Arquivo da tag: twitter

Curtir abobrinhas no Facebook pode ser trabalho em Bangladesh

Serviço vende “curtidas” e é desafio para empresas e consumidores

abobrinha-curtir-bangladesh

Publicado na Folha de S. Paulo

O “curtir” no Facebook, no YouTube e em outras redes sociais pode não ser tão sincero como se espera e coloca em dúvida como muitas empresas modernas medem seu sucesso no mundo digital.

Um exemplo é uma página do Facebook dedicada a abobrinhas (sim, o legume) que recebeu centenas de curtidas, enquanto outras dezenas de páginas similares sobre a cucurbitácea não têm o mesmo sucesso.

Poderia ser um caso de sucesso não fosse um problema: as curtidas eram falsas, feitas por uma equipe de trabalhadores em Bangladesh, cujo chefe exige US$ 15 (cerca de R$ 34) por mil curtidas da sua “fazenda de cliques”.

Em troca, muitos desses funcionários trabalham em um sistema de jornada tripla e chegam a ganhar por ano US$ 120 (cerca de R$ 275).

Para as companhias, esse tipo de serviço seria um atrativo, já que aumentar a sua exposição nas mídias sociais pode ser um bom caminho para atrair clientes.

Segundo pesquisas, 31% dos consumidores levam em conta as notas e as críticas sobre um produto (incluindo as curtidas) antes de comprá-lo.

Isso significa que as “fazendas de cliques” podem ter um papel importante em enganar os consumidores.

E para as empresas que são dependentes de pesquisas sobre popularidade nas redes sociais, essas “fazendas de cliques” são um desafio para saber qual é realmente a popularidade de um produto.

Mas as condições de trabalho ali são degradantes.

Os funcionários ficam em salas sem nada além de paredes e mesas de trabalho, e com janelas com grades, chegam a varar a noite para ganhar muitas vezes US$ 1 em troca de mil curtidas no Facebook ou de mil pessoas que passa a seguir no Twitter.

Twitter reforça ferramentas de denúncias após ameaças contra mulheres

Botão será inserido na versão web e em plataformas móveis

twitter_2094423b

Publicado no O Globo

O Twitter anunciou neste sábado mudanças nas ferramentas de denúncias contra posts ofensivos. O botão para sinalizar conteúdo inadequado, já presente no aplicativo para iPhone, será levado para a versão web e outras plataformas móveis. A medida foi tomada após a empresa ser pressionada por causa de ameaças de morte e estupro contra mulheres publicadas no microblog.

“Eu peço desculpas pessoalmente para as mulheres que sofreram abusos no Twitter”, escreveu Tony Wang, diretor geral do Twitter no Reino Unido, em sua página pessoal na rede. “O abuso que eleas sofreram é inaceitável. Não é aceitável no mundo real, e não é aceitável no Twitter”.

Além da inserção do botão, a filial da empresa no Reino Unido vai ampliar o número de funcionários destacados para a função de avaliar as denúncias.

A onda de mensagens misóginas começou após a ativista Caroline Criado-Perez encerrar com sucesso campanha para levar um rosto feminino para as notas de libra. No dia 24 de julho, o Banco da Inglaterra anunciou que Jane Austen vai substituir Charles Darwin na nota de dez libras.

Caroline começou a ser alvo de diversas ameaças de morte e estupro pela rede social. Dois homens foram detidos acusados de participação no caso, sendo que um deles também é suspeito de ameaçar a congressista Stella Creasy.

Após o anúncio do Twitter, Caroline comemorou as mudanças.

— O processo atual é longo, complicado e impossível de usar se você está sob ataque permanente como eu estive — afirmou.

Placa de estádio em Munique exibe ofensa de torcedor a são-paulino Douglas

 Placa de publicidade da Allianz Arena reproduz ofensa a Douglas enviada pelo Twitter


Placa de publicidade da Allianz Arena reproduz ofensa a Douglas enviada pelo Twitter

Publicado originalmente na Folha de S.Paulo

Uma falha de monitoramento da organização da Copa Audi fez uma das placas de publicidade da Allianz Arena exibir antes da derrota por 2 a 0 do São Paulo para o Bayern de Munique, nesta quarta-feira, na Alemanha, uma ofensa de um são-paulino ao lateral direito Douglas.

