Arquidiocese notifica TV italiana por usar imagem do Cristo Redentor

Imagem do Cristo Redentor foi utilizada em propaganda de TV italiana - Ivo Gonzalez / Agência O Globo
Imagem do Cristo Redentor foi utilizada em propaganda de TV italiana – Ivo Gonzalez / Agência O Globo

A propaganda termina com o Cristo vestido com a camisa azul número 10, do craque italiano Antônio Cassano

Deborah Berlinck, em O Globo

BOLONHA – A Arquidiocese do Rio está pedindo entre 5 e 7 milhões de euros (entre R$15 e R$21 milhões) de indenização à maior rede de televisão da Itália, a RAI, por a emissora ter “vestido” o Cristo Redentor com uma camisa da seleção italiana de futebol, num filme para promover sua programação na Copa do Mundo. Além de desrespeito religioso, a Arquidiocese acusa a rede italiana de exploração “ilitica” da imagem do Cristo, lembrando que é dona exclusiva dos direitos autorais, materiais e morais do monumento.

– A Arquidiocese se sente ultrajada. É como se uma TV brasileira promovesse sua programação colocando mulatas com gladiadores no Coliseu de Roma. É um insulto a um simbolo nacional – disse Alexandro Maria Tirelli, o advogado italiano que enviou notificação a Rai, a pedido de Rodrigo Grazioli, advogado paulista contratado pela Arquidiocese.

Tirelli disse que entrou em contato com a direção da Rai na sexta-feira e que, aparentemente, a propaganda foi retirada. Agora faltam as indenizações. Na notifição por escrito que enviou a Rai, a Arquidiocese não menciona o montante da indenização. A entidade eclesiástica diz que tomou conhecimento da publicidade no dia 30 de abril através da rede social Youtube, e pede a retirada “imediata” do anúncio. A carta acaba com uma ameaça de entrar na Justiça caso não haja acordo que “englobe a indenização pela utilização indevida ja consumada”.

O advogado italiano disse que a Arquidiocese quer usar a indenização para obras caritativas da igreja.

– A motivação não é para fins lucrativos. Uma marca mundial de artigos de esporte propôs pagar à Arquidiocese US$ 2 milhões para vestir o Cristo Redentor com suas camisas. A Arquidiocese se recusou – disse Tirelli.

A Copa do Mundo no Brasil virou uma dor-de-cabeca inesperada para a Arquidiocese. Com o Cristo Redentor sendo o maior cartão-postal do Brasil, a Arquidiocese também ameaça comprar uma briga com a casa de apostas inglesa Landbroke. Numa publicidade, a Landbroke nao apenas vestiu o Cristo Redentor com uma camisa de futebol, como cobriu seu rosto. Um pedido de informação feita pelo GLOBO por email à assessoria de imprensa da Rai não foi respondido.

A propaganda da Rai, de cerca de 30 segundos, reúne todos os clichês do Rio: crianças, futebol, favelas. E termina com o Cristo vestido com a camisa azul número 10, do craque italiano Antônio Cassano.

Ancelmo Gois, em sua coluna desta sexta-feira, publicou uma foto do perfil no Instagram do jogador italiano Mario Balotelli. O craque italiano aparece de braços abertos no alto do Corcovado, como o Cristo Redentor, com a camisa da Azurra.

Leia Mais

Cantando “Flashdance”, freira bate metaleiro e vence “The Voice Itália”

Na final do "The Voice Itália", Cristina Scuccia repetiu a música "No One", de Alicia Keys, apresentada na sua audição do programa, que surpreendeu jurados e telespectadores (foto:  Marco Bertorello)
Na final do “The Voice Itália”, Cristina Scuccia repetiu a música “No One”, de Alicia Keys, apresentada na sua audição do programa, que surpreendeu jurados e telespectadores (foto: Marco Bertorello)

Publicado no UOL

A freira Cristina Scuccia, de 25 anos, venceu a final do programa “The Voice Itália” nesta quinta-feira (5) com uma sequência de apresentações de música pop. Ela superou os competidores Giacomo Voli, Tommaso Pini e Giorgia Pino – respectivamente em segundo, terceiro e quarto lugares –, depois de cantar as músicas “Beautiful That Way”, da trilha sonora do filme “A Vida é Bela”, “Lungo La Riva”, “Gil Anni”, “No One” e “Flashdance… What a Feeling”.

No último embate, contra Giacomo Voli, Cristina teve 62,30% dos votos do público. Com longos cabelos cacheados, olhos claros e um visual metaleiro, Voli mostrou um repertório que foi da ópera “Nessun Dorma”, famosa na voz de Luciano Pavarotti, ao rock “Stairway To Heaven”, da banda Led Zeppelin. Em sua última apresentação, da música “Vivere il mio tempo”, da banda italiana Liftiba, o músico tocou violão e ganhou elogios dos jurados pela versatilidade.

