Empresas ‘alugam’ pernas de adolescentes japonesas para anúncios publicitários

Japonesas alugam penas para fazer propaganda de empresas - Reprodução/Daily Mail
Japonesas alugam penas para fazer propaganda de empresas – Reprodução/Daily Mail

Publicado originalmente no Virgula

Tudo o que elas precisam fazer é usar saias durante oito horas por dia. Para que? Para ganhar uns trocados fazeendo propagandas de empresas que “alugam” suas pernocas como outdoors. Essa é a nova mania entre as adolescentes do Japão.A estratégia de marketing está se mostrando uma forma atrativa e inteligente de divulgar produtos. Segundo reportagem do “Daily Mail”, em novembro de 2012, cerca de 1,3 mil meninas inscreveram suas pernas para que estas servissem de espaço publicitário.O anúncio funciona da seguinte forma: a pequena propaganda é colada nas pernas, geralmente um pouco acima do joelho, e tudo que as mocinhas precisam fazer é continuar sua vida normalmente, passeando pela cidade com vestidos, saias ou shortinhos mais curtos, deixando a chamada à mostra. O trabalho dura cerca de 8 horas.Outra tarefa da função é publicar fotos suas com o anúncio em seus perfis nas redes sociais, como Facebook e Twitter.

Além das empresas japonesas, quem também aderiu à tática foi a banda Green Day, que contratou os serviços das meninas para divulgar seu último trabalho, ¡Uno! ¡Dos! ¡Tré!,  no país.

Conforme Eichi Atsumi, responsável pela empresa que recruta as meninas, as únicas exigências para o cargo são ter mais de 18 anos e, pelo menos, 20 pessoas como seguidoras nas redes sociais da candidata.

Leia Mais

Aplicativo ajuda a dividir conta em restaurantes e bares

Passa régua | Fabricante: Gilson a Vilela | Sistema: iOS e Androind | PREÇO: Grátis
Passa régua | Fabricante: Gilson a Vilela | Sistema: iOS e Androind | PREÇO: Grátis

Michelle Ferreira, na Época Negócios

A cena é clássica. Você é chamado para alguma comemoração, mas acaba chegando atrasado. Todos os convidados já consumiram bastante e o local não possui comanda individual. O que fazer?

O aplicativo Passa Régua, disponível para smartphones Android ou iOS, pode ajudar a dividir os gastos sem que ninguém saia perdendo. Com jeitão cupom fiscal, permite incluir o número de pessoas e dividir os gastos com comida e bebida.

Para fazer o cálculo, escolha como deseja dividir a sua conta – com bebida ou sem bebida – escreva o valor da conta, inclua ou não o serviço e veja o resultado. A opção de dividir a conta com bebida permite que quem não consumiu nenhum tipo de líquido consiga pagar o valor proporcional. É possível compartilhar a dívida com os amigos pelo Facebook ou pelo Twitter.

Leia Mais

Twitter revela ataque hacker que afeta até 250 mil perfis

twitterbird2Publicado por AFP [via UOL]

A rede social Twitter informou na sexta-feira que estava sendo afetada por um “sofisticado” ataque cibernético, similar aos que atingiram nos últimos dias grandes jornais da costa leste dos Estados Unidos, e que as senhas de cerca de 250.000 usuários haviam sido roubadas.

“Este ataque não foi obra de internautas normais, e não acreditamos que tenha sido um incidente isolado”, disse o diretor de segurança de informação do Twitter, Bob Lord, em um post em seu blog.

Lord se referiu a “ataques à segurança em grande escala contra o setor de tecnologia e empresas de comunicação americanas”, e informou que o Twitter havia detectado esta semana tentativas de obter acesso não autorizado a dados da rede social.

O ataque coincidiu com a revelação de várias violações da segurança de grandes empresas de jornalismo. Os jornais The New York Times e The Wall Street Journal anunciaram esta semana que tinham sido ‘hackeados’ da China.

O Twitter não confirmou a procedência do ataque.

Como medida de precaução, a rede social invalidou senhas e enviou mensagens de e-mail às pessoas afetadas para que criassem novas para que pudessem utilizar suas contas.

dica do João Marcos

Leia Mais

‘App’ que mede tamanho do pênis ajuda na hora de escolher camisinha

Ícone do 'app' 'Condom Size', que ajuda a saber qual o tamanho de camisinha comprar (Foto: Divulgação)
Ícone do ‘app’ ‘Condom Size’, que ajuda a saber qual o
tamanho de camisinha comprar (Foto: Divulgação)

Publicado originalmente no G1

Um aplicativo para iPhone tem feito sucesso na loja iTunes App Store, da Apple, por ter uma proposta pouco usual: medir o tamanho do pênis do usuário e recomendar o tamanho e o tipo da camisinha a ser usada no ato sexual.

