Igreja publica cartilha com dicas de moda para orientar evangélicos

Larissa Oliveira aposta em terno e salto para levantar a produção (foto: Adriano Vizoni/Folhapress)
Larissa Oliveira aposta em terno e salto para levantar a produção (foto: Adriano Vizoni/Folhapress)

Pedro Diniz, na Folha de S.Paulo

“Minha mãe quase me levou para a Febem. Eu usava drogas, namorava um traficante e sempre estava com roupas muito curtas, vulgares. Hoje o Espírito Santo me toca quando me visto.”

Esse é o testemunho que Ana Carolina Xavier, 18, dá quando quer evangelizar as amigas que não entendem seu look atual: uma blusa branca abotoada até o colo e uma calça jeans que pouco delineia o corpo.

Com peças apropriadas “para adorar a Deus”, ela frequenta o Templo de Salomão, espaço de proporções faraônicas para 10 mil pessoas construído pela Igreja Universal, aberto há um mês no Brás, zona leste de SP.

Como a maioria das 33 pessoas entrevistadas pela Folha na saída de três encontros religiosos no templo, Ana Carolina não lê revistas de moda. Mas está atenta às instruções de sites evangélicos e às de Flavia Francellino, uma jovem repórter de comportamento do jornal institucional da igreja, a “Folha Universal”.

“Esqueça legging”, “observe se algo está marcando” e “não se maquie como se fosse para a São Paulo Fashion Week” estão entre as recomendações de Flavia, que publicou neste mês um texto chamado “O que vestir para ir ao Templo de Salomão”, reproduzido nas redes sociais. Ela não quis dar entrevista para esta reportagem.

“Me vestia como uma qualquer, com shorts curtos para chamar a atenção”, conta a auxiliar de enfermagem Tatiane Cardoso, 34.

“Perdi meu amor antes de entrar para a igreja porque usava tudo de forma vulgar. Hoje, se for para usar renda, que seja com uma blusa por baixo”, diz a manicure e cabeleireira Aline de Jesus, 24.

VIRTUOSA ELEGANTE

As fieis afirmam que, independentemente da roupa, a mulher tem de estar “virtuosa”. Isto é, “andar na moda, elegante, mas não mostrar tanto o corpo num lugar que é para você se reportar a Deus”, explica a secretária curitibana Fernanda Martins, 21.

Ela, que usava um vestido estampado em tons de azul, diz escolher também as roupas do namorado, o eletricista Felipe José, 24. O casal se conheceu num programa de reuniões da igreja para aproximar jovens.

“Gosto de vesti-lo no estilo esporte fino”, conta ela, enquanto ele, tímido, concorda com tudo. “Mas tem que estar com todos os botões fechados, né? Não gosto se ele sai com a camisa aberta.”

À RISCA

Por meio de sua assessoria, a Igreja Universal afirma que não há regras de vestimenta para frequentar o Templo de Salomão e que as informações publicadas são pontos de vista dos profissionais do jornal.

A diarista Maria Helena Soares, 43, porém, gosta de seguir à risca as orientações dos pastores para não usar “regatas, bermudas, maquiagem pesada e bonés dentro do Templo.” Ela usava uma saia até os pés combinada com blusa lilás e cachecol.

Dona de casa, Cleide Santos, 55, diz que “Deus vem mudando a visão do povo, evangelizando o mundo e fazendo as pessoas perceberem que o que importa é o caráter e a integridade. Amém?”.

Dicas de moda da ‘Folha Universal’

  • Jeans são megaconfortáveis, mas para esta ocasião não devem sair do armário
  • Estampas chamativas, como animal print, devem ficar aposentadas
  • Esqueça legging, faça isso um mantra na sua vida
  • Blusas transparentes usadas com segunda peça por baixo propõem um visual contemporâneo
  • Saia mídi [na altura do joelho] deixa a composição para lá de elegante, enquanto a combinação com pantalona a deixa despretensiosa

Leia depoimentos de fieis sobre moda no blog Peça Única.

Jenifer Almeida usa meia grossa para não mostrar as pernas (foto: Adriano Vizoni/Folhapress)
Jenifer Almeida usa meia grossa para não mostrar as pernas (foto: Adriano Vizoni/Folhapress)
Maria Helena Soares arremata a saia longa com um cachecol (foto: Adriano Vizoni/Folhapress)
Maria Helena Soares arremata a saia longa com um cachecol (foto: Adriano Vizoni/Folhapress)
Felipe e Fernanda Martins em looks escolhidos por ela (foto: Adriano Vizoni/Folhapress)
Felipe e Fernanda Martins em looks escolhidos por ela (foto: Adriano Vizoni/Folhapress)
A cabeleireira Fabrícia Almeida, 25 (foto: Adriano Vizoni/Folhapress)
A cabeleireira Fabrícia Almeida, 25 (foto: Adriano Vizoni/Folhapress)

 

Leia Mais

Valdemiro Santiago se diz perseguido pelo Imposto de Renda

Publicado no UOL

Muita gente reclama que acha indecente o fato de igrejas terem isenção de Imposto de Renda, mas não é isso que pensa o apóstolo Valdemiro Santiago, da Igreja Mundial do Poder de Deus. Em desabafo na TV, o pastor afirma estar sendo “perseguido” pela Receita Federal. “Por que não me deixam em paz?”, bradou ao lado dos principais ajudantes e da mulher, a bispa Franciléia.