Para ganhar a batalha final, a freira fez covers inéditos, duetos e até recitou o “Pai Nosso” no palco, arrancando muitos aplausos da plateia.

“Agradeço a todos aqueles que me ajudaram nesse período difícil”, declarou a religiosa, que teve uma experiência missionária de quase dois anos no Brasil, durante a qual ela trabalhou com jovens em situação de pobreza.

Sucesso no mundo inteiro, a freira recebeu apoio de internautas de outros países durante a transmissão da final. “Toda a sorte à freira Cristina! Te seguimos e torcemos da Argentina”, escreveu um deles no site oficial. Mensagens semelhantes foram postadas por torcedores de países como México, Canadá, Colômbia, Equador e do Brasil. “Brasil, com Sour Cristina, belissima”, escreveu Elisa Siqueira, de Guaratinguetá.

Surpresa com música de Alicia Keys
Cristina surpreendeu jurados e telespectadores do mundo inteiro ao cantar “No One”, de Alicia Keys, na audição do programa. Indagada se o Vaticano poderia reagir negativamente a sua participação no programa, ela respondeu: “Já que o papa Francisco fala de um evangelho de alegria, acho que estou em um bom caminho”.

Quando entrou no palco pela primeira vez no programa, de hábito preto e com uma cruz no pescoço, a freira surpreendeu pela aparência e pela voz, causando um verdadeiro furor nas redes sociais.

Até o cardeal Gianfranco Ravasi, o “ministro da Cultura” do Vaticano, publicou um tuíte, citando o apóstolo Pedro: “Cada um de nós, segundo o dom que recebeu, põem-no a serviço dos outros #irmãcristina”. “Tenho um dom, e eu o dou”, disse a irmã Cristina a um dos membros do júri, a apresentadora e cantora Raffaella Carrà, que lhe perguntou se era, realmente, uma freira.

“Mas o que o Vaticano diz?”, questionou o júri. “Espero um telefonema do papa Francisco”, brincou Cristina. O papa “nos diz que devemos sair (dos conventos), que digamos que Deus não nos exclui de nada, pelo contrário, Ele nos estimula a dar”, acrescentou.

Veja apresentação da freira cantando Flashdance no início de maio.

Leia Mais

Senado belga aprova lei que condena cantadas de rua

Agressores receberão multas entre € 50 e € 1.000 e poderão pegar até um ano de prisão
Bélgica é o primeiro país europeu a considerar as cantadas uma forma de assédio

Publicado em O Globo

O Senado belga aprovou uma lei que multa as pessoas que façam cantadas agressivas a mulheres em vias públicas e pode condená-las a até um ano de prisão. A Bélgica é o primeiro país europeu a considerar as intimidações sexuais uma forma de assédio.

A iniciativa ganhou força depois que a estudante Sophie Peeters gravou um documentário chamado “Femme de la Rue” (A Mulher da Rua) que mostra os assédios que sofre uma mulher ao caminhar nas vias públicas do país. Durante meses, ela filmou com uma câmera caseira as cantadas e insultos que ouvia de homens na rua.

A ministra federal da Igualdade de Oportunidades, Joelle Milquet, declarou que a nova legislação considerará como ofensa criminal as intimidações sexuais nas ruas. A lei, que entrará em vigor em junho, também condenará os assédios nas redes sociais. As multas para o crime variam entre € 50 e € 1.000.

No entanto, a medida foi criticada por uma parcela da população belga, que ainda não sabe ao certo como serão feitas as repressões.

Leia Mais

Ney Matogrosso: “Se existia tanto dinheiro disponível para gastar na Copa, por que não resolver os problemas do nosso país?”

Augusto Nunes, na Veja on-line

Pouco mais de duas semanas depois do ex-presidente Lula exaltar as conquistas do Brasil Maravilha numa entrevista à emissora portuguesa RTP, o cantor Ney Matogrosso escancarou, durante um programa no mesmo canal, algumas verdades do Brasil real. Ao ouvir do apresentador Vítor Gonçalves a pergunta “Como está o Brasil?”, um dos maiores artistas do país responde: “Existe um enorme desconforto”, começa. “O governo brasileiro está gastando bilhões de reais para fazer estádios, enquanto nos hospitais públicos as pessoas estão sendo jogadas no chão, em cima de um paninho”.

A partir daí, Ney fala sobre educação, transporte público, Bolsa Família e corrupção antes de fazer a pergunta que todos os brasileiros decentes se fazem há meses: “Se existia tanto dinheiro disponível para gastar na Copa, por que não resolver os problemas do nosso país?”.

Leia Mais