Pastor critica igrejas por fecharem as portas contra coronavírus: “Maricas”

Publicado no UOL

Num vídeo de quase uma hora de duração, um pastor americano identificado como Jonathan Shuttlesworth classificou como “bando de maricas” as igrejas europeias que decidiram fechar as portas para impedir a disseminação do coronavírus. Segundo ele, “a bíblia diz para sua nação ficar unida”, e que “o governo não pode mandar na igreja”.

Na última semana (14), o pastor Silas Malafaia publicou em seu Twitter um vídeo para encorajar as pessoas para ir à igreja. O posicionamento gerou críticas na internet. O secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Wanderson de Oliveira, disse que cuidados básicos devem ser tomados para impedir o avanço do coronavírus, e recomenda a redução do contato social.

“Que vergonha para toda igreja europeia, bando de mariquinhas”, disse ele. A Itália é o segundo país com casos mais confirmados de coronavírus do mundo, depois da China, e as igrejas tomaram medidas para impedir a propagação do vírus, como remover água benta e cancelar grandes eventos.

“A Igreja Católica não tem água benta no saguão. Quão sagrada é a água então? Isso deve ser um sinal de que a sua religião é uma fraude. Qualquer fé que não funcione na vida real é uma fé falsa. Totalmente falsa”, continuou.

O pastor diz acreditar que as medidas de prevenção do coronavírus são o trabalho do diabo, e que se esse diabo não quer que haja reuniões de massa, “é hora de realizar reuniões de massa”.

O discurso vai contra todas as recomendações pelo mundo, que é a de evitar sair. Aqui no Brasil, por exemplo, o governador Wilson Witzel (PSC) decretou hoje estado de emergência no Rio de Janeiro para conter uma possível epidemia do novo coronavírus. O atendimento em bares e restaurantes será reduzido a um terço das mesas, enquanto em shopping centers somente a praça de alimentação permanecerá aberta. A prefeitura de São Paulo também decretou situação de emergência por coronavírus.

O vídeo causou revolta entre gays cristãos. “Não fiquem chateados porque os gays são aceitos e amados pelo rei altíssimo sim”, comentou uma internauta. “Estou muito preocupada com os cristãos não tomarem precauções adequadas com este vírus”, comentou outra. E um seguidor ainda deu uma sugestão: “Então por que você não vai para o Irã ou Coreia ou Itália para orar pelas pessoas doentes?”.

“EUA não serão tão atingidos”
Num outro vídeo, feito em seu programa de TV, Shuttlesworth ainda previu que os americanos não serão “tão atingidos” pela doença porque o presidente Donald Trump “honra Israel”.

“Podem dizer o que quiserem, ele honrou Israel. Obama honrou os inimigos de Israel; Trump honra Israel, e é uma enorme diferença. E por causa disso, prevejo que os Estados Unidos serão minimamente afetados pelo coronavírus “, disse Shuttlesworth.

Para ele, porém, o Noroeste Pacífico, a Califórnia e Nova York “não serão protegidos pelas opiniões de Trump sobre Israel”. E justifica dizendo que esses locais comemoraram a aprovação da [legislação] a favor do aborto.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Pastor critica igrejas por fecharem as portas contra coronavírus: “Maricas”

Deixe o seu comentário