PF investiga parceria entre grupo Hezbollah e PCC no Brasil

hezbollah-terror

Publicado no Terra

O jornal O Globo denunciou, neste domingo, que criminosos estrangeiros do grupo Hezbollah – movimento político e militar, xiita e libanês que se autodenomina “Partido de Deus” – construíram uma parceria com a facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), que atua nos presídios brasileiros, principalmente em São Paulo.

Segundo o jornal, relatórios produzidos pela Polícia Federal mostram que traficantes do grupo libanês abriram canais para o contrabando de armas destinadas ao PCC e ainda ajudou-os a intermediar uma negociação de explosivos. Em troca, os brasileiros prometeram dar proteção a integrantes dessa quadrilha que já estão detidos no Brasil.

A aliança teria começado a ser montada em 2006, mas as primeiras provas só foram descobertas dois anos depois. A notícia da associação criminosa surgiu de um informante da PF e a veracidade da informação foi confirmada pela área de inteligência, que monitorou alguns suspeitos em São Paulo e no Paraná.

O trabalho de monitoramento feito pela PF inclui ainda missões para vigiar estrangeiros de origem libanesa que circulavam pelas cidades de Foz, Ciudad del Leste e Porto Iguazu, na Argentina. Os documentos reúnem desde listas de nomes e períodos de hospedagens em hotéis até registros de um suposto risco de atentado terrorista no Brasil.

No dia 28 de agosto de 2008, o relatório de inteligência assegura que recebeu informe de “fonte não comprovada” de que um estrangeiro “integrante de uma organização terrorista” estaria viajando para Brasília para executar plano de assassinato. Há ainda a descrição de ações na Ponte da Amizade, na fronteira entre Brasil e Paraguai.

Para as autoridades americanas, a região de fronteira que separa Brasil Argentina e Paraguai sempre foi palco de atuação de grupos ligados ao terrorismo. Ainda segundo os EUA, o dinheiro do tráfico de drogas é uma das principais fontes de financiamento de entidades terroristas.

Leia Mais

Eclipse total deixará Lua avermelhada na madrugada de quarta

eclipse-lunar-podera-visto-todo-brasil-madrugada-amanha
publicado no Planeta Sustentável

Um eclipse total da Lua acontece na madrugada desta quarta-feira (8). Segundo a NASA, o fenômeno será mais bem observado no oceano Pacífico e em seu entorno. Mas também será visível em diversos estados brasileiros.

No Brasil, quanto mais a oeste estiver o observador, melhor ele poderá ver o eclipse. No Acre e no extremo oeste do Amazonas, o fenômeno deve começar por volta das 5h30, permitindo boa visualização.

Nessa área, quem acordar de madrugada e olhar em direção à Lua, a oeste, verá o satélite natural escurecido e tingido por um tom avermelhado.

Na faixa que inclui Roraima, a maior parte do Amazonas, Rondônia, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, o eclipse começa em torno de 6h30. Mesmo com o dia claro, deve ser possível notar a mudança na coloração da Lua nessas áreas.

No restante das regiões Norte e Centro-Oeste, e também no Sul e no Sudeste, o eclipse vai começar às 7h30, já de dia, o que vai dificultar sua visualização. No Litoral do Nordeste, o fenômeno não será visível.

A zona ideal para observar esse eclipse inclui a costa oeste dos Estados Unidos, o norte do Japão, o leste da Austrália, a Nova Zelândia, o Havaí e a Polinésia.

Quem estiver lá vai poder apreciar plenamente os tons turquesa e cor de cobre que devem colorir a Lua enquanto a Terra bloqueia os raios solares que a iluminam.

Especialistas da NASA explicam que essas cores são resultado da filtragem da luz solar nas várias camadas da atmosfera terrestre. Raios luminosos que atravessam as camadas inferiores ficam avermelhados. Já aqueles que cortam a camada de ozônio na estratosfera ficam azulados.

