Recém-formado de 21 anos recebe US$ 25 milhões por aplicativo ainda em fase de testes

Reprodução/Twitter
Reprodução/Twitter

Publicado no UOL

O engenheiro da computação Lucas Duplan, 21, recebeu US$ 25 milhões (cerca de R$ 55,8 milhões) de investidores do Vale do Silício pelo aplicativo que desenvolveu com uma equipe de 50 pessoas. O detalhe é que esse programa ainda não está pronto: o jovem norte-americano conseguiu o dinheiro apenas com um protótipo do aplicativo testado por estudantes da Universidade de Standford, onde Duplan recentemente se formou.

O aplicativo chama Clinkle e, segundo o site americano “Business Insider”, é difícil definir o que ele faz. O site oficial dá poucos detalhes sobre o produto (“o Clinkle vai reconstruir sua carteira analógica do zero para levar você ao pagamento do futuro”) e Duplan também não detalha seu projeto, que deve ser lançado oficialmente no final do ano para Android e iOS (plataforma da Apple).

“Nosso objetivo é modernizar a forma de pagamento. Queremos fazer com que seu telefone, pela primeira vez, rivalize com dinheiro e cartão de crédito”, disse Duplan, segundo a “Business Insider”. Segundo ele, o nome vem do barulho das moedas (além disso, a escolha foi feita porque o domínio na internet estava disponível).

A ideia de criar o aplicativo, de acordo com o “Techcrunch”, surgiu quando o estudante era calouro e viajou ao Reino Unido. Ele conseguia usar aplicativos para muitas funções – falar com amigos, ouvir músicas, jogar -, mas não para pagar por um sanduíche. Ao voltar para a Califórnia, o então estudante de Standford alugou uma casa em Palo Alto com outros dez alunos e liderou o desenvolvimento do Clinkle.

As reportagens sobre o jovem não detalham como ele manteve a empresa até receber o investimento milionário, anunciado no final de junho. Reportagem do “Wall Street Journal” em abril deste ano diz apenas que ele já havia recebido dinheiro de investidores, sem especificar quanto.

Leia Mais

Falha em aplicativo revela amigos que procuram encontros sexuais no Facebook

430103-630x495

publicado no LifeStyle

Quem estava feliz com a possibilidade de conseguir encontros sexuais de maneira discreta com os amigos no Facebook, acaba de levar uma bela rasteira. Por conta de uma falha no “Bang With Friends”  a lista dos amigos que usam o aplicativo aparece numa página no próprio Facebook, basta clicar neste link. A novidade já vem dando que falar nas redes sociais e promete dar muito pano pra manga, pois várias pessoas comprometidas se aventuraram a usar o app.

A exposição dos usuários contradiz o principal chamariz do aplicativo que diz: “Seus amigos nunca saberão se você está interessado por alguém, a não ser que um deles também esteja”.

A falha afetou pessoas que começaram a usar o recurso antes de janeiro, quando foram feitas mudanças para reforçar a privacidade. Segundo o Wall Street Journal, até esta data, quando alguém começava a usar o Bang With Friends, ele adotava as configurações de privacidade estabelecidos pela pessoa em seu perfil no Facebook. A maioria dos usuários mantém, como padrão, a opção de publicar conteúdo publicamente ou para todos os amigos.

A empresa que desenvolveu o aplicativo disse que poucos usuários foram atingidos pela brecha.

“Nós levamos a questão da privacidade muito a sério no Bang With Friends, e a maioria dos usuários não terão seus dados expostos. Se você instalou o aplicativo depois de janeiro, pode ter certeza que não aparecerá no Facebook (a não ser que você mude suas configurações de privacidade)”, disse em comunicado.

 

Leia Mais

As redes sociais podem arruinar seu relacionamento

loveDr. Cristiano Nabuco, no UOL

Pois é, talvez você ache que seja exagero, mas é exatamente o que vem acontecendo em várias partes do mundo.

De acordo com um artigo publicado no The Wall Street Journal, de acordo com os advogados especializados em divórcio nos EUA, 80% dos casos recentes são decorrentes de problemas que começaram online, que incluem trocas de e-mails, mensagens de texto e contatos frequentes via Facebook. Outra fonte já aponta que na França, apenas citando outro exemplo, 50% dos casos de divórcio tiveram origem nas redes sociais.

Especialistas afirmam que, ao reencontrarmos velhas paixões (muitas delas provavelmente originadas na adolescência), as antigas fantasias voltam à tona com força total. Carregadas de afetos e experiências não vividas, elas podem facilmente balançar sua cabeça, principalmente se sua vida afetiva não estiver lá muito boa. Desta forma, muitas pessoas caem na tentação e (re)iniciam um relacionamento dos “velhos tempos”. E o resultado? Muitas delas acabam se apegando de verdade, colocando em risco as relações atuais.

Outro ponto importante a ser considerado é que na internet a velocidade das coisas é diferente, ou seja, muitos pesquisadores afirmam que os usuários podem tirar vantagens do fato de a comunicação ser feita pelo computador, por ser editável, permite alterar o que foi escrito antes de enviar a mensagem, luxo que não temos na comunicação face a face, por exemplo.

A vantagem, se comparado à comunicação real, é que o usuário não precisa se preocupar com o rosto, o corpo, a voz, e assim por diante, dando às pessoas mais tempo e atenção para a mensagem em si. Desta forma, os internautas podem “gerenciar” as impressões que são passadas, criando um modelo de si mesmo mais atraente aos demais. Por esta razão então que as pessoas encontradas na web são tão “apaixonantes”, se comparadas ao que efetivamente são na vida real.

E você, alguma vez já procurou velhos amores na internet? Fique atento (a) para não arruinar seu relacionamento!

Leia Mais

Twitter revela ataque hacker que afeta até 250 mil perfis

twitterbird2Publicado por AFP [via UOL]

A rede social Twitter informou na sexta-feira que estava sendo afetada por um “sofisticado” ataque cibernético, similar aos que atingiram nos últimos dias grandes jornais da costa leste dos Estados Unidos, e que as senhas de cerca de 250.000 usuários haviam sido roubadas.

“Este ataque não foi obra de internautas normais, e não acreditamos que tenha sido um incidente isolado”, disse o diretor de segurança de informação do Twitter, Bob Lord, em um post em seu blog.

Lord se referiu a “ataques à segurança em grande escala contra o setor de tecnologia e empresas de comunicação americanas”, e informou que o Twitter havia detectado esta semana tentativas de obter acesso não autorizado a dados da rede social.

O ataque coincidiu com a revelação de várias violações da segurança de grandes empresas de jornalismo. Os jornais The New York Times e The Wall Street Journal anunciaram esta semana que tinham sido ‘hackeados’ da China.

O Twitter não confirmou a procedência do ataque.

Como medida de precaução, a rede social invalidou senhas e enviou mensagens de e-mail às pessoas afetadas para que criassem novas para que pudessem utilizar suas contas.

dica do João Marcos

Leia Mais

Filha de Obama faz graça durante foto dos pais em cerimônia de posse nos EUA

Publicado por IG

Malia Obama, filha mais velha do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, fez graça durante uma foto de seus pais que era tirada por sua irmã, Sasha. A cena aconteceu durante uma das cerimônias de posse do segundo mandato do líder norte-americano na segunda-feira (22/01).

Um vídeo divulgado pelo “Wall Street Journal” mostra a menina entrando na frente do celular da irmã, que tentava tirar registrar a imagem do pai da primeira-dama Michelle, se beijando. O flagrante se tornou viral na internet e já teve milhares de visualizações.

Leia Mais