Conteúdo marcado como texto

Lições que aprendi com uma viúva estressada

Lições que aprendi com uma viúva estressada
Marília César “Marta! Marta! Você está ocupada e inquieta com muitas coisas; todavia apenas uma é necessária. Maria escolheu a boa parte, e esta não lhe será tirada” (Lucas 10)  Marta! Marta! Sua incompreendida. Sempre atarefada, para lá e para cá, cuidando de tudo e de todos. Sempre querendo deixar a casa arrumada, preparar o almoço, o jantar, atender a família em suas necessidades. Sempre cansada e sobrecarregada, sem tempo […]

Estou de bem com Deus

Estou de bem com Deus
Ricardo Gondim Quando era mais jovem, acreditei que Deus havia me criado com um molde; ele teria me determinado exatamente como sou. Agora vejo diferente. Eu não passo de esboço, rabiscos precários de um arquiteto qualquer. Depois de tudo o que absorvi, de tudo o que chorei, de tudo o que me alegrei, permaneço um andaime pingente. Desejei, acolhi, aprendi, neguei, aceitei e não me descobri por completo. Na bagunça […]

7 lições que aprendi com a viúva empreendedora

7 lições que aprendi com a viúva empreendedora
Marília César … “O que você tem em casa? Nada! Apenas um pouco de azeite.” … “Não temos mais nenhuma vasilha. Então, o azeite cessou.” O texto conta a história de uma viúva pobre que recorre a um homem de Deus, em busca de ajuda. Seu marido, que acabara de morrer, era discípulo do profeta, era um homem justo e digno. Mas deixara a mulher endividada. E o credor, por […]

Pobre elite branca

Pobre elite branca
Ariovaldo Ramos Um jurista, membro da “elite” branca brasileira, disse que não sabe como vai fazer para viver no país porque não é negro, nem índio, nem da população LGBT, nem invasor de terras e, portanto, não sabe como vai conseguir viver aqui no Brasil. O que este advogado não entende, ou melhor, não quer entender, é que, graças à injustiça que há no Brasil, ele e a classe que […]

Um ano sem saudade

Um ano sem saudade
Ricardo Gondim 2017 foi-se e com ele, lágrimas doloridas. Em toda a minha história de vida, já chorei muito. Acompanhei minha família rumo ao cemitério, logo depois que papai foi preso. Sepultávamos uma irmã, incapaz de sobreviver à gravidez da mamãe sob o terror da ditadura. Anos depois, fiz o mesmo trajeto para enterrar um sobrinho, filho de minha irmã mais velha, assassinado na flor da idade – 17 anos. […]