Em seu desabafo, Valdemiro disparou contra o governo, contra a Fifa e o que considerou a “herança maldita” da Copa do Mundo ocorrida em junho e julho no Brasil. Sobrou até para Ronaldo Fenômeno.

“Bilhões e bilhões dados à Fifa [pelo governo] e sem resultados. Pelo contrário, fomos humilhados”, declarou Valdemiro, enquanto todos à sua volta assentavam positivamente com a cabeça.

“E os bilhões de isenção que deram para a Fifa? Só R$ 50 milhões já resolveriam o problema da Santa Casa. E aí ainda [a Receita] vem me perseguir? Sai do meu pé! Me deixa em paz. Com a Fifa é isenção e com a gente vem no pescoço cobrar imposto?”

3abr2012---culto-do-pastor-valdermiro-santiago-ex-universal-e-maior-adversario-de-edir-macedo-atualmente-na-igreja-mundial-no-braz-1379689435126_300x300

Valdemiro Santiago pode estar revoltado principalmente porque teria chegado ao fim um longo processo de investigação por parte da Receita Federal, iniciado dois anos atrás, depois que a TV Record, da Igreja Universal, fez longa reportagem acusando-o de desviar dízimos de fiéis para comprar fazendas e viver em luxo ilícito. Depois da matéria, Ministério Público e Receita iniciaram investigações que quase “quebraram” o religioso financeiramente.

Ele foi obrigado a vender fazendas e se desfazer de muitos bens. Nesse ínterim acabou perdendo praticamente todo o espaço que havia obtido na TV aberta brasileira –quase 1.600 horas mensais em vários canais.

Entre outros prejuízos, perdeu a locação da Rede 21 e todas as madrugadas da Band para a Igreja Universal de Edir Macedo –seu maior desafeto.

“E esse cara que ainda vem dizer que Copa do Mundo não se faz com hospital, mas com estádio, Que vergonha! Um cara que saiu da sarjeta, como eu, dizer absurdo desses”, protestou o líder da Mundial em referência a uma controversa e criticada declaração de Ronaldo Fenômeno, membro do Comitê Organizador Local (COL) em defesa da realização da Copa no Brasil.

Santiago tem atualmente duas horas semanais na RedeTV! e um número cada vez maior de horas na TV Ideal, vendida no ano passado pela Abril ao Grupo Spring.

No Brasil, igrejas em geral recebem isenção total de imposto. Isso faz com que todo o dinheiro doado por fiéis fique livre da cobrança de qualquer taxa ou imposto por parte do governo.

Em lugares como o Reino Unido, por exemplo, não só há isenção de imposto, mas o governo também dá dinheiro líquido às igrejas de acordo com o volume doado por seguidores. Ou seja, quanto mais dinheiro é doado a um pastor, mais dinheiro o governo dá de subsídio a sua igreja.

Leia Mais

Universal usa Velho Testamento para reviver relação do ‘povo eleito’ com Deus

Templo de Salomão, da Universal, no bairro do Brás, em São Paulo (foto: Marlene Bergamo - 30.jul.2014/Folhapress)
Templo de Salomão, da Universal, no bairro do Brás, em São Paulo (foto: Marlene Bergamo – 30.jul.2014/Folhapress)

Luiz Felipe Pondé, na Folha de S.Paulo

Por que os neopentecostais são apaixonados pelo que os cristãos chamam de “Velho Testamento”?

O termo, recusado pelos judeus, que usam “Tanach” para o cânone hebraico, ou “Bíblia Hebraica”, no rastro do crítico literário judeu americano Harold Bloom, reúne o conjunto de textos que vem antes do Novo Testamento. Neste, Jesus, o Messias dos cristãos, anuncia a “nova aliança” do Deus de Israel com a humanidade, diferente da “antiga aliança”, que seria apenas com o povo eleito, os hebreus. Salomão foi um dos mais importantes reis hebreus.

