Conteúdo marcado como afetos

Suspeito que a civilização pressupõe a infelicidade como condição necessária

Suspeito que a civilização pressupõe a infelicidade como condição necessária
Luiz Felipe Pondé, na Folha de S.Paulo O tema da redenção me encanta há muitos anos. Sou um descrente encantado com a tradição bíblica. Para almas apressadas, pode parecer uma contradição. Prefiro ver como uma espécie de pequena modéstia diante de tamanha beleza contida nas temáticas bíblicas. Entre as várias histórias que me encantam está a de Lázaro. Não propriamente como a ideia do milagre de trazer alguém da morte, […]

O mercado do narcisismo

O mercado do narcisismo
Luiz Felipe Pondé, na Folha de S.Paulo Uma nova geração de seres humanos parece estar chegando. Alguns arriscam chamar de “novos jovens”. Uma geração que não sofre das fraquezas comuns dos mortais. No terreno dos afetos, ciúmes e inseguranças comuns no mundo romântico, eles parecem ter resolvido um drama muito antigo que é o medo de não ser amado. Desde a separação da atriz Gwyneth Paltrow e seu ex-marido Coldplay […]

Feliz Ano Novo

Feliz Ano Novo
Um belo 2015 aos que colecionam utopias, fazem das mãos arado e, com o próprio suor, regam as sementes solidárias que cultivam Frei Betto, em O Globo Feliz Ano Novo aos que acordam em 2015 sem a ressaca da culpa, plenos de vida na qual a paixão sobrepuja a omissão e o encanto tece luzes onde a amargura costuma bordar teias de aranha. A quem não sonega afetos, arranca de […]

Antes que a morte nos separe

Antes que a morte nos separe
A gente não cuida dos nossos afetos com a urgência e a dedicação que eles exigem Ivan Martins na revista Época Enterros, velórios e missas de sétimo dias são ocasiões que nos fazem pensar, inevitavelmente. Estamos ali, vivos, na presença física ou espiritual da morte. Em geral, ligados a ela por alguém amado ou conhecido que se foi. Não dá para evitar a filosofia nessas horas – e um pouco […]

Meus dias com o Elvis

Meus dias com o Elvis
Marília César Levou menos de 24 horas para eu me apaixonar. Seu olhar amoroso, seu jeito alegre e manso. A liberdade de ir chegando e se deitando a meus pés. De fazer de meus chinelos um suave travesseiro. A soma de todos esses afetos, entregues gratuitamente, derreteu meu coração de imediato. Se você estiver precisando derrubar as defesas de alguém, experimente deitar-se mansamente a seus pés. Sem pedir nada. Sem […]