Ao passar pela atmosfera terrestre, a luz solar sofre refração e difração. Uma pequena parte dela chega até a Lua, o que faz com que o satélite natural não fique totalmente escuro durante o eclipse.

Leia Mais

Volta ao mundo virtual: os 80 lugares mais incríveis da Terra em apenas 2 minutos

Publicado no Catraca Livre

O Shutterstock reuniu num pequeno vídeo de 2 minutos algumas das muitas maravilhas da Terra. Durante 120 segundos, desfilam pela tela cenas de lugares diversos, exóticos, inusitados, belos e icônicos.

O Rio Amazonas, a ponte Golden Gate, as pirâmides do Egito, a aurora boreal, praias, montanhas, cidades e monumentos são as estrelas desse curta. Dá vontade de arrumar as malas e sair por aí.

Intitulado de “Around the World in 80 Clips” (A Volta ao Mundo em 80 Clips), a montagem é uma verdadeira volta ao mundo virtual, que leva apenas 2 minutinhos para ser completada.

Around the World in 80 Clips from Shutterstock on Vimeo.

Leia Mais

Asteroide com mais de 1 km está vindo em direção à Terra e astrônomos não sabem como desviá-lo

092-184484

 

publicado no Jornal Ciência

Os pesquisadores, que estudam a rocha, dizem que ela gira tão rápido que deveria ter se quebrado, mas por uma estranha razão permanece intacta em sua trajetória em direção ao planeta Terra.

Astrônomos acreditam que ela permaneça sólida por forças de coesão, conhecidas como Van der Waals. Embora isso seja um grande avanço na pesquisa sobre os asteroides, os cientistas admitiram que não sabem ainda como pará-lo ou desviá-lo.

A descoberta foi feita por pesquisadores da Universidade do Tennessee. Pesquisas anteriores mostraram que asteroides são, na verdade, diversas “pilhas” de material rochoso soltos, porém unidos fortemente pela gravidade e pelo atrito. No entanto, a pesquisa da universidade mostrou que o asteroide denominado 1950 DA gira tão rápido que desafia essas forças.

092

Com 1.000 metros de diâmetro, ele gira rápido demais para seu tamanho. Esse ritmo deveria fazer a rocha se despedaçar, mas ela não demonstra nenhum sinal que isso irá ocorrer.

Com base nos dados que os cientistas conseguiram coletar, até o momento, a chance de impacto com a Terra é de 1 em 300, algo assustadoramente considerável, tornando-se uma chance real de colisão.

“Nós descobrimos que 1950 DA está girando mais rápido do que o limite de ruptura para sua densidade. Então, se apenas a gravidade estivesse segurando este monte de pedras em conjunto, como geralmente se supõe, elas voariam uma das outras. Portanto, forças de coesão devem estar segurando-as”, disse Joshua Emery, professor assistente no Departamento de Ciências da Terra e Planetária da universidade.

Na verdade, sua rotação é tão rápida que em seu equador ele tem a chamada ‘gravidade negativa’. Se um astronauta tentasse ficar em sua superfície, seria sumariamente arremessado para o espaço.

asteroid_animation

Algumas teorias acreditavam que os asteroides pudessem ter forças de coesão, mas até o momento isso não havia sido observado em nenhum. O estudo sobre 1950 DA foi publicado na revista Nature, despertando um interesse maciço dos cientistas em encontrar maneiras potenciais para defender a Terra.

O asteroide em questão poderá ser observado com mais detalhes a partir de 2032. Apesar do certo receio, existem vários aspectos que podem alterar sua trajetória: taxa de rotação, composição química, massa, interações gravitacionais com outros pequenos objetos cósmicos, etc.

 

092-2

Leia Mais

O que aconteceria com o seu corpo se você fosse para o espaço sem um traje espacial?