A diferença de terminologia para se referir a este conjunto de textos não é mero detalhe de um obcecado por estudos bíblicos, mas encerra em si um equívoco, do ponto de vista judaico, do que significa a chamada “eleição do povo de Israel”. De certa forma, grande parte do cristianismo compreende a eleição de Israel de um modo equivocado. A eleição é uma responsabilidade, um peso, não a escolha de um caçulinha mimado fadado ao sucesso. Aqui nasce o equívoco e, ao mesmo tempo, a paixão neopentecostal pelo Velho Testamento.

O “Templo de Salomão” construído pela Igreja Universal do Reino de Deus, é uma peça de fé, não uma reconstrução arqueológica, nem precisa ser, uma vez que estamos falando de religião, instituição que nada tem a ver com as demandas de uma ciência como a arqueologia.

O templo original, supostamente construído pelo rei Salomão, filho do rei Davi, no século 9º antes de Cristo, teria sido destruído por volta 586 a.C. Pesquisas arqueológicas situam os fragmentos encontrados no Monte do Templo, que poderiam ser da primeira sede do culto hebraico antigo, há cerca de 3.000 anos atrás, o que coincide com a vida do personagem bíblico em questão.

Mas, de onde vem essa paixão? Vem do fato que os neopentecostais (que se diferenciam dos seus “antepassados” pentecostais pelo forte caráter de “espetáculo para as massas” nos cultos) leem a relação entre o Deus de Israel e seu povo eleito numa chave mágica. Os fatos narrados no “Tanach” (Velho Testamento) indicam uma forte presença de Deus nos destinos do povo, alterando círculos naturais, criando forças a favor do povo, enfim, fundando um mundo de “milagres”.

Daí que, revivendo o Templo de Salomão, supostamente, a Igreja Universal dá um importante passo simbólico no sentido de dizer que seus fiéis revivem a relação de povo eleito com seu Deus, Rei do Universo (“Melech HaOlam”). A imagem é forte, temos que reconhecer. Mas, aqui reside a chave da interpretação equivocada que leva a paixão dos neopentecostais por todos os signos vétero-testamentários.

O equívoco está no fato que o mundo mágico do Velho Testamento é apenas uma pequena parte da eleição de Israel. Mas os neopentecostais parecem crer que essa “mágica israelita” é a base para o sucesso, a felicidade, e, finalmente, para a teologia da prosperidade que marca o movimento neopentecostal. Dito de forma direta: quem vive com o Deus de Israel fica rico e feliz.

Ledo engano, basta ver a história dos judeus e os jornais atuais. A eleição do povo de Israel, para os judeus, significa muito mais que o povo é um povo de sacerdotes, que leva a mão de Deus sobre si, num mundo de agonias, que recusará e odiará esse povo justamente por isso. Não é por outra razão que se chama o massacre de judeus na Segunda Guerra de “Holocausto”. O povo é “um animal do sacrifício”, e cada vez que Deus quiser, Ele o lança ao fogo para “falar” com o mundo.

A eleição de Israel é muito mais um peso do que um ticket para o sucesso. Tem mais a ver com o conflito israelo-palestino, através do qual muitos odeiam Israel, do que com ficar rico e feliz. Se perguntarmos a muitos judeus religiosos em Israel e no mundo, dirão que o desespero que passa Israel hoje, o medo do ódio do mundo e da destruição do Estado de Israel, é mais uma marca da sofrida eleição.

Por isso, não é difícil encontrar judeus que pediriam a Deus, assim como profetas o fizeram, que escolha outro povo para ser Seu eleito, porque Israel já cansou.

Leia Mais

Avanço da Universal tira força de rivais na televisão

Por Ricardo Mendonça, na Folha de S. Paulo

A inauguração de um enorme templo em São Paulo no fim do mês, com a possível presença da presidente Dilma Rousseff e outras autoridades, não é a única marca da atual ofensiva da Igreja Universal do Reino de Deus sobre seus concorrentes.

Duas operações comerciais recentes tratadas com muito mais discrição pela igreja provocam reviravolta na geopolítica das neopentecostais.

Há poucos dias, a Universal alugou 22 horas diárias da grade da TV CNT, rede paranaense controlada pela família Martinez (do ex-deputado José Carlos Martinez, presidente do PTB morto em 2003).

Com isso, tirou da emissora o concorrente Valdemiro Santiago, da Igreja Mundial do Poder de Deus, e o programa “Vitória em Cristo”, veiculado há 32 anos na CNT por Silas Malafaia, de um ramo da Assembleia de Deus.

O arrendamento da CNT foi a segunda manobra do tipo patrocinada pela igreja de Edir Macedo. No fim de 2013, em negociação com a família Saad, da Bandeirantes, a Universal já havia alugado toda a grade disponível do Canal 21 (UHF), que desde 2008 era 100% ocupada pela Mundial.

