatos profissionais no seu Facebook e não quer aparecer dessa forma para eles. Para que não aconteça de novo, o melhor é escolher a configuração de privacidade que exige que você aprove as fotos antes que elas apareçam em sua linha do tempo. Caso a pessoa continue com sua foto constrangedora no álbum dela e isso te incomode, não se acanhe e peça que ela apague, mas com jeitinho, para que ela não se ofenda.

Familiar que te constrange
Você coloca uma letra de música em um “post”, e aquela tia, desconfiada, vem perguntar o que você quis dizer com isso. Depois, posta uma foto e ela não pensa duas vezes em dizer: “Como você está lindinho, bebê!” ou “O que está fazendo com essa cerveja na mão, hein?”. Como lidar com os constrangimentos que os familiares proporcionam nas redes sociais? Primeiro, ignore. Cedo ou tarde, o parente deve desistir, mas, se não for suficiente e as atitudes forem realmente incômodas, converse. “Como é alguém com quem você tem intimidade, vale pedir, pessoalmente, que a pessoa pare de agir assim. Mas isso não significa que você será compreendido”, diz Ana Vaz. “Muitas vezes, é melhor ignorar”, afirma.

Pessoas que fazem comentários preconceituosos em seus posts
Você compartilhou uma notícia sobre um tema comum, mas, quando viu, um contato decidiu polemizar e escrever comentários preconceituosos ou violentos. A opinião dele é tão extremista que gerou uma enorme discussão. O que fazer? Exclua os comentários e, se ele não se tocar, apague o “post”. “Se você deixar, por mais que a internet seja um espaço democrático, outras pessoas podem achar que você compartilha dessa opinião”, diz Ana. Se for um amigo, diga em mensagem particular que aquele tipo de comentário não o deixou confortável. Se não for, exclua-o da sua lista. Mas aproveite para avaliar se uma pessoa com esse tipo de opinião merece sua amizade, nas redes sociais ou fora delas.

Gente que te inclui em conversa que você não quer participar
Um amigo decide criar um grupo de conversa com várias pessoas que você não gosta ou, simplesmente, sobre um assunto que não lhe interessa. Para conseguir escapar do papo chato, segundo o consultor de marketing pessoal Cláudio Pelizari, o ideal é dizer que você vai dar uma saída da rede social e sumir da conversa. Se tiver paciência de aguentar os avisos de novas mensagens, deixe que o povo converse e simplesmente não participe.

Agitadores culturais
Eles vivem criando eventos nas redes sociais e convidando toda a lista de amigos e conhecidos para fazer parte –e você já não suporta mais recusar os convites. Como agir? Se você já recusou milhões de chamados e eles ainda não desistiram de você, peça para não ser mais incluído. É educado enviar uma mensagem particular agradecendo o convite e pedindo para que a pessoa não se preocupe mais em te chamar, porque você está sem tempo. Se nem assim o mala se tocar, a saída é bloqueá-lo. “Isso é spam. Você tem o direito de fazer isso”, diz Ana.

charge: Stefan

Hábito de adiar tarefas pode provocar doenças

Gabriel Coelho conseguiu reoganizar o tempo e sente as diferenças: agora planeja tudo com antecedência Foto: Reprodução

Thamyres Dias, no Extra

Quantas vezes você ligou o computador para procurar um documento e, horas depois, ainda estava lá, navegando, sem lembrar o que ia fazer? Ou deixou de arrumar a gaveta do escritório até que a bagunça o impedisse de encontrar sequer uma caneta? Com dias cada vez mais agitados, a procrastinação — ou hábito de adiar tarefas — passou a fazer parte da vida de homens e mulheres. Sem conseguir organizar o tempo, as pessoas acabam sobrecarregadas e com a sensação de que deixaram coisas importantes para trás.

— A constatação de que não se é capaz de dar conta de tudo gera uma enorme frustração e acaba provocando sintomas como cansaço excessivo, baixa auto-estima e desanimo — afirma a psicóloga do Hospital Rio’s Dor, Maria Helena Rocha.

As consequências vão ainda além. Segundo a especialista, doenças como hipertensão, gastrite, dor de cabeça, ansiedade e depressão podem ter início em uma agenda descontrolada.

— Vejo isso quase diariamente. O interessante é que quando a pessoa adoece e se depara com a necessidade de rever a vida, acaba percebendo que podia ter feito diferente, prestado mais atenção em si, priorizado e se organizado melhor. É como aquela música “Epitáfio”, dos Titãs — conta a psicóloga.

