Quais são as maiores injustiças do Oscar?

Publicado no Huffpost

O Oscar parece futebol. Mexe com o coração (e os nervos) de uma das mais fanáticas torcidas do mundo: a dos apaixonados por cinema.

Quando o assunto é Oscar, as discussões são sempre acaloradas. Entre vencedores e perdedores, há sempre muita reclamação das injustiças.

E olha que em um prêmio com 90 anos de História elas são muitas.

Conheça aqui algumas delas:

Diretores incríveis que nunca venceram


Seu diretor preferido nunca conquistou um Oscar de Melhor Direção? Pois ele não está sozinho. Alguns dos melhores cineastas de todos os tempos também estão nessa lista. Entre eles, Alfred Hitchcock (5 indicações), Federico Fellini (4 indicações), Ingmar Bergman (3 indicações), Sidney Lumet (4 indicações), David Lynch (3 indicações), François Truffaut (1 indicação), Akira Kurosawa (1 indicação) e Orson Welles (1 indicação).

Diretores incríveis que nem sequer foram indicados
Se grandes diretores como Hitchcock e Fellini nunca conquistaram um Oscar, outros nem sequer foram indicados para um estatueta de Melhor Direção. Entre eles, nomes do calibre de Fritz Lang, F.W. Murnau, Tim Burton, Brian De Palma, Jean-Luc Godard, Sam Peckinpah, Andrzej Wajda, Stanley Donen e D.W. Griffith.

Cidadão Kane ganhou apenas um Oscar


Toda vez que sai alguma lista com os melhores filmes da História do cinema, Cidadão Kane, o genial filme de estreia de Orson Welles, geralmente é o nº 1. Quando não é, do top 3 ele nunca escapa. Muito à frente de seu tempo, o filme ganhou apenas um Oscar em 1941, o de Melhor Roteiro Original, autoria de Herman J Manciewicz. Há rumores que o já veterano Manciewicz teria ajudado Welles na direção por conta da quantidade impressionante de novidades visuais que o filme trouxe. Tudo bem que o Oscar de Melhor Filme

Obras primas de Scorsese esnobadas
Martin Scorsese é considerado por outros diretores, críticos e público como um dos maiores cineastas da História. Mas mesmo com uma filmografia como a dele, Scorsese ganhou um Oscar de Melhor filme apenas em 2007, com Os Infiltrados. Em anos anteriores, duas de suas maiores obras primas, Taxi Driver e Touro Indomável, foram preteridos em 1977 e 1981, respectivamente. Taxi Driver perdeu para Rocky, um Lutador; e Touro Indomável para Gente Como a Gente. Isso sem falar de Os Bons Companheiros, que perdeu para Dança com Lobos em 1991.

Os piores Melhores Filmes
Dos 90 filmes que já conquistaram a estatueta de Melhor Filme do Oscar, 2 conseguem se destacar com os maiores equívocos da Academia. Shakespeare Apaixonado, em 1999; e Crash – No Limite, em 2006. Shakespeare concorreu com Elizabeth, A Vida é Bela, O Resgate do Soldado Ryan e Além da Linha Vermelha; já Crash superou O Segredo de Brokeback Mountain, Capote, Boa Noite e Boa Sorte e Munique.

Grandes atuações ignoradas pela Academia


Olha só esta lista das grandes atuações que nem sequer entraram na lista de indicados ao Oscar: Maria Falconetti como Joana D’Arc em O Martírio de Joana D’Arc (1928), Judy Garland como Dorothy em O Mágico de Oz (1939), Humphrey Bogart como Sam Spade em Relíquia Macabra (1941), Ingrid Bergman como Ilsa Lund Laszlo em Casablanca (1942), Robert Mitchum como o pastor Harry Powell em Mensageiro do Diabo (1955), James Dean como Jim Stark em Juventude Transviada (1955), Anthony Perkins como Norman Bates em Psicose (1960), Mia Farrow como Rosemary Woodhouse em O Bebê de Rosemary (1968), e Jack Nicholson como Jack Torrance em O Iluminado (1980).

Os maiores perdedores
Não é muito raro um filme ter muitas indicações e não levar quase nada, mas alguns deles saíram da cerimônia do Oscar sem nenhuma estatueta, mesmo com várias chances de garantir pelo menos uma. Os recordistas como maiores perdedores da História do prêmio são: A Cor Púrpura, de Steven Spielberg (11 indicações sem faturar uma estatueta sequer), O Homem Elefante, de David Lynch (8); Tempo de Liberdade, de Frank Darabont (7); Anatomia de um Crime, de Otto Preminger (7) e Gata em Teto de Zinco Quente, de Richard Brooks (6).

Vencedores pelos filmes errados
Assim como é bem possível que Glenn Close ganhe o Oscar de Melhor Atriz em 2019 por um filme fraco como A Esposa, vários companheiros dela conquistaram estatuetas na base da compensação. Há casos clássicos de vencedores pelo filme errado. Entre os muitos casos, um dos mais marcantes foi o de Al Pacino em 1993. Com 7 indicações e nenhum prêmio no currículo (entre eles suas incríveis atuações em O Poderoso Chefão Parte 2, Um Dia de Cão e Serpico), Pacino venceu por seu desempenho exagerado e caricato em Perfume de Mulher. Outro exemplo histórico é o de Jeremy Irons, que abocanhou a estatueta em 1991 pelo insosso O Reverso da Fortuna e não por sua performance incrível em Gêmeos, Mórbida Semelhança. A lista segue com Dustin Hoffman, que venceu por Kramer vs. Kramer (1980) e Rain Man (1989) e perdeu em 1970 com seu papel mais icônico: Ratso Rizzo em Perdidos na Noite; e Juliette Binoche, que brilhou em filmes de cineastas do peso de Jean-Luc Godard, Hou Hsiao-Hsien e Krzysztof Kieślowski, venceu um Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante em 1997 pelo superestimado O Paciente Inglês.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Quais são as maiores injustiças do Oscar?

Deixe o seu comentário