1419878

No meio evangélico, essas operações chamaram a atenção menos pela ampliação da capacidade de exposição da Universal e mais pelo encolhimento dos concorrentes.

A Universal já aluga fatias diárias da Bandeirantes, da Rede TV! e da Record, esta última de sua propriedade. Com 100% da CNT e do Canal 21, a igreja praticamente monopolizou os quinhões disponíveis para pregação religiosa em rede nacional.

O expurgo de Valdemiro e Malafaia de seus principais púlpitos eletrônicos tem ainda um reflexo político.

Em 2010, quando o tema do aborto ganhou destaque na eleição presidencial, eles foram os dois neopentecostais que apareceram na propaganda do então candidato José Serra (PSDB), principal rival de Dilma.

Neste ano, com o candidato Pastor Everaldo (PSC) concentrando apoios evangélicos, a Universal poderá ficar como a única neopentecostal relevante a apoiar a petista.

Para o sociólogo Ricardo Bitun, o estrangulamento promovido pela Universal é o capítulo recente mais importante da disputa entre igrejas. “A concorrência entre elas é fortíssima, com consultores auxiliando cada uma dessas operações e milhões de reais envolvidos”, diz.

As partes não comentam, mas no mercado circula a informação de que a Mundial teria perdido o Canal 21 após acumular R$ 21 milhões em dívidas com a família Saad.

Valdemiro estaria agora prestes a fazer o arrendamento integral da canal 32 UHF (antiga MTV), que em dezembro foi vendido pela Editora Abril para o Grupo Spring –o dono do grupo não foi encontrado para comentar. Nesta quarta (16), cultos da igreja já eram exibidos no canal.

O troca-troca de emissoras nem sempre é tratado de forma diplomática no meio.

Alguns anos atrás, quando R. R. Soares (Igreja Internacional da Graça) desalojou Valdemiro de um horário na Band, o líder da Mundial o acusou de falsidade e chegou a chamá-lo de racista. Disse que Soares só se referia a ele como “o bispo preto”.

Em 2012, foi a vez de Valdemiro ser mostrado como vilão. Ao perder um horário para a Mundial, Malafaia o acusou de ser dissimulado e desleal.

A Universal evita esse tipo de embate. Por escrito, afirmou que “os meios de comunicação podem e devem ser utilizados como canais evangelísticos, com o intuito de levar uma palavra de vida e fé”. Agora, o único que oferece um pouco de concorrência à Universal em rede nacional é Soares, na Rede TV! e na Band.

14164762

Leia Mais

“Expulso” da TV aberta, Valdemiro investe em TV paga

Ricardo Feltrin, no UOL

foto: Isadora Brant/Folhapress
foto: Isadora Brant/Folhapress

Há mais de dois anos enfrentando dificuldades financeiras e expulsa pela Universal de praticamente todos os horários da TV aberta brasileira (com exceção da RedeTV!), a Igreja Mundial do Poder de Deus, de Valdemiro Santiago, agora tenta se manter em evidência ao menos na TV por assinatura.

Além de um canal religioso 24 horas que pode ser sintonizado por assinantes das maiores operadoras, Valdemiro conseguiu agora comprar mais algumas horas semanais na TV Ideal, que pertence ao Grupo Abril.

Em operadoras como TVA (Vivo), a TV Ideal pode ser sintonizada no mesmo canal que antes exibia a MTV –vendida para o grupo internacional Spring, que tem entre outros negócios, a revista “Rolling Stone”, e pretende montar um canal de TV voltado à música e celebridades em 2015.

A Mundial de Valdemiro chegou a ter 1.600 horas mensais na TV aberta brasileira, até cerca de dois anos atrás. Ele chegou a ter a totalidade do canal 21 (UHF), as madrugadas da Band, negociou a compra da CNT e mais 22 horas da TV Mix.

No entanto, por falta de pagamentos, atrasos e a perseguição sistemática do rival Edir Macedo, Valdemiro acabou perdendo praticamente todo o seu império na TV aberta.

A crise começou depois que a TV Record, que pertence ao bispo Macedo, líder da Universal, fez reportagem denunciando Valdemiro por enriquecimento ilícito e desvio de dinheiro de fiéis para compra de imóveis e outros bens particulares.

Acossado e investigado pelo Ministério Público e, pior, Receita Federal, Valdemiro foi obrigado a vender propriedades e a se desfazer de vários negócios –como as TVs e algumas rádios.

A Band ainda estaria acionando o religioso judicialmente para receber cerca de R$ 20 milhões que a Mundial lhe deve desde antes do rompimento de contrato.

A TV Ideal é um canal dedicado ao mundo corporativo, recheado de entrevistas com executivos, CEOs e programas institucionais.

Leia Mais