Você já se perguntou o que poderia acontecer com você caso fosse jogado no espaço sem uma roupa própria para tal? Seria como nos filmes? Quão rápido você morreria? Seu corpo explodiria? Você teria uma chance de sobreviver?

timthumb

publicado no Garotas Geeks

Obviamente, todo mundo já sabe que coisas boas não aconteceriam com a gente se ficássemos no vácuo (literalmente… metaforicamente também), mas o que exatamente aconteceria? Fiz esse post pois existem diversos mitos até hoje espalhados por aí que muita gente ainda acredita que sejam verdades (inclusive alguns diretores de cinema).

Cena de “O Vingador do Futuro” em que os olhos do personagem de Arnold Schwarzenegger explodem por ele estar sem um traje espacial.
Cena de “O Vingador do Futuro” em que os olhos do personagem de Arnold Schwarzenegger explodem por ele estar sem um traje espacial.

Os principais perigos de se estar no espaço sem proteção seriam a falta de oxigênio e o ebulismo (tradução não oficial de “ebullism”, mas como não achei a tradução oficial, vou usar esta palavra mesmo). Ebulismo é quando os fluídos corporais começam a ferver (e consequentemente a formar bolhas) devido a pressões baixas ou nulas, como é no caso do *espaço sideral*. O limite absoluto de altitude para o homem desprotegido pode ser colocado em 18.900 metros, altitude na qual a pressão barométrica é igual a 47 mmHg. A tensão de vapor d’água à temperatura corporal é também 47 mmHg. Ocorre a ebulição quando a tensão de vapor de um líquido se iguala, ou se torna maior, à pressão atmosférica. Por esse motivo os líquidos do nosso organismo ferveriam.

Obs: MAS ATENÇÃO! O sangue não se inclui nesses líquidos pelo fato de estar nas veias, ele apenas não circularia ~~~> “APENAS”… HU3

Bom, o resultado do ebulismo seria uma visão terrível! Nosso corpo poderia chegar até a duas vezes o seu tamanho normal, mas não explodiria, já que nossa pele é elástica o suficiente para suportar esta situação. Sem falar que deve doer pouco, né.

Além disso, tem a questão da falta de ar (claro, é vácuo, dert). Após aproximadamente 15 segundos, seu corpo teria usado todo o oxigênio presente dentro dele e você perderia a consciência. “Mas e se eu prendesse a respiraçããão, tia? Eu consigo segurar por mais de 1 minuto” Eu diria que você é um idiota um pouco ingênuo, pequeno gafanhoto.

A situação no espaço é “um pouco” diferente” daqui na Terra. Considerando que não teríamos a pressão atmosférica, o ar dentro de nós se expandiria rapidamente, fazendo com que nossos pulmões explodissem. Ou seja, não é uma boa ideia. Já anota no seu caderninho aí para coisas que você deve lembrar em situações de emergência: se alguém te jogar algum dia no espaço, pelo amor de Jesus, Maria e José, não tente prender a respiração.

traje-espacial-nasa-600x398

Voltando, após perder a consciência, você provavelmente duraria um ou dois minutos no máximo antes de morrer. E claro, enquanto você tá lá apagadão, ainda tem os raios UV que vêm do Sol que te causariam queimaduras ter-rí-veis. Os raios ultravioleta junto a outros fótons de alta energia (raio-x e radição gama) também causariam um dano terrível ao seu DNA, levando a mutações que muito provavelmente te causariam câncer (se você sobrevivesse, HU3).

Algo que as pessoas se confundem muito é achar que nós congelaríamos rapidamente, já que o espaço é ‘extremamente gelado’ (total ausência de calor), mas isso não aconteceria, porque nosso corpo perderia calor muito lentamente, quando chegássemos no ponto de congelar, já estaríamos mortos há muito tempo.

Em suma, você incharia, queimaria, mutaria, desmaiaria e seus pulmões poderiam explodir. Mas não se preocupe (muito), se você for resgatado rapidamente, há grandes chances de sobrevivência. Como aconteceu com o astronauta (cujo nome não é divulgado) durante um treinamento da NASA em 1965. O seu traje se rompeu e, após 14 segundos, ele desmaiou, mas logo em seguida desligaram o aparelho de simulação e ele pode ser recuperado. Então força, galera!

Leia Mais