O espaço mostrou a frase “Ei, Douglas, vai tomar no c…” durante o aquecimento dos goleiros do Bayern. A mensagem foi enviada via Twitter pela conta @DarkFabuloso, que satiriza o centroavante Luis Fabiano.

Ação promocional da Copa Audi permitia que tweets relacionados ao torneio fossem exibidos no estádio.

Derrotado na semifinal, o São Paulo enfrenta o Milan nesta quinta pelo terceiro lugar do torneio amistoso. Bayern e Manchester City jogam pelo troféu.

Primeira ministra negra da Itália é atingida por bananas em ato de violência racial

Cécile Kyenge, 48, é a ministra italiana da Integração há oito meses; ela vem sendo alvo de racismo desde que assumiu o cargo (foto: Gianni Cipriano/The International Herald Tribune)

Cécile Kyenge, 48, é a ministra italiana da Integração há oito meses; ela vem sendo alvo de racismo desde que assumiu o cargo (foto: Gianni Cipriano/The International Herald Tribune)

Publicado originalmente na Folha de S.Paulo

Após ser comparada com um orangotango pelo vice-presidente do Senado, Roberto Calderoli, a ministra de Integração da Itália, Cécile Kyenge, de origem congolesa, foi alvo de outro ato de intolerância e desprezo na noite de ontem, quando foi atingida por duas bananas lançadas por militantes do movimento Força Nova, da extrema direita.

Os fatos ocorreram em uma festa do progressista Partido Democrata (PD), o mesmo do primeiro-ministro Enrico Letta, na cidade de Cervia, no nordeste do país, informou neste sábado a imprensa italiana.

Um desses integrantes da Força Nova, que já tinha aquecido o ambiente com uma manifestação na última quinta-feira, lançou duas bananas em direção ao palco em que a ministra discursava, embora sem atingi-la fisicamente.

Sem dar importância ao gesto, Cécile usou o Twitter para comentar o ato. “Com tantas pessoas morrendo de fome por causa da crise é triste desperdiçar comida assim”, afirmou a ministra na mensagem divulgada por sua equipe assistente, a qual confirmou o ocorrido.

Dado o alto nível de crispação gerado na extrema direita em torno da primeira ministra negra da Itália, a polícia estava alerta em relação à possíveis ataques contra Cécile, mas, mesmo assim, não conseguiu evitar essa agressão.

“Havia um grupinho de opositores, mas ninguém viu. Saíram logo em seguida. A ministra não comentou o episódio de modo particular porque é uma pessoa educada”, afirmou os jornalistas Paola de Micheli, do PD, que estava presente no momento do ato.

Um dia antes, na quinta-feira, no mesmo local da festa do PD, militantes da Força Nova também colocaram três bonecos sujos com tinta, que simulava ser sangue, ao lado de panfletos contra o plano do governo italiano de conceder nacionalidade aos filhos de imigrantes nascidos na Itália. Segundo os militantes da extrema direita, “a imigração mata”.

O lançamento de bananas se soma aos últimos episódios ofensivos dos quais a ministra italiana já foi vítima, a começar pelo comentário lançado pela ex-conselheira da separatista Liga Norte, Dolores Valandro, o qual valeu sua expulsão do partido além de uma condenação de 13 meses de prisão e três anos de inabilitação por instigação a atos de violência sexual por motivos raciais.

Na noite do último dia 13, o vice-presidente do Senado, Roberto Calderoli, também da Liga Norte, gerou uma grande polêmica no país ao comparar a ministra negra com um orangotango.

dica do Wanderlan Gomes

Papa vai perdoar pecados de fiéis pelo Twitter

papa-twitter

Publicado no O Globo

Esqueça o velho confessionário da paróquia. Agora você pode ter seus pecados redimidos por ninguém menos que o Papa Francisco, e pelo Twitter. De acordo com uma publicação da Sagrada Penitência Apostólica, órgão do Vaticano, o sumo pontífice dará ‘indulgências plenárias’ pela rede social, que teria o mesmo efeito de zerar o placar de pecados dos fiéis.

A decisão foi tomada como forma de aproximar os jovens do catolicismo, às vésperas da Jornada Mundial da Juventude, no Rio. O perdão on-line será concedido, afirma o Vaticano, para quem acompanhar as atividades do Papa pelo Twitter durante o evento. As informações foram publicadas hoje pelo site Mashable.