Chamado de “Condom Size” (tamanho da camisinha, em tradução) o “app” custa US$ 1 na loja de aplicativos da Apple (clique aqui para acessar) e, além de indicar a camisinha adequada para o usuário, dá dicas de como usar o preservativo, histórias curiosas e indica, por meio de sugestões, qual camisinha comprar.

Ainda, é possível compartilhar o resultado do tamanho do pênis nas redes sociais Facebook e Twitter.

O aplicativo ficou entre os 20 mais vendidos no mundo na App Store e ainda apresenta um ranking mundial on-line para saber se o tamanho do pênis do usuário está dentro, abaixo ou acima da média no mundo.

Para medir o tamanho do pênis, o usuário precisa deixá-lo ereto e colocá-lo ao lado da tela do iPhone – uma fita métrica digital aparece na tela. Para o diâmetro, é necessário usar uma fita métrica ou barbante e estendê-lo ao lado da tela para realizar a medição.

Aplicativo mede pênis e indica tamanho de camisinha para usuário (Foto: Divulgação)Aplicativo mede pênis e indica tamanho de camisinha para usuário (Foto: Divulgação)

Leia Mais

Liberado, ‘Irmã Zuleide’ ironiza nas redes sociais sua detenção

À esquerda, imagem de professora usada em perfil cômico; à direita, o responsável pela criação do perfil, trablhando como DJ
À esquerda, imagem de professora usada em perfil cômico; à direita, o responsável pela criação do perfil, trablhando como DJ

Responsável por sátira a evangélicos ‘simulou’ prisão da ‘personagem’. DJ foi detido na madrugada do último domingo (28), em Santos, SP.

Publicado originalmente no G1

O DJ Álvaro Oliveira Rodrigues, de 30 anos, responsável pela página “Irmã Zuleide” nas redes sociais, fez uso dos perfis criados para ironizar a própria detenção, ocorrida na madrugada do último domingo (27), em Santos, no litoral de São Paulo. O DJ utilizava a foto de uma professora de Campinas sem autorização para ilustrar as mensagens no Facebook e no Twitter.

O DJ, que foi liberado após assinar um termo circunstanciado, vai responder por constrangimento, injúria e difamação. Depois da prisão, Álvaro simulou em postagens nas redes sociais a “experiência” de “Irmã Zuleide” na prisão, por meio de frases como “PRESA NADA! ISSO É PAPO DE ATEU!” ou “Jovens tem (sic) comida grátis aqui na cadeia, vou encher o buxo (sic)! Ôh, Glória!!”. Até a “liberação” da personagem foi descrita pelo DJ, com a postagem: “O irmão Teobaldo chegou na delegacia com um abre os corpos e fui libertada, só Jesus na causa”.

Também via Facebook, Rodrigues deixou um recado aos cerca de 2,1 milhões de seguidores da página que mantém na rede social, dando a entender que não pretende encerrar as atividades do perfil. “Não vou abandonar o que eu amo, não vou abandonar os que faço feliz. Não vou abrir mão de cada sorriso, de cada mensagem. Não deixar de alegrar diariamente cada um de você (sic). Às vezes as coisas acontecem, mesmo quando não temos intenções negativas, coisas da vida, segredos de Deus. Beijos de luz aos que estão comigo, e obrigada sempre pelo carinho”, diz o recado.

Nas redes sociais, o assunto teve rápida repercussão. Até o final da tarde desta terça-feira (29), o termo “Irmã Zuleide” estava entre os tópicos mais citados do Twitter no Brasil. A maior parte dos comentários referentes ao tema questionavam o “futuro” de outros perfis falsos (os chamados “fakes”), que utilizam fotos (e até nomes) de personalidades e se tornaram febre na internet.

O caso
A página “Irmã Zuleide” no Facebook, que utiliza um tom cômico para tratar assuntos do cotidiano, ganhou destaque há quase dois anos. A polícia começou a investigar o DJ porque a foto utilizada no perfil é, na verdade, de uma professora de Campinas – que afirma ter sofrido transtornos com a exposição e acionou a polícia para remover o conteúdo da internet.

Quando informada que o dono da página faria um show em uma casa noturna do Centro de Santos, a professora seguiu, com seu advogado, para a Baixada Santista e procurou o 1º Distrito Policial da Cidade. Segundo a polícia, Rodrigues não estava caracterizado como “Irmã Zuleide” quando identificado pelos policiais, mas foi encontrado e detido.

O DJ, que é natural do Rio Grande do Norte, admitiu ser o autor do personagem. Em depoimento, disse que a intenção da página era satirizar uma igreja evangélica, e que a foto da professora foi achada em uma pesquisa aleatória feita por um buscador.

foto via O Povo

Leia Mais