Conteúdo marcado como teologia

Choro perto de Deus na Arena Condá

Choro perto de Deus na Arena Condá
Ricardo Gondim Desprezo qualquer instrumentalização do sofrimento. Considero odiosa toda ideia que trata a dor como compensatória, útil ou necessária. Descreio de um Deus que não cessa de cobrar o pecado do casal que pecou lá no início da criação. Não aceito que a humanidade tenha uma origem catastrófica, uma queda original, que não só entortou irremediavelmente todos e todas, como condenou a humanidade a pagar uma dívida que, ao […]

A rede onde nos deitamos

A rede onde nos deitamos
Ricardo Gondim Rubem Alves escreveu que Deus não é pássaro para prendermos em redes. Ele é a rede onde nos deitamos. Concordo, Deus é a rede que nos dá repouso, onde encontramos algum sentido na feliz e trágica aventura de viver. Depois do mito, do símbolo e do rito, as religiões procuram se perpetuar através das doutrinas. Quanto mais frágil uma religião, maior apego a seu conjunto de afirmações e […]

Com boa nota no Enem, detento ganha bolsa integral e cursa teologia

Com boa nota no Enem, detento ganha bolsa integral e cursa teologia
Vilson Lima foi preso após cometer um assalto em São José dos Campos. Ele é o primeiro preso do CDP de Taubaté a entrar na universidade. Camila Motta, no G1 É com a  graduação em teologia que um preso, de 21 anos, pretende tranformar a vida. Vilson Lima é o primeiro interno do Centro de Detenção Provisória (CDP) Dr. Félix Nobre de Campos, de Taubaté, no interior de São Paulo, […]

Gentileza, s’il vous plaît

Gentileza, s’il vous plaît
Ricardo Gondim O crítico literário Antônio Candido defendeu a crônica no texto “A vida ao rés do chão”. Ele desmontou a ideia de que a crônica não pertence ao ‘gênero maior’ da literatura. Candido afirma: Já que não se imagina que uma literatura feita de grandes cronistas, dramaturgos e poetas. Nem se pensaria em atribuir o Prêmio Nobel a um cronista, por melhor que fosse. ‘Graças a Deus’, – seria […]

Os intelectuais são do bem?

Os intelectuais são do bem?
Luiz Felipe Pondé, na Folha de S.Paulo Tenho me perguntado uma coisa há algum tempo, e o leitor que me acompanha sabe disso. A pergunta que me atormenta é: por que nós intelectuais achamos que somos do bem? Explico meu estranhamento. Intelectuais são pessoas normais e, portanto, movem-se por interesses que nem sempre podem ser confessados em voz alta. Por exemplo: vaidade, ambição, paixões, racionalizações pragmáticas, inveja, ódio, amor, instintos […]