No processo de mudança, alguns truques podem ser bastante úteis, garante o especialista em gestão do tempo, Christian Barbosa.

— Com o volume de informações e as facilidades tecnológicas, perder o foco é muito fácil. Para começar a aproveitar melhor os dias, o primeiro passo é fazer um planejamento e anotar todos os compromissos em um único lugar — diz.

A técnica funcionou para o estudante de Administração Gabriel Coelho, de 24 anos.

— Chegou um momento em que a necessidade de melhorar minha organização foi enorme. Não conseguia dar conta de tudo: trabalho, estudo, namoro, três bandas. Comecei a programar qualquer tarefa numa agenda. Agora, já sei o que vou fazer com uma semana de antecedência — conta.

1- Bloqueie um tempo na agenda Se uma atividade é importante, mas não urgente, marque dia e hora na sua agenda para realizá-la. Reserve como se fosse uma reunião, com hora marcada para começar e terminar. A duração máxima deve ser de três horas.

2- Crie um ritual de execução Pense em algo que o deixe motivado, aumente sua criatividade e te permita concluir rapidamente uma tarefa. Acender incenso? Ouvir música? Tomar café? Cada pessoa precisa desenvolver seu próprio ritual.

3 – Desconecte-se Se não precisa de internet para uma tarefa, descontecte-se! Assim, você não tem o impulso de ficar vendo o Facebook, o e-mail etc. Quem nunca teve a experiência de ligar o computador para uma tarefa rápida e só desligá-lo horas depois, sem ter feito nada útil?

4 – Pondere os pontos positivos e negativos Na dúvida sobre o que deve ser prioridade, escreva em uma folha de papel o que pode acontecer de positivo e de negativo se você não fizer cada tarefa. Assim, fica mais fácil eleger o que pode ser adiado.

5 – Execute pequenas atividades Experimente começar o dia fazendo coisas menores, de rápida conclusão. Isso com certeza te dará energia para as atividades mais complexas e demoradas.

6 – Recuperando as forças Não ignore o cansaço. Se sua energia estiver prejudicada, você fica indisposto, sem vontade, seu cérebro não pensa do jeito que deveria. Estabeleça rituais de recuperação, algo que dê um gás quando você estiver exausto.

7 – Deixe um horário para imprevistos Interrupções e emergências acontecem na vida de todo mundo. Ao planejar sua semana, deixe espaços para esses imprevistos. Nunca lote sua agenda com tarefas.

8 – Uma coisa de cada vez Proiba-se de fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo. Precisou interromper uma tarefa? Conclua a outra mais urgente e só depois volte para a anterior. Quem tenta fazer tudo ao mesmo tempo, perde de 10 a 15% do tempo.

9 – Defina objetivos O que você quer ganhar com uma organização do tempo? Ficar mais perto do seu filho? Ser promovido no trabalho? Em quanto tempo? Traçar metas e estudar recompensas traz motivação para o processo.

10 – Saiba pedir ajuda Se nada der certo, considere conversar com um amigo, chefe ou psicólogo. Existem fatores bloqueadores que estão tão escondidos que não conseguimos lidar sozinhos com eles. O importante é não desistir.

Ser mandona compromete a vida sexual, diz pesquisa

Michelle Achkar, no Portal Terra

Assumir a liderança e tomar todas as decisões a respeito da casa e da vida familiar não tem nada de errado, mas pode comprometer a vida amorosa. Uma pesquisa aponta que as “mandonas” no lar ficam até 100 vezes mais tempo sem fazer sexo do que as que costumam dividir as decisões com os companheiros. As informações são do site do jornal inglês Daily Mail.

O levantamento foi feito com mulheres em seis países da África, divididas em dois grupos: as que conduziam tudo sozinhas e as que discutiam e tinham a participação dos homens no planejamento e execução de tarefas, que incluem a definição do orçamento familiar semanal ou mensal, compras, visitas a amigos, consultas médicas, entre outros itens.

“Quanto mais decisões a mulher tomou sozinha, maior foi o tempo sem sexo, que aumentou de três a 100 vezes”, disse Michelle Hindin, professora da Johns Hopkins Bloomberg School of Public Health, em Baltimore, Estados Unidos.

No entanto, os pesquisadores alertaram que a diminuição na frequência sexual também pode ser uma decisão das mulheres. Eles consideram que pode ser uma consequência do estilo mandão das parceiras, que poderia intimidar os homens, mas também uma atitude delas, que nem no quarto querem perder o controle e por isso não cedem à paixão.