Prevenir para não ter que remediar

Depois da infância, quando os pais costumam levar os filhos periodicamente ao pediatra, muita gente passa a procurar o médico somente depois que algum sintoma permanente se torna algo preocupante.

Alegando falta de tempo, pessoas na fase adulta perdem o costume de fazer consultas e exames. Muitas vezes cometem o erro de fazer autodiagnóstico e automedicação.

Nenhum mal-estar frequente é normal. Por mais leve que pareça o sintoma, é necessário procurar um especialista. E se aparentemente está tudo bem, também não custa fazer um check up. Afinal, algumas doenças graves são silenciosas.

Os cuidados básicos de saúde incluem uma visita periódica a um clínico geral. Ao contrário do que pensam, esse não é um médico sem uma especialização específica.

A Clínica Geral, por si só, é uma especialização. Este profissional de saúde é preparado para atuar por meio de uma visão integrada do funcionamento de todo o organismo. Por isso, é apto a diagnosticar e tratar a maioria das doenças. Segundo a Sociedade Brasileira de Clínica Médica, esse especialista pode resolver cerca de 70% dos casos.

Uma das vantagens de se consultar com um especialista em clínica médica é evitar a perda de tempo pulando de especialista em especialista, sem saber ao certo a origem dos sintomas.

Se o problema exigir atenção de outra especialidade médica, saberá fazer o encaminhamento correto. Caso contrário, poderá sozinho cuidar da doença ou da prevenção da saúde do paciente.

Uma característica bastante comum desse especialista é o atendimento mais humanizado que ele oferece. É o profissional de saúde que dedica mais tempo na conversa com o paciente, justamente porque ele tem uma visão mais abrangente. Vale a pena ter um clínico geral que acompanhe a saúde da família toda.

Quando procurar um clínico geral

O ideal é procurar esse especialista periodicamente, mesmo quando o paciente se sentir saudável. Outra recomendação é marcar uma consulta quando sentir dor de cabeça recorrente, enjoos e náuseas, febre alta, desmaios, fadiga, dores no peito e em outras áreas do corpo, além do mal-estar geral.

Doenças comuns que podem ser tratadas pelo clínico geral

Algumas são bastante comuns, como: hipertensão, obesidade, pressão baixa, diabetes, anemia, gastrite, gripes, osteoporose, doenças cardíacas em estado inicial, dores de cabeça, doenças de pele simples, como micose e dermatite, alergias em geral, dores nas articulações, infecção urinária ou intestinal, entre outras. Depressão ou transtornos de ansiedade leves também podem, inicialmente, ser tratadas e acompanhadas por esse especialista.

Prevenção

Prevenir é sempre melhor que remediar, por isso o hábito de se consultar com um clínico geral é capaz de preservar a saúde e melhorar a qualidade de vida das pessoas.

Por meio de uma anamnese cuidadosa, ele avaliará o histórico de sintomas, de doenças com características familiares, hábitos de alimentação e de atividades físicas do paciente.

Além disso, fará exames clínicos de rotina, como medir a pressão arterial, verificar os batimentos cardíacos, a saúde dos olhos, dos ouvidos, da garganta e dos pulmões e de outros órgãos do corpo.

Depois, prescreverá exames de rotina capazes de investigar mais profundamente a saúde geral do organismo, fará a prescrição de medicamentos ou de apenas de hábitos de vida mais saudáveis, além de encaminhar para acompanhamento especializado caso seja necessário.

O clínico geral também pode orientar sobre vacinas, indicar suplementos vitamínicos e tirar dúvidas sobre medicações e tratamentos receitados por outros especialistas.

Onde consultar

O clínico geral atende em consultórios particulares, em clínicas conveniadas a planos de saúde e até mesmo em casa.

Em casos onde os sintomas aparecem subitamente, não desaparecem ou até mesmo para consultas de rotina, é recomendado é buscar hospitais com emergência, como os da Rede D’Or São Luiz, onde há clínicos gerais capacitados nas técnicas mais modernas para este atendimento.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Prevenir para não ter que remediar

Deixe o seu comentário